Motivação no trabalho - o que fazer quando ela desaparece? - * Blog Elaine Gaspareto *

Motivação no trabalho - o que fazer quando ela desaparece?

em 08/12/2016

Motivação no trabalho - o que fazer quando ela desaparece?

Não sei se já te falei mas eu trabalho sozinha, em casa, desde maio de 2012.
Sim, faz tempo!
Antes disso eu trabalhei como pespontadeira em fábrica de calçados por mais de 20 anos, sendo que boa parte desse tempo foi também em casa, com algumas pessoas. Era o que a gente chamava de banca de pesponto.

Tinha uma rotina bem semelhante à das fábricas, e por ter uma equipe comigo a disciplina era essencial: hora pra começar, hora pra parar, metas.
Mas daí eu comecei a trabalhar com blogs e por um tempo fui conciliando ambas as atividades. Dava certo, era louco e lindo, trabalhava 18 horas por dia e aos finais de semana.
Foi assim por um tempo até que deixei os calçados e me joguei no projeto de viver de blogs.
Deu certo.

Tão certo que ao invés de diminuir a carga de trabalho eu aumentei.
Estava motivada, inspirada e a quantidade de trabalho não me assustava, ao contrário!
Cada dia mais apaixonada, cada dia mais focada.
Mas... e sempre tem um mas, não é?

A vida deu uma guinada com o diagnóstico de EM do meu marido e com ela veio algo que eu não esperava: uma enorme desmotivação.
Somados todos os problemas e todos os empecilhos, o cansaço de anos sem pausa e um certo desgaste emocional, eu me vi muito, muito desmotivada.
Exatamente em um momento onde parar para me reorganizar (física e emocionalmente) não era opção. Minha vida ficou bem bagunçada.

Era o ano de 2014 e meu marido estava no auge de um surto decorrente da Esclerose Múltipla. Ele havia sido demitido, era só eu trabalhando, então  imagine o sofrimento: problemas de saúde, falta de energia, falta de foco e a desmotivação ali, crescendo e ameaçando tomar conta.

Quando a vida da gente atinge um ponto assim penso que não tem outra opção que não seja levantar a cabeça e dar a volta. Seja por cima, seja por baixo.
E foi assim que eu fiz.
Estabeleci uma meta, e tracei um plano de reação.
Defini que minha meta era trabalhar para viver e não viver para trabalhar.
Eu tinha a meta.

Faltava o caminho.
E acredite, o caminho foi tão importante quanto a meta.
A meta era viver melhor e voltar a ter motivação e entusiasmo.
O caminho? Aí foi mais complicado porque não podia ser qualquer caminho.

“Quem não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve”. 
Lewis Carroll

A citação acima eu "pesquei" desse artigo, que fala bem claramente sobre como a motivação pode reaparecer quando definimos uma meta em nossa vida.

Sabendo qual era minha meta defini o caminho: comecei a não extrapolar com horário e carga de trabalho. Reorganizei meus horários e minhas prioridades. Estabeleci limites. Voltei a viver. Comecei a dizer não.
Mudei minha forma de trabalhar, passei a reservar hora pra tudo: começar e terminar. Não estender até a madrugada. Não abraçar o mundo porque meus braços não são tão fortes e nem tão longos.
Toda noite eu deitava a cabeça no travesseiro e pensava no que havia feito ao invés de pensar no que não havia feito.
Focava no que dera certo e não nas coisas ruins.
E aos poucos a motivação no trabalho retornou. Até dormir melhor eu comecei!
Não era mais trabalhar só pelo dinheiro, era, como sempre havia sido, também por paixão.
E paixão é a força motriz da motivação!



Pequenas mudanças em nossos hábitos podem gerar grandes resultados



A frase acima não é minha, mas expressa perfeitamente algo que aprendi: que as grandes mudanças começam com coisas pequenas, pequenos ajustes nos hábitos e nas formas de percorrer a vida...
Leia o texto todo aqui, é muito esclarecedor!


Em algum tempo eu estava de volta ao meu normal, que é ser motivada e muito entusiasmada com meu trabalho.
Voltei a ler, a sorrir, a trabalhar com afinco, a sentir vontade de crescer...
Voltei a ver filmes e séries que amo...

Aliás, falando em filmes, lembrei desse artigo sobre motivação que li outro dia onde o autor cita o filme Sem limites com o Bradley Cooper.

O autor destaca algo muito interessante no filme: antes de começar de fato a cumprir a meta de escrever e entregar o livro o personagem do Bradley Cooper organiza a casa, limpa tudo, arruma tudo.
Ou seja: começa a caminhar pelo começo. Reorganizando a vida, a casa. Começa com a mudança pequena...
Você já viu o filme? Veja, é muito bom!





Claro que essa redefinição de metas e rumos não foi simples para mim. Doeu. Sofri. Chorei.
Mas crescer dói, né?
E manter a motivação não é sempre simples, e nem é peça de um ato só. É trabalho permanente...
Mas vale a pena, sempre.
Como eu disse acima a força motriz da motivação é a paixão.
E trabalhar sem paixão não é jeito bom de viver...
Não é mesmo?




Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

10 comentários , comente também!

  1. Elaine:

    Como tudo para dar certo tem que ter paixão mesmo, sendo que até as dificuldades ficam mais fáceis de resolver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. É igual começo de namoro, no auge da paixão tudo tem jeito.
      Assim a gente precisa levar a vida, como se fosse sempre um começo de namoro rsrsrs
      beijossss

      Excluir
  2. Adorei! Precisando de um pouco de motivação também e até de coragem pra mudar os rumos. Obrigada pelo texto. Beijos, Elane rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe? A coragem está dentro da gente.
      Tem dias que os problemas se acumulam e a vontade é mesmo ficar na cama, janela fechada, luz apagada.
      Quando eu sinto isso eu sempre ouço minha voz interior dizendo: deixa de ser covarde, levante e enfrenta.
      Na maioria dos dias tá muito certo, minha voz interior é bem insistente...
      beijossss

      Excluir
  3. estava necessitando de algo assim, mas geralmente eu coloco uma musica e puf ela ja aparece
    http://www.dosedeestrela.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Sabe onde encontro a minha motivação? Na minha neta do coração... Quando estou muito triste, eu logo visualizo o rostinho dela, a alegria em pessoa... sempre cantarolando... sempre aprontando... é dela q sempre tiro forças para seguir em frente!
    bjos

    ResponderExcluir
  5. Sabe eu também passo por algo do gênero, o meu irmão mais novo, têm, infelizmente, autismo.
    E às vezes olho para os irmãos dos meus colegas, e só uma colega minha é que passa algo do gênero, e ás vezes fico bem desmotivada, por não ter um irmão normal. Mas agora que ultimamente vejo para os meus colegas, jogam jogos violentos enquanto o meu irmão é meiguinho, e estou feliz que assim seja. Bjs e nunca desista!

    ResponderExcluir
  6. Adoro suas postagens ! Apesar de ter abandonado meu blog....sempre venho aqui dar uma olhada, tenho um atelier de bordados em um bairro que não tem muito movimento,e no próximo ano penso em....ter uma loja virtual,e venho sempre aqui aprender mais um pouquinho..bjs e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  7. Essa sua postagem realmente me ajudou bastante!! Muito obrigada... Eu não estava desistindo completamente de postar no meu blog, mas eu estava ficando bem desanimada antes de ler isso. Amo blogs desde pequena, mas sempre achei que não tinha "talento". Mesmo assim, ainda estou me esforçando, obrigada realmente!! Se quiser visitar, eu geralmente comento sobre animes: http://anibhor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…



Contando...

Dias online
Postagens
comentários

Visualizações