Doença do carrapato: o que é e o que fazer quando ela aparece?

em 24 de outubro de 2013

Eu sempre tive cachorros à minha volta, desde que me lembro de mim.
Quando casei fiquei 6 meses sem um por perto, foi o maior tempo que fiquei sozinha, sem cachorro.
Depois de 6 meses adotei o Nick, e ele viveu até os 8 anos.
Na época em que ele morreu eu trabalhava fora, saía de casa às 6 da manhã e voltava perto de 8 da noite, todo dia, a semana toda.

Quando percebi que ele estava doente era tarde demais: o estágio da doença era tão avançado que ele estava cheio de manchas roxas na barriguinha, sem poder se mover.
Cuidei, passava remédio pra aliviar a dor, dava comida na seringa,  o veterinário fez o que pode mas não adiantou. Foi a primeira vez que meu marido chorou por um animal que partia...
Foi meu primeiro contato com a febre do carrapato. Nunca tinha ouvido falar.

Algum tempo depois adotamos a Menininha. Era uma filhotinha tão pequena que passava pelas frestas do portão de casa, cabia na palma da mão.
Ainda filhotinha ela começou a apresentar dificuldade de locomoção, apatia, falta de apetite. Desesperada chamei o veterinário e o exame de sangue acusou febre do carrapato, que no caso dela foi de 2 tipos: a erliquiose e a babesiose.
A erliquiose ataca os glóbulos brancos e a babesiose ataca os glóbulos vermelhos. Ela teve ambas, ao mesmo tempo.
Eu fiquei aterrorizada.

Nessa época eu já trabalhava em casa com minha irmã, e foi isso que salvou a Menininha.
A gente cuidava dela o tempo todo, foram semanas de tratamento. Fazia caldo de carne, dava de seringa. Fazia creme de fígado batido no processador. Eca...
Minha irmã era uma ajuda fundamental, com sua paciência e habilidade. Menininha é doida por ela até hoje...

Como ela era bebezinha conseguiu se recuperar, e ficou apenas com uma sequela da doença: um espasmo na pata direita dianteira, que mexe o tempo todo, acordada ou dormindo.
A sequela se deve ao fato de que a doença ataca o sistema nervoso central.

Sim, acabei ficando craque no assunto.
Depois ainda perdi a Gracinha, mas no caso dela foi uma complicação da doença, a pneumonia.
Esse é o grande problema da doença do carrapato: ela mascara outras doenças, e age silenciosamente.

Estou recordando tudo isso porque no momento que escrevo Princesa está fazendo o segundo exame de sangue da vida dela.
O primeiro foi há um mês, quando percebi uma alteração nela e corri na veterinária.
Fizemos o exame e não deu outra: febre do carrapato.
De novo assombrando minhas meninas.

De lá pra cá foram 21 dias tomando o remédio Doxiciclina e um suplemento de ferro porque a anemia estava intensa devido à doença. Chegamos a pensar que seria preciso uma transfusão de sangue.
Chorei rios, de aflição e medo por ela.

Mas a medicação deu certo, ela reagiu bem.
O fato de ter percebido logo e começado o tratamento rapidamente foi fundamental para a cura.
E ela ser bebezinha também ajuda.
Falta só o exame laboratorial pra confirmar o que o exame clínico já mostrou: ela está bem, graças a deus!

Princesa, de roupinha dada pela Renata. Coisa mais fofa não há...


Vou te dar algumas dicas, de quem já chorou muito com meus amores doentinhos, sofrendo:
Ao menor sinal de alteração em seu cachorro vá ao veterinário. Cachorro abatido, com dificuldade pra respirar, sem apetite, com mucosas esbranquiçadas e olhos lacrimejantes é sinal de alerta imediato.
Não confie em remédios que te indicaram, confie sempre em seu vet.
Em geral o tratamento é feito com Doxiciclina, e supemento de ferro.
Também é preciso dar carne, fígado, tudo o que o cachorro comer ajuda.
Evite leite pois o organismo do cachorro não digere a proteína do leite de vaca.

A veterinária que cuida das minhas meninas se chama Larissa, é uma querida, muito atenciosa e competente.
Aqui a fanpage dela:



Aqui em São Joaquim eu super recomendo!

Encontre um veterinário de sua confiança. Em momentos de aflição é uma bênção poder ser ajudado por um bom profissional!

Leia aqui mais informações sobre a doença do carrapato: http://tudosobrecachorros.com.br/2011/03/doenca-do-carrapato-erlichiose.html


E pra terminar umas fotos das minhas lindezas:

Sou a Princesa da minha casa...

Menininha, minha gordinha linda!



Espoleta. O nome diz tudo, né não?



Minha cachorrinha Brisa
Sou um gremlin? Não, sou a Brisa!


Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

41 comentários , comente também!

  1. Que amor são teus amiguinhos e companheiros. E que susto deves ter levado novamente! Ainda bem que ela melhorou!!! beijos,tuuuuuuuuuuudo de bom pra todos vocês!chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, todas menininhas. Só tem Erdilan de menino nessa casa rsrsrsr
      beijossss

      Excluir
  2. Elaine, puxa fiquei preocupada pois tenho cachorra e gata.
    Mas minha veterinária diz que aplicando o Revolution ou o Frontline a cada dois meses elas ficam imunes inclusive aos carrapatos. Vou verificar.
    Espero que a sua cachorrinha fique bem. Todas são lindas...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane, tem que estar atenta mesmo.
      E não precisa ser infestação de carrapato pra ter a doença; um só que esteja infectado já faz o estrago.
      É tenso isso rsrsrsr
      Princesa está boa, quase completamente sarada, louvado seja Deus!
      beijosssss

      Excluir
    2. remedio nenhum deixa o animal imune!apenas ajuda a nao infestar de carrapato,infelizmente ainda nao temos uma vacina que proteja nossos animais!

      Excluir
  3. Elaine,adorei o artigo.
    Suas filhotas são lindas.
    Dia 27 vai fazer 1 mês que perdi a Rose,ainda não superei a perda,tenho o Soneca vive atrás de mim.
    Eram 8 patinhas atrás de mim agora são 4 patinhas.
    Saúde para suas bebes.
    Beijão para você.

    ResponderExcluir
  4. Elaine, que coisa, essa recorrência da doença em seus cãezinhos.
    Se ficam em casa, como se contaminam?
    O cachorro da casa da minha mãe está também com carrapatos, usa a coleira, mas nada adianta, eles não somem de jeito nenhum! Já se fez dedetização, ele toma banho com remédios e nada!
    Mas, felizmente, não tem a doença.
    Desejo melhoras para sua pequenininha.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lúcia, bom dia
      Esse é o problema da doença: não precisa ser um monte, basta 1 carrapato infectado picar e pronto, tá feito o estrago.
      Elas não saem, mas eles entram rsrsrs
      Sabia que apenas 5% dos carrapatos de uma casa aparecem no animal? Os outros 95% estão no ambiente.
      #morri com isso rsrsrs
      beijossss

      Excluir
  5. Oi Elaine!

    Aii, que lindas suas filhotas!! Gente, tadinha da Princesa...ainda bem que já está bem! Nossa não lembrava da Menininha ter tido a febre do carrapato...tadinha dela também!
    ô bicho ruim o tal do carrapato! E não tem vacina, né? Mas acho que já tem aqueles anti-carratos (tipo frontline) agora em comprimidos se não me engano...mas acaba saindo caro...
    Que bom que você tem uma veterinária atenciosa e carinhosa, isso é super importante. Afinal tem que gostar dos nossos amores!
    Fiquei toda boba por ver meu modelito na Princesa! Muito fofa!

    beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, bom dia
      É que a Menininha teve quando era bebê, e isso foi muito antes do blog rsrsrs
      Faz uns 8 anos, eu acho, ou 7...
      O problema é que não precisa ser uma infestação de carrapato pra trazer a doença, basta 1 que esteja infectado.
      Por isso as coleiras e remédios não adiantam muito, se um picar, já era.
      E no caso da Princesa ela deve ter trazido do parto, pegou da mãe, tadinha rsrsrs

      Esses dias levei ela na praça de tarde, de roupinha. Foi um show, ela toda empinadinha, rebolando como se fosse a Anitta rsrsrsrsrs
      Vou tirar mais fotos, a de lã ficou a cara da riqueza rsrsrsrs
      beijosssss

      Excluir
  6. ownnnn que lindinhos! Eu perdi um no início desse ano! Maravilhoso post!

    ResponderExcluir
  7. Ah, Elaine... você leu meus pensamentos. Meu fiocão Kiko está passando pelo 4 tratamento desde outubro/12. Quando o adotei, tão pequeno, já veio com problemas no fígado. Cresceu forte até agora, com quase 8 anos. Tem a doença do carrapato crônica, não suporta mais o antibiótico (do Doxifin), mesmo com Omeprazol, Hepatovet, Hemolitan... nada. Estou neste momento com ele doente aos meus pés e não tenho mais o que chorar. Não tive filhos... não pude tê-los e o Kiko apareceu num momento que mais precisava de um amigo além do meu marido. Amanhã, terei que apelar para injeções de antibiótico, mas, além de extremamente doloridas, não sei se ele vencerá mais essa. As pessoas me chamam de boba... só quem tem um amigo de 4 patas sabe como são importantes em nossas vidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arlene, bom dia
      Eu entendo muito bem o que você está sentindo.
      Cada vez que um dos meus cachorros fica doente é como se eu ficasse.
      No começo do ano Menininha teve câncer, operou, foi terrível.
      Mas está bem agora, com metade das mamas rsrsrs

      Seu Kiko é um abençoado na vida. A maioria das pessoas teria desistido dele.
      Mas você cuidou, deu amor e ele está aí.
      Essa doença é maldita, não há nada que a gente possa fazer pra impedir que ela chegue.
      No caso da doença em sua forma crônica é ainda pior, eu sei...
      Mas saiba que seu Kiko sabe que você está lutando por ele.
      Fica em paz.
      Sei que nesse momento é impossível, mas tente não se abater tanto.
      Seu Kiko certamente sente sua tristeza...
      Espero que o tratamento dê certo de novo.
      Tem mantido ele com você, então há motivos pra ter esperança, né?
      Fica com Deus, querida.

      Excluir
  8. Neste momento, passo pela 4 vez desde out/12 com meu melhor amigo de 4 patas de quase 8 anos. Kiko foi adotado com problemas de saúde e esta maldita doença é crônica e mesmo medicando desde o início dos sintomas, a vet disse que nele é crônica. Não tenho mais o que chorar.

    ResponderExcluir
  9. Essa doença é muito perigosa mesmo, precisa correr logo para o Vet.
    Meu filho ganhou uma Rottw, ela tinha um mes e meio e reparamos que ela estava estranha, diferente do dia a dia, corremos no Vet. Doença do carrapato, trouxe do sangue da mãe.
    Precisou de transfusão de sangue (de um Dog Alemão). Dizíamos que ela ia crecer igual a ele rsrsr
    Depois ficamos cuidando dela. Cresceu saudável e linda.
    Precisamos conhecer bem nossos peludos, a qualquer sinal diferente ............ Vet neles.
    Que bom que está tudo bem.
    Suas flhotas são muito fofas.
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jo, ela é terrível.
      Do lado da minha casa tem uma outra menina com ela, a Lili.
      Tem que cuidar mesmo...
      beijossss

      Excluir
  10. Oi Elaine!
    Que dó, que dó, que dóóóó...
    Suas bebês são muito lindas! Estou torcendo para que sua Princesa fique bem!
    Beijocas,
    Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, ela fez exame ontem, hoje sai o resultado.
      Mas no exame clínico tá tudo ok, a vet disse que ela está curada, a anemia se foi.
      Tá terrível de novo rsrsrsrs
      beijosssss

      Excluir
  11. Oi Elaine... bom dia!
    Adorei o artigo e com certeza as informações são muito bem vindas.
    já havia ouvido falar sobre esta doença e um dos meus fez exame para diagnosticar , graças a Deus deu negativo.
    Após ler... fico me perguntando como esta sequência desta doença ocorreu com seus filhotes??? q azar gúria...
    Vou ler o link que vc indicou.
    obg pela partilha!
    Desejo muita saúde aos seus e a você.

    BJS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elisiane, bom dia
      A sequela ficou só na Menininha. Ela teve há uns 7 anos, e de lá pra cá muita coisa evoluiu.
      Naquela época o tratamento estava menos avançado e como ela foi adotada da rua eu suspeito que adquiriu a doença da mãe, daí ter sido tão grave.
      Mas hoje em dia tá ótima, a coisa mais gorda e fofa da minha vida rsrsrsr
      beijossss

      Excluir
  12. Oiê, voltei!
    O assunto agora não é o do post...pode responder só quando tiver um tempinho!
    Tentei levar seu selo para o meu blog mas descobri que não sei como fazer (burrinha, eu sei! kkk). Coloquei o que achei que apareceria como título (Blog personalizado por... ), cliquei para adicionar e aí apareceu que aconteceu um erro.
    Não tenho idéia do que fazer!
    Beijinhos e não deixe de nos dar notícias d Princesa, tá?!
    Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, basta clicar em Adicionar ao meu blog e será automático.
      Salve, e depois troque o título caso queira.
      beijossss

      Excluir
  13. Sempre tive cães quando pequena e depois e até agora tenho gatos. Mas há um mês adotei uma cãezinha aqui no CCZ de São Paulo que amo muito.
    E neste blog lendo as msg nunca vi gente tão carinhosa com cães. Acreditem! Todos são abençoados com donos amorosos e dou os parabéns! Com relação à doença do carrapato, tem a ver com terrenos baldios mau cuidados e seus cavalos e vacas idem. Estes bichos entram em nossos quintais andam pelos muros e fazem estragos.
    Portanto, mantenham os bichos com frontline ou equivalente de boa qualidade, sempre! Não esperem fazer trinta dias, coloquem antes e consultem o veterinário para confirmar se estou falando bobagens.
    E façam vassoura de fogo nos muros, pois em determinadas epocas do ano eles costumam se procriar e invadir tudo! Fica a dica do lugar que já trabalhei e onde eles mantém o controle mesmo sendo um centro de controle de zoonoses! E não se esqueçam, quando compramos animais, as mães destes bebês podem estar em locais horrorosos e pode ser transmitidos a todos outros bichos (irmãos) tb.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elaine, graças à Deus por aqui sempre comentam pessoas que se identificam conosco no amor aos peludos.
      A dica do cuidado com os muros é boa, tem época que é mesmo de maior incidência.
      beijoaaaa

      Excluir
  14. Boa tarde Elaine, muito útil e especial esta postagem, depois que vim morar na chácara, tive muitos problemas com os carrapatos, por mais que a gente reclame, a vigilância sanitária não resolve. As pessoas largam o gado, que fica andando por todo lado, com carrapatos do tamanho de azeitonas grudados no corpo do animal, assim vão deixando cair em toda parte, como o terreno de cima é abandonado, os nosso animais trazem para casa, ou nós mesmos somos atacados.
    Tenho um cachorro de 13 anos que tratei, quando pequeno e está bem. Eu tenho alergia, já passei vários apuros, porque passo a pé por lugar que é muito infestado por essa praga.
    Parabéns pelos amiguinhos tão lindos que tem e pelo carinho com que os trata. São realmente muito fiéis e a melhor companhia para nós.
    Postagem muito útil e oportuna, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Teresa, embora aqui seja cidade é perto de uma mata, bem em frente.
      Então não tem como evitar, até tucano tem, que dirá carrapato rsrsrsr
      beijossss

      Excluir
  15. Olá Elaine! Adorei todos, mas me apaixonei pela Brisa,ela parece a minha Véia.A minha Véia já fez 16 anos,já teve cançer de mama, fez quimiterapia e quase morreu da quimio,mas isto foi a 5 anos e ela está muito bem agora.Boa sorte para a Princesa, ela é muito fofa.Lambidas a todos.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brisa foi a única que não foi resgatada da rua rsrsr
      Ela é filha da cachorrinha da minha irmã; ganhou o nome de Brisa porque é calminha, quieta que só.
      Minha raposinha rrsrsrsr
      beijossss

      Excluir
  16. Elaine achei muito importante seu post, aliás tudo que vc escreve é muito importante na minha opinião, sem contar o tamanho da generosidade. Bom mas por falar nas criancinhas de 4 patinhas, menina eu fiquei tão assustada com isso. Como é isso, é o bichinho carrapato que se prende no cãozinho??
    Já ouvi falar uma vez que o cão que é mordido pelo carrapato estrela morre em poucas horas, e veneno dele é tão forte que cai atrofiando e ele vai perdendo todos os movimentos até atingir o coração e morrer. Fiquei assustada de ver que todos os seus pequenos foram acometidos da doença, vc mora perto de mata ou lugar que tenha muitos cavalos? Porque dizem que sempre em lugares onde tem mato e tb cavalos é que há uma proliferação de carrapatos.
    Bem espero que a sua pequena princesa esteja se recuperando bem.
    bjos e fique com Deus,
    Marlene

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marlene, não é verdade que se o cachorro for mordido ele morre.
      Esse carrapato estrela é muito comum por aqui. Tem época que dá de monte, mas a mordida não é fatal de jeito nenhum.
      Essa doença é transmitida pelo carrapato marrom, aqueles maiores.
      Sim, em frente minha casa tem mata, e aqui é cidade do interior, sempre tem mato por perto.
      Princesa está melhor, o exame indicou que a anemia sarou, falta só estabilizar as plaquetas.
      beijossss

      Excluir
  17. Elaine, que lindos seus peludos!!!
    AMO cães!!
    Quando lí seu relato logo lembrei da papinha milagrosa, que colaborou para salvar um cãozinho da minha mãe que estava com Erliquia e tb 2 cães de uma prima.
    A receita é a seguinte:
    Fígado de boi – 200 g

    Coração de boi – 200 g

    Músculo de boi – 200 g

    Inhame grande – 1 unidade

    Beterraba média – 1/2 unidade

    Cenoura média – 1 unidade


    Cozinhar com uma pitada de sal e bater no liquidificador até chegar na consistência de purê.

    Dê para o cão nos horários de refeição.
    Você pode congelar as porções.

    Essa receita foi elaborada por um médico imunologista de humanos, para os cães da filha e tem ajudado na recuperação de vários cãezinhos. Coloca papinha milagrosa no google e você vai ver.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rê, eu já tinha ouvido falar.
      Tem tudo que é bom pra anemia, por isso faz bem, já que a doença causa anemia forte.
      é ruim de fazer mas faz bem, né?
      beijossss

      Excluir
  18. Elaine eu perdi o meu Touchê (cocker) com esta doença maldita.
    Ee não resistiu pois tinha 14 anos. Não gosto nem de lembrar.
    Beijinhos e bom fim de semana...

    ResponderExcluir
  19. Eu perdi a Cristal há 5 anos com essa maldita doença, e agora atacou a Dóris...já chorei muito...ela está bem debilitada, o problema são as plaquetas que estão muito baixas, ela está tendo micro hemorragias nos olhos e no corpo....a veterinária está tratando ela com doxiciclina e depois de 3 dias internada trouxe ela pra casa, estou dando papinha de seringa....me assusto muito porque ela está com as gengivas e o olho bem amarelos....mas tenho pedido a Deus para curar essa bichinha...como a gente sofre por eles!!! Gostaria de saber quanto de papinha devo dar a ela, será que 10ml a cada vez já ajuda? tenho medo de forçar mais e ela vomitar....

    ResponderExcluir
  20. Oi, Elaine!
    Estava pesquisando sobre a doença do carrapato e caí no seu blogue :)
    Meu Otto está em tratamento e tomou remédio por 21 dias, fez hemograma e a doença não foi embora. Começo tratamento com Doxiciclin hoje e tomará por 25 dias, além de ter tomado uma injeção de cortisona que será repetida daqui sete dias. Ainda bem que não está com anemia, mas eu estou com o coração na mão :(
    Bacana você ter feito um post sobre a doença!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luma, essa doença é terrível mas Menininha teve e conseguimos cura-la, Princesa também.
      Se fizer o tratamento certinho as chances são muito altas.
      Doxiclina é poderosa, vai dar certo!
      beijosss

      Excluir
  21. Ola Elaine.
    Primeiramente gostaria de agradecer pelo seu blog, me tranqulizou um pouco neste momento difícil que estou passando com meu Billy. Ele é um Scottish terrier de 3 anos e há 4 dias começou a ficar bem jururu, sem apetite, só dormia.
    Apos alguns exames foi detectado baixo nível de plaquetas e já comecei o tratamento com doxiclina há 2 dias.
    Rezo todas as noites para que ele melhore mas nesses 4 dias ele não tem comido absolutamente nada, isso me preocupa mto.
    Hj tentei dar comida pra ele com seringa mas é bem complicado, apesar dele ser mto calmo e bonzinho, ele não gosta nada de comer forçadamente tanto que só tentei dar 2 seringas de 5ml e deixei ele descansar.
    Vc tem alguma dica para que eu consiga alimentar ele de uma forma mais tranquila?
    E sabe ne dizer em quanto tempo de tratamento seus cachorros voltaram a se alimentar por vontade própria?
    Abraços!
    Renan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renan, varia muito de caso para caso.
      A Princesa voltou a comer depois de mais ou menos uma semana.
      Ela viveu nessse tempo à base de soro caseiro e o suplemento de ferro, isso é importante.
      Também dava caldo de carne na seringa, de 30 em 30 minutos, 5 ml.
      Mas deu tudo certo.

      No final do ano passado o filhote que eu adotei, o Bloguinho, também teve, provavelmente nasceu com a doença.
      Notei a apatia dele, a febre, corri na vet, fez exames, deu a doença.
      Mas no dia seguinte ele já estava comendo, foi muito rápido porque percebi tipo no primeiro dia, sabe?
      E ele é bem filhote.
      Está completamente bom.

      Minha irmã, também ano passado, salvou a cachorra dela, a Tetê,
      Ela é idosinha, tem mais de 12 anos, e pegou a doença.
      Ficou sem comer por quase um mês, eu mesma achei que não viveria mas ela venceu.
      Então, é sim possível.

      A dica é: doxiciclina pelo tempo recomendado, sem falhar, suplemento de ferro, soro pra evitar desidratação e caldo de carne e fígado conforme ele aceitar.
      Vai dar certo, tenho certeza!
      Espero que ele fique bom logo!
      beijossss

      Excluir
  22. Oi, meu caos eu ja estou corando faz dias, meu Totó esta internado desde segunda feira, ele começou a passar mal com vômitos e diarreia no sabado, domingo a diarreia cortou mas o vomito continuou e baqueou bastante, na segunda ele ja nao levantava e chamei a veterinária. Lá ele tomou 2 litros e meio de soro, medicou e mandou ele vir dormir em casa, durante a noite vomitou sangue, terça pela manhã ela veio buscar, continuou coma medicação e descobriu com o resultado dos exames que era a febre do carrapato, mandou ele dormir em casa medicado, mas no começo da noite deu convulsão ele voltou e esta la até hoje quarta feira. Ela me disse que irá tentar hoje transfusão de sangue. Não sei mais o que devo fazer, se ainda vale a pena ou se é melhor deixar ele partir. Pois ele esta sofrendo muito e meu coração corta só de ver ele assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que difícil, né?
      Quando chega no ponto da transfusão de sangue é porque a doença avançou muito.
      Infelizmente, com isso, as chances diminuem, e é mesmo uma coisa muito triste.
      Converse com sua veterinária.
      A gente reluta muito em deixar o bichinho partir, eu passei isso ano passado com a Brisa, ela teve câncer e eu custei aceitar.
      No fim precisamos fazer a eutanásia, e foi muito sofrido, mas hoje penso que deveria ter feito antes, é muito sofrimento...

      Repito: converse com sua vet, peça pra ela ser franca.
      Se houver uma chance, vale a pena.
      Minha irmã conseguiu salvar uma cachorra dela, já velhinha, e estava bem ruim mesmo.
      Mas ela conseguiu, então, se houver uma chance, vale a pena...
      E se não tiver jeito despeça-se dele com o coração em paz porque tenho certeza que ele foi amado e teve uma boa vida contigo.
      Sobretudo, fica em paz.
      beijossss

      Excluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…