Pra qual lado que mexe?

em 17 de abril de 2015


Hoje eu almocei arroz fresquinho, soltinho e branquinho, feijão bem cremoso, bife, salada de alface com tomate e ovos cozidos.
Daí você deve estar pensando:
"Grande coisa, Elaine"
E eu respondo:
Grande coisa sim, imensa, cheia de significado.
Porque não fui eu quem cozinhou esse almoço. Foi meu marido.

Antes, deixa eu te contar uns "causos" do começo do casamento:
Logo na primeira semana eu coloquei macarrão pra cozinhar e fui tomar banho enquanto isso. Era o final do ano de 1995.
Do banheiro pedi:
"Amor, mexe o macarrão pra mim!"
Ele:
"Pra qual lado que mexe?"
Sério, não é piada.
Ele nunca tinha acendido uma chama de fogão, nunca tinha mexido numa panela, jamais tinha imaginado que macarrão precisa mexer de vez em quando.

E nos anos seguintes a coisa não foi muito diferente: ele, que nunca havia varrido um chão, aprendeu limpar, arrumar, tirar pó, botar roupa pra lavar, etc.
Meu lema sempre foi "se eu trabalho fora você trabalha dentro" que eu não vou me matar enquanto marido descansa.
Sempre trabalhei, e sempre dividimos as tarefas.
Menos na cozinha, ele alegava que não conseguia, que é canhoto (sério?), que ia se queimar, que não conseguia cortar, que isso, que aquilo.

Mas os anos passaram, ele foi diagnosticado com EM e foi demitido. Os dias ficaram maiores, sobram horas, e eu passei a trabalhar ainda mais, de 12 a 16 horas por dia.Sim, é muito, também acho rsrsrs
E tem dias que não rola parar pra fazer almoço. Tem dias que nem rola parar pra almoçar.
As contas, essas lindas, sempre são pontuais e ao contrário da renda, sempre aumentam. Resta-nos trabalhar...

Então um dia eu ensinei, pela décima terceira vez, como fazer arroz.
Depois mostrei como temperar o feijão.
E como temperar bifes.
E picar tomate fininho.
E semana passada ensinei cozinhar ovos. Sim, cozinhar ovos.
Como pode existir no mundo uma pessoa que não saiba cozinhar ovos???

E como meus dias têm sido complicados, teve dias que eu quase nem andei por causa da coluna (ainda bem que trabalho sentada), quase que a semana toda foi dele a comida daqui de casa...

Ele se dedicou, ele conseguiu. Venceu o preconceito, venceu o comodismo.
O arroz dele é melhor que o meu, ele é mais paciente, fica lá, enquanto a comida cozinha. Nunca queimou nada, ao contrário de mim, que vivo com pressa...
Ele faz um prato de cada vez.
E faz o melhor suco de laranja que já bebi. Sério.

E isso me ensinou, ou melhor, me relembrou algo: que quando a gente se dedica, quando a gente quer de fato, a gente consegue algo que parecia muito além das nossas capacidades.
A gente é capaz de aprender tudo, se tentar. Somos muito mais adaptáveis do que pensamos...

Acredite nisso: não há nada que você queira de fato que não possa aprender.
Eu sou a prova viva disso, criei uma profissão onde não havia nada, me reinventei depois dos 40... e aprendo algo novo todo dia.
Porque a gente tem que querer aprender, ao invés de dizer que "sou canhoto, me corto, me queimo, me frustro, me canso, me isso, me aquilo"...

E meu marido lindo, com seu almocinho simples e bem feito (carinho, afeto, tempero melhor não há) é a prova que sempre é tempo de aprender algo novo e descobrir que faz muito bem o que antes parecia tão impossível.
Não é?



Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

20 comentários , comente também!

  1. Eita mulher retada, tenho muito orgulho de te conhecer mesmo que no virtual, digo isso pois adoro ler seus post, com certeza sempre aprendo um pouquinho mais, melhoras para essa coluna se cuida e cuida bem do maridão aí fala pra ele que com tanto amor e dedicação vai ficar melhor do que o Olivier na cozinha srrsrsr, nas minhas orações sempre lembro de você, bjs e até a próxima!
    Blog Maria Faceira

    ResponderExcluir
  2. Elaine meu marido nào sabia fazer absolutamente nada, dependia de mim para tudo, era um desses filhos únicos homem criado por mãe italianona machista. Depois que fomos viver juntos melhorou. Mas depois do meu acidente eu que achava que ele ia cair fora pois era muito trabalho, deu conta do recado comprou panela elétrica de arroz, feijão, grill e sabe fazer do jeito dele um mata fome. Sempre duvidei e hoje vejo como não podemos substimar

    ResponderExcluir
  3. Tem razão Elaine. Homem só não faz o que não quer. Meu marido também não sabia fazer nada. Quando tentava ensiná-lo, ele respondia, que aquilo era trabalho de mulher. E que se os amigos soubessem que ele fazia esses trabalhos diziam logo que era "maricas" Para que entenda melhor, meu marido foi sempre militar, e nós casamos na década de 60. Outros tempos outras mentalidades. Vai daí que quando o filhote tinha 6 anos eu estive gravemente doente, estive quase três meses internada no hospital, tendo sofrido uma cirurgia que não correu bem. Acredita que o marido cozinhou, lavou, passou a ferro, deu banho ao filho, enfim fez tudo o que foi preciso, não só durante o tempo que estive internada, como durante a minha convalescença? Verdade que fiquei com uns lençóis e duas toalhas manchadas, porque meteu na máquina uma camisola vermelha do filho junto com a roupa branca. Mas quando viu o resultado nunca mais misturou as cores.
    Um abraço e as melhoras das suas costas e da mãe.

    ResponderExcluir
  4. Linda! Lindos!
    Como é bom começar o dia lendo algo assim...eu estava precisando e você, sem saber, escreveu para mim. Obrigada!!!
    Parabéns à você, pela dedicação e à ele, pela vontade. Que dupla boa! rs
    E agora, partiu aprender mais um pouquinho nesse dia que tem uma porção de horas e um mundo de coisas a ensinar!
    Beijos,
    Cris

    ResponderExcluir
  5. Oi Elaine!
    Parabéns para seu marido,superou muitas barreiras e a principal foi o preconceito.
    No meu casamento foi o contrário, meu marido que me ensinou a cozinhar e o principal, que é gostar de cozinhar!
    Em dias especiais ou quando convidamos amigos para jantar é sempre ele que cozinha.
    Meu marido veio de uma família muito grande e ele desde pequeno ajudava a mãe nas tarefas da casa.
    Um beijão e tudo de bom para o casal.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo!!!
    Um beijo pra ele, e outro pra você!!!

    ResponderExcluir
  7. Fico muito feliz em saber que o Erdilan está conseguindo fazer muita coisa que
    não fazia antes. É maravilhoso para ele e para você, né?
    Husband me ajuda demais, estamos aposentados e não temos ninguém para ajudar em nada.
    E trabalhamos o dia todo, minha casa é grande, e não terminamos as obras ainda.
    São coisas simples, nada de luxo, mas é nossa casa que construímos com muito amor.
    Ele diz que queria trabalhar fora, para ter férias rsrsrsr
    Dê parabéns ao Erdilan por mim.
    Um lindo fim de semana para vocês.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Elaine, seu texto é maravilhoso "Pra qual lado mexe?", nessa pergunta ele disse tudo, estou com você, embora precise aprender. Isso é amor, isso é companheirismo, isso é respeito pela esposa que escolheu pra casar. Não se acomodou no casamento, esperando apenas ser tratado e servido, pra depois ainda cobrar os anos juntos, que é o que aconteceu comigo. Adoro seus textos, a cumplicidade e carinho de vocês dois, servem de exemplo para outros casais. Todos temos responsabilidades no casamento, quem entra apenas pra levar vantagem, pode ter suas surpresas. Agradeço muito, as lindas postagens que compartilha, desejo que o casal seja sempre abençoado, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  9. Que demais! Me identifico, mas com o seu marido, haha! Eu não sabia fazer nada e colocava um monte de empecilhos... hoje em dia aprendi um monte, e o que não sei... vou lá e faço assim mesmo, haha!

    Adorei demais este post, rs.
    Um bj,
    Re

    ResponderExcluir
  10. Muito bom seu post. Hoje também almocei a comidinha do marido, enquanto eu faxinava de um lado e limpava e cozinhava do outro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Nossa, que legal!!
    Amei seu post.. Que Deus abençoe sua família. Um beijo!

    http://tudopapodemulher.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. O meu marido sempre se virou bem na cozinha e tem fama de bom cozinheiro, mas quem preparava tudo era eu e ele dava "o toque do chef', sabe? rs Com os anos, passei a deixar que, se ele quisesse levar a fama, que começasse do zero. E assim foi, parei de lavar, descascar, socar, etc...Ele entra na cozinha e faz tudo, depois fica para eu lavar e ele não é bagunceiro, deixa tudo "no jeito" para mim.
    Que bom que o Erdilan encontrou com o que se distrair, algo bom para ele também, saudável, uma ajuda e tanto. Homens, quando se interessam mesmo, são ótimos cozinheiros.
    Boas comidinhas para vocês, simples e bem feitas, estas não perdem para nenhuma sofisticada!
    Beijo, Elaine.











    ResponderExcluir
  13. Meu marido também aprendeu a cozinhar há pouco tempo. E cozinha melhor que eu.Quando o trabalho aperta, ele vai para a cozinha, super animado!!!!
    Bjks

    ResponderExcluir
  14. É muito bom ler história de superação.
    Parabéns ao maridão.
    Por aqui, eu tenho muito ajuda, quando casamos meu marido já estava divorciado, e morando sozinho, ele cozinha muito melhor que eu, e eu melhorei muito mesmo depois que o conheci, em todas as areas.
    Espero que você melhore logo, coluna é fogo mesmo.
    Beijos e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  15. É! É isso mesmo, não há nada que a gente não possa aprender. Claro que nem todo mundo pode ser chef e fazer comida francesa, mas uma comidinha simples e gostosa, hum... Por aqui também o trabalho é bem dividido e te confesso que há anos não me preocupo com roupa, só o marido. E assim a vida segue!
    Beijo

    querendoserblogueira.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Querer é o combustível do ser humano. Se quer de verdade e se determina a conseguir, não tem quem segure! Para o bem ou para o mal....

    ResponderExcluir
  17. Oi Elaine
    Também sou canhota, desde pequena ouvia meu pai dizer que eu era sem jeito pra tudo, só por causa da mão esquerda que eu usava, e continuei achando isto até há pouco tempo.
    Parabéns para seu marido que apesar de tudo venceu o medo, o desajeito, a doença, e está metendo bronca.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  18. Oi Elaine, parabéns ao marido e a vc tbm pela paciência para ensinar, nem todos tem!
    Sempre gostei de aprender coisas novas, mas confesso que de muitas até simples tinha receio ou vergonha de fazer...Nos 7 anos que trabalhei no metrô poucas vezes peguei cadeira de rodas para descer a escada rolante, tinha medo de despencar de lá com o usuário...
    Hoje me sinto frustrada qdo não consigo aprender coisas novas que exigem mais atenção como os seus tutoriais por exemplo, o cérebro não mantém a sequencia de informações necessárias para prosseguir, a atenção foge, tenho que voltar, voltar, voltar...porque não lembro os passos anteriores que dei..Medo.
    Melhoras com a coluna!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Por isso que eu te adoro. Lindo texto!!!!!

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…