Coração partido...

em 6 de agosto de 2016


Hoje uma das minhas cachorrinhas, a Espoleta, morreu.
Entre eu perceber a doença e leva-la ao veterinário e ela morrer foram 6 dias. Erquiliose e o mais grave e definitivo: o fígado falhou por causa do antibiótico que ela precisou tomar. Ela inchou de um dia para o outro e morreu .
Meu coração está partido.

Enquanto escrevo ainda não consigo controlar as lágrimas.
Pensei se devia ou não escrever o que sinto aqui, e decidi escrever porque um dos objetivos primeiros do blog foi esse, ser um canto onde eu pudesse falar aquilo que estivesse em meu coração.
Eu quero manter esse registro, quero manter o registro do que estou sentindo e do que quero falar.
Estou triste, muito...

Além da tristeza da perda eu sinto ainda a dor da culpa.
Sim, é minha culpa. Eu era responsável por ela e não fui capaz de ajudar na hora que ela mais precisou. Eu falhei com ela, como já falhei antes com outros.
Não admira que Deus nunca tenha me permitido ter uma criança... eu não consigo manter viva e saudável nem uma cachorrinha...
Minha culpa, da minha ineficácia, da minha incapacidade.

Vejo tantos cachorrinhos pela rua, sabe?
Sozinhos, sem dono, passando fome.
Aqui onde moro mesmo sempre vejo, tem 2 que a vizinhança alimenta. São felizes, tem um na rua de cima que vive na rua há anos.
Vivos.
E vejo em outras casas alguns que mal têm o que comer, que jamais passaram por um veterinário, sem cuidado, magrinhos, muitas vezes jamais tomaram um banho... amarrados... sem caminhas...
Mas vivos.
No canil da cidade tem mais de 400.
Vivos.

Eu não consegui.
Veja bem, é claro que não desejo o mal para os outros... mas só posso imaginar que seja uma espécie de punição pra mim.
Eu cuido, eu alimento, eu faço o que posso e sei, e me esforço... e os meus morrem, da forma mais cruel. Ano passado foi a Brisa, de câncer. E tantos outros antes...
Uma dor que sempre volta, eu lembro de todos, de todas as vezes que eu falhei.

Tenho comigo agora 3 cachorrinhos.
Não quero jamais outros. Não quero expor mais nenhum à mim. Não sou capaz.
E me corta o coração pensar nesses que estão comigo agora, no momento em que eles se forem.
Queria tanto ser mais capaz...

A gente supera. Eu sei.
Mas não deveria.
Eu não deveria superar, eu preciso não esquecer.
Para nunca mais ter nenhum, não expor nenhum à mim e à minha incapacidade de manter à salvo...


Sei que essa dor vai amenizar, infelizmente eu a conheço bem. As lágrimas secam, a gente segue a vida, se não caminhando, ao menos se arrastando por ela...
Mas sei também que essa tristeza vai ficar para sempre dentro de mim, alojada junto às outras, de outros tempos e razões...
E que essa pedra chamada culpa vai se juntar às outras que trago na bagagem e que carrego vida afora.

Eu sei que as palavras são tristes, mas é exatamente assim que me sinto agora.
Não escrevo para ler lição de vida, ou de moral, ou ler alguém que não está na minha pele dizer que estou exagerando, ou dizendo bobagem...
A dor está aqui, é real. O sentimento é real, entenda você ou não.
Não tenho vontade de amenizar os termos, nem de dosar as palavras, nem de ser engraçadinha pra mascarar a tristeza.
Ela, a tristeza, está aqui.
E não, não é de hoje, e nem por um motivo apenas...



Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

28 comentários , comente também!

  1. Elaine, querida! Sei exatamente como se sente... Eles se tornam da família.
    A dor e a tristeza é inevitável. Fica com Deus, e que logo a família supere a perda da amiguinha tão querida.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nossa que triste, deve está sendo muito difícil pra você Elaine, eu só imagino como deve se sentir, mas felizmente como não tenho crianças, e nem um bichinho de estimação, não que não quisesse, são as circunstâncias infelizmente. O que posso te dizer é; Não se sinta culpada de nada, pois essas coisas acontecem, não queremos, mas. Espero que se recupere dessa perda, e que Deus conforte seu coração.

    Beijinhos pra te!

    ResponderExcluir
  3. Ai, Elaine, o que é isso, mulher? Você? Não. Não faça isso, não seja o seu juiz! Todo ser vivo um dia morre. Seus cachorrinhos morreram porque tiveram que morrer, porque chegou a hora deles, assim como vai chegar a sua hora, da sua vizinha, da minha...

    ResponderExcluir
  4. Elaine, também ainda estou sentindo a dor pela perda da nossa CUCA, com 14 anos. Saudades enormes e em cada cantinho da casa a lembro! Vai passar mas as saudades são grandes! bjs, fica bem, chica

    ResponderExcluir
  5. Ohhhhhhhhhhh lamento o que aconteceu :( é muito triste sim. Eu também já passei por esse drama e é muito dificil, a gente agarra-se aso animais como se fossem pessoas e sofremos muito quando eles partem. Mas olha, a culpa não é tua, aconteceu querida, nao te culpabilizes ,pois a culpa não é tua. Espero que recuperes essa dor rápido. Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Boa noite, Elaine, sei o que você está passando, amiga, mas não se culpe, não. Não é fácil detectarmos as coisas na hora, nossos bichinhos não falam, não nos avisam à tempo de seu mal-estar. Lendo seu texto percebe-se que você foi muito boa pra Espoleta. Tenha isso em mente. Nesses casos a gente sempre pensa que não fez ou que poderia ter feito muito mais. Às vezes não, amiga. Fique bem, pense nela como algo muito bom na sua vida e que ?Espoleta foi muito feliz!
    Beijo pra você.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Elaine:

    Pensa que jamais tu serias negligente de propósito, no entanto na medida do possível serena teu coração.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá Elaine! Estou lendo seu post e também triste. Nossa gatinha de um ano também morreu há 1 hora e minhas filhas estão desoladas. É a primeira experiência delas com a morte de um animalzinho nosso. Eu relutei muito em aceitar adotá-la pois quando criança, perdi cachorro, pássaros, papagaio e não queria me apegar mais a nenhum bichinho. Bem difícil! Bjs pra você!

    ResponderExcluir
  9. Oi Elaine, conheço muito bem esta dor, pois perder um animalzinho de estimação é muito triste e o pior é carregar esta culpa. Eu também cometi erros que eu não devia ter cometido com meus bichinhos (um papagaio e um cachorrinho) e sofri horrores. Enfim, isso já faz muitos anos. Agora é o momento da sua dor, é uma dor emocional, mas é tão grande que chega a doer na carne. Mas se eu posso te ajudar em alguma coisa, não pense mais no que você fez ou deixou de fazer, se foi responsável ou não por ter acelerado o processo, pois você já está sofrendo muito com a dor da perda, não carregue também a dor da culpa. Tire um pouco esse peso do seu coração, você não merece isso!
    Beijos,
    Ana
    www.viagensebeleza.com

    ResponderExcluir
  10. oh que peninha de vc tardinha de vc desejo melhoras por sua perda e por isso te fazer ficar triste :(

    ResponderExcluir
  11. Meu Deus, Elaine você é uma pessoa extremamente boa de coração.
    Se fosse o contrário, você não teria trazido para sua casa os cães de rua.
    Por favor, não se culpe, você sempre faz o que pode!
    Não somos Deus! Pense nisso! Se ELE quis assim, quem somos nós para dizer não?
    Já senti essa dor que você sente agora, é insuportável, custa a passar!
    Quem sou eu para consolar você, mas meu coração sente demais.
    Queria estar perto para lhe dar meu ombro,
    para que você pudesse descansar dessa dor ... dormir para não pensar.
    Minha querida, sofremos porque amamos. Se fosse o contrário nem ligaríamos!
    Um abraço carinhoso e demorado para você, minha querida amiga virtual, de tantos anos.
    Paz e luz!

    ResponderExcluir
  12. Lamento muito. Imagino a sua dor.
    É o ciclo de vida para todos os seres vivos.
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  13. Olá Elaine, lamento muito o que aconteceu mas não pode culpar-se. Eu tenho o Isaac que faz no dia 12 deste mês 9 anos e ele de vez em quando também fica doente e eu tenho que tomar opções. Nunca se esqueça que as opções que tomamos são sempre tomadas para bem deles e sempre com a melhor intenção. Eu sei por experiência própria porque já tive vários cães, que quando eles ficam doentes e isso pode acontecer quando menos esperamos, muitas vezes a doença progride muito rapidamente e nem sempre eles respondem bem à medicação. O Isaac por exemplo tem que ser ter muito cuidado com ele pois desde a ração até a alguns medicamentos ou um simples champô de banho se não for adequado ele fica doente. Ele é como os miúdos como eu costumo dizer, quando está muito quieto ou está doente ou está a fazer asneira. Ainda tem os outros por isso concentre-se neles. Esquecer nunca se esquece, mas com o tempo ameniza.
    Um abraço
    Milai

    ResponderExcluir
  14. Boa noite, Elaine, não fale assim, você não é culpada pela morte de seus cachorrinhos, não se culpe, você é uma pessoa tão generosa, jamais seria a causadora da morte deles.
    Perdi muitos cachorrinhos e gatinhos ao longo da vida, chorei muito a separação, mas tenho consciência de que eles foram felizes comigo e é isso que você tem que entender: -"O que realmente importa é a atenção e o carinho que deu a eles."
    Não temos o poder de evitar que morram, mas está em nós dar e receber amor desses animaizinhos, tão cruelmente abandonados.
    Pense que, se você não os tivesse recolhido, talvez nunca tivessem tido a oportunidade de receber amor.
    Agradeça o tempo que passaram contigo, era o tempo deles, era o seu tempo de acolhida. Não temos o controle da vida em nossas mãos.
    Tenha uma semana feliz e abençoada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  15. entendo sua dor, meus sinceros sentimentos.

    ResponderExcluir
  16. Encontrei essa poesia e lembrei de você,estive aqui agora pouco eu te acompanho e aprendo com você há algum tempo, enfim, acho que tem a ver com o que
    está sentindo. Beijo

    "Sensíveis,

    Não se envergonhem de sua sensibilidade!
    Ela tem lhes trazido muitas riquezas.
    Vocês vêem o que outros não podem ver,
    Sentem o que os outros têm vergonha de sentir.
    Vocês estão mais abertos, menos sonâmbulos.
    Vocês enxergam além daquilo que os olhos podem ver.
    Vocês não fecharam seu coração, apesar de tudo.
    Vocês são capazes de segurar os picos mais altos e baixos mais escuros e
    mais intensos em seu abraço amoroso.
    Vocês sabem que nada pode lhes definir.Tudo passa.
    Vocês são verdadeiras naves cósmicas.
    Comemorem sua sensibilidade!
    Ela os tem mantido flexíveis e abertos.
    Vocês se mantem próximos ao maravilhamento.
    E a consciência arde intensamente em vocês.
    Não se comparem com os outros.
    Não esperem que eles lhe entendam. Mas ensine-os.
    Não há problema em sentir, profundamente.
    Não há problema em não saber. Está tudo bem brincar na borda da vida.

    A vida pode parecer 'difícil' para vocês, às vezes,
    E muitas vezes vocês estão perto de se sobrecarregar.
    Mas é ainda mais difícil para reprimir seus dons.
    Todos vocês, os Sensíveis,
    Tragam um pouco de gentileza a este mundo cansado!
    Brilhem com sensibilidade corajosa!
    Vocês são os portadores da luz!"

    Jeff Foster.

    Força Elaine!

    ResponderExcluir
  17. Oi Elaine, nem sei o que dizer...Somos todos infalíveis e vez ou outra nos deparamos com essa sensação de fracasso, de impotência...que traz tristeza. Assim é a vida, nem sempre colorida como nos desenham. e a gente vai se reerguendo na medida do possível...Meus sentimentos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  18. Dói tanto perder um bichinho que a gente ama.
    Depois que o peixinho do meu filho morreu ele não quis ter mais nada.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  19. Perdi duas no ano passado, no mesmo dia. Foram sacrificadas por causa da Leishmaniose. Decidi que não terei mais animais de estimação. É muito sofrimento. Levei meses para me encontrar.
    Amo demais para conseguir perde-los sem me abater.
    Fique bem. Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Eu sei exatamente como você está se sentindo. E sei que a culpa vem. A comparação com outros animais de rua sem nada e vivendo. Mas não se iluda! Sao doentes e sofrem. Todos eles vão partir um dia, mas a Espoleta pelo menos partiu tendo uma vida feliz e saudável por anos. Teve alimentação diária, teve cama quentinha, abrigo da chuva, teve colo, teve dengo, bincadeiras, amor.....
    O que determina é a ação. Para ela e tantos outros você teve açoes que mudaram a vida destes serezinhos. Não para sempre, porque o pra sempre sempre acaba

    ResponderExcluir
  21. Oh Elaine! Coração partido sim, pois cães são seres especiais, são anjos que vêm para nos proteger! Como eu te disse hoje, Espoleta foi amada, isso é o que podemos fazer por eles... Não se culpe, eu sei que é difícil, que a cabeça da gente quer a todo custo encontrar explicações e respostas para todas as nossas tristezas, que a sensação de perda é enorme... Mas culpa não, pois não temos esse poder de vida e morte, não é mesmo?
    E se faltaram filhos, não faltou amor, entre você e seu marido e suas coisas, seus patudos e seu blog, tudo o que você tem espalhado por aí ao longo dos anos...
    A vida é assim, nem sempre como queremos ou sonhamos e eu não conheço pessoa mais "real" e realista do que você. Encare de frente, minha amiga, não tem amor perdido nesse mundo, nem no outro.
    E eu sonho que ao passar para o lado de lá (e finalmente ter certeza que esse lado existe rsrs) vou encontrar minha Lola, minha Preta e minha Tina me esperando =)

    beijossssss

    ResponderExcluir
  22. Elaine, linda, não seja tão dura consigo mesma. De uma coisa eu tenho certeza que você tem plena consciência: você fez o que pôde. Não tem como adivinhar uma doença ou fazer com que ela aja de forma mais branda. São coisas da vida. Acontecem nas melhores famílias. Fica bem.

    Beijos e sucesso!!!

    ResponderExcluir
  23. Gente querida, muito obrigada pelas palavras.
    Li tudo, claro, mas prefiro não reler pra responder uma um, seria reabrir a ferida, sabe? E já chorei demais esses dias, não quero reviver...
    Agradeço que você tirou uns minutos do seu tempo pra mim, muito obrigada.
    De verdade!

    ResponderExcluir
  24. Elaine que tristeza,sei o que esta passando,minha filha de 4 patas tambèm morreu de um dia para o outro.
    è uma tristeza sem fim nè!
    Fica bem!
    Beijo
    http://www.simplesedoce.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Muito triste.Nós mães de peludinhos de 4 patas sofremos muito... Forças! guarde as belas lembranças e saiba que Deus tem um propósito para tudo.

    ResponderExcluir
  26. Elaine, sei que não me conheces (esta é a primeira vez que te escrevo) embora eu te conheça há mais de 2 anos, quando, em uma busca na internet (provavelmente sobre decoração ou artesanato – minhas duas paixões), fui direcionada para o teu blog. Desde então, faço visitas periódicas a este teu espaço, não para obter informações sobre blogs, pois não tenho um, aliás, nem face eu tenho (sou uma pessoa muito reservada e não gosto de me expor), mas para saber como andam as coisas contigo e com tua família. Li todos os teus textos sobre o assunto e os acho extremamente profundos, verdadeiros e capazes de expressar tudo o que tens na alma naqule momento. Não tenho pudor em dizer que passei a te admirar muito, pois, apesar da história de vida que tens, não te deixaste abater, sacudiste a poeira e seguiste em frente. Profissionalmente, apesar de todas as adversidades, conseguiste te especializar em uma área tão difícil como a da criação e manutenção de blogs. Pessoalmente, te superaste ainda mais, pois a cada tropeço ou queda, te ergueste e continuaste a escrever a tua própria história no livro da vida. À exemplo de tantas outras pessoas, poderias ter te tornado uma pessoa amarga, de “mal com a vida”, que assume o papel de vítima e só faz reclamar da vida. Ao invés disso, com tua força, determinação e caráter, ainda consegues ser uma pessoa sensível, correta e solidária com as demais.
    Quando li este teu post, pensei que era chegada a hora de eu poder te dizer algumas palavras.
    Elaine, sou uma pessoa extremamente “cachorreira”. Desde criança, já tive inúmeros cachorros em minha vida. Atualmente tenho duas, que são meus amores, e sei o quanto sofremos com a perda deles. Respeito profundamente e compreendo tua dor, mas não entendo nem aceito esta culpa que queres te imputar pelo acontecido. Não faz isso contigo, Elaine. Não carregues mais este fardo pesado em teus ombros, tu não mereces isso. Sofra, chore, mas não te culpes, pois sei que quem ama seus bichinhos, tudo faz por eles, mas, infelizmente, a morte também faz parte de nossa existência e não podemos nos eximir dela.
    Com um carinhoso abraço,
    Kattia

    ResponderExcluir
  27. Muito triste por ti! A minha Tukinha com 8 anos esteve doente nos últimos dias e até termos a certeza do que era foi um sufoco. Já não dormia e só queria a abraçar com medo de um dia não o poder fazer mais! Corta o coração da gente ter de deixar partir estes anjos! Só quem ama de verdade é que compreende. Ela vai estar à tua espera lá no arco íris que dá direito à vida eterna ! Muita força e beijinhos!

    ResponderExcluir
  28. Vou te mandar um e-mail. Fica em paz! Conheço bem sua dor e seus sentimentos. Use essas experiências da vida para crescimento próprio. Na vida, nada é por acaso!
    Sinta-se abraçada por mim, e pelos meus filhos de quatro patas que comigo estão agora e pelos os outros que já viraram anjinhos e que estão com os seus.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…