A primeira festa

em 16 de março de 2015

No último dia 7 minha mãe completou 75 anos.
E nós, meus irmãos e eu, nos juntamos para fazer uma festa de aniversário para ela.
Foi a primeira festa de aniversário que ela teve na vida.

Sim, isso mesmo.
Minha mãe jamais teve sequer um bolo com velinha pra cantar parabéns.
Eu, que sou avessa à festas, jamais me toquei disso.
E chorei muito quando me dei conta...
Chamei meus irmãos, juntamos nossas economias e fizemos a festa.
Foi lindo demais!

Uns 15 dias antes da festa ela se acidentou ao descer do meu carro. Marido e irmã estavam entregando os convites com ela, e num daqueles momentos que a gente não entende, ela colocou o pé no chão antes do carro parar, coisa mais estúpida que é um acidente, né?
Foi um corte feio e profundo, 13 pontos.
Ela não fez repouso, o corte infeccionou e ela está desde então na casa da minha irmã. Que deve estar tendo dias nada tranquilos pois nossa mãe não é a mais doce das velhinhas...
Há quase 1 mês meu marido e minha irmã levam a velhinha ao hospital para fazer curativo, raspagem, etc...
Sem previsão de quando vai parar pois ela é diabética e a cicatrização é muito, muito lenta.

Então, na festa, ela estava de cadeira de rodas, sem poder levantar porque tem que fazer repouso total.
Mas mesmo assim foi lindo, foi emocionante vê-la com as irmãs que moram aqui (uma mora em Minas e outra em Goiás, e a mais velha não pode ir), com os netos, sobrinhos que já são avós, os genros, as amigas de longa data.
Tenho poucas fotos, separei essa:

Minha tia Elza, tia Teresinha, mamãe, tia Iraci, prima, tio, mais primas...

Olha o bolo (tava bom!!!)

E tinha docinho, cupcake enfeitado para lembrancinha, cuzcuz caipira (vou ensinar no blog, coisa boa demais!), kibe cru, escondidinho (que eu fiz e foi super elogiado), torradinhas, salgadinhos, batida de morango...
Tava bom, simples e feito com amor... quase morro de cansaço...
Imagina minha irmã, que fez quase tudo sozinha...
E durante o dia teve churrasco, meninada na piscina...

Olha ela, na cadeira de rodas, mas feliz da vida:


Minha sobrinha Ana Laura (que está fazendo curso de maquiagem e manicure) arrumou o cabelo, maquiou, fez as unhas para combinar com o vestido novo...
Quando me viu a primeira coisa que ela me perguntou foi se estava bonita...
Tava linda!!!


Fiquei pensando...
A gente acha que a vida dos nossos pais começou no dia que a gente nasceu, né?
Curioso isso, curioso que a gente saiba tão pouco da vida deles anterior à nossa...
Interessante pensar que havia uma mocinha, que ele teve uma história antes da gente, que viveu coisas...

Eu até sei muita coisa da vida da minha mãe, e em muitos momentos isso foi o que me fez desculpar tantas coisas vindas dela.
Ela não teve vida fácil, de modo algum.
Penúltima filha de um total de 7 irmãs, nascida e criada nas colônias do interior paulista, na roça desde os 7 anos.
Ela mal aprendeu a ler, e ainda assim teve, durante anos, um caderninho de receitas escrito com letrinha infantil... a letrinha de uma criança que foi tirada da escola para ir trabalhar na roça...
Um dos presentes que ela mais gostou de ter ganhado foi uma boneca de pano, linda, que dei pra ela há algum tempo...
A menininha, de novo?

Depois, conforme as irmãs foram casando, ela foi  a única que ficou.
Minha mãe foi a última a casar, já com mais de 30 anos. E isso, naquele tempo, equivalia a ser solteirona...
Ficou por muitos anos sendo a responsável pelo sustento dos pais, e quando se casou tiveram que sair da fazenda. Deixar a roça e ir pra cidade... e ela sempre foi acusada de ser a culpada disso, simplesmente porque se casou...

Meus avós foram morar em uma casa de uma de minhas tias, a mesma casa na qual eu cresci e onde minha mãe vive até hoje, mais de 40 anos já...
E nessa casa a vida nunca foi fácil para minha mãe. Um casamento abusivo, um marido pra lá de cruel... perdi a conta das vezes que ela apanhou dele.

Sempre me perguntei o motivo dela ter sido tão submissa, tão acomodada. Eu não me conformava, não entendia...
Hoje eu entendo, olhando retroativamente eu entendo, mas a menina que eu era foi mais uma a julga-la.
Tive, e talvez ainda tenha, muitas mágoas. Coisas que vivemos demoram pra serem superadas, né?
Mas a vida segue, e hoje eu tento deixar tudo pra lá. Não discuto, não respondo, deixo passar. Não adianta, e não quero mais comprar todas as brigas do mundo. Especialmente com ela, que nunca vai mudar.

E pensando nisso, em deixar as coisas pra lá, em deixar a vida seguir... em deixar as coisas ruins no passado... foi pensando nisso que fizemos a festa.
E foi lindo, foi cansativo (porque sou avessa à festas, lembra?) e foi de certa forma libertador.
Ela estava tão feliz, minhas tias também. Mesmo minha tia que tem Mal de Alzheimer e não faz ideia de quem nós sejamos...
Vi primas com as quais não falava há mais de 20 anos, e foi tão natural, como se a gente se visse todo dia... vi filhos dessas primas, homens feitos, que são pais, e que um dia foram bebês que eu segurei. Chocante.
E vi filhas de outras primas, meninas prendadas, tão parecidas com a mãe, que cresceu comigo...

E minha mãe tirou fotos com os netos, abriu presentes, soprou velinhas cor de rosa, partiu bolo.
Não sei quantos aniversários mais ela terá, mas terá festa em todos eles. Quero fazer isso.
Para compensar, ainda que tardiamente, os aniversários que a menininha  de 7 anos que trabalhava na roça, em alguma fazenda do interior de São Paulo, nunca teve.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

14 comentários , comente também!

  1. Que história mais linda e ao mesmo tempo tão sofrida!!
    Estava a ler com os olhos bem colados às suas palavras e imaginando a tristeza por saber que sua mãe nunca teve um aniversário decente, e que já sofreu muito também, e imaginando a felicidade de poder estar com sua mãe festejando esse dia com a família que já não se juntava a muito tempo!!
    As melhoras para sua mãe, e um abraço bem apertado para vc!
    Gostei imenso deste texto. Bjs :)

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus! Faz tanto tempo que não consigo parar e ler alguma postagem sua Elaine,assim como de outros tantos queridos que são importantes demais pra mim... Não por falta de interesse, mas por reformulação de vida onde tento retomar o fio partido, após a perda de meu pai... Aí chego aqui logo nesta que me deixa tão emocionada e saudosa do meu velho. Eu também sempre fui avessa a festas, mas ele adorava comemorações e não podíamos deixar passar em branco. Acredita que fiz uma das festas com o tema Flamengo, time do coração dele, mesmo eu sendo Fluminense?rsrsrs Continue a comemorar Elaine. Com toda certeza foi muito bom para sua mãe, mas a presenteada foi você, que vai levar no coração pra toda vida, esse carinho especial que pode dedicar a ela. Saudades... Bjks mil

    ResponderExcluir
  3. Que beleza que conseguiram aos 75 dela, fazer uma festa.Ela deve ter adorado, mesmo acidentada.Cada uma, pena que ela resolveu colocar o pé com o carro andando.. Mas, esperemos que sare logo e bem! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Por muito cansaço que tenha dado, a alegria do momento superou tudo. E será decerto uma feliz lembrança que ela recordará com carinho. A vida hoje não está fácil para ninguém, (excepto para os políticos) mas antigamente era bem pior. Tenho menos 7 anos que sua mãe e lembro bem da miséria que havia na minha casa quando menina. E das coisas que minha mãe contava da sua infância quando eu me revoltava. Ela achava que a vida que tinha era muito boa, comparada com a que tinha vivido na infância.
    Eu achava uma vida miserável. Não tinha conhecido pior.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Quanta emoção!!!
    Imagino a alegria de sua mãe e a alegria de vocês, filhos, em proporcionar isso à ela! Muitas vezes as coisas passam e não nos damos conta de quão importante elas são. Fico feliz que vocês tenham tido tempo de fazer esse carinho!
    Que venham muitas e muitas outras festas depois dessa!
    E, por favor, diga à sua mãe que desejo muita saúde, muita paz, muitos anos de vida e toda a felicidade do mundo!!!
    E saiba que todo o carinho que tenho por você se estende à ela também!
    Muitos beijos para as duas,
    Cris

    ResponderExcluir
  6. Oi Elaine, que post lindo, emoção, superação...e paz, que é o que vale, você está certa! Deve ter sido muito especial para todos mesmo. Lembro do aniversário de 100 anos da minha vó quando reunimos a família dos 4 filhos que ela teve, tinha até tataraneto presente...Meu pai ainda era vivo,..agora já se foram, mas vivemos este momento tão bacana que é o que vale.
    Muita saúde pra sua mãe e muita harmonia!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pela mamãe, comemorar é sempre muito bom!!!!

    ResponderExcluir
  8. Que emoção, que Deus a abençoe sempre mais e mais.

    bjokas pra vc e pra ela =)

    ResponderExcluir
  9. Eli... primeiro dizer que conheci seu blog há umas duas semanas e estou super entretida nele, várias dicas preciosas. Me inscrevi e recebi esse post por e-mail. Me encantei, tenho uma vózinha que me lembrou tanto sua mãe. Fizemos o aniversário dela de 80 anos, também juntamos as irmãs e foi incrível!

    Bjinhos
    JuJu

    ResponderExcluir
  10. Olá Elaine, boa noite!
    Eu não poderia deixar de fazer um comentário nessa postagem, linda e cheia, superação e gratidão!
    Todas as mães são guerreiras, não sei porque que muitas mães sofrem.
    O melhor que o sofrimento é recompensado pelo amor e carinho dos filhos!
    Parabéns pra vc e seus irmãos que proporcionou momentos felizes na vida da sua mãe com essa
    festa linda ao lado de quem ela ama.
    Desejo melhoras e muitos anos de vida à sua mãe, que Deus a proteja sempre!

    Bjs, fica com as bençãos de Deus! ♥

    ResponderExcluir
  11. Elaine,lindo gesto festa para quem nunca teve festa de aniversário.
    Parabéns para sua mãe,felicidades,saúde para todos.
    Eu gosto e sempre fiz festa para meus filhos, mas eu mesma nunca tive,nem quero ter detesto festas.
    Detalhe: gosto de comer o bolo,docinhos..etc...
    Vou querer a receita do que você fez deve ter ficado uma delícia.
    Beijão

    ResponderExcluir
  12. Oi Eliane! Deve ter sido muito emocionante para ela esta festa.Vocês tiveram uma grande ideia .Parabéns!!! Eu tbm nunca tive uma verdadeira festa de aniversário.Beijos

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…