E-books: seus encantos e desencantos

em 6 de abril de 2015

Quando os e-books apareceram no mundo dos leitores confesso ter sido resistente à eles.
Costumava lê-los no computador vez ou outra, mas tinha aquela aversão medrosa, quase fobia de quem tem muito amor ao livro impresso e tem receio de ver ele ser desprezado pela humanidade.

Foi o meu amigo Alexandre Melo o responsável por me fazer vencer a minha resistência e viver a experiência de ler e-books ao me convencer, com muita paciência e diálogo, a adquirir um "leitor de livros digital" (e-Reader).


Salvo engano, no Brasil existe em circulação três tipos de leitores de livros digitais (e-reader): o Kindle, da Amazon; o Kobo, da Livraria Cultura; e o Lev da Livraria Saraiva.
Todos eles possuem diferentes versões.
O meu leitor é um Kobo Touch, preto, com WiFi, tela sensível ao toque e sem luz embutida.
Em Abril o meu kobo completou um ano de uso, então decidi escrever sobre os aspectos positivos e negativos da experiência de ler em e-book.

A começar pelo lado positivo, para mim ler em e-books funcionou muito bem, cerca de 50% das leituras que fiz entre abril de 2014 e hoje foram feitas em e-book. Isso acontece principalmente pelas características do e-reader por mim adotado.

O Kobo Touch é:

  • Pequeno, cabe em minha menor bolsa;
  • Leve, não pesa quase nada mesmo;
  • Discreto;
  • Ajustável à minha necessidade, posso modificar tamanho, fonte e espaçamento dos parágrafos e deixar o texto da maneira que mais me agrade ler;
  • Tem dicionário embutido, qualquer dúvida basta tocar na palavra e ele te dá o significado dela;
  • Tem WiFi, posso comprar os lançamentos no dia do lançamento e receber na hora onde eu estiver;
  • Não permite acesso as redes sociais, logo me desconecta do mundo tanto quanto o livro físico.
Essas características foram as grandes responsáveis por meu encantamento em relação a esse estilo de material de leitura.
Como um monte de gente, em um dia normal eu pego ônibus lotado, faço um pequeno percusso de moto, desço 130 degraus de escadaria e subo uma ladeira gigantesca, ou seja, levar rua acima rua abaixo um livro de centenas de páginas como os volume de "As crônicas do gelo e fogo" do George R. R. Martim, para citar um exemplo, é simplesmente inviável.

Já o e-book não pesa absolutamente NADA, mesmo a pesada série de George R R Martin com suas milhares de páginas não adiciona peso algum ao e-Reader \o/.
Aliás, levo ela inteira nele e quando sinto saudades dos personagens abro qualquer um dos volumes e leio onde estiver.

Além disso, como não moro no eixo Rio/São Paulo, quase sempre, nas grandes promoções das livrarias enfrento o frete e minha relação com os correios, como a da maioria dos leitores, é complicada.
Só a titulo de exemplo vou deixar abaixo a imagem de uma das ultimas encomendas que recebi via correios, ela fala por si.

 

O e-reader me oferece outra opção quando desejo comprar um livro e não posso ir à livraria, não estou afim de vender um rim para pagar o frete ou morrer de raiva com os correios.
Basta um clique e pronto, estou lendo meu romance, sem transtornos ou aborrecimentos adicionais.


No entanto, nem tudo são flores, há claro alguns pontos negativos nos e-Readers.
Ou melhor, pontos incômodos.
A começar pelo preço.
No Brasil, em muitos momentos, não há uma grande diferença nos preços do livro físico e do e-book, às vezes com as promoções da vida o livro físico pode se tornar inclusive mais barato que o e-book.
Minha versão impressa de Emma, de Jane Austen que o diga...


Pode-se argumentar que eu comprei "Emma" no sebo, mas já vi a versão física de vários de meus e-books sendo vendida por preços iguais, equivalentes e até mais baratos, mesmo com a inclusão do frete.
Não consigo encontrar justificativa para isso.
Levando em conta a ausência de despesas com impressão, distribuição e armazenamento, para mim, o e-book no Brasil não só é caro, como também está longe de ser vendido a um preço justo.

Além disso, o e-reader parece ter uma percepção especial de quando está faltando 30 páginas para o desfecho do livro.
Nossa... nem conto as vezes nas quais estive a um passo do desfecho do livro e então ele pluft...
Simplesmente descarrega.
Claro que isso demora cerca de 50 horas de leitura para ocorrer, mas ocorre e quando ocorre a raiva pode se elevar as alturas!


E claro, e-book não substitui livro físico.
O livro físico tem peso, forma, cheiro, fonte característica, aparência peculiar e a junção de tudo isso da a cada livro um tipo de personalidade própria.
A gente olha para ele e já sente vim ao nosso encontro ondas de lembranças e sentimentos especifico daquela história.
Já os e-books possuem uma imaterialidade perturbadora.


Quando você termina de ler um e-book você não tem nem uma manifestação
física dele, nada material capaz de ancorar os sentimentos provocados pela leitura.
Essa ausência de um corpo físico para nos ligar a emoção gerada pela leitura é tão forte em mim que não é raro eu me pegar comprando a versão física de um e-book do qual gostei muito.

Estou em minha Telemaquia, ou seja: "Em busca da Taça de Ouro trabalhada a Fogo"

7 comentários , comente também!

  1. Oie Pandora! Eu assim como vc demorei para me render aos e-books e hoje tenho centenas inclusive tenho esse livro seu o Emma e outros da Jane. Ele é leve e posso levar onde eu quiser em viagens e acessar diferentes livros. Outros livros como de estudo que vou grufar muito e od de crescimento pessoal eu compro fisíco em promoção porque aqui o frete é caro.
    Mas ler eu leio de qualquer jeito, mas gosto dos dois o físico e os meus e-books.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Não tem nenhuma justificativa pra um ebook ter o mesmo preço ou ser mais caro que o livro físico. Nenhuma. Os custos de impressão e gráfica evaporam num livro eletrônico, então qual é o problema das editoras?

    O meu não é o Kobo, é o Kindle e também, assim como a Pandora, fui resistente os ebooks e e-readers pelos mesmos motivos: o livro físico tem cheiro, tem a sensação táctil, mas sejamos justas, eles pesam, são caros, podem molhar e deformar, e nem todo livro que a gente lê é aquela obra essencial e maravilhosa para se ter na estante. Sem contar que um e-reader é mais barato que um smartphone e se paga bem rápido.

    Já vi muita gente decretar a morte do livro físico. E na boa, não vai acontecer. O aspirador de pó não substituiu a vassoura, a fotografia não substituiu a pintura, a TV não substituiu o cinema. Ao contrário. O que vemos é que todos convivem super bem. E eu entendo a resistência das pessoas com os ebooks, especialmente, se a experiência delas começou com leituras pelo computador. É desconfortável, agride os olhos. Mas o e-reader foi pensado pra isso, para o conforto e praticidade da leitura.

    ResponderExcluir
  3. Que artigo bacana eu também prefiro ler e-book do que livros por causa da comodidade e facilidade para conseguir -los parabéns e sucesso

    ResponderExcluir
  4. Eu leio e-book e amo. É prático e não sinto falta dos livros físicos.
    Pra mim é até melhor, não ocupo espaço aqui em casa.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Não tenho, mas dá para perceber que é super útil.
    bjs :D

    ResponderExcluir
  6. OI, Pandora!

    Eu estou descobrindo o mundo dos e-books no LEV, comprado recentemente. Eu, que adoro ler e não disponho de muito tempo, fiz questão de comprar o leitor para poder colocar em prática esse bom hábito da leitura, pois, realmente é difícil carregar por aí um livro físico. Também pela comodidade de ter vários bem a mão. Dei um upgrade nas minhas leituras que estavam paradas, mas também gosto muito de poder ler o livro tradicional. Cheirar as páginas novinhas, marcar com marcadores bem decorados, muitas vezes, anotar à mão alguma coisas entre os parágrafos que me chamou a atenção, etc...
    Pesando na balança do seu post, acredito que a gente tenha mais pontos positivos do que negativos para o uso do leitor digital, mas eu continuo amaaaaaaando os livros físicos!
    Amei o post! Obrigada!
    Drica.

    ResponderExcluir
  7. Eu costumava ler livros inteiros em pdfs na tela do computador mesmo, na época que tablets e smartphones ainda nem existiam e confesso que sempre achei mais prático, além de economizar papel e impressão (as gráficas não devem curtir essa ideia rsrsrs), ainda economizam espaço em casa! Sou adepta dos livros virtuais! ^^

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…