Março 2016 - * Blog Elaine Gaspareto *

Como limpar as orelhinhas de seu cachorro

em 29/03/2016


Eu sou, atualmente, propriedade de 4 cachorrinhos.
São 3 meninas e um cachorrinho muito maluco chamado Bloguinho.
Sim, sério, eu adotei um filhote e ele se chama Bloguinho.
Meu Bloguinho cresce à olhos vistos!
Olha como ele era ao ser resgatado:


Era tanta sujeira, tanto verme, tanto carrapato...


Mas logo na primeira noite já dormiu assim, cheio de confiança:


Olha como era pititico em comparação ao travesseiro:


Daí foi levado à veterinária, tomou banho, foi vermifugado e vacinado, e começou a ficar lindão:


Lindo e terrível, comeu, roeu e mastigou minha casa inteira...
Mas é a coisa mais querida do mundo, amoroso e esperto:


E recentemente ele foi castrado.
Foi tenso, eu nunca havia castrado um machinho.
Ele ficou uns dias assim, abatido, numa tristeza (pela perda das bolinhas?) mas já voltou ao normal.

E nesses dias pós-castração foi preciso cuidar ainda mais da limpeza dele.
Aproveitei que ele estava manhosinho e limpei bem as orelhinhas. Ele chegava a inclinar a cabecinha, de olhinhos fechados, coisa mais linda...

Pra isso usei as hastes flexíveis com pontas de algodão da empresa parceira do blog Cotton Line.
Essas:


Olha a orelhinha:


Por dentro das orelhinhas dos cachorrinhos existem muitas dobrinhas e é tudo muito delicado. E jamais introduza as hastes no canal do ouvido deles!
Então é preciso muita delicadeza, além, claro, de hastes macias e realmente flexíveis.
As que a Cotton Line produz são exatamente assim, macias e com as hastes bem maleáveis.

Também usei algodão da Cotton para passar remédio antisséptico nos pontos da castração e limpar a barriginha pra não pegar sujeirinhas.
Embebia em água boricada e ele amava, dava um frescor nas partes rsrsr
Na primeira noite depois que a anestesia passou ele ficou mal, teve febre, foi tenso.
E algodão embebido em água fria ajudou a dar conforto.

Agora tá tudo bem, e sim, valeu a pena castrar. Evita doenças e crias indesejadas. Imagine, eu com 3 meninas e 1 Bloguinho?
Castre sempre!
A próxima a ser castrada será a Princesa, evita várias doenças, sabia?


E tem um bônus pra você: uma calculadora de idade de cachorro.
Sim, sério!
Coloque o tamanho de seu dog e a idade dele e clique em Calcular.
Vai aparecer a idade dele em "tempo humano" rsrrs
Muito legal, né?





Aqui em casa usamos (os humanos e os caninos) e recomendamos os produtos Cotton Line.
Os produtos mostrados no post foram enviados pela empresa, mas a opinião acerca da qualidade é minha, e absolutamente isenta.
Jamais recomendaria algo que não conhecesse e aprovasse.
Conheça os produtos da marca. Você vai se surpreender...

QUERO LER O POST COMPLETO

Como é dado o diagnóstico de Esclerose Múltipla?

em 23/03/2016


Desde que contei aqui no blog sobre o diagnóstico do meu marido muitas pessoas me perguntam como foi que ele descobriu a doença.
E na "vida real" isso também acontece, de alguém suspeitar de alguns sintomas e perguntar sobre como é dado o diagnóstico de EM.
Acho que nunca detalhei isso, então vou contar.

Em 2012 estava tudo indo bem pra gente. O ano estava sendo muito bom, e eu lembro que em setembro, quando fiz aniversário, eu estava muito feliz, como há tempos não me sentia. Era o refrigério antes da tempestade e da provação que viria nos meses seguintes...

Há tempos eu vinha notando meu marido mais cansado do que o normal, com mais calor, mais lento, e o pior: arrastando a perna esquerda, como quando a pessoa tem derrame, sabe? Sem força, caindo em casa, esbarrando nas coisas, estranho...
Achei que fosse cansaço, mais de 6 anos sem férias...
Em novembro, dia 5, ele saiu do trabalho no fim do dia e foi ao centro pagar umas contas.
Estacionou o carro na praça, caminhou até o banco e ao voltar, num percurso de menos de 100 metros, caiu 3 vezes, sem força alguma. Chegou em casa assustado, machucado, magoado porque riram dele ao cair, um bêbado?
Ele me contou. Choramos.

No dia seguinte liguei cedo em um clínico geral que atendia pelo plano de saúde, marcamos hora naquela manhã mesmo.
Ao chegar e ouvir os relatos de quedas, fraqueza, tremores e dores ele nos olhou por um momento e disse que precisávamos ir urgente à um neurologista.
Indicou um, o único que já havia tratado EM em outra cidade (vim a saber depois) e ali mesmo ligamos pra marcar.
Não tinha vaga, só pra daí 3 semanas.
O próprio clínico geral então ligou, e conseguimos a consulta para o mesmo dia, de tarde.

Fomos, o neurologista (Dr. João Francelino, muito bom!) examinou meu marido, e disse que tinha duas possibilidades: câncer no cérebro ou esclerose múltipla.
Sim, desse jeito. Direto e franco, graças à Deus!  Aterrorizante.
Pediu ressonâncias, fizemos, e daí uns dias fomos levar o resultado.
Ele disse que havia mesmo lesões cerebrais mas que não tinha recursos pra fechar o diagnóstico. Apostava em esclerose. Foi a primeira pessoa que me explicou, em linhas gerais, o que era a doença.

Nos deu um encaminhamento para o HC de Ribeirão Preto.
Levamos na secretária de saúde e nos disseram que levaria meses pra achar vaga na triagem.
Era final de novembro.

Em 5 de dezembro a vaga apareceu e fomos chamados para a triagem, pra saber se ele seria aceito como paciente da neurologia do HC.
Era uma quarta-feira, e lá fomos nós.
Na consulta (que levou umas 3 horas) ele foi revirado do avesso, e a médica, ao final, nos disse que assim que a equipe médica decidisse nos ligariam. Provavelmente em fevereiro, ela disse, por causa do final de ano, etc...

Viemos embora, e ainda na estrada o celular toca, era a atendente do HC nos dizendo que ele deveria ir de manhã, no dia seguinte, para ser internado.
Lembro do pânico que senti, tudo muito rápido, certamente era muito grave.
E era...
Ele foi internado, ficou dezembro todo lá, e parte de janeiro de 2013.
Exames, ressonâncias, avaliações... o diagnóstico é dado através de exames clínicos e de ressonâncias magnéticas.
E aí fecharam o diagnóstico, era mesmo EM.



Lembro com muita clareza do momento em que falaram comigo, antes de falarem com ele.
Eu estava no quarto, ele estava com uma psicóloga.
Os médicos da equipe, 5 deles, me rodearam e o mais velho começou a falar.
Disse que haviam lesões bem antigas e ativas, e que ele faria pulsoterapia (o que é pulsoterapia, doutor?) imediatamente para parar o surto (o que é surto, doutor?).
Explicou que era doença sem cura.
Que é progressiva, que é autoimune (o que é autoimune, doutor?), que é degenerativa.
Que ele ficaria pior ao longo do tempo.
Que não sabiam como ele evoluiria porque cada paciente é único, que cada um tem sintomas diferentes... que ele tomaria remédio pra sempre.
Qual remédio: Um que o governo dá porque é de alto custo.
Alto quanto? Não se preocupe, é alto.
E se o governo não der? Ele dá, o Brasil tem tratamento de ponta para EM.
Ele vai morrer disso? Não, mas vai morrer com isso.
Ele vai ficar na cadeira de rodas? Não sei, talvez sim.
Ele vai sofrer? Sim, e você também.


Os médicos saíram, e eu, sentada ali no quarto, chorei. Como não chorava desde menina. Depois engoli o choro e tracei um plano. Pesquisar, entender a doença, aprender a viver com ela, ajudar meu amor a viver. Contar aos pais dele.
Ele nunca me viu chorar, ele nunca soube o quanto eu fiquei assustada e o quanto eu tive e tenho medo.

Quando voltamos para nossa cidade foi a saga de conseguir a medicação, que graças à Deus nunca deixou de ser entregue.
Daí, em agosto de 2013 ele foi demitido.
Chegou em casa, sentou e me contou da demissão. Assim, sem aviso, sem consideração.
Ele chorou, foram 14 anos que a empresa não considerou.

Eu então tracei mais planos.
Trabalhei por 14, 16 horas por dia, de segunda a segunda. Nunca disse pra ele que estava com medo, que estava preocupada. Sempre disse: vai dar tudo certo, eu estou aqui.
Minha maior preocupação era deixa-lo tranquilo porque o estado emocional impacta muito na EM. Paz e tranquilidade é o que ele precisa.
E de fato deu tudo certo.

Nunca passamos qualquer necessidade, ao contrário!
Ele começou recebendo um afastamento do INSS e recentemente foi aposentado por invalidez.
E meu trabalho nunca deixou que faltasse nada, vivemos hoje melhor do que antes da demissão.
Vivemos bem, de verdade. Tudo se ajeitou, bem do jeito que eu planejei e me esforcei para que acontecesse...

Ao longo desses anos ele teve mais um episódio de surto, em 2014. Foi um ano tenso, a gente vivia no HC.
Mas passou, e 2015 foi tranquilo.
Esse ano está sendo mais instável, esse mês ele teve uns episódios, mas é esperado em doenças progressivas que elas, naturalmente, progridam.

Ele teve formigamentos, muitas dores, muita fraqueza.
E há uns dias teve um episódio que me desesperou, ficou paralisado, depois teve muitos tremores, muita fraqueza, episódios de esquecimento, de confusão mental.
E como ele é jovem isso é muito assustador, embora seja esperado.
Já temos 3 datas para ir ao HC, duas ressonâncias marcadas e uma avaliação. Abril promete...

Sempre me perguntam se ele está bem.
Digo que ele está estável, o que em geral é verdade.
Conviver com uma doença sem cura é complicado, mas ele e eu aprendemos algo importante: não odiar a doença. Não negar, não amaldiçoar a EM.
Ela está aqui. Estará aqui para sempre, nossa companheira inseparável para toda a vida, um casamento à 3.
Poderia ser pior, e odiar a doença não vai fazê-la ir embora, ao contrário...
Então a gente aceita, aprende a lidar com ela e suas limitações, aprende a ver os sinais, aprende a aceitar e a ver que a vida pode ser vivida mesmo com esclerose.


E quer saber? Eu me sinto grata.
Disse isso em 2012 e posso repetir agora, já com conhecimento de causa: ele ter sido diagnosticado com EM foi terrível, mas como tudo na vida tem um lado "aproveitável": me dá a chance de retribuir tudo o que ele fez por mim.
Ele me aceita como sou, com minhas muitas limitações, meus muitos defeitos.
Eu nasci para estar ao lado desse homem, não importa em qual situação.
Ele pode contar comigo em qualquer situação, sempre, e para sempre.
No fim das contas a doença nos juntou ainda mais, de um jeito que não sei explicar.
Inseparáveis.

Acho que é isso que qualquer portador de EM precisa: a certeza de que não está sozinho. Segurança e amor ajudam muito na superação das dificuldades.
Porque elas, as dificuldades, existem.
EM não é brincadeira, é sério e o diagnóstico é avassalador.
Mas não há nada que amor e comprometimento não deem conta de superar...
Não é?
QUERO LER O POST COMPLETO

Nhoque à bolonhesa para alegrar sua casa e dar conforto ao seu coração

em 18/03/2016

Nhoque à bolonhesa para alegrar sua casa e dar conforto ao seu coração

Esta semana, gente querida, não foi fácil.
Nem no âmbito pessoal (coisas chatas que impedem a gente de estar bem, sabe?) e muito menos no âmbito nacional.
Meu pobre país... chacoalhado de todo lado, convulsionando, paralisado diante de tantos escândalos novos, sendo que os antigos ainda nem esfriaram...
Uma semana de grampos, palavrões, um país pasmo, abatido e perdido, bem naquela vibe do "se correr o bicho pega, se ficar o bicho come"...

E nessas horas a italiana que vive escondida em mim pensa que nada como uma comida gostosa, feita com amor e com afeto, pra amansar o coração e dar conforto ao corpo cansado e à alma aflita...
Nhoque, gente!  E bem gostoso! Fiz na quinta-feira, porque, olha... tava precisada de conforto!

Enquanto a gente cozinha as batatas e vê o que era duro amolecer, a gente vai vendo os problemas amolecerem também... Nada é tão duro que não tenha saída...
E quando amassamos a massa e cortamos com paciência e foco cada nhoque vamos nos libertando de pensamento ruins, focando no alimento santo que as mãos preparam, pensando em quem amamos e que vai compartilhar com a gente a comida gostosa.

Quando fazemos o molho denso e saboroso vamos deixando sair da gente todo o cansaço, todas as energias ruins... concentrar-se na comida sendo feita, focar nesse momento, limpar a mente, aliviar o coração...
E ao final, saborear a comida gostosa, confort food... que aquece a gente por dentro e que alegra...
Compartilhar a comida gostosa e caprichada com alguém que amamos... Isso é que faz a vida ser essa coisa preciosa e maravilhinda que é!
Vamos fazer?


Receita de nhoque com molho à bolonhesa


Comece pelo molho à bolonhesa.
Aqui tem minha receita, que faço sempre e que fica perfeito:
Molho à bolonhesa perfeito

Feito o molho, que pode ser o meu ou aquele seu, que você gosta, vamos ao nhoque?
É muito simples, segue aí:
Cozinhe 1 quilo de batatas com a casca.
Depois de cozida, ainda quente, tire a pele e esprema como se fosse fazer um purê. Junte 1 colher (das de sopa) generosa de manteiga, 1 ovo, 2 colheres de parmesão ralado e ajuste o sal.
Acrescente farinha de trigo, cerca de 200 gramas. Mas cuidado! A farinha serve apenas para dar forma ao nhoque: quanto menos farinha mais macio ele fica.

Incorpore os ingredientes e forme cordões sobre uma superfície lisa e enfarinhada. Corte pequenas porções.Eu, como faço pouco, ainda boleio pra ficar bem bonito. Coloque para cozinhar em água quente, panela grande, com uma pitada de sal. Não coloque nem óleo nem azeite nessa água pois senão o molho não "entra" na massa.
Assim que as bolinhas subirem à superfície da água retire com uma escumadeira.

Disponha em uma travessa e cubra com o molho. Se gostar salpique parmesão ralado.
Quer provar?



Aproveite o final de semana e faça.
Reserve um tempo para isso, e deixe a mágica da comida alegrar seu coração e aliviar sua alma...
Aproveite os minutos preciosos... porque a gente nunca sabe o que nos espera na curva do caminho, então bora aproveitar os momentos bons no instante em que eles acontecem...
Né?
Feliz dia, feliz final de semana!!!!


QUERO LER O POST COMPLETO

O aviso na porta de Rosie: livro para crianças de todas as idades!

em 15/03/2016

O aviso na porta de Rosie: livro para crianças de todas as idades!

Quando a editora Cosac Naify anunciou seu fechamento no ano passado eu lidei com a notícia da melhor forma possívelr: comprei o máximo de livros lindos pelos quais podia pagar. Entre eles estava "O aviso na porta de Rosie" de Maurice Sendak.


Tanto como ilustrado quanto como autor Maurice Sendak é genial, ele é o tipo de autor capaz de agradar crianças de 0 a 99, com seus traços simples e histórias cativantes e verdadeiras que registram com maestria os aspectos mais doces do universo infantil com muita ternura ele já se tornou um dos meus autores preferidos da vida.


Em "O aviso na porta de Rosie" nós conhecemo a Rosie, uma garota cheia de imaginação, do tipo de que tem alma de artista e vive inventando moda e brincadeiras. Junto com seus amigos ela faz do nada acontecer qualquer coisa só com sua criatividade.


Usando roupas de adultos ela monta uma companhia de teatro e todos encarnam os personagens que sempre quiseram ser. Seus amigos e ela viram atores de uma companhia teatral, ela canta uma canção ou simplesmente ficam todos juntos esperando alguma coisa magica acontecer enquanto conversam como seriam se acontecesse.


Se a mãe de Rosie não deixa ela brincar com bombinhas, então ela se junta com os amigos e vira junto com eles as bombinhas e todos estralam, explodem e entram em chamas no céu noturno de suas cabeças maravilhosas.


Rosie é uma criança imã, ela atrai os outros para si pois todos sabem que perto dela alguma coisa vai surgir do nada e todos vão se divertir... Ela me lembra minha amiga Aleska Lemos, uma sagitariana cheia de ideias.


É curioso perceber também, que toda a história contada por Maurice Sendak em "O aviso na porta de Rosie" acontece com crianças alheias a existência de celulares, computadores, joguinhos etc. Elas se divertem umas com as outras usando utensílios do seu dia-dia, roupas dos pais e a própria imaginação. Não tenho nada contra aparelhos eletro-eletrônicos, muitas vezes até recorro a eles em minhas aulas, mas foi magico ler sobre crianças que não precisavam disso para se divertir e inspirador também.


Não tem como não amar a Rosie, não tem como não admira-la, não tem como não indicar o livro para todos os que amam um bom livro ou para aqueles que estão em busca de uma boa dica de livros para presentear ou ler para uma criança.

Dados do Livro

Titulo: O aviso na porta de Rosie
Autor: Maurice Sendak
Ano de Publicação: 2015
Editora: Cosac Naify




Encontre a Pandora:
Blog Uma Pandora e sua caixa
Fanpage O que tem na nossa estante
QUERO LER O POST COMPLETO

A corrupção das coisas pequenas...

em 13/03/2016

Hoje de tarde, pra esfriar a cabeça diante de tantas coisas que roubam a paz da gente, eu saí com marido, Princesa e Bloguinho pra dar uma volta de carro pela cidade.
Passamos pela praça central da cidade, a manifestação contra a corrupção estava no fim, só umas poucas pessoas de amarelo na praça. Famílias, moças bonitas. Uma tarde no interior...


Durante nosso passeio passamos por um loteamento que está com as casas em plena construção; eu gosto de ver o bairro nascendo, os terrenos, as casas surgindo...
Notei uma coisa interessante: em alguns terrenos, onde ainda não começou a construção, havia lixo.
Nitidamente refugo de construção, despejado por carriola de pedreiro, sabe? Aquele montinho bem característico.
Fiquei pensando...

Ao invés de contratar uma caçamba simplesmente pega o lixo e joga no terreno do coleguinha.
Quando ele for construir, ele que resolva o problema do lixo que nem era seu...
Andando pela cidade, em áreas habitadas, a gente vê muito isso: lixo em terrenos vazios. Em frente minha casa, por exemplo...na avenida subindo para o bairro J. Paulo 2º...
Mas a gente protesta contra o governo. Porque não somos como esses políticos...
"Mas e esses governantes safados que deixam dívidas pro próximo eleito pagar? Cadeia neles..."

Tenho uma amiga enfermeira, que sempre aplica injeção em meu marido no PS daqui.
Sabe qual o dia que mais aparece gente não-habitual para se consultar com o plantonista?
Nas noites de domingo. E pedem atestado para a segunda-feira. Ela disse que já cansou de ouvir que foram pegar atestado pra resolver algum problema na segunda, porque precisam descansar, porque bebeu de tarde e ficou ruim...
Mas a gente protesta contra a corrupção porque somos contra ela, né?


A gente vê muito: a fila do banco ou da lotérica imensa, o cidadão entra, passa a vista nas pessoas da fila e se encontra um amigo melhor posicionado tasca: "paga essa pra mim, a fila tá muito grande".
Eu mesma já me estressei com isso na lotérica uma vez, acho o cúmulo da folga. O tal "levar vantagem" sempre. Jeitinho.
"Mas o governo, que corrupto, né? Sempre tirando vantagem da gente que é pobre..."

Esses dias vi, em um grupo do Facebook, uma mulher dizendo que queria proclamar uma vitória na vida dela.
Que tinha uma conta pra pagar e precisava de 1 litro de óleo. Mas não tinha dinheiro suficiente, então optou por ir ao mercado comprar o óleo.
Deu 5 reais pra moça do caixa, que se confundiu e devolveu troco pra 50 reais.
A mulher então foi ao Facebook glorificar a Deus pela vitória pois com o troco errado ela ficou com o óleo e ainda pagou a conta.
Glória à Deus!
Glória à Deus????
E a moça do caixa, que no fim do dia vai ter de seu salário a diferença descontada?
"Mas que governo ladrão, né? Prende, queima eles..."

Imagem daqui

A gente, que detesta tanto a corrupção mas enche a casa com produto pirateado, cd pirata, dvd pirata... se bobear até a camisa da seleção usada pra protestar é falsificada...
Mas ladrão é o político, eu não...
#sqn


A gente sabe que beber e dirigir não pode, mas é só uma latinha, tá calor...
Falar ao celular no trânsito também não pode, mas é rapidinho... opa, atropelei a tia, foi mal...
"Mas e esses políticos, hein? Acham que estão acima da lei, esses safados..."

Vaga pra idoso, pra deficiente, que nem deveriam sair de casa, e eu aqui rodando 10 minutos pra estacionar.
Vou usar a vaga especial, mas é rapidinho, 5 minutinhos... alivia aí, seu guarda...
"E aquele deputado? Corrupto, ladrão, bandido... nem liga pras leis do país..."


Entende onde quero chegar?
Eu penso muito nisso, na pessoa que eu sou e na pessoa que eu não quero ser.
Me vigio sim, porque sei que escorregar é muito fácil, especialmente quando tenho tantos defeitos.
E sei que tudo que é grande começa pequeno, nenhuma cobra nasce medindo 5 metros, ela nasce uma cobrinha bebê.
Mas bem alimentada ela cresce e engole tudo.

Assim é a corrupção contra a qual a gente tanto brada, assim é a corrupção contra a qual todos nos dizemos.
Ela está presente nas coisas pequenas.
Do dia a dia. Ela nasce pequena, e se a gente a alimenta nas coisas pequenas do dia a dia, ela cresce.
No troco errado que a gente não devolve, na fila que a gente fura, na vaga que a gente usurpa, nas mentiras que a gente conta para o patrão, nos minutos em que a gente "enforca" o serviço fingindo trabalhar, nos pequenos golpes que a gente dá.

Protestar contra o que está aí, comendo, corroendo e matando nosso país, é importante e essencial.
Mas vigiar a gente mesmo, nas pequenas ações do dia a dia, é que vai, de verdade, mudar o lugar onde a gente vive. E quem sabe... um dia pode até mudar o país inteiro...
Pense nisso...



QUERO LER O POST COMPLETO

Bolo de banana caramelada

em 11/03/2016

Bolo de banana caramelada

Você já comeu bolo de banana caramelada?
Não?
Então precisa urgentemente fazer esse que fiz, e provar.
Gente, sério! É muito bom!
E tão facinho que você vai querer fazer sempre!
Vamos lá?

Ingredientes

3 bananas nanicas bem madurinhas cortadas no sentido do comprimento;
3 xícaras (das de chá) de farinha de trigo peneirada;
1 colher (das de sopa) cheia de fermento em pó;
3 ovos, separe gemas e claras;
2 colheres (das de sopa) de manteiga ou margarina;
200 ml. de leite;
1 xícara (das de chá) de açúcar (pode ser refinado) para a massa
1 xícara (das de chá) de açúcar para o caramelo


Modo de fazer

Antes de mais nada faça o caramelo: em uma panela pequena derreta o açúcar até que ele fique da cor do guaraná.
Assim que derreter coloque 1 xícara (das de chá) de água fervente. Deixe ferver, sem mexer, até os grumos se desfazerem e a calda encorpar um pouco. Em geral leva uns 10 minutos.
Tome cuidado para não passar do ponto senão o caramelo amarga, tá?

Calda pronta? Forre o fundo da assadeira que vai usar e disponha sobre a calda as bananas fatiadas. Reserve.
Pré-aqueça o forno.

Bata as claras em ponto de neve, e reserve.
Na tigela da batedeira coloque as gemas, o açúcar e a manteiga (ou margarina) e bata tudo até conseguir um creme clarinho, fofo e homogêneo.
Sem parar de bater alterne a farinha de trigo peneirada e o leite, em temperatura ambiente.
Quando acabarem os ingredientes desligue a batedeira e acrescente as claras em neve, mexendo de baixo para cima, com delicadeza.
Finalmente incorpore o fermento em pó, também delicadamente, sem bater.

Despeje a massa sobre as bananas, espalhe (fica uma massa densa) e leve ao forno pré-aquecido por mais ou menos 30 minutos.
Esse tempo de forno, como você sabe, pode variar em função de que cada forno é diferente do outro.
No meu, que é potente, leva menos de 25 minutos.
Espete um palitinho no centro do bolo, se ele sair limpo, tá assado.

Bolo de banana caramelada

Depois de assado desenforme o bolo ainda quentinho para que as bananas soltem com facilidade.
Fica bom!
Para meu paladar é um pouco doce, mas como a massa leva relativamente pouco açúcar dá uma equilibrada.
Faz aí e me diz.

QUERO LER O POST COMPLETO

Não há sequer um...

em 07/03/2016



Ontem, enquanto eu esperava meu marido, na entrada do pronto socorro aqui da minha cidade (vamos lá todo dia pra ele tomar a medicação injetável para Esclerose Múltipla) o tremular dessa bandeira me chamou a atenção.


É uma bandeira grande, hasteada na avenida, muito bonita e que me prendeu a atenção por uns minutos.
Fiquei pensando no país que ela representa.
Meu pobre país. Eu chorei.

Eu vejo as notícias. Eu vejo, eu leio, eu penso...
Eu vejo as discussões nos sites, nos blogs, nas redes (anti)sociais.
Eu vejo as agressões, as mágoas entre amigos que discordam, mas sobretudo eu vejo o tamanho do buraco em que meteram meu pobre país.
Essa gente filha da puta, mal caráter, desonesta, essa gente que rouba, que mata, que dissimula, que engana... políticos. De todos os níveis, eleitos ou indicados.


Fico pasma, assustada e muito triste quando vejo pessoas que eu considerava inteligentes gastando tempo e amizades para defender o indefensável.
Políticos.
Como se algum deles valesse uma letra do teclado.
Esses homens e essas mulheres... que mentem sem um pingo de remorso, sem um lampejo de vergonha na cara.
Tudo é questão do quanto é possível enganar, mentir, iludir e convencer.
Nunca se trata da verdade, nunca há verdade. Só um teatro armado para enganar.
Todos mentem, todos, sem exceção, roubam, desviam, armam esquemas, maquinam negociatas, passam os dias e a calada da noite inventando meios de roubar, desviar, e como se safar.

Acha exagero dizer que todos roubam?
Pense no seu político preferido, seu candidato, aquele em quem você vota, aquele por quem você se exalta. Aquele que você defende, às vezes com unhas e dentes.
Ele mente, ele rouba, ele ou faz parte da quadrilha ou espera, ansiosamente, a chance de fazer. Ele planeja fazer parte dos esquemas. Se está denunciando é porque ainda não o deixaram entrar, ou o tiraram dos esquemas.

Se o nome dele não está nos noticiários, das duas, uma: ou ele ainda não foi pego ou ele ainda não roubou o suficiente para ser relevante. E virar notícia.
Mas corrupto, ou em vias de sê-lo, pode apostar. Ele é. Ele deseja ser. Ele deseja os milhões, as regalias, ele deseja ser reeleito.

Sim, porque aqui, em meu pobre país, não há governante, deputado, senador, vereador, o que quer que seja, que mereça confiança.
Aponte 1, apenas 1.
E eu te digo: "Dê tempo ao tempo, e veremos em quanto tempo ele cai, mostra a face, escorrega e deixa cair a máscara".
O deputado, o vereador, o prefeito. O governador. A presidente.

Tão triste me sinto, tão triste...
Olho a bandeira do meu país, a bandeira que aprendi a amar desde criança quando a hasteavam no pátio da escola onde estudei... , que ainda me faz chorar quando é hasteada, a bandeira que me representa, que me emociona... e penso nos desgraçados que destroem esse país.


Penso nas pessoas que morrem por falta de atendimento médico, porque algum desgraçado desviou os recursos que salvariam vidas.
Penso nas crianças que nunca atingirão seu potencial porque algum maldito embolsou o que era delas, o que deveria ser delas.
Penso em todo mundo que está sem emprego, que está com medo de ficar sem emprego, penso em quem passa fome... aquela fome diferente do que a gente sente no intervalo entre o almoço e a janta... porque algum desgraçado roubou tanto que força empresas a fecharem, que torna esse país inviável, que faz com que pessoas sérias se afastem daqui correndo...

Enquanto isso, enquanto os ladrões pilham, destroem e matam, eu olho a bandeira do meu pobre país e penso que nunca verei gente de bem governando essa terra.
Simplesmente porque, diante do lucro roubado, dos milhões (bilhões?) à disposição, do enriquecimento farto de toda a família (filhos, netos, mulheres, amantes) não há gente de bem.
Só há o melhor ator, a melhor atriz.
Aqueles que conseguem iludir a plateia por mais tempo...


Olho para esses que estão no poder... olho para aqueles que estiveram no poder... olho para aqueles que querem desesperadamente assumir o poder...
Todos iguais, farinha o mesmo saco, ratos do mesmo porão... ou pior: tem os ruins, e os piores. E ainda os piores que os piores.
Não há um que valha a pena. Não há um que valha a ofensa digitada nas redes sociais.
Olhe a História.
Pense por si, olhe os fatos. Sem paixões, mas com olhos críticos.
O herói de ontem é o bandido de hoje; o herói de hoje é o bandido de amanhã.
Não há um que mereça defesa.
Não há sequer um...



QUERO LER O POST COMPLETO

Receita de Vó para dias nublados: bolinho de chuva

em 04/03/2016


Uma das minhas receitas preferidas, que a minha avó sempre fazia quando eu era criança.
Eu achava naquela época que toda vez que chovia... tinha que ter bolinho de chuva rsrs
Boas lembranças, é o que se leva da vida, e carinho!!
Vamos à receita?
Rende para um batalhão!




Ingredientes

4 ovos inteiros
10 colheres de sopa de açúcar
2 copos americanos de leite
2 copos americanos de farinha de trigo
2 colheres de sopa de fermento em pó

Para passar os bolinhos:
1 xícara de açúcar
1 colher de sopa de canela em pó ou à gosto



Modo de Fazer

Misture tudo muito bem em uma bacia grande, até obter uma massa lisa e homogênea. Frite em óleo quente, às colheradas, em fogo médio, até dourar bem.

Vá reservando sobre papel toalha para escorrer.

Passe no açúcar misturado com a canela e sirva.

Você pode fazer meia receita, se desejar. Ou um terço da receita, se for para poucas pessoas, mas se você for como eu, vai fazer a receita inteira para poder comer muito =)


Aproveite para dar um abraço e um beijo na sua avó, se você ainda a tiver por perto! Se ela já estiver do lado de lá, mande um beijo por pensamento que chega!
Vó é tudo de bom!!

QUERO LER O POST COMPLETO

Caixa pop up Like Box Facebook- aumente as curtidas de sua página!

em 01/03/2016


Quer aprender como colocar em seu blog um box pop up para que os visitantes do blog possam curtir a sua fanpage?
Então vem comigo, eu te mostro como é simples de instalar!
Ficará exatamente assim:


Demonstração do tutorial


E o melhor é que você pode optar de o box aparecerá toda vez que o visitante acessar seu blog ou se o box abrirá a um intervalo de 7 dias, por exemplo.
E mesmo esse intervalo pode ser redefinido para mais ou para menos, como preferir.
Vamos aprender?


Colocar box opo up para curtir fanpage no blog


Para começar copie este código:


Copiar o código



Agora vá ao painel administrativo de seu blog e clique na aba Layout.
A seguir clique em Adicionar um gadget, e dentre as opções escolha HTML/JAVASCRIPT.
Na caixa que expandir cole o código copiado.
Faça as alterações que explico abaixo e depois de pronto, salve.
Não importa onde o gadget fique, em qualquer lugar que ele estiver no layout dará certo.


Alterações a serem feitas:
A mais importante delas é colocar o endereço de sua fanpage no local onde está o endereço da minha: https://www.facebook.com/elainegaspareto
Troque a minha pela sua, não esqueça!

Alterações opcionais:
O código está configurado para exibir o box sempre que o blog for aberto, sempre que a página for atualizada ou sempre que algum link interno for clicado, tipo se alguém clicar para comentar, por exemplo.
Para fazer com que o box seja exibido a cada 7 dias altere essa parte do código:

$.cookie('popup_facebook_box', 'no', { path: '/', expires: 7 });

Onde está escrito no troque por yes e se quiser mudar a quantidade de dias do intervalo altere o número 7 para qual preferir.
Assim o box só abrirá de 7 em 7 dias para o mesmo IP e mesmo navegador, a menos, claro, que o seu leitor limpe o cache de seu navegador, use outro navegador ou use outra máquina..

Você pode também alterar a largura, a altura e a cor de fundo  (azul) de sua caixa. Pode alterar cor de fundo do plano geral, pode alterar a fonte.
Recomendo que só mexa nisso se tiver um conhecimento ao menos básico em CSS.
Está marcado no código onde alterar.


Salve as alterações.
Se tudo deu certo seu blog tem agora um box para curtir a fanpage, simples, limpo e sem complicação.
Legal, né?
Aproveita e ó: curte aí!!!!

QUERO LER O POST COMPLETO


Visualizações

Contando...

Dias online
Postagens
comentários