Um teto sobre a cabeça e uma cama sob o corpo- Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão - * Blog Elaine Gaspareto *

Um teto sobre a cabeça e uma cama sob o corpo- Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão

em 05/05/2017


Dias desses eu comentei em um post do blog da +Lia Angelica Agio , o Tacho da Pepa falando do que talvez seja a maior gratidão dessa minha vida.
Exatamente isso que o título diz: um teto sobre a cabeça e uma cama sob o corpo.
Fiquei pensando nisso a semana toda porque 3 coisas chamaram minha atenção por esses dias.
Vamos papear?


"Não leva meus bagulhos, não. Eu não tenho nada"



Vi, essa semana, a matéria sobre o casal de moradores em situação de rua de São Paulo que foi agredido por policial da Guarda Metropolitana.
Se tiver coragem de ver as imagens ( feitas por um estudante de jornalismo, jamais seriam vistas não fosse ele, concorda?) a matéria está neste link.
Eu não tive coragem de ver o vídeo. Li a matéria que relata as agressões. Os guardas levaram os poucos pertences deles, um colchão, pouca coisa...
Mas sentei e chorei, de dor, de compaixão, de empatia, tudo junto e misturado.



"Na rua há mais sede do que fome..."


Também nessa semana eu vi um vídeo de um canal que acompanho no Youtube.
A dona do canal, Regina Volpato, entrevistava um ex-morador de rua, o Sebastião.
Ele é ex-morador de rua, um homem lindo, bem articulado, dono de um pensamento claro e muito lúcido. Me emocionou de verdade, me fez pensar.
Se quiser ver o vídeo, aperta o play, vale muito a pena!


Acredite em mim, é pra fazer a gente pensar...





E o terceiro episódio que eu quero partilhar é sobre um albergue que existe aqui na minha cidade. É mantido por uma instituição espírita há muitas décadas, desde que eu era menina.
De vez em quando eu passo por lá, pouco antes da hora de abrir e vejo as pessoas que vão passar a noite.
É pouca gente, 3, 4, 5 pessoas, cidade pequena...

São homens, mulheres... eu olho para os rostos e me pergunto a história de cada um, suas dores e suas lutas... o motivo que levou cada um a estar ali... sem casa, sem praticamente nada de seu, eternos caminhantes...
Não consigo imaginar tanto sofrimento, tanta solidão, tanta dor... não ter segurança nenhuma, não ser visto, não ser ouvido... não ter um lugar para voltar, nunca...



Penso sempre nisso, na dádiva que é ter uma casa para voltar.
Quando eu trabalhava fora e saía da fábrica ao final do dia eu pensava nisso, desde sempre. Sobre ter um lar para onde voltar, sobre ter um teto sobre a cabeça.
E pensando nisso eu penso também em como minha vida hoje é boa, e em como me sinto grata pela vida que tenho hoje.

Você talvez não saiba mas por alguns anos eu dormi no chão, debaixo da mesa de fórmica azul da minha mãe, mesa essa que ficava na sala da casa onde cresci.
A casa pequena não comportava mais uma cama e conforme o tempo foi passando não cabia todo mundo no quarto; então eu fui dormir na sala, em um colchão no chão, que a gente colocava debaixo da mesa toda noite. Eu tinha uns 13 anos.

Não fique triste, já passou mas a memória de não ter uma cama ficou em mim, claro. Mas, em contrapartida, me fez ser grata por ter uma cama nos anos seguintes.
Hoje em dia, quando deito na minha cama de alvenaria grande e confortável, eu penso nisso, na dádiva que é ter uma cama com colchão de molas macio e gostoso.
Valorizo e agradeço tudo que tenho, cada roupa, cada objeto, cada enfeite... mas nada me dá tanta alegria quanto o teto sobre a cabeça e a cama sob o corpo.
Também penso na bênção que é ter a refeição de todo dia, a roupa pra vestir, o objeto que a gente gosta ou precisa...

Essas coisas são direitos, todo mundo tem o direito de ter. Mas sei bem que não é assim, e justamente por isso me sinto grata.
E me sinto também profundamente incomodada pois não dá pra ser completamente feliz enquanto eu sei que gente como eu, e talvez gente muito mais merecedora do que eu, não tem um teto, uma cama, uma refeição...
Sou aquela pessoa grata demais da conta, mas a gratidão não me faz ser conformada, entende?
Bem ao contrário, aliás...

Essa postagem faz parte da  da Blogagem Coletiva #52semanasdegratidão
Venha participar com a gente!
Faça seu post, traga seu link para o Painel da Gratidão!
Sim, pode começar (ou retornar) quando desejar!
Vem!!!!




Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

3 comentários , comente também!

  1. Boa Tarde, querida Elaine!
    Estou na casa de filho e nora e, em cidade grande, vi gente dormido na rua, 3 homens sendo revistados por policiais em pleno comércio nobre... tive o sentimento de tristeza profunda pois o ser humano chegou a um ponto de degradação insustentável...
    Seu post veio de encontro aos sentimentos que estou vivendo aqui...
    Um abençoado fim de semana a vc e seus queridos!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  2. Adorei tua participação e concordo ...Também me emocionei com isso! Valorizar o esforço, o ter um teto é demais de bom,! bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. Elaine:
    Sabe amiga também penso que enquanto tiver um ser vivo sofrendo, não tendo o mínimo para ter uma vida decente não poderei ser totalmente feliz.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…



Visualizações

Contando...

Dias online
Postagens
comentários