Como lidar com a ideia de uma doença incurável?

em 5 de abril de 2013

É muito estranho lidar com a ideia de uma doença incurável.
Por hábito, e também um pouco, creio eu, pela nossa forte tendência em sempre buscar estar bem, a ideia de tomar remédio para sempre e jamais estar curado é algo que demora entrar em nossa cabeça.

Eu sei, eu tenho visto e vivido isso desde que o meu marido foi diagnosticado com Esclerose múltipla.
Conforme expliquei nesse post aqui (leia para entender) trata-se de uma doença incurável até então, onde além de não curar a medicação que é usada (uma das melhores do mundo, o Brasil é referência no tratamento da doença) não impede novos surtos.

Isso é muito complicado para o cérebro aceitar: a gente está acostumado a ficar doente, tomar o remédio ou fazer o tratamento e sarar.
Tomar remédio a vida toda e jamais sarar é algo difícil demais de assimilar.
Você está me entendendo?

Dia sim dia não meu marido toma uma injeção. Nesses 2 meses a barriga dele está toda marcada, os braços começam a ficar.
É uma vermelhidão que não passa, sem contar os muitos efeitos colaterais. Há dias em que ele fica rebelde, é muito difícil isso de tomar injeção o tempo todo... a vida toda...
Aliados à esses efeitos há ainda os sintomas da própria doença,que ao contrário que eu imaginei, não desaparecem com a medicação.
Fadiga extrema, rigidez nos movimentos, alterações de humor, instabilidade no caminhar, e mais um monte de coisas. E claro, a permanente espada sobre a cabeça: um novo surto pode acontecer de um minuto para o outro. E afetar áreas como fala, visão, cognição... afetar ainda mais...

Isso tudo é muito angustiante, muito aflitivo.
Presto atenção nele o tempo todo, de noite eu acordo e fico olhando pra ele, sentindo medo por ele, sentindo pena, sentindo amor... tudo junto, tudo misturado...


De vez em quando recebo emails de pessoas me perguntando por que não falo mais sobre isso aqui no blog, por que não falo como ele está indo, como é o dia a dia, etc.
Não falo porque não quero focar nisso, quero levar a vida do modo mais normal possível.
Claro que não é mais como antes, claro que há limitações que vamos descobrindo dia após dia.
Mas ainda assim temos que buscar a normalidade possível.

E sabe?
De um jeito louco e inesperado tem sido melhor do que imaginei no começo.
A gente é muito adaptável, né?
Sempre achamos um modo de nos ajustar às situações, e sobreviver e de seguir do melhor modo possível.


Dia 09/04 vamos ao HC para uma bateria de exames, pra checar como o cérebro dele está, saber a quantas anda a evolução da esclerose, etc.
Eu fico toda preocupada, nem durmo direito, e quando durmo tenho sonhos estranhos...
Ele?
Todo animadinho porque vai passear, vai rever os amigos que fez, vai confirmar (sim, confirmar, tamanha a certeza que ele tem) que não há surto algum em andamento.
Tem como não amar?

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

53 comentários , comente também!

  1. Querida,
    que barra, né?!
    Mas te ver falando sobre isso já me deixa mais tranquila. Ver que você(s) está conseguindo seguir, se adaptar, ENFRENTAR...
    Também imagino a dificuldade com os remédios. Mas pense que é como escovar os dentes...não dói, eu sei, mas é pro resto da vida!
    E conte com a gente aqui do outro lado, tá?! Sempre!
    Beijinhos e força na peruca!!!
    Cris

    ResponderExcluir
  2. Você lembra Elaine quando te ofereci ajuda caso precisasse?
    Lembra que comentei de um casal de médicos amigos que poderiam ajudar?
    Então...
    Acredite se quiser. Ela, a médica sobre a qual te falei, amiga da minha cunhada, tem esclerose múltipla.
    Eu não sabia, minha cunhada me contou.
    Ela vive uma vida normal e nos momentos que sente algo errado, se interna, trata e volta à sua rotina.
    Ela tem dois empregos e é uma excelente médica, nossa médica de confiança.
    Seu marido também terá vida normal minha amiga e será muito feliz ao seu lado!
    Ele é muito otimista e isso fará toda a diferença nessa história!
    Beijo grande, sejam muito felizes!

    ResponderExcluir
  3. Nossa Elaine, conforme fui lendo ia pensando: E ele, como está reagindo a tudo isso??? Até que cheguei ao fim da postagem...amei!!! Abração para os dois!!!

    ResponderExcluir
  4. Que bom que ele tem essa cabeça boa assim. Que ele permaneça acreditando .Isso é muito importante. Vamos rezando e pedindo!

    Tudo de bom nos exames,tá? beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Lidar com a situação é difícil e adoece também nossa alma.
    Por mais que o coração queira uma coisa a mente da gente vive em conflito com bons e maus pensamentos.
    É muito angustiante !
    Falar sobre isso é viver dentro da normalidade que a vida te permite hoje.
    O amor supera tudo ♥
    Bjins e bom final de semana pra vocês !

    ResponderExcluir
  6. querida Elaine, o ser humano é adaptável às circunstâncias na medida em que confia que tudo não acaba aqui...Somos blindados para não pensar a finitude da nossa vida, quando acontece no nosso "jardim" pensamos coisas mil: podar? regar?destruir? tudo junto e misturado comovocê bem diz, mas uma força maior nos mostra o caminho e este que voces estão percorrendo é exatamente aquele que deveria ser percorrido, Deus nunca nos dá um fardo que não possamos suportar ou carregar. Que esta caminhada seja coroada pela força da Esperança, pela certeza da Vitória no mundo que Jesus nos mostra a cada dia. A tribulação, o sofrimento é uma dádiva que nem todos podem absorver e transformar em energia de Amor,vocês estão conseguindo . Que Deus os abençôe nesta jornada. Boa semana . Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Como eu te entendo,Deus lhe de a força necessária pois amor já tens bjos!

    ResponderExcluir
  8. Não posso e nem quero imaginar, tamanho medo que me causa, ter que enfrentar uma doença assim. então, só tenho uma coisa a dizer: BEIJA MUITOOOOOOO! Beija mais do que nunca, com mais gosto, com mais paixão! Te adoro!

    ResponderExcluir
  9. Oi Elaine,

    Força querida, não perca a esperança nunca.
    Viva um dia de cada vez.
    Boa Sorte com os exames
    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Seu marido é muito otimista e isso é bom.Seu relato mostrou mais uma vez a pessoa maravilhosa que você é.Você,com seu carinho,seu amor,esta ajudando ele a encarar a doença e a se animar e ter a certeza de que tudo está bem.Beijos.Lenira

    ResponderExcluir
  11. Com fé ele mesmo fazendo tratamento para o resto da vida ele vai ter um vida normal...força ...coragem ...Deus vai te dar forças.Beijos

    ResponderExcluir
  12. sabe Elaine,desculpe esse caso é tão delicado que só posso é pedir a Deus que te ,animo,coragem capacidade,força pra conseguir ajudar seu marido.força menina.
    fique com Deus,e um beijo no seu coração...

    ResponderExcluir
  13. Oi Elaine, é muito dificil esta situação, vivo semelhante em forma diferente.Como você sabe meu marido passou pelo terceiro problema grave de saúde e ainda não pôde voltar ao trabalho e nem sabemos se poderá.Depois que sentimos na pele que eles são de carne e osso e que são frágeis e não as pessoas fortes que estarão aqui o tempo todo, é impossível relaxar e acreditar que nada acontecerá com eles.Eles por outro lado levam com naturalidade enquanto nos descabelamos com um leve soluço deles que saia um ruído diferente, rsrs.Meu marido também tem vivenciado esta mudança brusca de humor e por dias fica animado em outros acha que somos todos contra ele.Tenha força minha querida, porque fé eu sei que você tem, e tudo se ajeitará à seu modo.Que Deus abençoe e proteja sua casa e este casal tão lindo.Beijos no seu coração.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Elaine. Seus depoimentos são muito bons para alertar sobre a doença e ajudar outras pessoas a encará-la com a mesma atitudes sua, de amor acima de tudo. Eu admiro os dois por isso...buscar viver uma vida normal apesar de é o melhor jeito de tornar a rotina o mais leve possível para ambos. Torço para que passem por tudo isso da maneira mais suave.
    Terminei de ler o livro que me mandou (Não conte a ninguém), um policial com trama bem armada e o melhor, final feliz. :) Mais uma vez, obrigada!

    Um abraço, ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  15. Acho que você respondeu à pergunta que lhe fiz por email hoje...
    É interessante a nossa capacidade de adaptação, né?
    Mas creio também que Deus tem estado com você, te fortalecido.
    E vai continuar...
    Sua vida toca muito a nossa, suas histórias falam muito com os seus leitores.
    Obrigada mais uma vez por compartilhar.
    E, como já disse antes, vocês estão nas minhas orações.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Embora seja dificílimo, gostei de ler que você está se adaptando aos poucos à nova rotina. Tenho uma comadre que o marido tinha Doença de Parkinson e ela ficou uns 30 anos cuidando dele, com sintomas parecidos com os do Erdilan.
    Nós fazíamos o possível para dar a ele um conforto, um carinho diário maior ainda, levando para passear, mesmo depois que ele ficou em cadeira de rodas. Foi muito difícil, mas ele teve todos em volta dele.
    E você está se desdobrando para fazer tudo isso. Tem muito amor na história.
    De alguma maneira vocês estão vencendo. E a vida é um dia de cada vez, não é?
    Queria eu poder estar por perto para ajudar em alguma coisa que pudesse. Mesmo longe, peço a Deus que dê muita saúde, paciência e alegria para a vida de vocês. E Ele ouve, tenho certeza.
    Você é guerreira e isso ajuda demais.
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
  17. Seu marido é incrível Elaine, tenho a maior simpatia do mundo por ele e não é de hoje, desde aqueles posts sobre as manias dele... Vocês são um casal que sabe se complementar. Deve ser barra mesmo viver isso, mas vez em quando da notícia a gente vice. E sim, as vezes acho que tua sensatez, força e fragilidade no enfrentamento desse momento no final das contas vai acabar ajudando alguém que está passando por algo assim... e vai cedo ou tarde chegar por aqui.

    Cheros Nega! Boa Sorte!!!

    ResponderExcluir
  18. Vivo situação semelhante - marido tem Parkinson - até os sintomas se parecem. Temos que ter coragem, enfrentar com bom humor possível e não esmorecer. Vamos em frente!!
    Grande abraço!
    Bom final de semana!
    Sonia

    ResponderExcluir
  19. Elaine, Deus nao da fardo pesado pra ombros leves.
    Muita força!
    Bjao

    ResponderExcluir
  20. Olá minha querida Elaine!
    Já li e reli muitas vezes essa postagem. Fui interompida no meio de uma comentário e agora no meio da madrugada (não queria deixar de comentar), ainda assim sou interrompida pelas filhas... Está difícil,rsrsr
    Querida ninguém pode escolher aquilo que vai passar na vida, mas a forma de encarar é opção sim. O maridão aí, mesmo com altos e baixos, já fez a opção:cultivar amizades novas, passear (mesmo que seja por motivo de ter que ir em busca do tratamento...). O mundo pode ser colorido, embaçado, preto e branco, não importa com que cor ele se apresente, sempre nos restará os outros sentidos que poderão dar o sabor, o perfume, a percepção ao toque suave da brisa ou o afago de mãos queridas e ainda a maravilha do som que ecoa em um "eu te amo" que mesmo dito pelos lábios, brota no coração. Assim minha linda, é possível sim lidar com tudo que parece intrasponível, pois o amor tem poderes sem fim e é capaz de sacudir ou aquietar o coração conforme a necessidade que se apresente, tudo isso porque no amor está a essência de Deus.
    Paz e bem, sal e luz pra vcs dois. Bjks no coração

    ResponderExcluir
  21. Já é uma vitória vcs conseguirem enfrentar o dia a dia...... e só pelo seu jeito de falar, posso ver que seu marido tem uma grande companheira ao lado dele.
    Que tudo esteja bem e saia bem nos exames. E que vcs tenham muitos anos juntos pela frente.
    bjs
    Sônia

    ResponderExcluir
  22. Querida Elaine,

    Estou escrevendo para dizer que a admiração que sinto por você é imensa, depois que sua postagem. Estou passando por uma situação semelhante à sua, embora a doença seja diferente, mas me senti num espelho lendo o que você escreveu. Meu marido teve um AVC há dois meses e em muitas situações que você descreveu, eu me encaixo. Mas quero falar da minha admiração por você e da ajuda que seu texto me prestou. Sua força, sua coragem, sua serenidade acalentaram meu espírito. Obrigada por suas palavras, amiga. E só posso repetir as palavras de uma pessoa maravilhosa que me ajudou muito a passar pelos piores momentos, Lia Ágio do blog O Tacho da Pepa: "Tamo longe, mas tamo junto". Vou compartilhar com você minhas preces e minha solidariedade.
    Obrigada, mais uma vez e um grande beijo

    Eneida

    ResponderExcluir
  23. Sei como é, e como sei...
    Beijo e força. Só Deus...

    ResponderExcluir
  24. Não, não tem como não amar, independente de qualquer situação. Ame mesmo, Elaine,e viva intensamente todos os momentos que puder com e ao lado do seu esposo.
    Eu, aqui na minha fé, que pode parecer pequenininha, em alguns momentos, continuo acreditando que Deus pode fazer um milagre....
    Posso perceber que você está preocupada, cansada, sofrendo por ver todo o sofrimento do seu esposo, mas também cheia de amor, e isso pode mudar qualquer situação..
    Que o Senhor os abençoe, e que os exames sejam animadores, em nome de Jesus!

    Bjsss

    ResponderExcluir
  25. Descobrir que temos uma doença incurável é uma situação muito difícil. Num primeiro momento vem a raiva, os questionamentos, a tristeza; num segundo, a conformidade, a abertura do coração para receber todo amor das pessoas que nos cercam e a incrível visão da vida que está a nossa frente.
    Fé e força.
    Bjoks

    ResponderExcluir
  26. Gosto de acompanhar as noticias da sua vida,
    talvez a sua vida já faça parte da minha vida.
    Te amo em Cristo Jesus.
    Um beijão...

    ResponderExcluir
  27. È essa força que eu admiro em si.
    Eu perante isso já tinha caído de quatro,refilado e de mal com o mundo, mas você encarou e juntos estao a conseguir encontrar formas de viver esta nova vida.
    Só lhes posso desejar muita,muita forca e amor para que a dor seja mais suportavel.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  28. Elaine, sei quando vc fala das medicações da irritabilidade que a pessoa fica, minha filha tem 12 anos tem diabetes a 3 anos e ela tem que tomar isulina 3 x ao dia e fazer glicemia pelo menos uma por dia, ela tem dia que tbm fica rebelde e se perguntando pq com ela, mais eu penso que Deus da o frio conforme o cobertor nada do que não possamos suportar e nos adaptar. Muita força para vc e seu marido e com certeza vai da tudo certo nos exames, só noticias maravilhosas, por favor quando sair os resultados nos informe. DEUS ESTA NO COMANDO SEMPRE!

    Um forte abraço!

    Luciene Dias

    ResponderExcluir
  29. Nani, estou aqui emocionada...
    No outro post não consegui nem comentar.
    Quer dizer que Deus está com vocês, senão não teriam tanta força.
    Bjs...

    ResponderExcluir
  30. Oi querida força,muita força,é uma cruz pesada,mas não mais do que os ombros possam carregar.Muita fé,E bem agarradinhos a Deus, com muito,muito carinho e amor.
    Também tenho meu maridim bem doentinho,com uma doença que não tem cura,no nosso caso é a fibromielgia,que nos mantem na luta,constante.e você relatando os sintomas da esclerose ,parecem tão parecidos,ele (meu querido)sente dor constante e as vezes com picos de dor ainda maiores,e mudanças de humor,perda de sono,angustia,depressão,e o medicamento as vezes cria uns disturbios no cérebro,que me assusta bastante.Más nos temos que ser fortes,e só com Nosso Senhor conseguimos essa força.
    Deus os ilumine e os abençoe grandemente.
    Beijinhos querida.

    ResponderExcluir
  31. Aprendi a te respeitar pelo otimismo e vc há de continuar assim, guerreira sempre!
    Que o DIVINO MESTRE, abençoe vcs dois!!!
    Muitos beijos...

    ResponderExcluir
  32. Elaine,

    Eu morro de medo de ir ao médico. E morro de medo de TER que ir ao médico.
    Detesto. Fujo mesmo. Imagino a barra que é, pra vocês, pra você ver ele assim, com essas mudanças, esse sintomas. Isso não é fácil nem mesmo pra quem está ao lado.
    Mas fico feliz com o fato dele estar pensando positivo. E quer saber, concordo com ele. Ele vai confirmar.


    Beijosssssss e muita força pra vcs dois

    ResponderExcluir
  33. Só pode amar Elaine...parabéns pela sua postura face à doença que infelizmente conheço bem por ter um familiar que a tem...!
    Também compreendo o que diz sobre adaptação ao que a vida acaba por nos oferecer em situações limite como a doença ...o meu marido está há três anos com um problema oncológico que não se tem conseguido resolver...e sem saber como uns dias melhor outros pior temos vindo a aprender a viver um dia de cada vez!
    Obrigada pela partilha!
    Bjs
    Maria

    ResponderExcluir
  34. Olá, que lindo a união de vocês. Eu acredito no otimismo e no amor pra superar tudo. Sei que uma doença assim muda a rotina da pessoa, mas sei também que quando acontece coisas assim, percebemos o quanto amamos as pessoas ao nosso redor e o quanto somos amados, e você realmente demonstra isso.
    Desejos melhoras e que vocês possam rir muito das coisas boas da vida e também que possam batalhar juntos no caminho de uma vida mais tranquila!!!
    Bjuuus e bjuuus e te desejo tudo de bom, achei mágico a forma como usou as palavras de preocupação, carinho, medo, emoção e acima de tudo, da união e do otimismo dele e também da sua participação em tudo!!!
    Abraços e te desejo todo o apoio que você precisar!!!!
    aprendendocuriosamente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  35. Olá,
    É tão estranho ler algo e mesmo sendo completamente diferente se identificar.
    Acho que é essa danada a empatia do tocar ao nosso coração...
    Também tenho uma doença incurável, também tenho que tomar remédio para o resto da vida que não irá me curar, só trará consequências físicas estranhas..rs...
    Mas apesar de toda essa confusão, bem lá no meio do furacão há também luz.
    E sim nos adaptamos a vida e seguimos mais fortes do que eramos minutos atrás.
    E essa é a benção de ter fé e amar a vida.
    Força para você e seu marido.
    Foquem nas coisas boas e transformem as ruins e não liguem para o monte de frases feitas que as pessoas dizem (quem eu?! Rss) apesar que tem momentos que a gente se apega a essas frases como se fossem nosso guia.
    Então...lá vai mais uma frase feita...Força e luz para onde os conduz.
    Fiquem com Deus...fiquem em paz.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  36. Oi Elaine!
    Penso algumas vezes em você por tudo que tem passado. O poder de adaptação que temos é incrível, aliado a nossa fé e a ajuda do alto. Só o fato de seu marido ser otimista já é um imenso passo para a melhora. Mesmo que seja crônica, ele pode e vai levar uma vida normal. Apenas terá alguns ajustes a se fazer. Força, coragem e fé. E lembre-se que pode sempre contar com as amigas virtuais. Beijos n'alma

    ResponderExcluir
  37. As vezes fico pensando se somos adaptáveis ou se é a força que vem do alto -seja qual for nossa crença- se é essa energia que nos envolve e ampara. Eu tive um diagnóstico de uma doença até agora incurável, a Sindrome de Sjogren, durante 20 anos. Convivi com dores, tristezas, desânimo, periodos bons e maus, até que um belo dia um outro médico me disse: "você não tem SS, você tem fibromialgia". Assim, calmamente, como se disesse "vamos trocar seis por meia dúzia" - porque as duas são iguais, a fibromialgia também naõ tem cura. E eu tomo meus remédios, a dor melhora, fica mais branda um dia, mais forte uma semana, e lá se vão alguns meses que eu não tenho SS, mas tenho fibromialgia. Há dias em que tenho vontade de desistir, outros em que a vontade de viver, de ver meus netos crescerem, é maior que a dor que sinto. E vou levando. Marido, filhas, genros e netos são meu consolo e minha força, além da fé, que é inabalável. Sei que Deus tem um propósito, se me deixa viver assim. Admiro você e o maridão, que vão levando a vida unidos e se apoiando mutuamente. Que Deus os conserve assim. E para ele, que ainda é jovem, a medicina terá ainda muitas respostas positivas. Muita coisa tem sido feita no sentido de curar algumas doenças que há algum tempo julgávamos mortais. Espere em Deus, Ele é o grande médico. Desculpe-me o desabafo. Bjks. |Neli Alves

    ResponderExcluir
  38. Querida, que Deus ilumine você e seu marido nessa caminhada. Só Ele sabe pq vocês estão passando por isso, ler sobre o assunto, talvez ajuda a compreender um pouco e diminuir a dor...força aí...bjs

    ResponderExcluir
  39. Ai amiga, não sei como é... não essa insegurança... mas como vc disse a gente se adapta a absolutamente tudo, é uma verdade !!!

    Só sei que no meu sonho, a alegria é reinante das duas partes, como deve ser realmente !!

    Força e fé é tudo que te desejo, do fundo do meu coração !!
    Sempre !!!

    Conte comigo tá ??

    Bjus 1000 sua linda !!

    ResponderExcluir
  40. Bom dia, Elaine!
    Ainda bem que estão se adaptando. Vai ver que com o tempo as coisas se tornam mais fáceis. Como têm uma união forte a vida é mais fácil de levar assim. Espero que dê tudo certo com vocês. O marido da minha funcionária já lá vão aproximadamente 8 anos e ainda não teve mais nenhum surto. Conforme lhe disse eles têm um mapa do corpo humano que indica onde eles devem dar as injecções fazendo rotatividade. Começam num sítio e vão seguindo o mapa e dando noutros sítios até que passado um tempo chegam ao sítio onde começaram e voltam de novo a fazer o mesmo.
    Ele não tem ficado com hematomas. Nos sítios em que ele chega, ele dá a ele próprio. Nos sítios em que ele não chega, é ela que dá. E olhe que ambos tinham pavor de agulhas. Foi tudo uma questão de hábito e de não quererem estar dependentes de ninguém. Custou ao princípio, mas eles chegaram lá. Vai ver que vocês também chegam. Não digo que não vai custar mas vão ver que se habituam. Espero que esteja tudo bem nos exames do dia 9.
    Beijos para os dois
    Adelaide

    ResponderExcluir
  41. Que Deus renove tuas forças a cada dia, e te dê sabedoria e estrategias para lidar com toda esta situação. De longe a gente percebe o seu amor por ele e como você é uma excelente esposa.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  42. Olá amiga! estava ha muito tempo longe do meu e dos blogs das amigas. Muito trabalho.(e não artesanal) Acabei de ler seu post e só tenho que te parabenizar por essa força, garra, dedicação e também por partilhar seus momentos conosco.

    Eu acredito que para Deus, não há o incurável. Tenho visto muitas provas disso. Tenham fé! Estaremos sempre torcendo pela recuperação e cura. Que Deus os abençõe e atenda nossos pedidos, preces, orações...

    Que Deus dê uma ótima resposta à vocês amanhã, na consulta!

    Bjs

    ResponderExcluir
  43. Aí Elaine eu não tenho o que te falar amiga a não ser que você está consciente e seu amor por ele é enorme.....isso te dará forças, só o amor minha querida..
    bjjsss
    FORÇA E AMOR.....

    ResponderExcluir
  44. Elaine,
    não me lembro se cheguei a lhe contar que convivo há vários anos com uma doença incurável... chama-se Síndrome de Hughes. Até pensei em fazer um post sobre, já que é uma doença rara, sobre a qual poucos conhecem e, de repente, poderia ajudar alguém. Mas ainda não tive clareza bastante para isso, ou a sua força.
    Bom saber que estão reagindo bem. Penso que a fé e a alegria - apesar das circunstâncias - são o caminho.
    Bons exames e resultados no dia 09!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  45. Querida, te "apresentei no FB" a Luciana Vasconcelos. Ela tem EM e dexobriu hpa 3 anos, e hj nem parece, Enquanto estávamos trabalhando em Salvador, ela pediu licença para "ir tomar uma medicação", que dura de 2 a 4 h e tem que ser feita numa clínica. ela já está num estágio mais avançado que o Edirlan. Mas como trabalha mais com a cabeça, vai levando, e levando bem. Depois ela me deu detalhes sobre a medicação e a doença em si, que eu, obviamente, não me lembro, mas acho que vcs deviam conversar. Pode chegar e perguntar qualquer coisa, ela se disponibilizou a ajudar. E tem enfrentado bravamente e com bom humor... Vai ser uma ajuda, tenho certeza. Fala com ela, e depois me diz alguma coisa.

    Beijo, queridona! Amo você!!!

    ResponderExcluir
  46. É amiga...
    Eu sei o que é ter uma doença incurável. E como é tomar remédio para sempre...
    Mas sou como vc, procuro levar uma vida o mais normal possível...
    Pq ficar pensando nisso todo dia, me faz ficar colocando um monte de caraminholas na cabeça. E isso não quero!
    Adorei saber que o seu maridex está bem...
    Eu rezo todos os dias, para Deus nos ajudar...

    Lindo post!
    Bjos

    ResponderExcluir
  47. Amiga,
    Enfrente como eu enfrento... De frente, com a cara dura...
    Com cara e coragem...
    Deus proverá...
    E sei que sua fé é grande...

    bjos

    ResponderExcluir
  48. Elaine, boa noite. Fico sensibilizada com essas intercorrências com seu marido. Não li os comentários anteriores, não sei se já conhece sobre o que vou falar. De qualquer maneira vou acrescentar meu comentário e se ajudar vou ficar feliz.

    Muitos falam sobre a vitamina D3 para ajudar nessa doença. Estive no consultório do Dr. Cícero acompanhando minha mãe, hoje falecida, por necessidade diferente de uma EM. Na rabeira dessa consulta eu reclamei de enxaqueca. Ele me indicou vitamina d3. Nunca mais tive enxaqueca, sequer dor de cabeça e desde então não tive resfriados. Essa vitamina foi ótima prá mim, alguns contestam. Mas vou deixar aqui dois links com entrevista com um rapaz com EM que melhorou com o uso da d3 e outra com o Dr. Cícero. Espero que possa te ajudar.

    http://www.youtube.com/watch?v=rthSyPd4eZY

    http://www.youtube.com/watch?v=erAgu1XcY-U

    Desejo boa sorte, abraços. Célia

    http://www.celiamartins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  49. UM AMBOS SÃ VENCEDORES, E AS ALTERAÇÕES DE HUMOR SÃO MAIS QUE NORMAIS, AFINAL DE CONTAS SOMOS HUMANOS E COMO HUMANOS SOFREMOS NÉ.......A FÉ NOS MANTEM NA CAMINHADA A ESPERANÇA NOS FAZ CONTINUAR E A VIDA É NOSSO GD OBJETIVO.........BJ BOA SORTE E ATÉ BREVE

    ResponderExcluir
  50. Também tenho EM e sei como seu marido se sente. É bom ver em você um pouco de como meu marido me vê. Ele também me ama muito, me pediu em casamento depois de eu descobrir a doença, está comigo em cada momento, em cada consulta médica, a cada vez que acordo mal a noite devido às injeções e por todo o tempo que passei acreditando que eu era o pior pra ele. Foram muitas as vezes em que, por amá-lo, pensei em deixá-lo livre deste peso que é a Esclerose. Felizmente uma nova esperança surgiu. Desde que descobri a doença faço o tratamento convencional, com as injeções, mas utilizo também o tratamento com mega doses de vitamina D (ver youtube: Vitamina D por uma outra terapia) e em minha segunda ressonância as mais de 20 lesões que eu tinha, reduziram-se a três pequenininhas. O médico que fez o laudo disse que nunca viu nada parecido e que, se fosse hoje, nem poderia dizer que tenho EM. Este tratamento não dá efeito colateral nenhum, a não ser disposição, e não é preciso abandonar o tratamento convencional, embora eu tenha passado muito mal com as injeções. Tentar não custa e nunca soube de uma pessoa que não tenha dado bons resultados. Dá até vontade de sair contando pra todo mundo que tem EM, para que testem e tenham a felicidade que eu tive ao fazer a ressonância. (PS.: Meu neuro aqui era contra este tratamento, agora que viu os resultados já está até estudando pra poder receitar a todos os seus pacientes)

    ResponderExcluir
  51. Por favor, convença o seu marido a fazer o tratamento com mega doses de Vitamina D. Pode fazer o tratamento normal junto, mas não deixe de tentar. Eu tenho EM, faço o tratamento que custa menos de R$ 50,00 por mês e não tenho mais lesões ativas na minha segunda ressonância (as mais de 20 que eu tinha desapareceram em um ano). Não deixe de tentar. É muito triste ter EM. É como matar a esperança, os sonhos, a auto-estima a cada dia, é como se tudo, falar, andar, ver, amar, ..., tivesse um prazo de validade muito curto e indeterminado, mas o tratamento com Vit. D me trouxe tudo de volta. Sou motociclista, estou trocando a moto por uma maior (o que imaginei que nunca mais iria fazer) e vou para o Atacama com ela em outubro (já tinha desistido deste sonho com as injeções, que ainda aplico, mas vou parar e ficar só com a vit. D). Me casei recentemente, estou feliz, saudável, só ficando mal no dia seguinte a injeção. Sei que parece mentira, mas não tem ninguém que faça este tratamento que fale mal. Testar não custa... Parabéns pela história de amor!

    ResponderExcluir
  52. elaine, hoje 05/11/2013, assistindo o jornal vi a reportagem de um médico cardiologista, até então hoje eu nunca tinha ouvido e visto nada à respeito, imediatamente vim pesquisar à procura de informações e não sei por que cheguei até aqui, li sobre o sofrimento do seu marido e o seu também, sei que seu tempo é curto e espero que este chegue até vocês, tenho 52 anos sou casado tenho 4 filhos, três meus e um da minha esposa, quando eu tinha mais ou menos 10 anos, perdi um irmão com leucemia, na época não entendia muito a respeito da doença, fui criado na igreja, conheço muito do que se fala de DEUS mas jamais entenderei os propósitos DELE, a imensidão das perguntas dos humanos é simplesmente irrisório diante de tamanho PODER, certo dia li um dizer em um veículo e fiquei pensando muito no que estava escrito "SE VOCÊ ACHA QUE JÁ SABE TODAS ÀS RESPOSTAS, VEM DEUS E MUDA TODAS ÀS PERGUNTAS", veja neste pequeno trecho o que afirmo em relação à IMENSIDÃO E O IRRISÓRIO, TENHO CERTEZA que O TODO PODEROSO DEUS IRÁ ABENÇOÁ-LOS ABUNDANTEMENTE, pois sua história é de luta, amor e esperança, ELE está vendo tudo isso, estarei também e ele já sabe disso, torçendo e pedindo que DERRAME a IMENSIDÃO DO PODER QUE ELE TEM, à cura, e tenha fé, ele irá fazê-lo. fique com ele sempre.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…