Que não sejamos apenas um filme que termina...

em 19 de setembro de 2016


Quinta feira passada eu passei o dia longe da internet.
Foi meu aniversário de 44 anos e como aqui em casa estávamos passando por um susto (marido ficou sem movimento das pernas por 3 dias, pense no terror que foi) resolvi tirar o dia e ficar só com ele, cozinhar, passar o dia de um jeito feliz.
Só fui saber da morte do Domingos Montagner quase no fim do dia, pelo Twitter.

Eu lia as notícias, via a cronologia, ainda esperando que fosse engano, ainda não acreditando. Não era engano, era real.
Eu chorei. Ainda choro.


Não lembro de ter chorado pela morte de alguém famoso.
Claro que já fiquei arrasada, lembro quando a Princesa Diana morreu, lembro da morte da Daniela Perez, e lembro que fiquei triste por dias. Mas nunca fiquei tão abalada.
Gostava dele, vi todos os trabalhos, e desse último vi algumas cenas pois quase não vejo mais novela. Gostava dele de verdade.
Do olhar que olhava, da voz, do jeito de atuar. Gostava da história, ele tão lindo, daquele jeito irregular, maduro, um rosto lindo, num homem real. Pai dos filhos, marido. Artista.

Domingo vi um trecho da entrevista da Camila Pitanga. Não dei conta de ver tudo, tamanha aflição eu senti. Vontade de abraçar aquela menina. Sinto um calafrio só de pensar no que ela está vivendo...
Não parei de pensar nisso, ainda choro ao pensar.

Na entrevista Camila disse uma coisa que não tinha me ocorrido: ele a salvou.
O último ato dele foi salva-la porque a tendência natural de quem está se afogando é se agarrar à alguém.
Ele não a puxou; sabia que seria a morte dela. Tem ideia do tipo de homem que faz isso?

Fico pensando nele, naquele instante final, sabe? Aquele momento em que ele percebeu que era o fim.
Penso na solidão que ele sentia, completamente só nas águas.
O que terá pensado?
Nos filhos? Na esposa? Os irmãos, os amigos, o circo... as coisas por fazer, a vida que acabava...

No que a gente pensa quando sabe que é o fim?
Só saberemos quando for a nossa vez, né?

Tem um trecho de uma obra de Monteiro Lobato onde a boneca Emília explica ao recém-criado Visconde de Sabugosa o que é a vida, e a morte:

"A vida, Senhor Visconde, é um pisca-pisca.
      A gente nasce, isto é, começa a piscar.
      Quem pára de piscar, chegou ao fim, morreu.
      Piscar é abrir e fechar os olhos - viver é isso.
      É um dorme-e-acorda, dorme-e-acorda, até que dorme e não acorda mais.
     A vida das gentes neste mundo, senhor sabugo, é isso.
     Um rosário de piscadas. Cada pisco é um dia.
      Pisca e mama;
      Pisca e anda;
      Pisca e brinca;
      Pisca e estuda;
      Pisca e ama;
      Pisca e cria filhos;
      Pisca e geme os reumatismos;
      Por fim, pisca pela última vez e morre.
      - E depois que morre? - perguntou o Visconde.
      - Depois que morre, vira hipótese."

Eu não entendo a morte.
Não tenho aquela crença que conforta. Não sei se tem algo depois, ou se, como diz o marido de uma amiga minha, a vida é como um filme: acabou, apagam-se as luzes, é o fim.
Não sei se a gente continua a existir depois da morte. Eu gostaria que meu filme não acabasse...
Uma parte minha acredita que sim, que não pode ser só isso aqui, uma parte minha acredita que tem mais.

Mas a minha parte mais racional diz que somos como os animais, não há nada depois, é o fim.
Sei que muita gente fala em céu dos cachorrinhos, dos gatinhos, uma visão mais romântica talvez... mas então teria que haver o céu do porquinho que comemos, a vaca que vira bife e a barata que esmagamos.
Não sei... no fim das contas, até que chegue a nossa vez, é tudo hipótese.

Não tenho crença formada, não sei no que acredito.
Quero desesperadamente acreditar que somos mais, que valemos mais, que há sim um depois. Mas duvido.
E em outras horas quero tanto crer que acredito.

Não quero ofender a crença de ninguém, é apenas uma conversa entre amigos, entende?
Eu falando do que sinto, você fala do que sente; eu te respeito e não tento te convencer de nada, e você me respeita e não tenta me doutrinar.

Aliás, falando em respeito: fico estarrecida e assustada quando leio que fazem piada com a morte dele. Sem respeito à esposa dele, aos filhinhos que um dia verão isso tudo...
Com o sofrimento da Camila. Gente louca que mistura a pessoa que está sofrendo com a ativista política com cujas opiniões não concorda.
Gente louca que acha que ela não interpretou bem o papel de narradora da tragédia.
Gente que não viu ali o sofrimento de uma menina...

Memes em fotos dela. Gente emocionalmente deformada, capaz de fazer isso e outras, tão deformadas quanto, capazes de compartilhar.
Não topei com nenhuma postagem assim, mas se topar é algo que me faria afastar da pessoa para sempre. De gente assim não quero nem a proximidade de uma rede social.
Empatia, respeito, solidariedade e afeto: não importa se é famoso ou meu vizinho de muro, todos merecem.

Como eu disse, não tenho aquela crença, aquela convicção que conforta.
Mas desejo, do fundo do coração, que exista algo além. Algo que existe, e não depende de eu crer ou não.
Que o Domingos de fato ainda exista, que esteja bem, que um dia reencontre os seus amados e que seus amados o reencontrem.
Desejo isso pra mim também.
E pra você.... que de fato exista algo para nós e não apenas um filme que termina...

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

14 comentários , comente também!

  1. Boa noite. Pois é Elaine...Faço das suas palavras também as minhas, quando diz que não tem lembrança de ter chorado por alguém famoso. Verdade. Fiquei muito comovida como tudo aconteceu e talvez isso tenha despertado não só em mim, mas em muitas outras pessoas, a decisão de não deixar para depois o que se pode fazer agora. Domingos foi abraçado pelo rio , o derradeiro abraço de muitos recebidos durante a sua trajetória de vida, Lamentável....ainda muito triste e minha homenagem deixei também lá no meu blog. Abraços Elaine.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eliene, estava pensando nisso agora, sobre as coisas que deixamos para depois.
      E nem sempre há um depois, né?
      bjsssss

      Excluir
  2. Me identifiquei muito com seu texto, Elaine. Além de admirar a pessoa e o trabalho do Domingos Montagner e de ter ficado muito comovida com sua morte, assim como você, eu também fiz aniversário na quinta-feira passada, mesmo dia do falecimento dele. Também encaro a questão da nossa finitude de uma forma parecida com a sua. Não sei se acredito na nossa continuidade após a morte. Tem hora que sim, tem hora que não. Realmente, parece que só saberemos quando nos for chegada a hora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamara, feliz aniversário então!

      Eu quero muito crer, acho que preciso crer.
      Mas sei que há em mim mais dúvida do que certeza...

      bjsssss

      Excluir
    2. Obrigada, Elaine!
      Feliz aniversário para vc tbm!
      Boa recuperação para o seu marido!
      Bjo

      Excluir
  3. Boa noite Eliane! Pois é Eliane,esse fato foi muito triste,porém acho que foi mais triste para a Camila que passou por isso tudo sozinha e ainda teve que dá a triste notícia.
    Senti muito,ainda sinto, até porque no dia de seu falecimento era aniversário de uma amiga,e no dia de seu velório ou melhor sepultamento o meu aniversário, e estávamos felizes,mas depois com essa triste notícia,algo dentro da gente mudou. a noite era tbm o niver de meu sobrinho,e já estava tudo preparado,então a vida segue. Perdi a vontade de continuar a assistir a novela,os capítulos estão prontos,mas pra mim não é a mesma coisa. A primeira vez que chorei por um ator,foi pelo Sérgio Cardoso,meu Deus como fiquei mal,e depois pelo falecimento do ator Marcos Paulo,mas tbm ñ era para mesmo,Marcos Paulo ñ era só ator, era tbm um amigo,embora a anos não o via,mas tinha guardado comigo todas as nossas lembranças,uma carta e uma fotografia,ainda em preto e branco. Porém deste eu ñ conseguir chorar,mas me abalou muito essa morte tão precoce... Ah! Estava esquecendo aqui em casa nos temos um pacto,eu minhas filhas e quem estiver comigo,mesmo que ela ñ saiba e formos atravessar uma rua,passar por algum lugar perigoso, etc,agente sempre dá as mãos,nada de seguir sozinhos,agente vai juntinhos,pois se algo de ruim acontecer ninguém quer ficar para dá a notícia.Então,eu no lugar da Camila morreria junto com ele,não ficaria para dá essa triste notícia,ñ viveria com esse pesadelo em mente.
    Mas vou orar por ela,pois ela além de sua família precisa muito de nossas orações.
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Célia, feliz aniversário, ainda que atrasado!

      Eu entendo o que você diz sobre ninguém querer ficar para dar a notícia.
      Mas penso que viver sempre é o nosso instinto.
      Ainda mais no caso dela, que tem uma filha pequena...
      Sinto vontade abraça-la e dizer que um dia vai amenizar.
      Mas francamente? Não imagino o que seja estar na pele dela...

      bjsssss

      Excluir
  4. Boa noite, Elaine, parabéns pelo seu aniversário, espero que seu esposo esteja bem.
    Você tem o dom da escrita e nos representa, naquilo que falou do Domingos Montagner um ser belíssimo como pessoa, como artista e, nos transmitia muita doçura, difícil de achar em um homem...
    Não gosto muito de falar em morte, por ter perdido a minha mãe muito cedo, sem nunca ter digerido...
    Sei que todos vamos morrer, mas tenho muita dificuldade, assisti à entrevista com a Camila e também me impressionei, pelo que passou e por ter a certeza que ele a salvou. Meu Deus é um peso muito grande, Graças a Deus não vi, nem quero saber sobre o que estão dizendo, pessoas que tripudiam em cima dos outros, não valem a nossa atenção.
    Gratidão por ser tão especial, te admiro muito!
    Tenha uma feliz e abençoada semana, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  5. Oi Elaine voltei! Nossa que feio, eu me esqueci de te desejar ainda que atrasada uma feliz aniverssário sempre,porque ñ é só nesse dia que precisamos ser feliz não é mesmo?
    Tbm agora que me dei conta que vc tbm no dia de seu niver estava recebendo essa triste notíci em rede nacional. Nossa! Isso vai ficar marcado pra sempre pra gente né?
    Mas então feliz aniversário pra gente sempre e para a comentarista Tamara tbm!
    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Olá Elaine, a primeira e única vez que vi Montagner atuando foi na novela Salve Jorge, que passou aqui, com outro nome que agora não consigo recordar. Chamou-me a atenção o fato dele ser um galã maduro, o que não é comum na Globo, me parece. Da entrevista da Camila, que assisti no utube, o que me ficou foi quando ela falou no olhar dele. Um olhar de quem não queria ir. De quem tinha muitos projetos e precisava ficar. Isso me tocou profundamente, pois os olhos falam, dizem tudo. Refletem alegria desmedida mas também, tristeza infinita! tragédias acontecem todos os dias e em todos os lugares. Quando é com alguém conhecido e gera repercussão, o mínimo que podemos fazer, é refletir. Quanto aos memes e comentários idiotas, nem há palavras. É execrável demais! beijo, boa semana para vc.

    ResponderExcluir
  7. Eu acredito que exista algo, se não fosse minha crença já estaria louca e tomando mto remédio de tarja preta, num período de 10 anos perdi pai, 2 irmãs (as únicas que eu tinha) e minha mãe. E em julho passado perdi um sobrinho (quase irmão) de 37 anos. Já imaginou se não acreditasse em vida após a morte? Mas não é fácil. Já não sou a mesma pessoa há mto tempo. Uma tristeza que só eu sinto, só eu entendo.
    Sobre a morte de famosos, eu sofri demais com a morte do Senna, ainda sofro. Depois dele não me permito passar pelo que passei por outro famoso. Fiquei arrasada com a morte do Domingos, mesmo não acompanhando tão de perto o seu trabalho, mas ele era um ícone principalmente para as mulheres mais maduras. Tb não gosto das piadas sobre o assunto na net. Lamentável.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Ah amiga, eu nunca acreditei que existe o "outro lado".
    Para mim, é aqui e nada mais. Viramos pó, para adubar a terra.
    Não quero sofrer mais, perdi minha mãe quinze dias antes do meu filho nascer.
    E meu pai quando fiz 14 anos.
    Prefiro ficar com eles na minha memória, com nossos bons momentos.
    Saudades? Demais, por não termos vividos juntos por mais tempo.
    Fiz 70 anos e nem acredito! Estou vivendo mais que meus pais.
    Nem quero pensar que tenho um marido, um filho e uma neta maravilhosos!
    Não sei o que será de mim sem eles.
    Já perdi muitos familiares ...... só tenho meu irmão, duas sobrinhas e dois sobrinhos-netos. Algumas primas. Só peço a Deus que deixem eles ficarem muito mais tempo comigo.
    Enfim, é a vida. Não podemos controlar o amanhã.

    O Domingos era uma pessoa tão especial, tão diferente de todos atores que conheço, que parecia que era da família. Parei de ver novela tem tempo.
    Tenho pena da dor da esposa, dos filhos, da família dele.
    E vamos viver o hoje, porque não sabemos quando será nosso último dia ...
    joturquezzamundial
    Beijos querida.
    Melhoras para o Erdilan.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia Elaine. Tenho andado um tanto afastada da net. Meu cunhado repentinamente sentiu-se mal, ficou com a boca torta e paralisado do lado direito Levado para o hospital, pensávamos que tinha sido AVC. Não foi. Tem um tumor raro no cérebro. Extenso e profundo, inoperável. Já foi operado mas apenas para fazer biopsia. Vive no Algarve a 300 Kms da minha casa e fui para lá. Regressei no Domingo dentro de dias vou novamente. A esposa é doente, a filha tem esclerose múltipla, ele era a alma daquela casa. Tudo isto para dizer que não sabia da morte do actor, e que fui agora pesquisar para tentar saber. Não conhecia muito bem o Domingos Montagner. A única novela que passou em Portugal com ele foi Salve Jorge. Isso não é motivo para que não tenha ficado horrorizada com uma morte assim
    Deve ter sido horrível para todos especialmente para a Camila que assistiu de perto.
    Oxalá ela recupere do trauma.
    Quanto ao resto eu acredito sim que a vida não é só este piscar de olhos. Não sei se estou certa ou não, mas o facto de acreditar nisso, tem-me dado força para enfrentar as piores coisas desta vida.
    Percebo o susto porque passou com o marido. A medicação ainda não travou os surtos?
    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Oi Elaine! Bela postagem, forte, sincera...Eu não acredito em depois, tento ser feliz da maneira que posso, honrar os ensinamentos de meus pais, não espero outro mundo para resolver nada. A vida é mesmo um pisca pisca.
    Não acompanhava o ator, mas também fiquei chateada, já fui chorona com mortes de famosos com o Elvis, Airton Sena e a Amy Winehouse...Penso que a gente precisa de um tempo para assimilar o luto, o que significa a perda...ainda sinto muita saudade de meu pai, avós, dos meu cachorros de toda a vida...Mas é vida que segue e temos que aproveitá-la da melhor maneira que podemos.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…