Tudo bem não dar conta de tudo, o tempo todo... - * Blog Elaine Gaspareto *

Tudo bem não dar conta de tudo, o tempo todo...

em 18/08/2017


Você se deita de noite e naquele momento entre deitar a cabeça no travesseiro e dormir de fato começa a planejar o dia seguinte.
"Vou acordar tal hora, fazer isso, fazer aquilo, resolver as pendências que ficaram de hoje, dar conta das coisas atrasadas e ainda asso um bolo, se bobear."

Aí você acorda atrasada, esbaforida, o dia nem começou e a pessoa já está alterada.
O dia travado, você senta pra olhar o email e as redes sociais por 5 minutos e quando se dá conta passou-se mais de hora, e aí é que o dia enrola mesmo.
Corre fazer almoço, tem trabalho pra fazer, a casa não se arruma sozinha, a roupa (sabe-se lá o motivo...) não se lava sozinha e nem se pendura no varal... mercado, banco, consultório de médico, mais trabalho atrasado...

Chega a noite, como assim??? Cadê a tardinha suave que cai?
Eu nem vi... e bora correr com o jantar, tentar dar conta do trabalho que o dia deixou escapar...
E deitar a cabeça no travesseiro com aquela péssima sensação de não dar conta, de não saber fazer render o dia... a sensação de fracassar. De novo.
Quem nunca?
Tirando a mamadeira, essa poderia ser eu... #sqn

Mas, Elaine...
Esse não é um post da Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão?
Sim, meu bem, é.
Porque eu aprendi, ao longo dos últimos anos, a aceitar e agradecer mesmo quando a coisa não anda conforme eu gosto/quero/preciso/planejo.
E, acredite em mim, tem dias, ou semanas, ou meses) que a coisa não anda mesmo, de jeito nenhum, do jeito que eu amaria que ela andasse.
E isso sempre foi motivo de sofrimento pra mim, as coisas não acontecerem como eu precisava, ou queria, ou gostaria...

Então, o que eu aprendi a fazer? Aprendi a aceitar. A aceitar-me.
Aceitar que sou mesmo limitada, que não, eu não dou conta. Que tudo bem se eu não der conta.
Dormir chorando de angústia? Não mais.
Acordar já cansada porque arrastei coisas da semana pra sexta-feira, e não consegui fazer os dias renderem?
Não mais.

Aprendi a agradecer. A me sentir grata por mim, sem me cobrar tanto, sem colocar em meus próprios ombros um peso maior do que já tenho.
Sim, sou agradecida por mim mesma.
Falho, erro, não dou conta, me equivoco, fico doente (passei 15 dias doente, uma semana de cama, every day...com a maior gripe do mundo rsrrs), fico cansada mais do que ficava antes (ninguém tá ficando mais jovem por aqui, né?), sinto desânimo, sinto preguicinha.
E sabe?
Tá tudo bem.
Grata por mim, por ser quem eu sou, com minhas limitações.
E por ter descoberto, bem a tempo, que tudo bem ter limites.
Não é?

Venha participar com a gente da Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão!
Clique aqui e saiba como é simples participar!




4 comentários via Blogger
comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Olá, querida Elaine!
    É bem verdade! Tem dias que as folhas caem da árvore robusta!
    Hoje perdi um tio exatamente no dia dos 8 anos do pai...
    Vamos ter fé que venceremos este dia, esta semana e iniciaremos outra com mais primvaera na alma!
    Seja muito feliz e abençoada!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Aqui preparando a postagem da semana da gratidão e conferindo seu post.
    Sabe a aceitação é um passo muito importante. Não se trata de se acomodar e sim se permitir paz.
    Eu repito essa frase todo dia:
    Não está terminado até que eu vença.
    Ao redor pode estar um caos kkkk
    Sempre respiro.
    Ah Aceitar...acreditar e sempre Respirar bjbjbjbj

    ResponderExcluir
  3. Elaine,

    Você acredita que tem dias, ou a maioria deles que acho que estou "enxugando gelo"? Porque parece mesmo isso, você faz uma infinidade de coisas e quando chega no outro dia, parece que não fez nada... Dá um desespero enorme! Não sou o tipo de pessoa de ficar muito incomodada com a opinião dos outros, vivo no meu ritmo, o que dá pra fazer eu faço, o que não dá, vou administrando, mas tem dias que olho e quero ver tudo resolvido logo, mas nada se "auto realiza", isso na maioria dos casos, em relação à organização da casa. Eu me sinto muito cansada, não tenho quem me ajude com a faxina e outras coisas e fica tudo meio que nas minhas costas. Sabe o pior? Os homens da casa chegam e parece quem não possuem nenhum comprometimento com a comida, vão para seus quartos, deitam e eu fico louca, tentando terminar a janta logo, depois passo no mínimo uns 20 minutos chamando para virem comer, isso atrasa tudo, se eu tinha um livro pra ler, já foi pra o espaço, quando eu terminar de organizar as coisas já estou esgotada. Parece que tudo depende de mim, ou seja, se eu não existisse, ninguém entraria na cozinha, ninguém jantaria e eu penso, meu Deus! Se eu morrer hoje eles vão ter que acordar à força...
    Essa é a nossa luta diária! Mas, eu vou tentando escapar e tenho trabalhado algumas coisas em mim para não me incomodar com essas coisas que não consigo resolver no tempo que eu gostaria, afinal, eu sei que não sou uma máquina!
    Solidária à você, minha querida!
    Abração!
    Drica.

    ResponderExcluir
  4. Que post consolador!!!!
    Vivo angustiada por não dar conta de tudo. Pior é que no tempo livre que raramente eu tenho, me planejo pra resolver pendências (de casa), ao invés de descansar, e acabo não dando conta e nem descansando. Fico mais exausta sem ter resolvido as coisas.
    Mas tem dias em que consigo pensar: e daí se não dei conta? Amanhã é outro dia!
    Que possamos nos aceitar e nos respeitar com nossas limitações.

    Um beijo!

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…



Visualizações

Contando...

Dias online
Postagens
comentários