Nos corredores do hospital, nos corredores da vida

em 15 de novembro de 2012

Nesses dias, andando por corredores do hospital, em consultórios médicos e especialmente na Secretaria de Saúde municipal eu tive muito tempo para observar as pessoas. Tanto as pessoas que vão quanto as pessoas que veem. Observar as pessoas que esperam…

No dia que fomos levar o encaminhamento na Secretaria de saúde eu vi um público bem diferente do que eu vi no consultório do neurologista. No consultório há gente doente, claro. Mas é muito diferente. A recepcionista nos atende falando baixo, eficiente e gentil. Trata o paciente pelo nome, com delicadeza. Responde às perguntas. Esperamos sentados em bancos almofadados, com ar condicionado ligado, água gelada no filtro, ambiente calmo e sereno. Há sofrimento, claro. Mas é amenizado.

Quando entramos no sistema público a mudança é cruel. E não me refiro apenas ao banco duro de pedra, apenas 1 para uma fila enorme de pessoas. Não me refiro à água de torneira, quente e com cheiro de cloro que vi mães serem obrigadas a dar ao filho com febre. Não me refiro ao tempo de espera, nem ao fato de que não há vagas para mais da metade das pessoas que precisam de um exame, de uma consulta com especialista. Não me refiro apenas ao fato de que as pessoas passam 4, 5 horas, desde antes do amanhecer, pra marcar um exame. Que será realizado semanas depois.

Me refiro ao que mais me doeu: ao descaso com as pessoas. Vi idosos que mal caminhavam serem tratados com frieza e dureza, sem que a atendente tivesse o mínimo de paciência e gentileza. Falava quase gritando, como se a pessoa fosse surda ou lesa. E falava assim com todos. Falou assim comigo. Com arrogância, como se o fato de ser funcionária pública lhe conferisse o direito de se colocar acima dos outros.

Vi pessoas pobres de verdade, que vivem com o salário mínimo da aposentadoria. E por isso não podem pagar 200 reais por uma tomografia. E por isso são tratados como lixo, com descaso, com desrespeito. Saí dali doente. Com vergonha de pertencer à mesma espécie. E o pior? Em cada posto de saúde é assim. Em cada órgão público há essas pessoas, que acham que o crachá de funcionário público as coloca no mesmo patamar que Deus.

Comigo e com meu marido não foi diferente. A pessoa que nos atendeu sequer olhou na nossa cara, mal respondeu minhas perguntas, e as que respondeu não responderam nada. Grossa, fria, indiferente. Mandou que esperássemos em casa, e que era bom ficarmos avisados que demoraria. Meses talvez. E enfiou os papéis na gaveta.

Penso que quando uma pessoa chega a um posto de saúde ou qualquer órgão público de saúde ela já está bastante fragilizada pela dor e pelo sofrimento. E uma pessoa fragilizada não precisa de frieza, de indiferença. Ela precisa ser acolhida, ser ajudada, ter suas dúvidas e receios respondidos.

Ao ver o velhinho que foi tentar marcar uma endoscopia ser tratado com tanta frieza e rispidez, não me contive e falei pra atendente: ele é pessoa simples, não está entendendo suas respostas. Fale com calma, ele poderia ser seu pai. Ela me deu 2 respostas: ele tem que entender que o Estado funciona assim, tem que voltar daqui uma semana, aí então eu marco. E ele não pode ser meu pai não, meu pai tem plano de saúde.

Não respondi. Li os papéis do velhinho, expliquei com calma pra ele voltar dia 27 bem cedinho e ele foi embora. Saí dali, sentei no carro e chorei. De raiva. Por saber que isso é praxe. Minha mãe sabe. Minha irmã, com 3 filhos, sabe. Qualquer pessoa que use o sistema público sabe.

Mas aquela mocinha está errada. Não é o Estado o maior problema. O maior problema são algumas pessoas.

Pessoas que endureceram, que perderam a capacidade de falar sorrindo. Que esqueceram que o outro é nossa chance de crescer e melhorar. O problema são as pessoas que deixaram a dureza do dia a dia endurecer o coração. E que tratam as pessoas simples e fragilizadas com despreparo e desamor.

Sei que em algum lugar deve haver uma funcionária gentil, que vai sorrir ao explicar coisas confusas pra um velhinho doente. Sei que não posso generalizar. Mas minha experiência foi terrível. E ela está só começando…

Quero aproveitar para dar notícias do marido:

Como percebi que o encaminhamento pode demorar, especialmente agora que o HC já começa a entrar em recesso por conta do fim do ano, decidi pedir uma outra ressonância terça-feira, que é o retorno ao neuro. Faremos um esforço pra pagar, a empresa onde ele trabalha ofereceu apoio e ajuda, a família dele também. Assim conseguiremos fechar esse diagnóstico, que é o que mais me aflige. Queremos saber, e rápido. Daí partimos para o tratamento, seja ele qual for. Sabendo o que estamos enfrentando tudo ficará mais claro. Então semana que vem será decisiva.

 

 menininhaE já que tantas pessoas estão pensando em nós, rezando, torcendo e enviando coisas boas, peço que acrescente aí a minha Menininha. Segunda-feira ela fará a cirurgia para retirar o tumor nas mamas. Descobri esta semana que ela está com câncer. Estava desconfiada, a vet veio examinar e já marcamos. Vou te contar: quando a vet falou o que era e explicou os riscos da anestesia eu chorei. Chorei tudo o que não havia chorado, chorei de soluçar. Gota d'água, sabe? Mas estou confiante. Vai dar certo.

Não vai?

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

67 comentários , comente também!

  1. Elaine, sigo sempre seu blog mas pouco comento.
    Hoje resolvi deixar um carinho e dizer que estou torcendo e orando por seu marido e sua menininha.
    Sei o quanto sao preciosos.
    Fique com Deus, Ele sempre estara contigo.
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  2. Isso é mto triste, e aki na Bahia ñ é diferente, pessoas chegam 18h, 19h, dormem na calçada, passando frio, às vezes debaixo de chuva, com fome, para TENTAR um atendimento precário no dia seguinte.

    ResponderExcluir
  3. Vai dar tudo certo, sim. Estamos acompanhando e pensando. Vai firme!

    ResponderExcluir
  4. Força menina!
    A nossa vida é assim mesmo, quando vem, vem tudo de uma vez! São provações, mas no final tudo da certo.
    Quanto ao sistema publico, infelizmente pude sentir na pele este descaso em alguns momentos da minha vida. É triste e vergonhoso. Seria pedir demais que ao menos ao lidar com pessoas, as vagas publicas exigissem no minimo a competencia "sorriso"???
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Oi Elaine primeiro quero dizer que São Francisco de Assis ajude sua bebê na cirurgia, confie e tudo dará certo.Espero que os exames mostrrm o que realmente acontece com seu esposo, pois a incerteza muitas vezes é pior do que a própria doença.Que Deus os abençoe.
    Quanto ao problema de tratamento infelismente enfrentamos isso também em consultórios particulares e convenio.O problema não é só do sistema de saúde e sim da saúde na alma das pessoas.Os corações estão ficando endurecidos e frios.Não há mais humanidade e nem gentilezas entre as pessoas.É cada um por si.Devemos mudar isso, pois se nos tornarmos esse tipo de pessoa também não haverá motivos para o amanhã existir.
    Quando meu esposo teve o traumatismo, eu chamei ambulância, bombeiros e ninguém veio socorre-lo.Consegui ajuda de visinhos para leva-lo ao hospital, onde se recusaram a ajudar-me a tirá-lo do carro.Depois o colocaram em uma cadeira e pouco fizeram.Retirei-o deste pronto socorro público e fui para um hospital conveniado.Ao chegar lá o enfermeiro veio chamar-me a atenção por ter saido de um hospital para outro por causa de uma crise de hipertensão.Se eu não tivesse exigido do médico exames e o diagnóstico, hoje eu seria viúva.
    Tive uma infecção que me deixou internada por dois dias porque a médica que me atendeu em um consultório particular não quis ouvir que estava me fazendo mal o medicamento que ela havia me administrado.Ainda me disse que eu teria que tomar o remédio sim.E ponto.Não são apenas as atendentes os médicos também veem os pacientes como um numero no holerite ao final do mês.Devemos orar e lutar para não nos tornemos também esse tipo de pessoa por causa dos problemas em nossas vidas.Vamos lutar por um mundo melhor, quanto mais pessoas boas existirem, melhor será o mundo para viver.Penso sempre em uma frase de um filme.Para que o mal vença, só basta que os bons não façam nada.
    Beijos querida, que o Senhor coloque um anjo acampado em sua casa.

    ResponderExcluir
  6. Vai dar certo, Elaine. Vai. Ele está no comando.
    Sei como vc se sente, sei como é esse atendimento, trabalhei muitos anos numa escola de medicina que mantinha um ambulatório para atendimento, filiado ao SUS. Sei o contrário do que vc viu. Lá, pelo menos nos 9 anos em que trabalhei, sei que o atendimento era de primeira. Minha endocrinologista (eu ia ao ambulatório, com hora marcada, às vezes 3 meses antes)recebia a todos com um abraço. Se Deus quiser, vc vai encontrar muita gente boa pela frente. Fiquem com Deus. Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Oi Elaine não pude deixar de responder diante de tamanho sentimento, esse sofrimento vai passar como tudo na vida. Tenha fé e aprenda o máximo que puder disso tudo, pois com certeza essas experiencias são lições pra tudo. Quanto a sua Menininha, a minha também foi operada e esta bem, por conta da idade a anestesia foi de cheirinho que acorda mais rápido, chore o que tem que chorar mas não esqueça Daquele que te fortalece, peça sempre o bem para os seus. Deus te abençoe sempre.
    Bjks.

    ResponderExcluir
  8. Querida, fique firme, tudo vai dar certo! Por mais que vocês tenham que fazer algum tratamento, QUALQUER UM, vai ter muito sucesso!!! Tenha fé em Deus! Um beijão! Estou rezando! Um beijo!

    ResponderExcluir
  9. Oi Elaine,
    É realmente terrível ver o descaso com que as pessoas são tratadas hoje em dia,muitos só se importam em olhar pra si mesmo e a vida não é isso,hoje é com o outro mas amanhã pode ser com você,é essa visão que as pessoas precisam adquirir.
    um bom final de semana e que dê tudo certo com a Menininha,=)

    ResponderExcluir
  10. Ai minha amiga, quanta indiferença de pessoas que se acham superiores a tudo, como se elas um dia não fossem ficar idosas nem doentes ......
    Triste ver essas situações.
    E quem paga seus salários somos nós todos, o dito povo, com nossos impostos absurdos.
    E os governantes não estão nem aí, eles e suas famílias não passam por isso.
    Mas eu acredito em Deus e um dia todos pagarão pelos maus tratos que proporcionam à seus semelhantes.
    Fé querida, muita fé e paciência é o que precisamos, e muito!
    Estamos numa corrente de energia positiva para vocês, inclusive a filhota. Deus comandará, confie.
    Beijos, paz e luz.

    ResponderExcluir
  11. Infelizmente cada um dá o que tem e o pior de tudo que os que menos tem (amorosidade,cordialidade, amor,empenho, honestidade) trabalham para o governo.
    Aconteça o que acontecer seu marido e sua menininha vão ficar muito bem!
    bjs Lais

    ResponderExcluir
  12. Puxa, me doeu fundo no coração, infelizmente a realidade da saúde pública no Brasil é um descaso, triste demais, porque as pessoas confunde muito sistema público com sistema gratuito e achando que se é de graça não pode reclamar, por favor, quantos impostos pagamos para termos saúde, educação e segurança pelo menos dignas? Beijo enorme para vc e fé que dará tudo certo.

    ResponderExcluir
  13. Lamentável... não quero comentar sobre pois a revolta como a crescer.
    Vai dar certo, a menininha é sua filha então é forte, continuo torcendo para um bom diagnóstico e para você desejo "Continue respirando".
    Cut beijos e uma semana cheia de notícias boas.

    ResponderExcluir
  14. Oi Elaine,
    Tenho certeza que ficará tudo bem com a tua cachorrinha.
    Quanto ao SUS é dureza mesmo, mas também acho que depende muito das pessoas (como você mesmo disse) e do lugar. Aqui onde moro a coisa também é complicada, eu tenho plano de saude, mas sei de gente que usa o SUS e não reclama muito.
    Quando tive o Pedro (meu filho) foi pelo SUS, ganhei no Hospital da PUC em Porto Alegre, e fui super bem atendida (há 12 anos atrás).
    Estou na torcida para que vocês descubram logo o diagnóstico certo do teu marido para começar o tratamento.
    Vou orar por vocês três.
    Fiquem com Deus.

    Mana

    ResponderExcluir
  15. Fico muito triste ao ler o choque de conhecer o sistema de saúde público. Cá em portugal não é muito diferente, talvez um pouco porque quase ninguém tem plano de saúde. Mas sim é uma vergonha funcionários não terem a mínima sensibilidade para falar com as pessoas doentes. Eu sou farmacêutica e tento sempre ser compreensiva e ajudar quem precisa, não custa nada tentarmos aliviar um pouco a dor dos outros, pelo contrário, faz-nos sentir pessoas melhores.
    Espero que corra tudo bem com o seu marido, a medicina hoje em dia está muito avançada e há muitas opções.
    Em relação à cadelinha também acredito que vá tudo ficar bem, a minha gatinha também teve o mesmo problema já com 11 anos e a operação correu bem, tal como a recuperação ;)
    Beijinhos e muita força*

    ResponderExcluir
  16. É lamentável a situação da saúde nesse país, e fica pior com o tratamento que recebemos, muito ruim como você bem disse. Fiz um selinho para você, esta lá no meu blog na página de selinhos
    Não é necessário seguir nenhuma regrinha para postá-lo, espero que goste. bjoss

    ResponderExcluir
  17. Ai ai...chorei aqui...
    Já te disse que faço doutorado na faculdade de medicina aqui na USP...perdi as contas de quantas vezes me peguei chocada com a quantidade de pessoas amontoadas nos ambulatórios do HC..a fila inacreditável para exames bioquímicos...o pouco caso, a falta de educação, os estudantes metidos a sabe tudo, os professores que sequer olham na cara do paciente..
    Se fossem só as atendentes..mas são todos..todos endureceram...todos ali não usam aquele serviço..se usassem, certamente o serviço seria melhor..eu sempre digo pra quem quiser ouvir: o SUS funciona, o que não funciona são as pessoas que trabalham no SUS...
    É chocante ver o descaso com velhinhos..eu choro, eu me indigno, eu sofro..eu atendo meus pacientes sempre com cuidado, sempre com gentileza...porque é assim que eu gosto de ser tratada, é assim que eu quero que tratem minha mãe...e eu rezo todos os dias para que nós caminhemos, para que um dia possamos chegar num lugar bom, onde respeito é praxe...
    Que Deus ilumine a sua família, e dê forças a todos vocês para seguir em frente! Vou rezar por vocês!
    Me coloco novamente à disposição, se puder fazer alguma coisa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Nossa,amiga,tudo vindo ao mesmo tempo...
    Mais uma fisgada no coração.
    São fases...
    Tenho certeza de que ela irão passar.
    Muitas pessoas já se acostumaram com o sofrimento alheio e transformaram o seus corações em pedra.
    Compaixão e amor ao próximo são coisas que elas desconhecem e os mais carentes são os que mais sofrem nesses lugares.
    Boa sorte para a sua Menininha.
    Estou torcendo por vocês.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  19. Eu fico muito indignada com isso também, mas muito mesmo. Eu tenho plano de saúde pelo meu trabalho, mas minha mãe não tem, então eu tomei um choque o ano retrasado quando ela teve uma esquemia e eu tive que ir para o sistema público com ela. Tudo que você relatou eu passei, e a gente fica de mãos atadas, não podemos fazer nada, ninguém faz nada, porque as pessoas que poderiam tomar alguma atitude nem ligam, pois elas tem plano de saúde. Eu também chorei muito e fiquei muito revoltada e até hoje quando tenho que ir a alguma consulta ou exame com minha mãe somos tratados como animais... e o pior de tudo é que temos que sorrir pra essa pessoa porque se não o fizermos ela vai nos tratar ainda pior...
    Fiquem com Deus, vou rezar por sua cachorrinha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Olá Elaine!
    Por aqui talvez seja a mesma coisa. Em relação ao sistema a espera também não é pequena a não ser que se tenham conhecimentos a nível dos serviços. Em relação às pessoas que é o que mais me aflige, embora haja excepções a generalidade é como aí. Se o sistema é mau as pessoas deviam suavizá-lo, isto é o que me parece. Por aqui eu já entendi que temos que enfrentar os funcionários públicos e não deixar que eles nos pisem e na maior parte dos casos resulta. Nos tempos que correm pelo facto de terem medo de perder o emprego e como existe um livro de reclamações têm que ter muito cuidado pois podem sofrer uma queixa. A questão é as pessoas não se deixarem intimidar nem pisar. Com pessoas como eu eles não se atrevem a fazê-lo mas já tenho visto fazer isso com pessoas da aldeia ou com pessoas mais simples. Esperemos que as pessoas ganhem consciência e os tempos mudem defenitivamente.
    O meu funcionário já fez 5 sessões seguidas de quimio e mais uma na 3ª feira passada. Agora está a descansar e vai fazer novamente outra na próxima 3ª feira. Volta a descansar e dia 26 recomeça mais 5 sessões seguidas. Estou convencida que ele ainda vai ter que fazer mais uma ou duas rondas.
    Para si a gota de água foi a cadelinha e para mim foi um assalto que nos fizeram à nossa casa de aldeia esta semana. Anda por aqui com estes tempos que correm, uma ladroagem desenfreada. Roubaram-nos muitas peças antigas em louça da Vista Alegre, 3 armas e levaram-nos todas as nozes que ainda tinhamos por vender e que eram à volta de 50kgs. Esta semana tenho andado metida em polícia, GNR e Judiciária além da Cª de seguros. Tenho impressão que vai dar em nada e nunca mais vemos as coisas. Pela experiência que tenho até a seguradora vai fugir a responsabilidades. É terrível entrar em casa e ver tudo desarrumado e pelo chão e saber que andaram pessoas estranhas por ali. É uma sensação assustadora. Para mim esta semana isto também foi a gota de água.
    Peço desculpa por também ter desabafado um pouco quando já tem tantos problemas. Espero de todo o coração que tudo corra conforme deseja tanto para o seu marido como para asua cadelinha.
    Beijos e muita força e coragem
    Milai

    ResponderExcluir
  21. Vc chorou e eu também, pelo velhinho, pela Menininha, por vcs, e até pelo Brasil...

    o chato é que esses funcionários estao espalhados por todos os setores, em todos os servicos, é uma pena mesmo.

    Entao que Deus esteja com vcs semana que vem e sempre. Sorte Elaine, mt sorte, bencaos e calma. Vcs estao cercados de amor, acredite.

    ResponderExcluir
  22. A nossa saúde vai mal e este tipo de assistência fria e desumana ainda complica mais ainda a situação. Existem casos que são gritantes e ninguém parece incomodado. Os médicos e o restante pessoal parecem não se incomodar com os que sofrem e tratam-nos como coisas que se podem aviar com rapidez. Desumanização e prepotência.
    Falta de respeito por que necessita de uma consulta.

    ResponderExcluir
  23. Ô amiga... é triste mesmo! Sempre trabalhei na área da saúde, e lhe digo: o problema são realmente "pessoas", e não o "sistema"!!! Infelizmente no sistema público, tudo se agrava, mas acredite, somente em "consultórios" isso é diferente! Em hospitais, públicos ou privados, a espera, a demora, o descaso, só recebe uma "maquiagem" diferente!!! E em ambos, existem pessoas desse tipo... gente sem coração, que se julga melhor por ser funcionário público, por ser médico... gente que se acha superior ou especial. Vai entender... é triste, mas existe (e mais do que se imagina). Mas Deus estará do lado de vocês sempre! E da Menininha também! =)
    Grande beijo!!! =)

    ResponderExcluir
  24. A saúde no Brasil está doente, mal mesmo...

    Que bom que vão acelerar e descobrir logo ,pra então iniciar a CURA! Boa sorte pra todos e pra Menininha também! beijos,chica

    ResponderExcluir
  25. Querida, felizmente tenho outro depoimento sobre o atendimento do SUS. Depois do divórcio, tive que mudar quase tudo em minha vida, pelo menos em relação a gastos. Tive que trocar o convênio e tenho um com participação na utilização. Quer dizer: se uso, pago uma porcentagem além da mensalidade.
    Então passo em consulta pelo convênio, mas faço os exames na rede pública, senão, não dou conta de pagar tudo. E foi assim que fiz mês passado tomografia da coluna num hospital público de um dos municípios onde trabalho (eu também sou funcionária pública da rede de saúde), município paupérrimo, fiz os exames de laboratório, e esta semana, fiz endoscopia em outro município. Fui bem tratada em todos. Tudo limpo, gente gentil e solícita, resultados que saíram rápido, médicos que me olharam nos olhos, brincaram com meu medo de agulhas e enfermeiras sorridentes.
    Torcendo para esse fuá na sua vida passar logo! Bjs

    ResponderExcluir
  26. Querida sei bem o que você sentiu com o desprezo da funcionária do hospital público, eu senti isso na própria pele, e num momento tão delicado da minha vida. No meu pós parto peguei infecção hospitalar por culpa do hospital, e ainda muitas vezes fui tratada como um lixo. Teve um dia que me marcou muito, pois até hoje eu ouço a voz daquele enfermeira, quando eu pedia ajuda para ir ao banheiro, ele de longe me respondeu... '"Agora, na hora da minha novela!?" e deu um gargalhada junto com mais duas eu acho.
    E olhe que o hospital que eu fiquei foi o da Policia Militar de PE, pois meu marido é Militar, e é descontado do salário dele todos os meses. Mas também encontrei três pessoas maravilhosas, que chegavam cantando, sorrindo, e fazendo o que era possível para meu bem estar.
    Uma foi a auxiliar de enfermagem Tânia do plantão da noite, outra era a auxiliar de enfermagem Severina que era responsável por meus curativos, e a outra era a pediatra chefe Drª Angelica.
    Três anjos que me ajudaram a sair daquela depressão pós parto, durante aqueles longos 20 dias que passei internada.
    Encontrei bem mais pessoas ruins, que me tratavam mal, quase nem respondiam ao que eu perguntava. E teve uma que ainda que dizia assim... deixa da tua manha, nó próximo ano tu vai está aqui parindo de novo.
    É querida, o trauma foi tanto que foi minha primeira, e última gravidez.
    Minha filha já está com 12 anos, e até hoje eu tenho pesadelos com as risadas daquelas mulheres más.
    Espero que vocês encontrem anjos para lhe ajudarem como eu encontrei, e que o tratamento do seu marido seja um sucesso. Também estou torcendo para tudo correr bem com sua cadelinha.
    Lembrem-se: Quanto maior é a luta, bem maior é a vitória. Força e Fé!
    Continuo orando por vocês!
    Beijão,
    Alê

    Realizando Sonhos...
    alessandra-soares.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Fiquei triste em ler o seu post querida, pq tenho vergonha!! tenho vergonha das pessoas!! Falo isso pq existem hospitais públicos que são diferentes, existe um hospital da Universidade de São Paulo - HRAC/USP (Centrinho, de Bauru) ele trata crianças com deformidades dos lábios e boca! Não parece hospital público, a educação e a gentileza dominam, por isso o sucesso do local, que é referência mundial! Assim como o Sarah em Brasília, eu nunca vi nada igual!!
    Boa sorte da sua caminhada, mas infelizmente nos dias de hoje temos que ter um plano de saúde, estamos passando tbém por dificuldades na família, qualquer dia te conto!! Bjos!

    ResponderExcluir
  28. Me emocionei com o texto.
    Força amore, vai dar tudo certo.
    As pessoas são boas, só se esqueceram disso.

    ResponderExcluir
  29. Oi, Elaine!

    É revoltante a maneira que alguns(ou muitos?) funcionários atendem no sistema público. É triste quando um ser humano é tratado como lixo. Até parece que as pessoas procuram um hospital ou um posto de saúde porque querem, porque não têm mais nada para fazer.Parece que alguns funcionários querem que a pessoa se sinta culpada por estar lá, por estar lá atrapalhando o serviço deles. Mas qual é o serviço deles mesmo? Não é atender a população? É... parece que não.

    Sei que não são todos assim, ainda existem seres humanos cuidando de seres humanos. Espero que no seu caminho você possa encontrar pessoas sensíveis, que realizam o seu trabalho com dedicação.

    Muita força nessa caminhada.Que Deus os guie em cada passo. Que o seu marido se recupere logo e a sua Menininha fique bem.

    Tenha um final de semana abençoado.

    ResponderExcluir
  30. Elaine, vai dar tudo certo com a Menininha e com o Maridão, também! Confia!
    Em relação ao atendimento no serviço público, concordo que há um grande número de atendentes desrespeitosos e que o serviço é precário mas também há os bons atendentes que entendem que estão ali a serviço do público, oxalá não te depares mais com estas situações.
    Grande abraço. Saúde a todos!
    Sonia

    ResponderExcluir
  31. Ah minha querida Elaine, como sei do que está falando... Em apenas dois meses problemas sérios de saúde se avolumaram aqui na família. Perdi uma prima que foi submetida a dois transplantes seguidos de fígado, uma tia de 84 anos fraturou o fêmur (dependendo do SUS) e agora a outra tia, irmã dessa primeira, aos 90 anos também está internada pelo SUS dependendo da mesma cirurgia, pois acaba de fraturar o fêmur também. Estou envolvida até o pescoço nesses atendimentos, em contato direto com uma realidade dura de descaso, desconforto, desumanidade... Choro sim. Choro de raiva de ser tão impotente em relação ao sentimento alheio. O atendimento é absurdo desde a portaria do hospital até a alimentação servida. O detalhe é que é proibido entrar com alimentos vindos de fora. Como servir a uma pessoa de 90 anos canja feita com arroz parbolizado, água e pedaços (sem a mínima condição de serem mastigados) de peito de frango. Tempero? Que tempero? É isso mesmo, falta o tempero do amor... Faço talvez mais orações por aqueles funcionários, pedindo que se humanizem que pela saúde dos que estão lá pra serem atendidos...
    É Elaine, mas não perco a fé. Acredito em dias melhores pra todos nós. Sim todos mesmo. Acredito que haverá um dia em que os corações serão tocados e percam essa dureza implacável. Espero e acredito sim. Deus é minha certeza.
    Aí com vcs vai dar tudo certo. Estamos irmanadas em uma grande corrente, onde os elos do amor e fraternidade são a formação da grande liga. Tudo vai passar. Comemoraremos essa vitória.
    "Fé na vida, fé no homem, fé no que virá..." Acima de tudo: FÉ EM DEUS!
    Bjs no coração de vcs aí e de todos que se irmanam nessa corrente de fé.
    Renata Guidinha

    ResponderExcluir
  32. Vai sim Elaine, vai dar tudo certo tanto pra menininha quanto pro maridão!!!
    Quem tem Deus, tem tudo!
    Estamos orando e pedindo sempre a Deus que este cálice não seja tão amargo e que termine logo!
    Bjooos e Fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  33. Vai dar certo, sim, Elaine. Tome posse do versículo bíblico que diz: "O que a mim me concerne o Senhor levará a bom termo".
    Quanto ao que disse sobre o problema não ser o Estado, mas algumas pessoas, "pessoas que endureceram, que perderam a capacidade de falar sorrindo. Que esqueceram que o outro é nossa chance de crescer e melhorar", acho que você acertou na mosca.
    Porque tenho um pai velhinho, com Alzheimer, quase chorei com o que vc contou... :(

    ResponderExcluir
  34. Oi Elaine, infelizmente é isso mesmo que vc relatou.
    Sou funcionária pública e trabalho justamente na Secretaria da Saúde.
    Vejo barbaridades lá, tanto quanto ao atendimento quanto na parte interna (administrativa). Tenho vergonha...um verdadeiro asco.
    Mas, sem modéstias, eu faço a minha parte. São 24 anos de serviço e me sinto feliz por nunca ter atendido mal alguém.
    Espero que tudo fique bem por aí!
    Fiquem com Deus e um lindo e abençoado fim de semana ♥

    ResponderExcluir
  35. Elaine, em primeiro lugar, força! Segundo, paciência... Eu fui funcionária da saúde municipal aqui em SP por quase 10 anos... Atendia às vezes 200 pessoas por dia, que iam em busca de resultados de concursos, eu trabalhei no rh... Ninguém saía sem uma resposta, sem um sorriso, sem um desejo de boa sorte! Eu fiz o melhor que pude. Quando não deu mais, saí. Ninguém é obrigado a ficar em um emprego que não goste, mas a verdade é que ESSAS pessoas não têm competência para o trabalho em outro lugar. Nunca trabalharão em um grande hospital particular, por exemplo.
    A população sofre, pois como sempre, é muda. Se o povo reagisse e exigisse sem bem tratado, talvez as coisas mudassem.
    Acompanhei meu pai nas Clínicas por 3 anos, tb lutando contra um câncer. Um dos "professores" disse que não adiantava fazer nada, ele ia morrer mesmo, com essa mesma frieza que vc relatou. Pior, não era um atendende ignaro, mas sim um "professor". É lamentável.
    O pior, esse serviço não é gratuito. Tudo somos nós que pagamos, inclusive o salário dos maus funcionários.
    Triste, mas enquanto o povo não mudar, o serviço público também não mudará.

    Continuo em preces por vcs.

    bjs

    ResponderExcluir
  36. Oi Elaine,
    fico triste por vcs. Moro em Garça e meu marido é atendido pelo SUS (oncologia) em Marília.
    Parece que falamos de um sistema diferente.
    O atendimento é feito por pessoas carinhosas, a sala de espera é muito aconchegante com cadeira para todos TV, bolos, chás, café,e sanduiches para que todos se sirvam, já que alí é feito a quimio nos pacientes.
    Além da médica que nos atende com muito carinho ainda existe o farmaceutico que nos dá o remédio de alto custo todo mes.
    Nunca vi uma pessoa tão dedicada e atenciosa.
    Sinto muito por vcs, porque no meu caso, além do choque inicial fiquei perdida.
    As coisas vão mudando pelo caminho que trilhamos,eu tinha muito medo no início, mas Deus é maravilhoso e nos dá coragem para enfrentar um dia de cada vez.
    Aqui meu marido faz exames de sangue todo mes para retorno e a cada 6 meses uma tomografia que não demora mais que uma semana para ser agendada.
    Talvez, depois do diagnóstico vcs encontrem o lugar certo para o tratamento e tudo mudará para melhor. É o que espero e acho que Deus vai tornar isso mais fácil e menos doloroso, porque sei que vcs merecem tudo do melhor.Bjs e fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  37. As pessoas estão ficando cada vez mais individualistas, sem pensar no próximo, mesmo quando sua função exige isso. Sinto muito pelo que você tenha visto, e é assim todos os dias em vários lugares no nosso Brasil. Seja para andar no ônibus, com grávidas tendo que ficar em pé, velhinhos, deficientes físicos, etc.
    Nas filas, nas faixas de pedestres que não são respeitadas pelos motoristas que só se importam em parar quando tem um guarda monitorando.. e olhe lá! Não espere nada de ninguém, se puder faça você pelo outro, pois os valores que a gente cultiva morreram para muitos, ou só são lembrados quando é para usar a favor deles.

    Melhoras para sua pequena!

    ResponderExcluir
  38. Querida Elaine, quem chorou agora fui eu, com seu desabafo tão profundo e verdadeiro, pois sei muito bem o que vc viu e ouviu, infelizmente as pessoas que estão do outro lado do balcão esquecem que um dia vão envelhecer e que não há plano de saúde no mundo que evite isso, infelizmente o descaso com os idosos e com as pessoas é lamentável, digno de se chorar de vergonha mesmo! Elaine desejo sorte e proteção ao seu marido, muitas forças pra vc, e vou colocar a Menininha no meu altarzinho de São Francisco de Assis que tenho em casa. Amo os animais de paixão, e infelizmente eles tem os mesmo problemas que nós seres humanos, vou rezar por ela e tudo vai correr bem. Tenha fé e forças. Bjos

    ResponderExcluir
  39. Elaine sei muito bem como é essa realidade. Infelizmente as pessoas estão com falta de humanidade no setor da saúde. E no entanto é o que mais se necessita nessa área. Mas graças a Deus, não é em todos os lugares que é assim. Minha irmã se trata na Santa Casa de Misericórdia, aqui em São Paulo e é tratada com dignidade, respeito e carinho por médicos, enfermeiros, atendentes etc. É claro que as vezes aparece alguém que acordou com o pé esquerdo mas é minoria. Estou na torcida e mentalização para que tudo dê certo para você e seu marido. Tenha fé! E que sua pequena também tenha êxito na cirurgia. Bjs

    ResponderExcluir
  40. ahhh!!! menina..
    com certeza aqui se faz aqui se paga. tudo que fazemos para os outros retorna pra gente em várias outras coisas ruins.
    essa moça (funcionaria publica) ou outras moças e moços que se "acham" somente por possuir titulo de funcionario publico precisam na verdade passar numa prova de boas maneiras, de amor e respeito.
    Deus é justo e perfeito e Ele faz para nós aquilo que não pdoemos fazer, Ele nos defende.
    desejo que tudo corra bem com sua menininha! e que Deus abençoe vc e seu amado.
    muita saúde e paz para vcs.
    beijos lindos e carinhosos....

    ResponderExcluir
  41. Vai dar tudo certo querida, sim vai dar tudo certo, é nisso que creio de todo meu coração.

    E sim , precisar de qualquer atendimento público nesse país é horrível...

    Depois de ler tudo isso a minha vontade é de chorar também, porque estamos todos á mercê de gente inescrupulosa... desde os atendentes até os médicos.
    Porque só uma pessoa sem escrúpulos pode não se compadecer da dor alheia...

    Estamos aqui, sempre !!!

    Bjus 1000 querida amiga

    ResponderExcluir
  42. Nossa Elaine, fiquei chocada com seu relato, essas pessoas precisarão sofrer muito para serem humanizadas.
    Que coisa triste!
    Também amo os animais, tenho uma cachorrinha que é o nosso bebê. Ela quase morreu no ano passado, fez duas cirurgias, ficou na UTI, mas agora está bem. Eu sei o que você está sentindo.
    Chore, chore mesmo, nessas horas é melhor botar para fora a tristeza do que deixá-la congelar dentro da gente.
    Estou torcendo por vocês e pela Menininha.
    Confie, o inverno nunca falha em se tornar primavera.....
    Abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  43. Oi Elaine,

    Chorei ao te ler, chorei ao imaginar o pobre velhinho pedindo ajuda e as pessoas nem aí para ele, chorei por saber que existem tantos outros que passam a mesma coisa todos os dias... Que sofrem, que querem atenção, mais cuidado e um pouco mais de carinho e paciência.
    Triste demais ler/saber de coisas assim...

    E o pior e mais triste ainda é saber que o governo pode fazer tudo isso melhorar, tudo isso mudar, mas não fazem NADA!

    Bem, continuou incluindo vocês em minha orações e pode deixar que sua Menininha fará parte também... Deus os abençoe sempre!!!!

    ResponderExcluir
  44. Vai dar tudo certo Elaine.Nunca perca a esperança,pois ela é que te dará forças para que continue sua caminhada.Tropeços podem acontecer mas você estará segurando nos braços de Jesus e sendo assim não cairá.
    Receba o meu abraço mesmo que de longe.
    Fiquem com Deus.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  45. Vai dar tudo certo sim... Já deu tudo certo! Principalmente se depender de nossa torcida e nossas orações!

    Bjusssssss

    ResponderExcluir
  46. Elaine ler seu post infelizmente me entristece muito, mas é a realidade de nossa saúde pública.
    Não sei quem está mais doente se é o velhinho que está lá sendo desprezado, maltratado ou a atendente que para mim está totalmente demente. Precisava se internar para fazer um tratamento sério.

    Vai correr tudo bem e aqui estou rezando e com um pensamennto positivo.A sua menininha vai ficar boa sim e passar por essa cirurgia com tranquilidade.

    Beijos no seu coração

    ResponderExcluir
  47. Vai dar certo sim... :/

    Nossa, fiquei tão triste com esse post. Muito triste mesmo.

    Sou estudante de fisioterapia. Já dei estágio em um hospital público. Era ambulatorial, não CTI, mas mesmo assim... Vi muito disso que você falou. Desde a recepção, aos seguranças, chegando aos profissionais de saúde que efetivamente atendiam. E não apenas o "desamor", a falta de empatia, mas também a falta de compromisso: feriados, não cumprimento dos horários, burocracias, várias coisas do gênero que são tão intrínsecas à cultura brasileira na questão dos serviços públicos, que me envergonham. Feriado numa quarta feira? Ficava quase a semana inteira sem antendimento. Coisas assim.

    Atualmente faço estágio num hospital particular de primeira linha, e a coisa muda de figura. O trato com os pacientes é totalmente diferente: atencioso, calmo, tranquilizador, solícito. Mas quer saber? Nos bastidores, a coisa é até parecida: há falta de paciência com pacientes e familiares mais "chatos", há piadinhas...

    Que posso dizer? Muitas vezes (não todas), sei que não é maldade. É a rotina. Para o profissional é um trabalho, ele está tão familiarizado com o ambiente e os procedimentos, que acaba esquecendo que tudo é novidade pro paciente. E não é uma novidade fácil, pois vem acompanhada de doença, de dor, de tristeza... e esse "engessamento" das emoções, eu espero nunca adquirir! Quero SEMPRE me lembrar, e me IMPORTAR... não é fácil, é um exercício, pq a rotina teima em neutralizar as emoções. Mas a gente não pode deixar isso acontecer nunca, pois a primeiro passo do cuidado é justamente a empatia, o "se importar" com o outro...

    A minha esperança é que, felizmente, nem todos são assim, frios. Muitos se importam de verdade. E vi gente que se importa tanto na rede pública quanto na particular. Eles existem, sim - e eu, pelo menos, tento ser um deles. Espero que vocês, enquanto passarem por estes serviços, tenham o sossego de se encontrar com essas pessoas especiais, que zelam pelo seu trabalho - e principalmente, pelos pacientes.

    Bjs... e força! Vcs vão conseguir passar por todas as lutas :)

    ResponderExcluir
  48. Muita tristeza ao ler seu texto. Torço para que dê tudo certo com seu marido e seu animalzinho de estimação.
    Mas, espero, também, que essas pessoas que tratam com tanta displicência e maldade as que tanto precisam de uma palavra amiga e um carinho, um dia, sintam na pele o que fizeram com seu semelhante. O sistema está errado? Sim, tem muita coisa errada. Mas nada justifica.
    Fique com Deus e dê notícias.

    Com carinho,

    Eneida

    ResponderExcluir
  49. Li agora a melhor frase cristã da minha vida: "o outro é nossa chance de crescer e melhorar." Eu me revigorei com ela e vou até sair por aí, encher a minha alma de ar, de verde, de cores e minha boca de Bom Dia! Obrigada! Fui!

    ResponderExcluir
  50. OLá Elaine.
    A sua descrição do sistema publica me entristeceu. Mas espero que tudo corra bem para vocês e muita força.
    Beijinhos grandes.

    ResponderExcluir
  51. Amiga vai dar tudo certo Há um Deus que tudo pode creia e verá. estou orando por ti e toda sua família, Deus há de ser misericordioso com tua vida. Forças vocês sairão vitoriosos.

    ResponderExcluir
  52. Ai Elaine, meu primeiro emprego foi ser secretária de um gineco que dizia que pior que ser mulher era ser medico de mulher ao que rebatia que pior que ser mulher e medico de mulher era ser secretaria de medico de mulher... Trabalhei mais de oito anos com esse medico e nesse tempo ouvi muito desaforos de clientes ao que nunca respondi porque sempre achei que quem procura um medico ja esta fragilizada e muitas vezes desconsolada, acho que todos merecem respeito e já desarmei muita gente com um simples obrigada. Carinho deveria ser inerente a todos, porém acho que o ser humano esta tão imbuido em ganhar dinheiro e conquistar um pseudo status que esta perdendo sua mais nobre capacidade que é amar. Estou na oração pelo Marido e pela Menina. Beijos e muita luz a ti.

    ResponderExcluir
  53. Oi Elaine, depois de ler alguns comentários fui dar uma olhada nos seus post anteriores. Depois que perdi minha Mãe ando meio sem vontade de navegar e acabei deixando de visitar os amigos. Se precisar de um ombro ou alguém pra conversar me liga, acho que ainda tem meus telefones. Beijos, muita força e muita luz. Fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  54. querida, tenha certeza q TUDO dará certo sim, confie somente em Deus e entregue td a Ele. Estou aqui em oração por vc, seu marido e sua meninninha, tenha fé! Deus está no controle!
    aBraços carinhosos!!!

    ResponderExcluir
  55. Elaine, adorei seu texto. Pura verdade. O serviço de saúde pública por aqui em Minas é assim também. Uma vergonha. Já fiz alguns tratamentos usando exames do SUS. A gente é muito mal recebida. Elas nem olham na gente. responde em monossílabos.
    Chamei minha filha pra ler seu depoimento. Ela está formando em Enfermagem e precisa saber o que as pessoas pensam da saúde pública. Precisa melhor isso, sem dúvida. Pelo menos as atendentes serem mais educadas, isso seria primordial.

    Força, Elaine, estou orando para que tudo corra bem com seu marido.


    Bjos Luzia

    ResponderExcluir
  56. Oi Elaine!

    Olha, tocante seu post, de tão verdadeiro. É lastimável o que acontece com as pessoas, não com as que contam apenas com o serviço público, mas justamente com quem trabalha para servir. Até entendo que não deva ser fácil você trabalhar com tão pouca infra estrutura, mas acho que não se deveria esquecer que são pessoas que estão ali. Minha mãe foi funcionária pública e mesmo eu sendo criança quando, às vezes, a acompanhava ao serviço, via que ela sempre tratou os outros com respeito, A principal "resposta" era no fim do ano quando ela sempre ganhava presentinhos simples, biscoitinhos, estojos de batom e de "pó de arroz" das pessoas que ela havia atendido durante o ano.
    Continuo colocando vocês nas minhas preces todas as noites (a Menininha também) e tudo há de dar certo!

    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
  57. Oi Elaine...Mais uma vez aqui em lágrimas com seu relato, voltou-me a mente um bucado do que passei acompanhando meu pai...chorando, implorando uma ambulância, uma maca em corredor de hospital e ouvir que não há, não importa o sofrimento...A gente entristece pela frieza de alguns seres humanos, mas vou lhe contar, vai cruzar com gente boa também, carinhosa e sensível, mesmo quando não depender dela uma ajuda, lhes darão um sossiso, atenção e respostas pelo menos com educação.
    A insensibilidade é algo que me choca, derruba...
    Boa sorte para a sua cachorrinha, que seu marido consiga o mais rápido este diagnóstico para vcs terem mais segurança para agir.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  58. Oi, Elaine!
    Vim convidar pro SORTEIO que tá rolando no Andrea Guim Blog. Serão 2 moleskins + 2 surpresas da Loja Chá das Cinco!
    Bora lá participar!!!
    Beijins,
    Andrea

    ResponderExcluir
  59. A gente sempre fica chocada com certas atitudes de certas pessoas. E ainda há lugares que colocam um cartaz bem grande dizendo que é crime ofender ou agredir um servidor público. Daí eles se se sentem deuses mesmo. Fico pra morrer quando vejo essas coisas, mas não podemos fazer nada, infelizmente. Talvez qdo isso doer na pele dessas pessoas, talvez elas reavaliem o tratamento que dão pras outras pessoas.
    Vai dar tudo certo com a menininha. Estamos torcendo sim!

    Beijos

    ResponderExcluir
  60. Olá Elaine, com fé tudo melhora!
    Eu gostaria de te indicar um site ASSEAMA, Associação Espírita Amigos dos Animais http://www.asseama.com.br/atividades/assistencia_espiritual.asp
    o trabalho de assistência espiritual segue os mesmos caminhos que os trabalhos em outras casas espíritas voltadas para os seres humanos.
    Entre em contato com a ASSEAMA através do telefone (11) 3534-3643 ou formulário no site. Para tratamento à distância, consulte a página Assistência Espiritual - Vibrações à Distância
    Vale apena tentar!

    Beijo grande

    ResponderExcluir
  61. Olá querida, que bom saber de vocês!!!!
    Essa coisa de desamor, infelizmente é em todo setor público; até parece que eles esquecem (?) que seus salários já saíram e sairão do bolso destes trabalhadores, que o Mínimo que merecem é RESPEITO !!! Questão de educação e consciência.
    É claro que dará tudo certo com seu Esposo e sua Menininha, já DEU !!! Deus é Fé, Força e Esperança... Fique com ELE. Nossas oração estão firmes e fortes. Bjkkk no <3
    Mônica Carabetta

    ResponderExcluir
  62. Olá Elaine,
    eu estou apreensiva para que aceite meu convite para seguir-me, será um prazer!
    Fiquei triste, pois vc nem publicou meu recado.Sempre ouvir falar muito de vc, da sua competência.
    Se mudar de idéia meu blog e:http://euzizi.blogspot.com.br
    Deua é grande e tudo vai dar certo...
    Fraterno abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zizi, boa noite
      Tudo bem?
      Realmente não publiquei seu comentário anterior porque ele não dizia uma palavra sequer sobre o meu post. Trazia apenas propaganda de seu blog e eu não publico comentários assim, desculpe.
      Assim que possível, dado o momento de problemas de saúde e demais complicações que estou tendo aqui em casa visitarei seu blog.
      Agradeço o convite e agradeço as palavras de elogio. E atmbém as palavras de apoio.
      beijos e boa semana nova

      Excluir
  63. Elaine,

    A vontade que dá é socar a cara de uma pessoa assim!
    Nem que eu dormisse uma noite na cadeia!
    Estaria pelo menos aliviada...
    Mas olha... nem tudo são flores nesse setor de saúde brasileiro mesmo...
    Mas vai dar certo viu?
    Deus e Nossa Senhora vão cuidar de vcs!!!

    bjos

    ResponderExcluir
  64. Desejo muito que seja rapidamente encontradas as respostas para o caso
    clínico de seu marido.
    Em Portugal o Serviço Nacional de Saúde não era mau, mas o actual Governo
    está a destruí-lo.
    Beijinhos e as melhoras também do seu animal.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  65. Oie, estava de viagem, mas agora que retornei não poderia deixar de ler seus post, eu adoro, eu concordo com vc, não podemos generalizar, mas as pessoas que decidem fazer um concurso público, para lidar com ser humano, deveria ter mais compaixão ao próximo, tempos difíceis, esses que o ser o humano, perdeu o amor ao próximo, eu particularmente procuro tratar todos bem, pois afinal ninguém tem culpa de as vezes os nossos, planos não dar certo, imagine se todo mundo fosse como essa funcionária, aí sim estaríamos perdidos, que Deus a ilumine e que quando chegue a hora dessa funcionária Deus tenha muita compaixão de sua alma!!Desejo tudo de bom a você e seu esposo, que tudo se resolva, de longe continuo torcendo e rezando por vocês, e que sua menininha esteja bem...pois so agora eu soube q ela iria fazer uma cirurgia.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…