Minha tia Bia

em 28 de julho de 2013

 
Algumas vezes contei aqui que minha mãe tem 6 irmãs. Sim, eu tenho 6 tias, sendo que minha mãe é a penúltima filha da família de tantas meninas.

Minha tia mais velha se chama Maria. Mas todo mundo, desde quando ela era menina, a chama de Bia. Tia Bia.
Italiana nos gestos, na voz, na maneira de expressar os sentimentos, mulher grande, forte ao extremo. Minha mãe diz que eu pareço com ela...

Minha tia Bia teve 10 filhos.
Meu primo mais velho tem hoje 75 anos, mais velho que minha mãe.
Ela já é tataravó (é assim que se chama quem tem neto, bisneto e o bisneto tem filho?).

São algumas gerações, e pasme! Tem criança que mora com ela, uma das bisnetas teve bebê, o pai botou pra fora de casa e a bisa acolheu.
Dos 10 filhos 8 estão vivos.
E é disso que quero falar.

Há mais de 25 anos nossa família estava se preparando para uma festa. Uma não, duas na verdade. Aconteceu de 2 primas minhas, filhas uma da tia Bia e a outra da tia Elza marcarem casamento para o mesmo sábado.
A família iria num casamento de dia e no outro de noite. Dia cheio... roupa nova, uma alegria.

Na sexta-feira um dos irmãos da noiva filha da tia Bia pediu pra sair mais cedo do trabalho; era dele a responsabilidade de temperar as batatinhas curtidas do casamento.
Tratorista numa fazenda, ele terminou o trabalho e como última tarefa do dia foi engatar um tambor na traseira do trator.

Acidente é coisa que dificilmente alguém explica com clareza, né?
O fato é que o tambor destravou, puxou o trator e esse passou por cima do peito do meu primo.
Ele morreu ainda na roça, nem deu tempo de socorrer.
Tinha 22 anos e uma filhinha de 2 meses.
Não fomos a casamento algum.

A irmã dele casou, sozinha ela e o noivo, e o padre. Em lágrimas, coisa mais triste desse mundo.
Do casamento da outra prima eu nunca soube direito como foi...
Nenhum dos dois perdurou, curiosamente...

Minha tia suportou a perda do filho. Suportou ver a netinha ser criada por uma mãe maluca, que na semana seguinte ao velório estava no forró bem maquiada, de calça vermelha como dizem até hoje minhas tias.
Minha tia chora até hoje quando fala no Ocimar, seu menino...

Há cerca de 10 anos ela perdeu outro filho. Desta vez para o alcoolismo.
Renato, ou Nanato como a gente chamava, era daqueles homens duros, sofridos, calados. Morreu de tanto beber, a coisa mais triste dessse mundo.
Morreu na casa da mãe, minha tia já velhinha, beirando os 80 anos, e o filho definhando e morrendo ao lado dela.
Minha tia suportou.

Francamente eu não sei como.
Eu, aquela que desmorona quando um cachorro adoece e morre... não me entra na cabeça como uma mãe pode sobreviver à morte de 2 filhos.

Há uns meses eu a vi numa festa de aniversário em casa de minha irmã.
Riso fácil, cabelos cheios, cacheados, do mesmo jeito que eu lembro sempre.
Mas sabe a sombra que às vezes acompanha um olhar sofrido?
Estava lá. Misturada ao riso, estava lá.
Estavam lá algumas filhas, já de cabelos brancos, alguns netos, alguns bisnetos.
A bisneta com o filhinho...
Uma familia em torno dela.
Fiquei olhando... pensando em tudo o que ela passou, no marido terrível que teve, que impediu os filhos mais velhos de estudarem, que surrava os primos, que jogava comida no chão para que ninguém comesse, que cuspia nela.
E que ela tratou até morrer...

Quando eu era pequena, numa fase dura e muito difícil de minha casa, ela fazia compras de mês para nós.
Lembro de ir ao supermercado com meu pai e ela pagar a compra. Lembro da bandeja de iogurte que ela insistia em comprar. Eu devia ter uns 5 anos, final dos anos 70. Lembro claramente.

Quando meu pai ficava sem ter trabalho muitas vezes ela nos salvou de passar fome.
Era a única das irmãs de minha mãe que enfrentava meu pai de igual pra igual, cara a cara, falava mais grosso que ele... nos defendia...

Enquanto escrevo isso nem preciso dizer o quanto as lembranças voltam, e com elas as lágrimas...

 Ela, no meio. À esquerda minha tia Teresinha, e à direita minha mãe. Faltam 4 nessa foto...

Minha tia Bia, Maria como tantas outras... Sempre a mulher grandona, forte...
Hoje em dia ela parece menor do que em minhas lembranças... É que na verdade não foi ela que diminuiu... eu é que cresci. E de certo modo ainda estou crescendo.
Quem dera eu cresça o bastante para ter diante da vida a mesma resiliência dela, a mesma força, a mesma coragem.


Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

22 comentários , comente também!

  1. Muita tristeza nessa história. Mas é a vida, fazer o que?
    Você é muito parecida com sua mãe.
    Boa semana.
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
  2. ´´OLA ELAINE,TUDO BEM?QUE HISTORIA BONITA DE LUTA.PARABENS PARA SUA TIA BI.BEIJOS.´´

    ResponderExcluir
  3. Sabe..... Acho que é um pouco de abuso, mas pode dar um abraço bem forte, na sua tia Bia?....Gostaria de ter, tido uma tia assim..... Feliz é você, por ter uma criatura tão especial..... Abraços milllll

    ResponderExcluir
  4. Nossa Elaine que tia maravilhosa! Que exemplo de vida!
    Eu peço a Deus que dê a ela muita saúde e paz.
    Beijinhos sempre...

    ResponderExcluir
  5. Elaine, você pode se parecer com ela na força, no tamanho. Mas de rosto, parece-se muito com sua mãe.
    Sua Tia Bia tem mesmo no rosto a expressão de força, bondade, gentileza. Parece que as irmãs são muito unidas, o que é bom.
    Dizem que Deus não nos dá mais do que podemos suportar, né? Por isso ela aguentou as perdas.
    Para mim, também, algumas coisas são inexplicáveis.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Oi Elaine,
    Nossa que história, essa tia tão forte que deve representar muito para toda a família, que exemplo de mulher.
    Uma mulher de muitas batalhas, sobrevivente.Parabéns a ela pela força e coragem!
    Um chero!
    Káren

    ResponderExcluir
  7. Sua tia Bia é uma guerreia;que Deus a abençoe...grande abraço Elaine!

    ResponderExcluir
  8. Elaine
    Suas lágrimas poderão ser de alegria por ter uma tia tão
    maravilhosa e representativa na sua vida!
    Que a força e coragem da Doa Bia tenha reflexo na sua vida Elaine
    bjs Zizi Santos

    ResponderExcluir
  9. me emocionei lendo sobre ela,até parece que ja conheço. parabens pela tia que tú tens

    ResponderExcluir
  10. Eta família "porreta" esta sua, hem? A começar por você!Te gosto muito!
    Beijo
    Regina

    ResponderExcluir
  11. Tb me emocionei! Com certeza, uma pessoa muito especial. Me lembrou minha avó paterna, sempre presente, sempre forte, morreu aos 87 anos. Bjs e que sua semana seja muito especial! E que sua tia esteja sempre presente em seus momentos mais difíceis, pois ela te transmite força. bjs

    ResponderExcluir
  12. Que exemplo lindo você tem em sua família. Me emocionou.
    Precisamos de mais Marias assim...
    bjkas querida.
    Beta

    ResponderExcluir
  13. Elaine,

    Obrigada por nos relatar história tão comovente! Um exemplo, uma inspiração.

    Beijos,

    Eneida

    ResponderExcluir
  14. Oi Elaine!
    Que história linda! Quanta força, quanta luz...e que olhar doce!
    Beijos em você e nessa sua família fofa!
    Cris

    ResponderExcluir
  15. Olá Elaine, estou precisando muito da sua ajuda, tenho um blog que se chama Mocinha Prendada o endereço é casinhadajessica.blogspot.com, porém de um tempo pra cá minhas postagens não atualizam, semana passada segui os seus passos pra resolver o problema e atualizou e então exclui o feed de seguir por e-mail, porém toda vez que posto dá o mesmo problema, o blog não atualiza na lista de seguidores... estou chateada com tudo isso e não sei o que fazer, por favor me ajuda!

    bjus

    ResponderExcluir
  16. Puxa, Elaine, nós(eu e vc) somos felizardas por termos tido tias que marcaram nossas vidas com coisas boas.
    Há pouco perdi minha querida tia Maisa que não teve uma vida, dura, como sua tia Bia, mas que foi importantíssima na minha vida.

    ResponderExcluir
  17. Uma história linda, Elaine. Uma mulher forte, mas fico me perguntando qual é o preço que a vida cobra para essa força. O preço das perdas, dos enfrentamentos, dos cansaços que como disse, um dia vem como sombra nos olhos...tenho orgulho de pessoas assim, mas me pergunto porque a vida é tão duro com alguns de bom e generoso coração que merecem um pouco de alento. Um abraço!

    ResponderExcluir
  18. Oi Elaine!

    Ah, talvez seja daí que vem a sua "resiliência"...Pelo visto você tem a quem puxar, como sua mãe mesmo disse. Pessoas assim como ela (e você) sempre encontram uma força, uma luz lá no fundinho de tudo para ressurgir e seguir com a vida apesar de todos os percalços. São pessoas que dão valor à vida, ao amor, às pessoas e sempre encontram um motivo para sorrir!

    Beijos pra você e prá tia Bia!

    Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
  19. Ah, Elaine...

    Não posso ler essas histórias de família que as lágrimas me vem aos olhos !!!

    Apesar de toda luta, é uma história tão rica, tão cheia de amor!!

    Adorei ainda mais a foto, parece minhas tias !!! (é que nóis é gêmula né ?? rsrs)

    Bjus 1000 minha nega !!! E ó o post de sorteio que vc fez, me encheu de alegria, só vc prá ter tanto zelo com seus amigos (ó eu ?? me considerando amiga, mas se somos gemulas podemos ser amigas também ué ?? rsrs)

    Amo-te !!!

    ResponderExcluir
  20. Vc e suas memórias... adoro qdo escreve sobre a sua família...
    Já pensou em um livro de memórias? Ia vender horrores...
    Vc é forte amiga... não imagina a força q tem dentro de si... Só de suportar a doença do teu marido, o q não é pouco... não é para muitas...
    Sua tia suportou a morte dos filhos pq é parte da missão dela e ela é mãe...
    Assim como vc q é mãe de quatro patas...
    Minha mãe era meio índia sabe? ao morrer ainda tinha cabelos pretos e poucos fios brancos... cabelo fininho e lisinho, nada parava no cabelo dela... (sinto mtas saudades dela)...E a sua mãe tem cabelos pretos ainda... Gracinha...
    Amiga... a vida tb é feita de dores e de alegrias... queríamoos q fosse feita apenas de alegrias, mas então não teria graça...
    Gosto demais de vc!!!
    Fica com Deus!

    bjo no core!!!

    ResponderExcluir
  21. Post lindo, Elaine, desde o título que, aliás, me atraiu.
    Adorei a foto das irmãs ;)

    ResponderExcluir
  22. Amei a sua tia. Conheço alguns exemplos de mulheres parecidas.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…