Em busca da selfie perfeita: tem gente perdendo mais do que imaginamos - * Blog Elaine Gaspareto *

Em busca da selfie perfeita: tem gente perdendo mais do que imaginamos

Publicado em 14/08/2018

Tempo de leitura:

Tem situações de acidentes fatais que poderiam acontecer em qualquer período de tempo na História humana. Morrer afogado, por exemplo, ou ser atingido por um raio. Tem outras que só poderiam acontecer à partir dum espaço de tempo bem característico, como por exemplo ser atropelado por uma carruagem, ou ser eletrocutado por uma descarga elétrica...

Mas tem um tipo específico de acidente que só poderia acontecer no nosso tempo, esse começo de século 21, mais especificamente os anos 2010 em diante. Te dou um doce se você adivinhar do que estou falando...

Selfies.
Sim, selfies. Eu estou falando sério.
Tem gente morrendo por causa de selfie.
Aquela adrenalina dos esportes radicais? Que nada!
O que motiva quem se arrisca é a foto incrível, as curtidas e likes na rede social.
Foi-se o tempo em que a internet trazia emoção apenas para quem curtia um jogo de cassino online, uma partida de roleta ou de poquer, por exemplo...

Já em 2014 apareceram os primeiros relatos e matérias contando de gente que caiu de montanha ao tentar a foto perfeita, na maioria dos casos com a intenção de postar em redes sociais.
Queda de ponte, queda de penhasco, batida de carro. Quer ver os relatos? Clique nessa matéria do Extra e fique pasmo!

Claro que nem sempre a doidera de fazer de tudo pela foto perfeita acaba em morte. Pode ser só um maxilar quebrado, um pulso fraturado ou as pernas quebradas ao rolar ribanceira abaixo.
O fenômeno das selfies ou fotos perigosas é mundial. Lá em 2015, um levantamento feito pelo site de tecnologia Mashable  apontou um dado curioso e alarmante: o número de mortes causadas por selfies, naquele ano, foi maior do que as causadas por ataques de tubarões.
Bizarro que uma fotinha possa ser assim tão perigosa...


E tem maluco que invade prédios para fazer selfie.
Que se pendura em pontes, muitas vezes precárias.
Gente que quer tanto uma foto incrível que se arrisca com animais perigosos, ou que deita em linha de trem. Ou em estradas. Ou se pendura em cachoeiras...
Eu, hein...


Claro que autoridades do mundo todo estão de olho nos aventureiros das selfies.
Rússia e Canadá, por exemplo, são 2 dos países que mais se esforçam para conter os imprudentes.
Na Rússia, inclusive, há placas alertando para o risco.

Uma busca simples no Google revela dados alarmantes e relatos trágicos. Experimente, pesquise por "perigos da selfie" e você vai ficar besta com o tanto de relatos chocantes que aparecem, inclusive aqui no Brasil!


E não são só perigos físicos.
Lendo sobre o tema percebi que existe inclusive riscos à privacidade ao postar selfie em excesso, sem cuidados básicos segurança. Posta selfie, faz check-in, mostra placa do carro, mostra endereço, foto com uniforme de colégio do filho, mesa de trabalho na empresa, restaurante onde sempre almoça, supermercado onde sempre vai....
A gente precisa ter cuidado, depois de publicada a informação não é mais nossa, ganhou o mundo... e a gente não tem como saber onde e em quem ela pode chegar.

E se você é pai ou mãe e tem filhos adolescentes precisa estar atento ao tipo de selfie que a garotada posta nas redes sociais.
Sim, o filho da gente também comete imprudências e precisa de orientação e cuidado.

Sim, perigos modernos, tão característicos do nosso tempo, tão específicos do século 21.
Não que selfie seja algo novo, os autorretratos de pintores famosos estão aí pra provar que sempre apreciamos a admiração alheia à nossa imagem, e sempre quisemos deixar registrada essa imagem.

Mas morrer por conta disso ou se colocar em risco?
Sério, é inédito na História...








4 comentários via Blogger
comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Bem pertinente sua postagem, Elaine!
    Ontem no Papo de Segunda um dos rapazes falou que antes havia invasão de privacidade, hoje há evasão de privacidade, as pessoas perdem a noção do bom senso por bobagens.
    Quando fui a Campos do Jordão, acho que em 2012, me arrisquei para tirar uma foto na montanha, bem em frente ao palácio do governo, mas juro que na hora não me passou pela cabeça, filho até virou o rosto: -Mama, vc está louca?! :D As vezes esquecemos que o corpo envelheceu a as chances de virar no mínimo vídeo cacetada, são enormes!
    Há que se medir cada passo, cada ato, seja no real ou virtual.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Às vezes quero ver a paisagem de um lugar que eu gostaria de conhecer, mas sempre tem um cabeção na frente. O mundo está se tornando um lugar estranho de se viver :/

    ResponderExcluir
  3. Isso é verdade, eu como sou fotógrafa sempre fico em busca de fazer aquela foto incrível. Nunca aconteceu nenhum acidente comigo mas comecei a ver que não estava aproveitando os lugares e momentos... agora nem sempre posto tudo, às vezes nem tiro foto dependendo porque também precisamos aproveitar e se desligar um pouco. Adorei o post!

    Apenas eu, Day

    ResponderExcluir
  4. Desconhecia esse outro lado da selfie, não que a mesma seja negativa, mas quem a tira não toma as devidas precauções, adorei essa partilha! Vou ficar de olhos abertos com minha afilhada, valeu!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…