De dentro do coração

em 22 de setembro de 2014

Imagem daqui
Há algumas semanas minha cachorrinha Brisa morreu.
Ela estava com câncer e doença do carrapato.
Com essa doença, que baixa as defesas,  o câncer ganhou uma força incrível, e foi bem rápido. Em 15 dias ela definhou e se foi.

Foram dias muito ruins, dos piores.
Ela não morreu por si só, foi preciso anestesiar e aplicar uma injeção que parou o coraçãozinho dela.
Foi terrível, me debati 2 dias e 2 noites inteiras com a decisão.
Eu a alimentei com seringa por 15 dias, e na última semana nem soro ela conseguia manter no estômago. Ainda assim eu insistia, dava caldo de carne de 30 em 30 minutos, dia e noite, dava soro nos intervalos, dava a medicação contra dor.

Mas quando ela parou de beber água sozinha, e parou de abrir os olhos, decidi que bastava. Ela já não estava mais ali, não era mais a minha filhotinha.
A veterinária dela, Larissa, veio em uma manhã bem cedinho. Deu a anestesia e depois a injeção.
Jamais vou esquecer o suspirinho que ela deu quando o anestésico entrou. Sentamos no chão, segurei a patinha dela. Foi terrível.
Fazia tempo que não chorava tanto, fazia tempo que algo não me atingia tanto...

Demorou uns 25 minutos. Ela se foi, na caminha que tanto gostava, do lado do meu computador, onde sempre ficou pelos quase 5 anos que viveu comigo.
Foi tão doloroso que só agora, semanas depois, consegui sentar pra escrever sobre isso. Mas ainda há lágrimas... e acho que sempre vou chorar quando lembrar...

Menininha, minha outra cachorrinha, só na última noite chegou perto.
Cheirou a amiguinha, deitou do lado por alguns minutos.
Está carente agora, eram inseparáveis.

Durante o tempo da doença dela eu fiz o que podia.E pensei muito...
Eu não sou uma pessoa bem resolvida, sabe?
Meu maior desejo nesse mundo é conseguir ser vegetariana.
É que me sinto hipócrita.

A gente ama nosso cachorrinho, nosso gatinho.
Mas come o porquinho...
Você já viu um porquinho bebê? São doces, são fofos, são muito iguais aos cachorrinhos bebês que a gente acaricia.
E bezerrinhos?
Eu cresci tendo pasto bem perto de casa, e desde pequena senti esse incômodo de olhar uma vaquinha pastando e relaciona-la ao bife no prato.
Por exemplo, jamais conseguiria ter um leitão daqueles servidos inteiros na mesa, sabe?
Nem frango inteiro eu gosto de ver.

Mas isso é hipocrisia minha.
Porque eu como.
Mesmo sabendo que há crueldade no abate, nas granjas.
Essa é uma grande fraqueza que eu quero muito vencer.


Não quero fazer você, que não é e nem pensa em ser vegetariano, se sentir mal. Cada um tem seu tempo de sentir e seu modo de perceber as coisas, e cada um é cada um.
É apenas uma reflexão minha, algo que eu desejo muito  mas infelizmente sinto tão longe de conseguir.
E como aqui em casa somos apenas 2 fica ainda mais difícil pois vegetarianismo nem passa pela cabeça do marido...

Sei que a maioria das pessoas que amam animais têm essa questão bem resolvida, conseguem separar as coisas numa boa. Eu não consigo...
Veja bem, não é algo que esteja colocando em discussão.
Sei muito bem que há gente contra, que acha uma grande bobagem, etc e tal...

Mas é algo que eu quero. Quero que deixe de ser um sonho e passe a ser um projeto.
Tenho lido, tenho colecionado receitas, e a decisão começa a se formar em mim.
Pode demorar anos, quem sabe?
Mas eu quero ao menos tentar.

Porque não é coerente, para mim, chorar e sofrer tanto por um animalzinho e isso não mexer em nada com meu estilo de vida.
Não é simples, são décadas de hábito pra mudar.
Mas meu coração tem pedido, e talvez seja hora de ouvir o que ele diz...
Quem sabe um dia eu possa dizer que consegui abolir de vez a carne.
Não é?

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

18 comentários , comente também!

  1. Oi Elaine !

    Você sabe que senti pela partida da Brisa e só de ler já comecei a chorar tudo de novo...
    Eu já pensei sobre essa "incoerência" de gostar tanto de animais e ser "carnívora", mas não sei se conseguiria deixar de comer carne...Acho que terei que conviver com isso por um bom tempo.
    Mas acho válida essa sua decisão e te desejo força!

    beijos, Renata
    palpitandoetudo

    ResponderExcluir
  2. chorei aqui que pena que a doença venceu sua cachorrinha
    que Deus te de forças... <3
    beijos

    Blog Delineado Rosa / Concurso Cultural: 5 Batons Avon Pop Love

    ResponderExcluir
  3. Lamento a partida da Brisa. Ter um animal de estimação, amá-lo e vê-lo partir deve ser muito doloroso, e essa foi uma das razões porque nunca quis ter nenhum. Eu não lido nada bem com as partidas e eles duram menos que nós.
    Quanto a ser carnívora ou vegetariana, é problema que nunca me atormentou. Não sou muito amiga de carne, gosto mais de peixe, mas adoro saladas e se não como mais vezes é por preguiça de fazer comidas separadas, já que o marido não aprecia.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Que trisate quando esses amiguinhos partem assim. A nossa CUCA 1, foi assim, triste, triste, com 15 anos! Senti como ou mais que sentiria por uma pessoa! Fica bem! E tudo tem seu tempo.,Na hora certa, conseguirás, sem forçar, o que queres! bjs, chica

    ResponderExcluir
  5. Oi Elaine,
    fiquei triste...morrendo de dó...da Brisa e de você.
    Imagino que você tenha certeza de que fez o melhor para ela. Mas não era o melhor para você, né?!
    Te desejo toda a força do mundo. Que Deus consiga acalmar seu coraçãozinho e te deixar mais tranquila...tem coisas que não estão em nossas mãos, que não dependem de nós.
    E quanto ao vegetarianismo, tenho um exemplo aqui em casa. Meus filhos (e acredito que as gerações que estão vindo agora) também são super preocupados e conscientes quanto à crueldade envolvida no consumo de animais. Eles comem, mas não se sentem totalmente à vontade com isso. E aí minha filha me fez uma proposta e está dando certo: ao menos 1 dia na semana não consumimos carne de qualquer tipo. Substituímos por pratos com uma grande variedade de verduras e legumes, cogumelos e afins, e o dia passa tranquilamente. Em breve serão 2 dias. Logo, quem sabe 3...
    Experimenta e depois me conta!
    Beijos querida,
    Cris

    ResponderExcluir
  6. Sinto muito,Elaine pela perda de sua cachorrinha.Dói muito sim,eu tbm sofro muito quando perco um bichinho de estimação,choro muito e fico muito tempo assim sofrendo,parece que um membro da família se foi... E,sobre carne,vixeee sou apaixonada por carnes.Um beijo pra vc

    ResponderExcluir
  7. Eu compartilho desse mesmo dilema. Tanto que já fiquei sem comer carne por dois anos. Mas meu paladar mudou ou meu organismo me exige outras coisas e o fato é que não cosigo ficar sem carne. Uma das cenas mais tristes da minha vida foi quando presenciei um acidente com uma vaca. Ela foi atropelada e não conseguia se levantar, tentava e soltava um mugido longo e triste. Outra vaca se aproximou dela e a empurrava com o focinho. Como se estivesse tentando ajuda-la! Eu fiquei num estado de terror com isso e a minha amiga pratentar me acalmar disse: pensa que ela foi pro abate. Faz diferença? Outra coisa que me angustia muito é a eutanásia. Embora não tenha passado por isto é uma decisão que me incomoda muitíssimo! Acho nobre abreviar o sofrimento de um animal quando não ha mais o que ser feito, qdo ele já está em choque mas eu penso pq com gente não é assim? Ai minha cabeça embola toda e o incomodo é grande.

    ResponderExcluir
  8. Oi Elaine,

    Sinto muito pela Brisa, sei o quanto doí. Uma das minhas cachorras também esta com a doença do carrapato, estamos tratando com antibiótico. Quanto ao restante dos animais, eu também sofro em saber que o abate é feito de forma cruel, tenho pena dos cavalos que puxam carga...
    Eu como carne, bem pouco mas como, acho que é cultural comer carne de vaca, frango e porco. Espero que consiga não comer, e alcance o seu objetivo vegetariano!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Me identifiquei completamente com o seu relato Elaine, sofro muito pelos bichinhos domésticos, mas há anos me debato com a questão de comer carne ou não. O que eu tenho percebido é que como é mto difícil romper um hábito cultural tão arraigado como a alimentação, que a mudança deve ser gradual. Cortei primeiro a carne de boi, já tem uns 2 anos. Além de tudo a digestão dela me pesava muito. Então naturalmente foi diminuindo a carne de porco, que hj como mto raramente. Não consegui deixar de comer frango, nem peixe e camarão, mas sempre me pesa mto na consciência. Peixe nem tanto pq moro no litoral, e compramos diretamente dos pescadores, então dói um pouco menos saber que eles viveram livre até serem pescados. Também vivo com um carnívoro e a questão aqui é assim: se quiser pode cozinhar, não proibo, mas tb não faço, então por comodismo em geral ele como o que eu fizer. E tb procurar aumentar os legumes e grãos, que dá sim mais trabalho, mas é uma questão de hábito. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  10. Elaine, lamento profundamente pela Brisa. Essa semana, com meu Negão no meu colo, chorei só de imaginar que um dia ele não estará mais comigo. Imagino sua dor e desejo que com o passar dos dias ela amenize. Sua inquietação sobre o consumo de carne tb é a minha. E como vc bem disse, deve ser a de muitas pessoas. Foi a partir desse pensamento e de um programa que assisti no Globo Repórter, que fiz a dieta Detox por 10 dias. A dieta não tem nada a ver em ser vegetariana. Porém, foi através desta dieta que percebi que é mais fácil viver sem carne do que eu imaginava. Desde então eu tenho consumido muito pouca carne. O primeiro passo é sempre o mais difícil. Mas acredito que vc possa usar esse momento como combustível para o seu desejo. Fique bem!!! bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Elaine,
    Eu sou ovo-lacto-vegetariana, não vegana, mas caminhando para lá. Eu amo animais e não consigo separar uns para comer e outros para amar. eu não nasci vegetariana, fui me tornando aos poucos, e pelo que você escreveu, está no caminho tb! é assim mesmo que a gente vai se tornando vegetariana, o primeiro passo é a consciência, o resto vem depois.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Chorando litros... aff... entendo bem todas as situações descritas. Brad (meu amado companheiro por anos) teve que receber a mesma injeçãozinha. Já fazem alguns anos, mas eu sofri... e ainda dói! E me identifico demais com a hiprocrisia relatada. Porque como posso gostar tanto de animais, me compadecer da crueldade, e ao mesmo tempo, gostar tanto de comê-los??? Aff, amiga... e eu adoro carne! Churrasco, rabada, pernil... hum... chega a aguar a boca!!! Bem, mas eu acho que se está sentindo essa vontade em seu ♥, um dia vai começar, vai dar o pontapé inicial, e vai conseguir... ;) Super beijo!

    ResponderExcluir
  13. Texto escrito com o coração que me emocionou profundamente. Lamento a partida da Brisa, principalmente de forma tão sofrida. Beijo grande Elaine.

    ResponderExcluir
  14. Elaine, lamento profundamente tua perda.
    Só de pensar que algo assim possa acontecer com algum de meus gatos meu coração dói em silencioso desespero. Tua atitude foi a mais humana e correta que já vi alguém ter.
    Muitos abandonam os animais quando ficam velhos ou doentes.
    Outros apenas entregam na clínica ou pet shop, dizem "Sacrifica." e viram as costas.
    Espero que se algum dia tiver de encarar esse duro momento eu tenha forças para (assim como tu) segurar na patinha do meu bichinho e afagá-la até seu último suspiro (sinto um nó na garganta só de imaginar a situação).
    Minha esposa é veterinária e o que relatas é o dia-a-dia dela.
    Francamente não sei se teria condições psicológicas de trabalhar em algo assim...
    Devemos sempre nos lembrar que eles sofrem e sentem dor como nós e da mesma forma que a gente, também não querem ficar penando uma existência de martírio.
    Dói, mas a eutanásia muitas vezes é a opção mais piedos e humana.
    Insistir em força-los a viver apenas para que nós não venhamos a sofrer com sua perda é muito egoísmo para com um ser que dedicou sua vida integralmente a nós.
    Me solidarizo com teu sofrimento.
    Conte com meu apoio.
    Abraços e força, amiga!

    ResponderExcluir
  15. Difícil palavras para esses sentimentos...O meu Millow teve câncer há 3 anos e nos deixou com apenas 12 anos, foi muito rápido, acompanhei a eutanásia até o fim, nunca vou esquecer meu cabritinho saltitante, meu amigo inseparável. E o mês passado o Tico se foi (que era de meu pai, acho que te falei) também com quase 16 anos, ele até que estava bem apesar de estar com cirurgia marcada para tirar um tumor na saída do reto, mas juntou-se o fato das rótulas estarem se deslocando e ele estava sofrendo muito, não ficava quieto, gemia e latia direto olhando pra gente como se pedisse para ajudá-lo...A decisão foi muito mais difícil...Eles fazem uma falta imensa.
    Durante uns 3 anos não comi carne de tipo algum, mas voltei. Também me pesa na consciência pensar que estou colaborando com o sofrimento deles...Como pouco mas espero conseguir parar novamente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oi Elaine,
    Que tristeza.....Tenho 7 amores na minha vida (meus cães) e a Luna já tratou da doença do carrapato e esta tratando novamente. Ela é minha amiga de verdade, só falta falar....todos eles são super carinhosos e a gente tenta da do bom e do melhor para eles. Na região onde moro, Venda Nova- Belo Horizonte, sempre tem a doença Leishimaniose então, estou sempre pedindo à Deus que os proteja porque o que eu posso fazer eu faço.
    Só quem ama os animais como nós, sabe como vc está sofrendo com essa perda e não devemos ter vergonha de dizer o quanto sentimos.
    Eu não como carne mas não sou vegetariana porém, vendo tudo o que está acontecendo no mundo, estou a cada dia tentando não usufruir dos alimentos que vem dos animais. É difícil mas se tem pessoas que conseguem porque a gente não?
    Um conselho te dou: Chore o tanto que vc quer, pelo tempo que vc achar que deve....quando perdemos esse amigo, uma parte do nosso coração vai junto e infelizmente nada substitui.
    Forças!!
    Muitos bjs,
    Késsia

    ResponderExcluir
  17. Logo que fizeste esta postagem, fiz um comentário contando as tentativas do meu namorado de se tornar vegetariano. Não sei se deu algum problema na publicação, ou não quiseste mesmo publicá-lo. Na dúvida e acreditando ter tido algum problema na publicação, resolvi voltar aqui para sugerir novamente, que comeces a tirar a carne do teu cardápio aos poucos. Existe um movimento que é "a segunda sem carne" (tem até um site do Paul Mccartney sobre isso http://www.meatfreemondays.com/ ). Sou vegetariana pelos animais, por isso fiz questão de comentar duas vezes. Sinto muito pela tua Brisa! Abraços! Tiane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tiane, pode ter havido algum problema com o comentário anterior, ele não entrou...
      De todo modo muito obrigada por retornar.
      E muito obrigada pela dica, vou me informar sim, obrigada.
      beijossss

      Excluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…