Sobre amar, e sobre deixar ir... - * Blog Elaine Gaspareto * Sobre amar, e sobre deixar ir... - * Blog Elaine Gaspareto *

Sobre amar, e sobre deixar ir...

Publicado em 25/02/2018


Qual foi a primeira criança que você amou na vida?
Você se lembra?
Eu me lembro.
A primeira criança que eu amei de verdade, sabendo que amava, foi minha sobrinha.
Me lembro do dia que soube que ela existia. Eu a amei ali.

Lembro dos meses esperando pra ver o rostinho dela, lembro da primeira roupinha que comprei, lembro do dia que fui com minha irmã leva-la ao pediatra, primeira vez, exame do pezinho.
Eu a carreguei no colo, atravessamos a cidade, e eu sofri ao ver o chorinho dela quando furaram o pezinho... tão pequena, tão pequeno era o pé...
Naquele dia meu marido comprou o carrinho dela.

A pessoa com a vela é Erdilan, concentradíssimo!
Lembro do batizado, lembro de cada foto, lembro dela começando na escolinha. Lembro que eu juntava moedinhas para o lanchinho dela, eram anos duros...
Lembro de sair com ela, tão pequena, lembro dos cachinhos, do cabelinho lindo, lembro do cheirinho dela.

Na festa de 1 aninho, deu os primeiros passos...

Lembro do amor, lembro de cada sonho que eu tinha pra ela, do tanto que desejava que aquela menininha fosse feliz, mais feliz do que eu fui, do tanto que desejei oportunidades pra ela. Queria pra ela tudo que eu não pude ter...


Essa semana, tão logo completou 18 anos, ela foi embora de casa.
Foi morar em uma cidade vizinha, com um namorado.
Ele, o namorado, é ex detento da Fundação Casa. Sequestro seguido de roubo.
Dentre outras coisas mais... Do meu ponto de vista, baseada no que vi e ouvi, e presenciei, desequilibrado emocional e mentalmente, machista, dominador, perigoso, creio que ainda seja viciado em drogas. Sabe pesadelo? Poisé.
Fizemos de tudo.
Todos os pedidos, conselhos, tudo o que era possível, fizemos.
Nada adiantou. A gente ouve tanto falar de meninas que fazem isso com a própria vida, e acha impossível. Não é.

Deixou os sonhos (que talvez fossem só nossos), a chance de fazer faculdade, a chance de ver o mundo, pra se juntar com alguém que é impossível quem a ama aprovar. A primeira coisa que fez ao chegar na casa onde ele vive foi fazer uma boa faxina. Vida de princesa, ele prometeu pra ela. Dormiu no chão até o meu cunhado levar uma cama. Vida de princesa.

Mas a vida é dela, como ela mesma frisa, e isso me fez pensar muito nisso, em como nossas decisões impactam a vida de quem nos ama. E em como as decisões de quem amamos mexem com a nossa vida, abalam nossas crenças. Em como é possível se decepcionar tão profundamente quando colocamos expectativa em algo. Ou em alguém. E como isso pode ser um peso, uma prisão para ambos os lados.

Me fez reolhar a forma como eu amo, reolhar a forma como reajo ao amor.
Amar alguém é lindo, mas também pode ser uma prisão. O amor, quando é assim, te faz "viver" a vida da pessoa.
E isso é uma prisão.

Sofremos, a mãe dela mais que todos, de um jeito que não consigo descrever.
E ainda vai demorar pra amenizar. Se é que um dia passará.
E, tão claro quanto a água límpida, a gente enxerga que nada de bom pode sair dali.
Mas não há o que fazer. E nunca mais falarei disso aqui no blog.
Mas como isso foi algo que me impactou demais essa semana e me fez reolhar algumas coisas, quis registrar.
Afinal, aqui é meu repositório de pensamentos, de vida, de reolhares...

Eu escolhi me afastar, não quero ver, não quero saber, quero deixar ir.
Até porque não há mais o que fazer... só deixar ir. Deixar que a vida mostre aquilo que eu não consigo mostrar..., deixar que a vida ensine o que a gente tentou e não conseguiu... deixar ir...
Afinal, isso talvez também seja amar...


Painel Reolhar a Vida

Blogagem Coletiva Reolhar a Vida.
Clique aqui e saiba tudo sobre a proposta, e veja como fazer parte!
Seja muito bem-vindo para participar!







14 comentários via Blogger
comentários via Facebook

14 comentários:

  1. Emocionada aqui te lendo! Que pena! Escolhas feitas pelos outros nem sempre coincidem com o que para eles sonhamos e desejamos, até nos esforçando pra dar certo. Agora ,decisão tomada, só torcer pelo melhor. Boa sorte pra ela! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Oi Elaine,
    como diria minha mãe "o que não tem remédio, remediado está". Vivi algo semelhante com minha filha. Ela se apaixonou por um gigolo. Ele era lindo, mas era um gigolo e vivia às custas dela. Como ela ainda não estava formada, suspendi a mesada, para que ela não continuasse a sustentá-lo, mas se eu não desse dinheiro, minha mãe dava. ela tomou rios de $ de minha mãe para sustentar o vagabundo. Foram 3 anos e meio. Por sorte ela não engravidou (reze para que sua sobrinha não engravide).
    ela estava formada, já trabalhando na embraer e não podia ir a um encontro de engenheiros pq ele não era ninguém e tinha ciúmes. afastou ela dos amigos, da família e atrapalhou muito profissionalmente. até um dia que uma luz se acendeu na cabeça de minha filha e ela viu que estava sim sustentando um gigolo.
    Para sair da vida dela ele queria pensão, queria indenização! Queria fazer escândalo no serviço dela e ela teve que levar o problema para o chefe dela na embraer.
    Sua sobrinha vai acordar, só espero que ela não tenha um filho nos braços quando acordar, pois se tiver, a coisa complica, mas sem filhos, sem problemas.
    Vai sair desta relação e ter milhões de novas oportunidades, vai voltar a estudar, vai seguir em frente e encontrar alguém que a ame.
    Como minha filha, ela vai olhar para trás e ver que perdeu um tempo precioso na vida, mas não irrecuperável.
    Vamos torcer para que esta luz se acenda logo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Elaine:
    My god!
    Nada a fazer né, paciência.
    As espertas.

    ResponderExcluir
  4. Elaine, eu me vejo em várias postagens suas, e esta é uma delas. Meus sobrinhos ainda são pequenos, mas eu me pego pensando no futuro. As vezes, acho que crio expectativas demais, fico querendo dar tudo que não tive, e no final a vida é deles, não é. Talvez daqui a alguns anos esteja passando pelo que vocês passam agora. Só sei que os amo demais.
    Fiquem com Deus! Bjo
    Bjos.

    ResponderExcluir
  5. Chorei junto com vocês.
    Só Deus e muita oração para auxilio a ela.

    ResponderExcluir
  6. Olá Elaine. Texto pungente. Dorido e comovente. É deixar nas mãos de Deus e torcer para que o futuro não se mostre tão negro. Beijos, boa semana para vc.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei muito sentida com esse texto, Elaine! Quando olhei o título, achei que se tratasse de algum texto sobre namorado, alguém que chega na nossa vida, damos lugar e depois temos que tirar de lá. Mas não, se trata sobre família, se trata sobre alguém que já era amada antes de nascer. Como não cortar o coração com isso? Espero que ela perceba rápido o erro que cometeu e volte para o amor verdadeiro da família ou que, pelo menos, esse rapaz melhore e a trate muito bem, como ela foi tratada a vida toda. Entendo você querer se afastar e sei que isso não significa que você vai deixar de desejar o bem a ela. Acalma o seu coração, porque vocês fizeram o que podiam e ela vai querer o amor de vocês de volta quando sentir falta de alguém que se importe de verdade com ela.

    Abraços!

    www.lysonjeada.com.br

    ResponderExcluir
  8. ai ai.... Como os jovens se acham adultos só pq virou uma página do calendário. So demonstram o quanto são imaturos.... 18 anos, a vida é minha.... Principalmente para as consequencias.Mas isto fingem que não existe.
    Maior de idade? Gastou, tem que pagar..... Não pagou? Vai ser cobrado..... Não tem dinheiro? Vai trabalhar.... E assim vai. Só responsabilidades, só estar por sua própria conta e risco.
    De fora não vejo nada de bom vindo desse relacionamento, nada mesmo! Imagino a família....
    Mas quem sabe a semente plantada prevaleça e a ficha caia o quanto antes..... Quem sabe a vida de princesa (Gata Borralheira, né?)abra os olhos para que esse momento de rebeldia passe logo. Pq no fundo é isso ne? Provar para sei la quem que podem fazer o que querem, pq acham que podem..... Aos 18 da pra acreditar nisso, mais tarde a gente descobre que não é bem assim..... Faz! Mas aguenta o que vir. Plantio é livre, mas a colheita é obrigatória!


    ResponderExcluir
  9. Caramba...Acho que não há palavras para consolar neste momento...
    Na maioria das vezes agimos com o reflexo de nossas experiências, achando que o que não tivemos e um dia sonhamos fosse o melhor...come se escolhêssemos as nossas ferramentas para construir a casa de quem amamos, a mais linda, segura, funcional e cheia de afeto...E então é como se dissessem: Nada disso é importante para mim.
    O único amor que possuímos é o nosso. É claro que dói imaginar que haverá sofrimento por quem amamos, mas a escolha realmente é dela, escolher a dor é meio comum na juventude, falta de maturidade emocional, o tempo ensina pela dor também e torçamos para ela sair o menos machucada possível nesta situação.
    A dor maior de um pai/mãe é que seu filho duvide de seu amor, que não lhe deseja o de melhor nesta vida, mas não tem como colocar isso na cabeça deles.
    Eu ousadamente diria para os pais não se envolverem, como o pai fez levando a cama (sei que dói)mas podem acabar sendo reféns dessa situação toda também, a escolha não foi deles, foi dela.
    Deixem ir e quem sabe ela volte e descubra que as escolhas dela podem ser outras e ainda construir uma vida cheia de paz e afeto.
    Sinta-se abraçada, Elaine. <3

    ResponderExcluir
  10. Oi, Elaine. Sinto muito por tudo o que passa, sente e por toda preocupação. Muitas vezes é difícil compreender a escolha do outro por fugir das nossas vivências, por querer proteger a todo custo, por amar muito. Certamente meu coração ficaria tão apertado quanto o seu. E o que fazer nesses casos? Não há muito o que fazer. A não ser amar ainda mais, torcer pelo melhor caminho do outro e deixar o colo aberto para o caso de uma mudança.

    Meu abraço apertado!

    https://ludantasmusica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Emocionei-me ao ler a sua postagem. Fiquei sem palavras, como se tivesse levado um murro no estômago.
    Porque sou mãe e avó e nunca sabemos o que a vida nos vai trazer.
    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Deixar livre e a mais linda e tbm a mais difícil maneira de amar, por natureza criamos perspectivas e sofremos qdo não corresponde ao nossos anseios. Oração é o q vcs podem fazer poe eles e entregar na mão de Deus, como vc mesmo disse ja tentaram de tudo e nada adiantou. Torço pela felicidade deles, torço pela sua felicidade e de toda a família. Bj

    ResponderExcluir
  13. Elaine, não tenho palavras. Neste momento você e sua família conte com minhas orações! Paz e Bem! Deixo meu melhor abraço Nice

    ResponderExcluir
  14. Impactada, sentida e pensativa você me deixou. Chorosa até e em oração tbm por essa mocinha, tamanho o meu envolvimento com essa história verídica.
    Desculpe, não sei deixar ir...

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…