Quando a gente gosta, não gosta ou desgosta de alguém...

em 5 de junho de 2016

Quando a gente gosta, não gosta ou desgosta de alguém...


O que te faz gostar de alguém?
O que faz você não gostar de alguém?
O que pode te fazer "desgostar" de alguém de quem antes você gostava?

Pronto, só essas três perguntinhas já dão o que pensar, né?
Nunca havia pensando muito sobre isso, sobre afetos, desafetos e desgostar... até que me deparei com algumas situações onde:

a) pessoa que eu gosto (muito!) assume uma posição com a qual eu não posso concordar;
b) pessoa que eu não gosto faz/diz algo que eu concordo, admiro, assino embaixo;
c) pessoa que eu gostava mas que, com o tempo, mudou tanto (ou eu é que vi o que antes não via?) que passei a desgostar...



Quando amamos alguém de quem está difícil gostar...


Amar alguém não é tarefa simples. Amar, de verdade, é decisão, muito mais do que sentimento.
Ainda mais quando a pessoa pensa diferente da gente, age diferente, diz coisas que se chocam com o que a gente acredita, se comporta de modo que contraria tudo que a gente defende.
Mas, e aí?
Se o gostar se baseia na afinidade, como continuar gostando de alguém assim tão diferente?
Se for alguém  tipo amigo por exemplo, dá pra se afastar. Evitar, esfriar a cabeça.
Dá?

Mas e se for, por exemplo, um filho, ou um dos nossos pais? Irmão, irmã... sobrinhos, afilhada...
Dá pra deixar de gostar de um filho, ou de um irmão, ou de um sobrinho que a gente viu nascer e crescer caso ele passe a defender/viver/fazer coisas que a gente condena?
Ou o amor sempre será incondicional, não importando o que a pessoa fizer, disser ou viver?


Não gosto de você, mas isso que você faz/diz/defende é tão legal...


Já aconteceu comigo, e foi por esses dias: alguém de quem eu nunca gostei, tipo aversão mesmo, fazer algo que eu admirei. Dicunforça.
Me mostrou um lado que eu não sabia que tal pessoa tinha. Um lado admirável e muito, muito "gostável"...
E olhando com atenção vi que a aversão (recíproca, por sinal) nunca teve um motivo concreto, sempre foi mais "não te suporto" e fim.
Mas, embora tenha passado a ver coisas boas, sigo não gostando, nem querendo estar perto.
Na mesma cidade já é perto demais... e o fato da pessoa fazer algo bom e eu seguir não a suportando... é algo que me faz pensar...



E eu... gostava tanto de você...


Mas, talvez o mais doloroso seja quando a gente se deixa cativar por alguém, e com o tempo percebe que aquela pessoa não é exatamente o que a gente via...
Não, nem sempre as pessoas fingem ser o que não são... na maioria das vezes a gente é que não quer ver, finge que não vê, ou não vê mesmo... cria expectativas...
E aí, uma hora, o desgostar se instala...

O que me faz deixar de gostar de alguém, em geral, é isso: ver com outros olhos, ver com mais tempo... ou a pessoa mudar mesmo.
Sim, é raro, mas acontece.
E aí é aquela situação, né?
Aconteceu comigo, uma amiga de anos, foi minha madrinha de casamento... mas com o tempo eu comecei a ver mudanças, um jeito superior de tratar as pessoas, de me tratar, e me pergunto se sempre foi assim ou se eu não via...
Deixei de gostar, hoje em dia mal consigo cumprimentar...
E me sinto mal por isso, me sinto em dívida, sei lá...


Quando também causamos esses pensamentos nas pessoas...


E, logicamente, deve ter gente que se sente assim em relação a mim, gente que se decepcionou, que não me vê mais como via, que acha que eu mudei ou fingia ser algo que não era... gente que me ama mas discorda de mim, gente que gosta de mim mas em alguns momentos mal me suporta... e gente que não gosta de mim mas em alguns momentos gostaria de conseguir gostar...
Acontece comigo, talvez contigo também...

Pensando nisso, em como a gente também erra com os outros, ou dá impressão errada, ou diz coisas que "desconstroem" a imagem que tinham da gente, ou ainda muda em algum aspecto sem explicação... pensando nisso é que eu sigo tentando não marcar ninguém com a tarja do "sem jeito".
Mesmo quando não gosto, tento não alardear para o mundo para não manchar a pessoa. Assim como eu gostaria que fizessem comigo, dar o benefício do silêncio, sabe?

E quando gosto tento não me fiar 100% na perfeição de quem amo porque sei, por experiência, que ninguém é perfeito, e que mesmo naqueles a quem amamos profundamente existem pontos que não gostamos...
Assim como existem em nós coisas que quem nos ama não aprova...


Mesmo que a gente goste de 99% do que a pessoa é, escreve, fala ou faz, sempre vai ter aquele 1%...
E mesmo que a gente deteste 99% do que a pessoa é, escreve ou diz, ainda assim tem aquele 1% que é amável, "gostável", admirável...
Né?

Mas no fim o amor talvez seja isso: se agarrar ao que possibilita ao amor existir.
Seja o 1%.
Seja os 99%.


*Imagem que ilustra o post é uma cortesia Shutterstock.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

15 comentários , comente também!

  1. E o amor tem explicação Elaine?
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  2. Oi, Elaine:
    Ai, ai, ai... para refletir nessa noite de domingo!

    ResponderExcluir
  3. Ahhh Elaine e seus posts que nos fazem pensar. Como eu amo aqui!

    Olha eu mudei, ou talvez não tenha mudado, só parado de ter tanto medo de mostrar tanto meu 99 quanto 1%. Parei de me preocupar em agradar aos outros para ser fiel a mim mesma. Com tanta coisa para me preocupar na vida, agradar já não é mais prioridade. E nem mesmo esperar que me agradem. Já tive medo de soar arrogante, mas não se trata disso, e sim de prioridades. Meu mal ainda é ser muito auto explicativa, talvez.

    Esses dias mesmo estava falando sobre isso com minha mãe, que é minha companhia na maior parte do tempo, eu que não mantive nenhum laço de amizade fora do vitual, talvez um dia a terapia me faça entender porque disso, mas então, e ela estava desabafando em lágrimas decepcionada com uma pessoa que, até então, era vista do alto de um pedestal por mim e por ela, apesar de ela ser bem mais cética do que eu nesse aspecto.

    Acontece que ela, assim como eu, assim como a maioria das pessoas, em algum momento decepciona. Magoa, sem querer ou não. Apontei a ela que ninguém é 100% nem pra um lado e nem para o outro, que não projetar desgasta menos.
    Eu já fiz algo parecido com o que nos doeu quando estávamos do outro lado, só entendi a dor quando troquei de lugar. Quando eu fazia eu me julgava certa, justa, no meu direito. A gente aprende com o tempo a pegar leve com o outro e com a gente mesmo, que amar como você disse, é escolha e construção, mas agradar não é obrigação. Tem diferença de ser gentil e respeitoso e ser manipulado. E que temos mesmo que respeitar até quem tem a loucura de não gostar da gente rsrsrs

    Beijossss

    ResponderExcluir
  4. São 2 horas da manhã...e por coincidência, estava esquentando um leitinho e pensando sobre isto, em relação á mulher do meu pai. Dói muito eu ter gostado tanto dela, de verdade - a única, dos 4 filhos - e ela ter sido sempre tão falsa comigo. Nunca gostou e fingia ser amiguinha! Eu, pensando em escrever no Facebook: Você conseguiu, eu também não gosto de você...não mais!
    Mas, eu só pensei! não vou falar nada. Por isso, morro a cada dia, engasgada com as palavras que não digo.
    Lendo o teu texto, o que penso agora é tentar entender, perdoar e...ignorar, apenas, sem fazer mal nem a mim e nem a ela!
    Beijosss e tenha um lindo dia.
    Amo as coisas que vem de dentro da tua alma e que você transforma em palavras!

    ResponderExcluir
  5. Sábias palavras, para refletirmos...

    ResponderExcluir
  6. Eu concordo que o pior é gostar e deixar de gostar (na verdade a gente não deixa de gostar), a gente passa a enxergar as falhas e defeitos e as vezes é difícil conviver por isso a gente se afasta.
    Hoje em dia é difícil saber quem gosta de quem e quem se importa com quem.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  7. Amei suas palavras. Sei como se sente, as vezes as pessoas que amamos muito muda tanto que nem reconhecemos. E outras que nos faz parar para pensar o porquê não gostamos dela. Belo texto.
    Saiba que mesmo longe, gosto muito muito de você!! ♥
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  8. Esta história de gostar é complicada mesmo. Amar pra mim, então é impossível! Se a pessoa é tudo que a gente admira, espera, sonha, ótimo! Ela é legal, a amamos e (ela não existe) convivemos sem dificuldades.
    Mas acho que este lance de gostar é como tudo na vida, a gente gosta e ponto! Por que tem gente que gosta de jiló, se o troço é amargo pra cacete? Por que tanta gente morre por chocolate e outras não gostam? Por que tem mães que amam seus filhos bandidos? Por que tem mulheres que amam homens canalhas? Porque isto é amor! Se vc ama pq é inteligente, legal, altruísta não é amor é admiração! Amor é exatamente amar não pela ausência de defeitos, mas apesar deles......
    Eu passei uma vez por uma situação que me fez pensar nesse assunto e concluir que o gostar tem que funcionar acima do que ensinaram que era “certo”, acima de julgamentos. Eu tenho uma grande amiga, nós duas nos consideramos irmãs que nunca tivemos (eu pelo menos não tinha nenhuma) mas um dia ela fez uma coisa terrível! Pra mim era gravíssimo e nunca faria nada parecido. Ela me procurou, quis estar comigo no momento ruim, pq mesmo fazendo uma coisa medonha sofreu. Eu tive um pensamento superficial, julgador: “ah! Não! Ela é um monstro! Não quero contato com ela..... Aí eu pensei: “mas eu sempre gostei dela, ela gosta de mim e me quer perto.... Como eu posso dizer que gosto, se não gosto como ela é?” E fui e sempre vou..... Não concordo com inúmeros comportamentos dela, mas não julgo. Não condeno. E sabe o que ela sempre diz? Que me admira pq eu não julgo ninguém, que aceito as pessoas com todas as podridões que elas tem....

    ResponderExcluir
  9. Muito bom! traduziu superbem uma coisa que a gente sente e, muitas vezes, nào sabe dizer. Um ponto que eu observo é ciclo. Tem um ciclo pra cada amor ou raiva, que nao dura pra sempre, nem pro beme nem pro mal. e ambos são bons. O ruim mesmoooo é a indiferença. Eu costumo dizer: enquanto eu t6o brigando e reclamando de ti, é porque te amo. se eu parar de me importar, ferrou, parei de amar.

    ResponderExcluir
  10. Oi Elaine! Penso que as relações suportam todas essa variáveis citadas, é normal, nós somos diferentes uns dos outros e mudamos o tempo todo. O ser humano tem essa característica de "vender" o seu melhor e aos poucos vai mostrando o lado mais desagradável se houver e aí tudo é possível, depende como cada um encara. Num tempo em que "best friends forever" é comum, virou status de felicidade, na mesma proporção acontece a decepção.
    Acho que a ética também pesa, por exemplo: Você gosta de um cara super inteligente, culto, lindo, bem sucedido, etc e depois descobre que ele é um corrupto...Ficar com um cara desse vai além da questão gostar ou desgostar, é ética e moral.
    Acho que relações devem ser superficiais para o bem estar emocional das pessoas, crescemos e continuamos a brigar como no ginasial. Resumindo, o mergulho é livre, mas nem sempre se volta a superfície sem se machucar.
    Ótimas reflexões, beijos!

    ResponderExcluir
  11. Falando do que pensam de nós...
    Aconteceu faz pouco tempo e creio que aconteceram várias vezes com outras pessoas também, uma amiga de trabalho que pegou meu jeito escutador e cuidador pra si. E esperou retorno, que não dei e não darei, porque sou assim, não me abro tão facilmente principalmente pra quem eu não conheço direito. Então ela saiu de licença maternidade e eu fiquei na minha. Sei que ela esperava que eu grudasse nela enquanto estava no hospital e depois que saiu de lá. E eu não fui. Claro que procurei saber se ela estava bem, se o bebê estava bem e depois de quase um mês que fui em sua casa. Por fim ela começou a me perguntar se tinha feito algo a mim e porque eu havia me afastado. Eu não me afastei. Ela que grudou em mim e não eu nela. E daí começou o mimimi com as outras pessoas pelas minhas costas. Não é difícil saber o que uma pessoa pensa a nosso respeito, não é? Então, ela foi dispensada do estabelecimento e ficou quieta no seu canto. E eu no meu. Talvez faltou consideração de minha parte... E talvez faltou bom senso da parte dela em criar expectativas numa pessoa (eu) e não teve.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Muito bom texto, Elaine. Veio mesmo a calhar.
    Para mim o deixar de gostar está, muitas vezes, relacionado a atitudes agressivas ou desrespeitosas que tiveram comigo. Como gostar de quem nos agride? Mas, as situações, como você descreveu tão bem, são as mais diversas. Bom mesmo é a gente poder gostar da gente.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Fico muito triste, quando gosto muito da pessoa e ela me traí.
    Fala mal de outras comigo, então sei que falará de mim com outros pessoas.
    Não gosto disso, ou é sincera ou não.
    E eu esqueço com facilidade, a pessoa fica invisível para mim.
    Uma pena, pois passamos tantos momento alegres juntas.
    Enfim é o mundo ...........ando muito desacretidata.
    joturquezzamunial.

    ResponderExcluir
  14. Ah... a Elaine e os seus post de identificação recíproca!!! :) As relações humanas sempre complicadas, né? Eu sempre me lembro de uma frase que li: "As pessoas não mudam, elas apenas se revelam!" E realmente qdo estamos próximos das pessoas, não enxergamos suas falhas... mas basta ficarmos longe para percebermos quem realmente são nossos amigos e vermos aqueles que nos eram tão próximos, como eles realmente são! Aí me vem outra frase que li: "Eu não mudei... eu apenas evolui!!! Belo texto, Elaine! Como sempre!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  15. Oie Elaine, que frio não?

    Então, eu penso que a vida mais ou menos assim: esquenta e esfria rsss
    Eu penso que a vida é regida por afinidades e interesses nos quais no no momento vc está disposta e direcionada a querer estar ou pertencer.
    Vejo refletido nos afetos que mantenho aqui fora e estamos sempre juntos.
    Hoje vejo que em 25 anos mudei muito, interesses mudaram, pessoas, amizades.
    Eu me mudo muito, faço grupos de amigos de vários interesses e núcleos ocasionais, dos quais participo eu e marido.
    Então tem sempre um frescor renovado.
    Porém tenho muito orgulho de ter amigos de 32 anos de amizade.
    Conversamos quase todo dia. As redes sociais estreitou nossos laços.
    Claro, realmente tenho afetos que foram um dia afetos rsssss hoje não fazem parte mais da minha história atual, mas não tenho mágoa ou carrego a pessoa ou motivo.
    Eu tenho uma coisa que quem convive comigo, sabe que sou assim há décadas, se tive que encerrar algum convívio com um afeto na vida pessoal, eu elimino, depois de tempos, anos eu esqueço,é algo que não faz nada, não tem conexão mais, tenho paz.
    Acabou aquela conexão, outro dia estava em uma certa cidade, e uma grande ex amiga passou por mim, e meu marido viu, e eu nem reconheci, passei reto,era uma pessoa qualquer que não lembrava mesmo. Segundo ele, a pessoa ficou me olhando, e depois seguiu caminho rsss
    Tenho uma proteção divina muito boa rssss não senti nada. E olha que foi um grande sofrimento desfazer amizade na época, sofri muito, mas foi preciso.
    Não tolero mentiras, fofoca e etc, e as vezes a pessoa guarda muita informação dessas relações e faz uso depois kkkk é traição das trevas kkkk então rodou, passei cerol em 20 anos de amizade.
    Amizade é um amor que nunca morre, tenho esses amores, porém só é amor e nunca morre se o sentimento é recíproco.
    E a gente muda tanto, molda, os interesses mudam, e as pessoas mudam lógico que infelizmente nem sempre vamos gostar, realmente me afastei de muitos afetos pessoais por não concordar ou não reconhecer mais aquilo que um dia foi comum.
    É triste mas faz parte, a mochila que carregamos nas costas deve ser leve, e esvaziei muito. Morar longe e se mudar fez uma higiene nessas relações.
    A vida é assim, liga ou desliga. Como modo operacional dos computadores 0 ou 1.
    Bjos

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…