A maturidade... ah, a maturidade... Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão - * Blog Elaine Gaspareto *

A maturidade... ah, a maturidade... Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão

em 09/06/2017


Dia desses eu fui almoçar com marido em uma cidade vizinha daqui.
Sentamos, eu comecei o almoço e ao levantar a cabeça vi uma pessoa que fazia anos não via.
Não era apenas uma conhecida, era alguém de quem fui bem próxima no passado, tanto que é minha madrinha de casamento, uma das madrinhas.
Ergui a cabeça, olhei pra ela, abri o sorriso e... nada. Ela abaixou a cabeça e continuou almoçando.
Pensei: não me viu, restaurante lotado, né? Mesmo estando à menos de 10 metros de mim.

Levantei, fui até a mesa dela, que estava com mais 3 pessoas. Toquei em seu ombro, sorri e cumprimentei. Coisa que faço muito raramente pois sou tímida, não gosto de me impor de forma alguma.
"Oi, fulana, tudo bem?" - eu, a entusiasmada rsrsr
Ela ergueu os olhos, me olhou, respondeu:
"Sim, vamos levando" assim, sem fogo rsrsr
Só isso. E baixou os olhos para o prato.

Eu fiquei ali, de repente sem ter onde botar tanto braço e tanta mão rsrsrsr.
Sim, foi inesperado e constrangedor, claro. Durou meio segundo.
Sorri, desejei bom almoço e voltei pra minha mesa.
Almocei tranquilamente, feliz como estava antes, papeando com marido como sempre fazemos... sem me sentir mal como teria me sentido anos atrás.
Depois, em casa, fiquei pensando...
Que dádiva é a maturidade, né?

Não me refiro à idade, que pode ou não trazer consigo a maturidade.
Me refiro à esse sentimento de estar confortável consigo mesmo, esse sentimento de não se abalar por algo tão corriqueiro. Essa coisa de não deixar que nada externo abale a gente por dentro. Estar no domínio de si.

Tempos atrás e eu nem almoçaria direito, ficaria arrasada, triste em ser ignorada, em ser tratada de modo tão blasè...
Sim, já aconteceu antes eu ser ignorada, já aconteceu da pessoa estar acenando pra outra pessoa e eu achar que era pra mim, já aconteceu de eu cumprimentar sorrindo e a outra pessoa não responder... #quemnunca?
Já fui maltratada, ignorada, mal falada...
E eu fiquei semanas me sentindo mal. Inclusive deve ser por isso que sempre fico na dúvida se cumprimento ou não alguém, se espero a pessoa se manifestar...
São resquícios de quando a maturidade, essa linda, ainda não tinha chegado rsrsrs

Mas enfim...
Todo esse papo é pra dizer apenas isso: sinto uma imensa gratidão por ter chegado à uma certa maturidade na vida.
Sinto uma imensa gratidão por não me sentir mais o cocô do cavalo do bandido por causa de opiniões ou comportamentos de outras pessoas.
Sinto que, depois de caminhar por quase 45 anos nessa terra, eu aprendi que a opinião sobre mim mais importante do mundo, pra mim, é a minha.
Às demais pessoas eu quero sim agradar porque essa é a minha natureza, gosto de viver de bem com todo mundo.
Mas se não rolar, paciência... antes de qualquer coisa eu quero agradar à mim mesma.

Também me sinto muito grata por ter aprendido em tempo de usar pra vida que nem tudo é sobre mim.
Muitas vezes a outra pessoa não está bem, não me viu, não me reconheceu, não tava a fim de falar, etc...
O mundo não gira (ou pára) por minha causa. E, francamente?
Quando entendi isso foi como tirar uma tonelada de peso dos ombros.

Maturidade é quando a ansiedade é menos ansiosa...
Fafá de Belém

Para encerrar o assunto do almoço:
Mais ou menos meia hora depois que sentei ela, minha madrinha de casamento, veio até nossa mesa. Conversou, falante como eu me lembrava, falou da mãe, etc...
Não me pergunte o que foi que houve antes, as pessoas são assim, essa coisa nem sempre muito fácil de entender.
E aceitar isso também é coisa da maturidade. Aceitar que as pessoas são como são, que coisas bobas acontecem, que nem sempre têm a ver com a gente e que tudo bem se algo constrangedor rolar.
É da vida... e ponto.
Maturidade, sua linda... por que você não chegou antes????


Venha participar com a gente da Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão!
Clique aqui e saiba como é simples participar!



23 comentários via Blogger
comentários via Facebook

23 comentários:

  1. O tempo nos tira muitas coisas ,mas nos dá outras tantas ! Que bom que não te abalaste e provavelmente a pessoas estava num dia muito de mal com a vida... Pena! Mesmo assim, nada justifica,né? Ainda bem que ficaste bem! bjs, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas sabe? Eu pensei isso, dia ruim, quem nunca? rsrsrs
      bjssss

      Excluir
  2. Amiga deixa eu te contar que tenho visão e memória curta, por vezes não enxergo as pessoas ou não me lembro de onde as conheço e pasme, sou capaz de passar ao lado olhar no rosto sem ver a pessoa, mas graças ao bom Deus sempre abro um sorriso, para quem me interpela, pelo simples fato de achar muito chato esse tipo de situação, onde vamos cumprimentar e o outro nos ignora, passei muito por isso. Mas também já fui abordada, abraçada e ouvi a outra pessoa falar do quanto sentia a falta da amiga de colégio, para então eu lhe explicar que não era eu. Minha filha ficou horrorizada, por eu ter deixado a pessoa fazer tudo aquilo, mas eu achei que seria horrível e rude, agir de outra forma. Depois meditando sobre não sei se não concordo com minha filha, mas em meu favor quero deixar claro que no inicio eu também achei que ela me conhecia...rsrs
    Muita luz e paz!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs já me aconteceu isso, da pessoa falar comigo, me abraçar, etc...
      E ela tava achando que eu era minha irmã rsrsrs
      Eu nem disse que não era, só deixei ela falar, ficar feliz e me chamar de Elisabete rsrsrsr
      Mas foi por não saber o que fazer, ela falava sem parar e eu não dei conta de brecar rsrsrsr

      Excluir
  3. Sei não, Elaine, existem certas atitudes nas pessoas que é difícil demais aceitar e agir normalmente como se não nos afetasse. Já cheguei na maturidade, mas se um fato como este seu me acontecesse, eu ficaria quadrada, sem rosca e acho que não ficaria confortável quando a sujeita da ação viesse me procurar.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsr eu entendo voce.
      Comentei o acontecido com minha irmã e ela disse que ficaria sem conseguir comer de tão pasma que icaria rsrsr
      Mas eu decidi faz tempo não me deixar abalar. Claro que tem coisa que a gente não consegue manter a maturidade, e por isso mesmo eu sinto tanta gratidão quando consigo rsrsr
      beijossss

      Excluir
  4. Brilhante participação, adorei a sua crónica.
    Embora já tenha alguma idade, sou como a sua irmã, penso que ficava um pouco nervosa e dificilmente conseguiria comer bem.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, entendo você rarsr mas pense comigo: deixar algo externo afetar meu almoço seria pior. E eu amo comer, então.... rsrsrs
      beijosss

      Excluir
  5. Oi, Elaine! Adorei! Eu também rendo graças a maturidade, onde a pequenez da vida, ou picuinhas vão tomando o lugar que lhes é devido. E muitas vezes, num lugar bem sem importância. Eu também gosto de ficar de bem com as pessoas, também não me importo se esquecem o meu nome, se não me cumprimentam naquele dia, enfim, sigo feliz e grata à vida. Já passei por momentos que não deveria mais estar aqui (saúde e fatalidades) e esses acontecimentos me trouxeram muito mais 'maturidade', essa linda mesmo. Gratidão! Seja feliz sempre!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, penso isso mesmo. Também já passei por tanta coisa que penso: não, não será isso que vai me afetar rsrsrs
      beijosssss

      Excluir
  6. Oi Elaine! Situação chata, mas ninguém está livre. Antes da querida maturidade eu me sentia chateada qdo alguém não respondia ao meu cumprimento, hoje decidi que se faço um cumprimento é porque quero e não espero resposta, se vier, beleza; se não td bem também, repito mais algumas vezes, se não responder é porque não é de conversa, apago. Isso acontece geralmente com vizinhos novos.
    Quando é com alguém que tivemos um contato maior como no seu caso deve ser complicado mesmo, mas vai que é algo relacionado ao Alzheimer e depois a pessoa acabou lembrando...A maturidade é sábia!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dalva, é isso aí. Talvez a gente sofresse menos se esperasse menos. E se as pessoas esperassem menos da gente porque isso também é ruim, decepcionar os outros, e eu já fiz rsrsr
      beijossss

      Excluir
  7. Que lindo texto, Elaine! Sabe que já passei por algumas saias justas assim? Eu tenho, como brinca meu mario, "A MALDIÇÃO DA MEMÓRIA TOTAL" kkk e já sofri com isso. Hoje me sinto exatamente como você. É isso aí! Quem quer minha companhia e conversa, aceito de bom grado. Quem se afasta, não sabe nem o que está perdendo, mas está, com certeza! kkkk Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual, achei o que eu tenho: memória total rsrsrsr
      Credo, é ruim, seu marido tem razão rsrsrs
      beijossss

      Excluir
  8. Eu ficaria matutando .... que boba que fui em ir até ela.
    Mas tem coisas que não entendemos mesmo.
    Acho que ela só lembrou que era você um tempinho depois.
    Tem gente muito esquecida por aí ....... rsrsr

    joturquezzamundial
    australiacomcappuccino
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jô, por um segundo eu até pensei: por que não fiquei quieta no meu canto como sempre fico? rsrsrsr
      beijosssss

      Excluir
  9. Elaine:
    Também acho a maturidade uma delícia, porque coisas grandiosas no passado deixam de ter importância. Como dizia meu dentista terapeuta quando nós nos importamos é porque abraçamos, acolhemos. E quando deixamos de acolher mesquinharias a vida fica leve e solta.
    beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sônia, seu dentista-terapeuta tá certo, é isso aí!
      beijosssss

      Excluir
  10. AApesarr de ser madura , ainda me abalo com esse tipo de coisa fico triste e pensativa. Admiro vc está assim , espero que com o tempo eu também fique, porém sao fases acredito que cada um deve ter suas vivências e aprendizado!

    www.sempremorenaantenada.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, acredite em mim, o tempo modifica a gente. Não o tempo em si mas as coisas que nos acontecem, elas nos modificam. Mas leva tempo rsrsrs e de vez em quando a gente tem uma recaída rsrsrsr
      beijossss

      Excluir
  11. O bom mesmo é a gente poder olhar para nós mesmas e perceber a diferença do que fomos e do que somos agora. Pelo que eu vi nos posts da Blogagem esta semana, todo mundo está evoluindo. Que bom, né? Vamos em frente, como diz o macaco Simão, que fica parado é poste. E a gente sofre tão menos assim...

    beijosssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. QueMMMM fica parado é poste rsrs

      Excluir
    2. Paula, é isso aí... o macaco tá certo rsrsrsrrs
      bjsssss

      Excluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…



No Instagram