Mãe sem filhos...

em 9 de maio de 2015

Talvez você nunca tenha parado para pensar, mas um dia como esse domingo, dia 10 de maio, nem sempre é um dia feliz para todas as mulheres.
Enquanto tantas e tantas reúnem filhos e netos em torno de uma mesa, e ganham de flores a panelas... enquanto umas são levadas para aquele almoço especial, existem muitas outras, uma legião, que vai sorrir menos, talvez nem sorria... que talvez vá passar o dia triste, ou ficar pensativa em ao menos um momento desse domingo.
São as mães sem filhos.

Sim, elas existem, e estão à sua volta.
Talvez ela seja aquela mulher que pelos mais variados motivos nunca teve filhos.
Acredite, embora possa ser escolha (e muitas vezes é, graças a Deus somos livres para escolher), nem sempre isso é opcional, nem sempre é uma escolha...

Talvez a vida a tenha empurrado em outra direção, talvez a gravidez nunca tenha acontecido, apesar da vontade quase desesperada.
Talvez até tenha havido gravidez, mas não foi feliz e no fim só restou um bebezinho que nunca nasceu...

Talvez a mãe sem filhos tenha dado à luz, mas talvez o bebezinho não tenha "vingado".
Talvez seja aquela mulher que segurou por alguns meses o filho nos braços, mas depois ele se foi...

A mãe sem filhos que vai parar por um momento nesse domingo e se permitir chorar talvez seja a mãe do filho que morreu, vítima da violência, aquele que alguém vitimou... um filho que a mãe sem filhos não verá mais nessa vida...
Talvez a mãe sem filhos tenha perdido o seu para a doença que, afinal, venceu.
Ah... as mães sem filhos...

Aquela que, no supermercado hoje, ou na loja, não conseguiu aceitar o botão de rosa que as mulheres recebiam como presente.
Aquela que nunca sabe se aceita a rosa ou diz "não, eu não tenho filhos".

A mãe sem filhos talvez esteja à espera do filho na fila de adoção. O tempo passa, mais um domingo das mães vem aí... mas o filho não chega... será que nunca vai chegar?

A mãe sem filhos talvez esteja muito longe dos filhos, talvez esteja presa, talvez esteja no asilo.
E do filho, nesse dia, só a lembrança... de uns dedinhos gordinhos que ela contou quando ele era pequenininho... o neném cresce, e muitas vezes deixa de ser filho para ser estranho...

Talvez, nesse domingo, as mães sem filhos em algum momento abracem os sobrinhos ou afilhados, em especial os pequenos que aceitam abraços tão facilmente.... e se sintam um pouco menos sem filhos... porque o amor não exige laços que não os dele mesmo, os laços do amor e do bem querer...




Talvez você, que lê este texto, nunca tenha pensado nisso...
Mas talvez você seja, assim como eu, uma mãe sem filhos.
Talvez você tenha ao seu lado (como eu tenho) minhas filhas caninas, e acredite, há tanto amor aí que só quem sente pra entender.



Há muitas formas de ser mãe: irmãe... tia-mãe, madrinha (que é uma mãezinha), mãe de gato e de cachorro, mãe dos que mais necessitam, daqueles que ninguém quer, os desprezados, doentes...

Se há amor, se há doação, se há laços de afeto... então há maternidade porque a maternidade não exige um útero para existir. Ela exige um coração disposto ao amor, disponível para amar...
Porque o amor, o afeto, o bem querer... isso importa, no final das contas.

Feliz dia para você, que exerce a maternidade sendo mãe com ou sem filhos...





Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

39 comentários , comente também!

  1. Lindo texto!Entendo exatamente o que falou !!

    ResponderExcluir
  2. Oi Elaine.
    Eu sou irmãe, tia-mãe, madrinha e as vezes até filha-mãe... Obrigada por esse lindo texto! Me emocionei e me fez bem.
    Feliz Dia das Mães!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jussara, se te fez bem já valeu ter escrito!
      beijossss

      Excluir
  3. Não gosto "deste domingo", procuro nem sair de casa.
    Meu filho mora longe demais, não pode estar fisicamente aqui comigo.
    Falamos pelo Skype (que maravilha a internet).
    Mas penso muito em todas as mães, nas alegres, nas que sofrem .....
    Parabéns às mães, irmães, mães-madrinha, enfim, a todas as mulheres.
    E beijos para você querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jô, eu te entendo, não é um dos meus favoritos...
      beijosss

      Excluir
  4. Perfeito esse texto, amei :)
    Feliz dia das mães sem filhos pra vc tb! ;)
    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Olá Elaine! Eu me vi no seu texto, mãe do filho que não nasceu. Sou feliz por saber que por curto período ele existiu. Hoje consigo chorar menos e sorrir com as conquistas de sobrinhos e alunos. Obrigada por escrever com tanta sensibilidade. Que seus dias sejam felizes. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra, entendo exatamente o que você disse.
      Entendo mais do que podes imaginar....
      beijosssss

      Excluir
  6. Obrigada por começar meu dia das mães emocionada com seu lindo texto! Também acredito em diversos tipos de maternidade. O amor, ah ele é que conta! Sendo assim, lindona, sinta-se abraçada e feliz dia das mães!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Amei o seu texto, pois sou uma mãe sem filhos! É bem assim mesmo! Dia que ninguém lembra de nos dar os parabéns! E temos tanto amor para dar! Mas feliz dia das mães para nós!!!
    Beijos grandes
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana, bem verdade.
      Minha irmã me parabeniza, sou irmãe dela rsrsrs
      E meu marido, sou mãe de cachorro,
      Mas é só...
      beijosssss

      Excluir
  8. Eu sou uma dessas mães sem filhos. Me sinto tão triste nesses dias. VC disse tudo. Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edna, é triste mesmo, mas pense assim: tudo passa, até um dia triste...
      Né?
      beijossss

      Excluir
  9. Lindo D+, Parabéns!
    Feliz dia das mães a todas as mães <3
    http://maiaraangels.blogspot.com/2015/05/1001-utilidades-feliz-dia-das-maes.html

    ResponderExcluir
  10. Parabéns, linda mensagem e lindo blog!
    Parabéns a todas as mamães <3
    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Lindo texto, Elaine!!! Confesso que chorei ontem lendo o seu texto... :/. Me identifiquei totalmente!!!! Pois eu tb sou mãe sem filhos... infelizmente... E entendi cada palavra escrita ali... Um grande beijo para vc!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tuca, é bem assim, a gente reconhece quando as palavras nos representam, né?
      beijosssss

      Excluir
  12. Uma mensagem linda e profunda. Sou mãe, com filhos longe e outro perto. Mas não curto dia das mães, pois somos mães, mesmo que sem filhos, todos os dias, e há tantas e infinitas formas de amor e de amar. Bj grande.

    ResponderExcluir
  13. Oi Elaine,

    Esse é um dia que me deixa um pouco triste por lembrar da minha mãe e minha irmã, que já não estão mais nesse plano. Dá saudade...
    Porém, como você, sou mãe de cachorro, e amo minha filhotinha mais que tudo.
    Seu texto é lindo e tocante, suas palavras sempre tocam o coração.
    Um feliz dia das mães para você!

    Beijos, Renata
    Palpitando em tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, nossas filhotinhas, amor imenso, né?
      beijos, mãe da Loreta rsrsrs

      Excluir
  14. Oi Elaine, é assim mesmo...lindo texto...Sempre penso nas mães de filhos desaparecidos (ou animais)...que dor, que angústia...Uma mão não poder enterrar um filho deve ser de uma dor infinita...como aconteceu muito na época da ditadura militar...
    Um grande abraço maternal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dalva, eu penso nisso também, acho que é pior que a morte porque incerteza é uma faca afiada demais...

      beijossss

      Excluir
  15. O seu texto tocou-me. Casei em 67 e o meu sonho era ser mãe logo.Mas o tempo foi passando e nada. Depois surgiu um tumor (felizmente benigno) e fiz a primeira cirurgia. O filho continuava sem aparecer, fiz duas Gravidez mental. Tinha todos os sintomas de estar grávida, mas não estava. Fiz inseminação artificial e não resultou. Naquele tempo os processos não eram como hoje. Inscrevi-me para adopção, estive na lista quase 5 anos. Um dia aqui perto de casa, uma mulher abandonou o marido e o filho recém nascido. O pai entregou-nos o bebé com 15 dias e assinou no advogado uma declaração que nos dava o menino para adopção. Durante um ano, vivi com o coração nas mãos, porque a lei portuguesa, diz que no prazo de um ano se o pai ou a mãe que dá o filho se arrepender pode levá-lo de volta. Graças a Deus correu tudo bem.
    Tenho um filho com 34 anos, casado e com uma filha de seis anos, que foi criada comigo até ir para a pré primária, pois os pais trabalham os dois. A nossa princesa.
    Um abraço e uma alegre e saudável semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elvira, que depoimento lindo!
      Feliz dia das mães pra ti!!!
      beijossss

      Excluir
  16. Bom dia Elaine, não cheguei antes, por estar sem conexão.
    Elaine, parabenizo você pelo dia das mães, tanto pela filhinha de 4 patas, como também, pelo seu papel de "Personal Blogger", porque de alguma forma todos nós somos suas crias. Pelo tempo que dispensa ao criar, elaborar e manter, tantas ideias diferentes, tantas solicitações e tantos acompanhamentos, o carinho da amizade sempre presente, o cuidado com sua cria mãe - "Um Pouco de Mim", obrigada, que seja sempre abençoada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  17. Comecei a ler e pensei, nossa que sintonia! O assunto do almoço de ontem com a cunhada foi esse! Chorei e sorri ao mesmo tempo lendo. Algumas pessoas acham estranho eu amar os filhos das minhas amigas como meus sobrinhos, pensam que sou louca, ou que não tenho o que fazer, ou ainda que faço para me aparecer. Amo eles porque amo! Tenho uma mãe maravilhosa, mas vivo adotando as mães das minhas amigas como minha. O importante é amar, mesmo que sem filhos, porque não amar dos outros como nossos?! Porque não amar um animalzinho como filho? O importante é amar!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karina, é bem isso mesmo, né?
      No fim das contas importa amar, sejam filhos, sobrinhos, amigos, peludinhos...
      beijosss

      Excluir
  18. Que reflexão maravilhosa Elaine! Sempre pensei nisso. Tenho filhas biológicas, mas meu coração adotou tantos outros e os vejo realmente como meus. Alguns as "mães" nem sabe disso. Ser mãe é algo que vai além de determinadas definições... Mãe é algo indefinível. Muitas mulheres carregam um bebê no ventre, mas na alma não. Não se sentem mães, já outras são mães plenas sem ter gerado filho algum. Seu texto impecável só pode ter sido escrito por uma mãe na essência da palavra, pois mãe é sinônimo de amor e isso transborda em você. Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, agora você me fez chorar...
      Muito obrigada!!!
      beijossss

      Excluir
  19. Oi Elaine!
    Pela primeira vez em muitos anos me senti feliz ontem. Quando não ter filhos era uma escolha, não me incomodava, mas a partir de quando mesmo esperando a filha não vinha, Maio era angustiante e incômodo. Pela primeira vez não estou sofrendo, mas nunca me esquecerei de que estive do outro lado por muito tempo, e do sentimento de solidariedade com as amigas que sentem um certo incômodo com a data e mesmo com aquelas que ficam arrasadas por inumeros motivos.
    Beijos. Clau

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clau, eu fico muito feliz em ler isso, em saber que você está feliz, com sua mini gente em casa rsrrs
      Se Sophia soubesse o quanto ela era esperada...
      Seja feliz mesmo, minha querida.
      Sua gestação chegou ao fim e sua filha nasceu pra você!
      beijossss

      Excluir
  20. Pois é, sempre vejo nas publicidades a família feliz e as mães perfeitas... Quem dera a diversidade estivesse em outros meios. As mulheres presas não ganham rosas e muito provavelmente as dos asilos também não... Mas enfim, Elaine, seus textos me inspiram! Parabéns por escrever tão bem. Quando eu crescer quero ser como você! beijo!

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…