Para você, irmãe...

em 6 de maio de 2015





Olá, querido leitor!
Nesta semana que antecede o dia das mães eu preparei algumas homenagens especiais para mulheres que exercem a maternidade de forma especial, diferente, inusitada, emocionante e única.
Mães que são amigas fiéis, incentivadoras e extraordinárias, mães sem filhos, irmãs que são mães de seus irmãos...
E é justamente para homenagear essas irmães (eu sou uma irmãe!) é que convidei a Lia Agio, que, junto com sua irmã Virgínia, edita o blog O Tacho da Pepa.

Com vocês, nossa homenagem à Virgínia e à todas as irmães!




Quando Elaine me fez o convite para escrever eu achei o máximo.

Quem acompanha o Tacho já deve conhecer eu e Vi ( no caso, eu sou a Lia e Vi, Virginia, srrs só prá esclarecer, porque sempre tem quem pense que somos uma só, srrsrs), mas quem não conhece o Tacho não sabe o quanto uma relação entre irmãs pode amadurecer e se tornar tão forte quanto a relação de mãe para filha.

Eu tive a melhor mãe do mundo e ninguém nunca poderia substituir o que foi Dona Olga na minha vida.
Mas ocupar o buraco enorme que ficou no meu peito quando ela partiu foi tarefa (árdua) da Virginia.
Nossa mãe ficou em coma por 30 dias... os piores 30 dias da minha vida...(da nossa vida) e foi ai que começou a nossa história !

Eu e Vi temos onze anos de diferença de idade.
Hoje isso não conta nada, mas quando eu nasci era uma distância enorme, e ficou ainda maior na adolescência e como diz o ditado :  O amor é uma plantinha que a gente tem que regar todo dia... ( a nossa plantinha vivia morrendo de sede, srrsrs ).
Na fase adulta a gente não se bicava muito ! (que foi ? vocês pensaram que éramos tipo Elza e Ana de Frozen ?? rsrsrs, não... definitivamente, não...)
Mas quando nossa mãe partiu eu vi e conheci uma Virginia que eu nunca tinha sequer imaginado que existia.
Ela se tornou minha irmãe!

Com minha mãe eu nunca tive segredo algum, nada, nadica... falávamos sobre tudo e ela sabia de tudo da minha vida, batíamos altos papos até de madrugada. Acho que foi por isso que achei que meu mundo tinha acabado... com quem eu ia desabafar ? Prá quem eu ia contar meus segredos e medos?

E lá estava Vi, sofrendo a mesma dor que eu e mesmo assim, sendo forte para segurar a barra de me aguentar chorando toda noite e toda manhã... ela é quem ia me dar força pra acordar de manhã, que sempre tinha uma palavra de conforto, que fazia cafuné na minha cabeça quando os dias eram mais cinzas .

Eu me lembro um dia especialmente negro, em que a gente brigou (porque eu não queria me ajudar ) e eu disse :
- Eu quero morrer !!
E ela disse :
- Você não pode, ninguém morre quando quer!
Aquele dia isso me fez acordar.

Apesar de não querer viver, aquela não era uma escolha minha... eu tinha que viver e Virginia me ajudou ... quer dizer, ela fez tudo sozinha .
Não nego, quando eu fico triste... sou do tipo que se entrega....
Virginia foi aquele tipo de mãe que larga sua dor, para consolar a dor do filho.
E quando eu disse que não queria viver, era porque não tinha razão... a pessoa que eu mais amava na vida tinha partido.
Eu "estava sozinha", pra que viver ?

E hoje eu tenho uma razão, Virginia é minha razão de viver.
E sei que também sou a dela.
Ela demonstra todo seu amor nos gestos, no cuidado, no carinho.
Não é exagero dizer que ela se tornou minha "irmãe", uma irmã com o amor de mãe !!!
Te amo Vi !!!
De todo meu coração !!!


Lindo demais, né?
Feliz Dia das mães pra você, que é, de muitos modos, irmãe para seus irmãos!


E falando em Dia das Mães, quer ganhar um presente?
Clica aqui, ó:http://www.elainegaspareto.com/2015/05/brincadeira-premiada-dia-das-maes-love.html
Vai, tá bombando!!!
E quem sabe não tem mais presente que não contei no post...




Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

13 comentários , comente também!

  1. Que história linda e triste ao mesmo tempo, ainda bem que a irmã ajudou-a bastante .. Por isso que digo que nem toda agente que nos rodeia passa pelos maus momentos de nossa vida.
    Espero que corra tudo bem para elas, um beijo enorme..

    ResponderExcluir
  2. Me emocionei mto. De certa forma eu fui e continuo sendo uma irmãe... Primeiro dos meus irmãos mais velhos (2 - que faleceram ano passado) e de um especial que ficou...
    As vezes eu acho que vou sucumbir no meio de tanta tristeza, de tanta dor, de tanta saudades... E então eu me agarro no fio mais esfiapado q eu acho e me iço do fundo dessa tristeza, pq eu sei q ele precisa de mim... Nesse dia das Mães eu só quero um sorriso dele... é meu presente mais bonito e nada mais!
    bjo grande meninas!

    ResponderExcluir
  3. Oin que história... tô aqui toda emocionada! Beijo e muito amor por vocês, Lia, Vi e Elaine!

    ResponderExcluir
  4. Amei o post. Já havia lido no tacho o que contaste aqui, mas é maravilhoso ver o afeto que as une.
    Beijos às três, Elaine, Lia e Virgínia.

    ResponderExcluir
  5. Emocionei demais! História triste e linda ao mesmo tempo.
    Gosto muito de ver o amor dessas duas meninas!
    Que tenham muitos e muitos anos de vida pela frente e
    continuem unidas por amor maravilhoso.
    joturquezzamundial
    Beijos para todas.

    ResponderExcluir
  6. Aplaudindo emocionada! Lindo,lindo! bjs às duas amigas queridas e que continuem assim irmães sempre!!!Maravilha! bjs,chica

    ResponderExcluir
  7. Muito emoção, chorei. Acho tão lindo irmãos unidos. Parabéns. Que Deus sempre as abençoe, tudo de bom sempre, bjos meninas lindas.

    ResponderExcluir
  8. Oi Elaine minha flor! Oi Pepinha linda do meu coração! Oi Super Vi!
    Que texto lindo! que homenagem maravilhosa! Que Super Mulher essa Vi!
    Aliás, vocês três são o máximo! E eu não sou mãe de vocês, não sou irmã de vocês, mas amo vocês do fundo do meu coração!
    Beijocas e Feliz Dia das Mães e das Irmães para todas!
    Cris

    ResponderExcluir
  9. E eu amo essas duas de paixão
    E amo vc tb Elaine
    Feliz dia das mães pra todas

    ResponderExcluir
  10. Sou uma derretida mas, hoje, chorei com razão. Emocionante. Vcs são umas queridas. Lindo texto, lindo amor... todos nós deveríamos nos amar assim. Encantada! Bjks para as duas, e para a Elaine que teve a feliz ideia de convidá-las a contar um pouquinho sobre vocês.

    ResponderExcluir
  11. Chorei com esse amor tão puro.
    Eu tenho dois irmãos mais novos mas eles não tem muita afinidade comigo. Minha irmã que é três anos mais nova, só se aproxima quando precisa de algo e se falo laguma coisa que ela não aceite, passa meses sem falar.

    ResponderExcluir
  12. Muita emoção..Coração batendo a mil aqui, e olhos cheios de lágrimas <3

    ResponderExcluir
  13. Ain... até me emocionei aqui, pq é assim mesmo a minha relação com a minha mãe. Ela sabe muitos dos meus segredos, é minha melhor amiga... e muitas vezes (como tem acontecido recentemente) ela esquece das próprias dores para acalentar as minhas... Delícia a relação de vcs! Linda! Que continue sendo abençoada como é! Vcs duas são um doce!!!! :)
    Beijo pras três! rs

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…