Eu sou ladrão porque eu sou pobre

em 4 de maio de 2014

eu sou ladrão porque sou pobre
Aqui na região onde moro tem um telejornal que passa antes do Globo Esporte e que mostra as notícias de Ribeirão Preto e região.
Numa das edições da semana passada foi mostrada a prisão de um ladrão que atuava em Franca, se não me engano. Especialista em roubar padarias, lojas e casas vazias.
Ao ser questionado  do motivo de ter assaltado uma loja de bonés e levado vários, inclusive um que usava no momento da prisão, ele respondeu que roubava porque precisava, porque precisava de um boné de marca e não tinha condições de comprar.
Meu queixo caiu diante de tanta cara de pau.

Claro, não é primeira vez que vejo notícias assim, em que o desgraçado filho da puta do ladrão justifica ser ladrão porque é pobre.
Isso é muito comum.

Aqui mesmo onde moro, outro dia uma mulher foi detida porque estava furtando em um supermercado.
Furtando barras de chocolate.
Ela justificou dizendo que o filho queria chocolate e ela era pobre, não tinha dinheiro pra comprar.

Posso dizer, com certeza absoluta, baseada no que vi e no que vivi  que pobreza não é justificativa para ser ladrão, traficante, ou qualquer outra modalidade de bandidagem que exista por aí.

Conheço uma família, há mais de 25 anos. O pai, já falecido, foi pedreiro durante a maior parte da vida; um dos filhos inclusive seguiu a profissão e já fez diversos trabalhos aqui em casa.
Outro dos filhos é um dos meus mais antigos amigos, padrinho de casamento inclusive.
São 7 filhos ao todo, 3 meninas e 4 meninos.
Família pobre, daquelas pobres mesmo, cujos pais criaram os filhos com dificuldades, naquele ser pobre dos anos 70, 80... que sim, é diferente do ser pobre hoje em dia.


Sabe quantos deles se envolveram em bandidagem?
Nenhum.
Todos trabalhadores, os netos do velho pedreiro seguem o mesmo caminho.
Meu amigo, que é meu padrinho de casamento, trabalhou desde muito criança, aos 10 anos já era ajudante de pedreiro depois da escola.
Sem ajuda do governo, sem cotas raciais, sem bolsa nenhuma.
Fez 2 faculdades, hoje é inclusive professor na escola técnica aqui da cidade. Tem 2 empregos, é diretor de TI numa grande usina da região.

Conheci meninos pobres de verdade, meninos que só usaram um tênis novo depois dos 18 anos, e não era tênis de marca não. Meninos que iam pra escola de chinelo preso com prego depois que as tiras arrebentavam.

Conheço menino pobre de verdade, que trabalha de dia e estuda de noite, que batalha todo dia pra emergir da pobreza, pra ser mais instruído do que seus pais foram, que luta pra ir mais longe do que os pais chegaram. Meninos de 16, 17 anos que empacotam compras no mercado o dia todo, e estudam de noite, meninos aprendizes dentro de fábricas de calçados eu conheci dezenas durante o tempo em que trabalhei nas fábricas.
Eu mesma, e meus irmãos, fomos meninos assim, de chão de fábrica.

Meu irmão, que hoje tem 37 anos, foi um desses meninos pobres, que crescem na periferia das cidades, filhos pobres de pais pobres.
E no caso do meu irmão, sem pai desde os 12 anos.
Cresceu numa vizinhança cheia de tentações, ou você acha que ladrão, traficante e trombadinha só existe em cidade grande?

Não! Existe aqui também, em nossa vizinhança 2 desses meninos que roubavam e traficavam estão mortos, enterrados antes dos 25 anos.Um deles, o Marquinho da dona Angelina como todo mundo chamava,  foi o melhor amigo do meu irmão antes de enveredar pela bandidagem.
Um outro tem hoje casa, carro, moto, 5 filhos, cordão de ouro no pescoço e uma condenação  de 10 anos por tráfico e assalto.
Mas vive em liberdade porque sim, às vezes o crime compensa sim.
Então a tentação era enorme, de ver os bandidinhos bem vestidos, acordando tarde, enquanto meu irmão e outros meninos da vizinhança trabalhavam e estudavam.


Me causa espanto ver esses homens feitos, marmanjos de barba na cara culparem os pais, o governo, a pobreza, Deus e o mundo por serem ladrões.
Muita falta de vergonha nessas caras de pau, isso sim.

Nasci, cresci e vivi a vida toda entre pessoas pobres de verdade, pessoas que muitas vezes catavam comida no antigo lixão da cidade. Que graças à Deus não existe mais...
Pessoas que lutaram e lutam pra sobreviver, pra emergir da pobreza extrema, da falta de recursos, das dificuldades que só uma criança ou adolescente pobre conhece...

Então não tente me convencer que pobreza é desculpa para bandidagem.
Porque não é.
Não mesmo.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

14 comentários , comente também!

  1. Oi Elaine!

    É triste isso, não? Acho que o que há é uma inversão de valores. Ainda há pouco no face a Jô turquezza postou um quadro que dia que menor pode roubar, traficar, matar, estuprar, etc, mas não pode trabalhar, levar palmada e ser punido pelos próprios crimes..o que a gente faz? A "sedução" dos traficantes e bandidos é pesada, e se o menor não tem uma base familiar boa acaba caindo na conversa deles. É a "glamourização" do crime. Um absurdo. Não tem nada a ver com a pobreza.

    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
  2. Com certeza,não! Há muita gente honesta que viveu na mais absoluta pobreza e há muito ladrão que viveu nababescamente, isto é uma questão de índole.
    Abraço!
    Sonia

    ResponderExcluir
  3. Um horror! Fico indignada! Nem vejo mais jornal nenhum só pra não passar raiva. Que raiva, viu? O que manda é o caráter. Se tem, tá ótimo, se não tem, tem desculpa pra tudo.
    Lamentamos muito....

    Beijos, boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Elaine, acho que você já ouviu falar do livro "Jogos Vorazes" porque vc também ler a beça... Esse post me lembrou o livro e me lembrou que quando eu lia eu pensava muito em você, vc parece a Katniss [protagonista da história], esse post só reafirma isso.

    Pobreza não é fácil de encarar, eu sei bem, mas não justifica nada que façamos de errado... não justifica mesmo.

    ResponderExcluir
  5. É difícil justificar os roubos. Ouvi dizer em criança que eram uma coisa que havia dentro das pessoas e que elas tinham necessidade de roubar. O maior roubo é quando os pais não sabem dar amor e ensinar o respeito e o trabalho.
    Depois os maiores ladrões estão no governo e roubam descaradamente, deixando tantas famílias sem casa sem roupa, sem amor...

    ResponderExcluir
  6. Lindo post! Você disse muitas verdades. Trabalho com educação e assisto a isso todos os dias. Uma vez tentei convencer um aluno de que o mundo do tráfico não compensava e sabe o que ele me respondeu? "E aí dona, com certeza ganho três vezes mais que o seu mísero salário". Falar mais o quê? Bjs e ótima semana.

    ResponderExcluir
  7. É questão de caráter, de berço!
    Eu tive vida boa quando meu pai era vivo, estudei em caro e bom colégio, e meus irmão também.
    Quando ele morreu, eu tinha 14 anos. Minha mãe sem nenhuma pensão, era a dona de casa perfeita em tudo, mas não sabia nada do lado de fora da rua. Fui trabalhar fora e via muita gente se aproveitando de oportunidades para "ficar rico". Eu odiava ver isso! Passei vontade de comer no almoço (era uma instituição de freiras, no centro do Rio) que nos ajudava, pagávamos uns míseros dinheiros para comer uma colher de feijão, uma de arroz, um bifinho do tamanho da borda de uma xícara de café ...... e uma mariola de sobremesa. Eu e minhas amigas de trabalho ficamos frequentado esse lugar durante muito tempo. Saíamos de lá com fome, mas pelo menos comíamos algo.
    E fomos progredindo com nosso trabalho honesto e chegamos ao topo por nossas próprias lutas honestas!
    Então, odeio estas expressões "roubou por que é pobre" e "a ocasião faz o ladrão"!
    Roubou porque é ladrão mesmo, não teve bom exemplo na família, ou então tem problemas psicológicos.
    Minha família inteira é honesta e ninguém saiu por aí, tirando dos outros o que não era seu.
    Nosso país está sem controle, sem direção .............. e sem educação!
    Portanto tudo isso acontece e a maioria passa a mão na cabeça do ladrão e diz: coitadinho, nunca teve chance de ser honesto! Não aguento tudo isso ...........
    Ótima semana para você.
    joturquezzamundial
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
  8. É isso aí, Elaine! Pobreza não é desculpa nem pra bandidagem e nem pra porquice! Minha mãe sempre dizia isso e fomos pobres sitiantes, indo à pé pra escola (veja 5 km em meio a pastos e estradas vazias), fazendo chuva ou frio, com o mesmo uniforme que deveria ser lavado e secado a ferro de brasa, o sapato da prima, irmã mais velha, fazendo todo o serviço do sítio após a aula e já ter caminhado no mínimo 10 km... cinco meninas! todas estudadas, algumas com mais de uma faculdade, sem nunca ter tido bolsa qq coisa, mas vivido vendendo ovo, galinha, verdura... esse povo vagabundo me dá nojo!!! bjs e que sua semana seja muito feliz!

    ResponderExcluir
  9. Pobreza não é mesmo desculpa pra bandidagem, Betty. Mesmo porque os maiores bandidos do nosso país são ricos. A bandidagem ocorre pela falta de freios morais e isso tem muito a ver com a educação. Hoje em dia, os pais têm cada vez menos tempo pra se dedicar aos filhos. Acabam por abandoná-los nas garras da televisão onde são bombardeados pelo consumismo e veem personagens "espertos" se dando bem. Claro que nada de bom pode sair disso. Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Penso que falta o exemplo. Existe uma carência de educação familiar: o pai rouba, a mãe rouba e os filhos também. Infelizmente, essa é a situação de muitos brasileiros. E esses são os jovens que vivem até 25 anos porque morrem na bandidagem e são invisíveis para o poder público. Também há o incentivo exagerado do consumo, um exemplo é o telefone celular - um dos objetos mais roubados. Pobreza não é sinônimo de bandidagem, mas na atual circunstância do país, ela abriga (e muito) a criminalidade.

    ResponderExcluir
  11. Oi Elaine! Caráter nem sempre está atrelado a berço, educação, família...Já vi filhos medonhos de famílias ótimas e filhos adoráveis de famílias totalmente desestruturadas...sei lá, nem sempre na prática as teorias funcionam.
    Vemos os extremos, como jovens roubando para consumir o que ele deseja e por outro lado vemos poderosos roubando tanto dinheiro nem lhe faria mais diferença na vida...Tá tenso.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  12. Concordo que uma coisa nada tem haver com a outra.
    Espero que esteja bem e o seu marido também.
    Peço desculpa pela minha ausência.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Elaine concordo com tudo ue vc disse e acresento as suas palavras a minha historia sou de familia muito pobre minha mãe teve 8 filhos e todos são honestos,por as palavras convencem mas o exemplo arrasta.

    ResponderExcluir
  14. Oi Elaine eu concordo com você , sua postagem conta a história de mutios que optaram em lutarem por uma vida ainda que dificil , mas na honestidade e não pela bandidagem .
    Legal eu compartilhei !!!
    Beijinhos
    Deus abençõe

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…