Há amor em mim- minha participação

em 29 de setembro de 2011

Olá!

Atrasei minha própria participação…mimata esse tempo corrido… Estou começando a visitar todos os participantes, e prometo ir a todos os blogs. Vou tentar 20 por dia, então tenha paciência comigo que eu chego a você, eu prometo!

Até 01/10/2011 o mosaico estará aberto, então ainda dá tempo de participar, tá?

E amanhã eu vou postar o primeiro sorteio entre os participantes da Blogagem coletiva Há amor em mim, além do resultado do sorteio do livro da Glorinha.

Muito obrigada a todos que participaram. Os que eu já li me fizeram derramar muitas lágrimas, tô até com dor de cabeça de tanto chorar.. cada coisa linda! Recomendo que faça como eu, vá lendo devagar, um por um. Emoção? Garantida, com certeza!

Agora, a minha participação…

 

Vou te contar uma coisa sobre mim; mais uma, aliás.

Em minha família não era comum abraçar, beijar, dizer te amo. Não lembro de nem um dia na vida ter ouvido meu pai dizer que amava os filhos; ele amava, claro, mas seu modo de demonstrar não incluía falar. Mas crianças não entendem se não ouvem. E tendo sido ele próprio criado em uma casa com pai durão e autoritário, reproduziu com os filhos o mesmo modelo.

Minha mãe, sabe-se lá porque, também seguiu o modelo. Fui ouvir de minha mãe a frase "eu te amo" já adulta e casada. Antes disso, jamais. Então também nunca dizia pois havia a barreira. E de tanto nunca dizer, deixei de sentir.

E barreiras são coisas estranhas. Até hoje sou travada com minha mãe. E ela, talvez numa tentativa inconsciente de recuperar o tempo desperdiçado, me diz que me ama toda vez que me vê, ou que fala comigo ao telefone. Eu sorrio, quero responder que a amo mas as palavras não saem, ficam retidas na garganta. Eu juro que quero, sei que ela espera ouvir, mas eu não consigo. Que dor dizer isso aqui pra você. Mas é a pura verdade…

E isso tem também outro motivo: cresci ouvindo  meus pais me dizeram que eu tinha gênio forte, e que não era nada doce nem meiga. Cresci ouvindo isso, e pior: acreditando. Acreditando que não sabia amar, e que não era digna de ser amada.

Eles estavam errados. Eu estava errada. Mas só descobri isso quando minha sobrinha nasceu. Ana Laura me provou que sim, eu sabia amar. Amei aquele pingo de gente antes de ver a carinha dela. Amei no minuto que a segurei pela primeira vez. Amei hoje, quando ela passou aqui em casa, vou amar pra sempre, em qualquer circunstância. E amei do mesmo modo os irmãos dela.

Daria minha vida pela deles sem pestanejar.

E quando olho minhas cachorras aqui aos meus pés eu percebo que o amor que há em mim abarca tudo. Porque amor é amor, e não faz distinção. Amo minhas meninas, amo mesmo, do fundo do meu coração. E me dói demais saber que há animais sendo maltratados por este mundo afora…

Aliás, foi sentindo em meu coração essa compaixão pelos animais que eu aprendi que sabia amar. Que havia muito amor em mim. Não um amor da boca pra fora, nem um amor romântico pois não sou romântica, mas um amor ativo, dinâmico.

Ainda tenho muito que aprender, tenho que aprender a me abrir mais, a dizer mais o que sinto. Escrevo muito melhor do falo, e isso eu quero melhorar. Comportamentos aprendidos na infância demoram a serem quebrados, mas estou caminhando. Tanta cura eu já tive, tanta cura interior eu ainda preciso… a caminhada é longa… mas eu sigo aprendendo a abrir meu coração.

E aprendendo eu sigo abraçando meus sobrinhos, dizendo que amo. Sigo treinando amor com minhas meninas, aprendendo com meu marido que amar é ser tolerante, é ser paciente.

E assim vou tendo, dia a dia, a prova de que sim, há amor em mim. Tanto… mas tanto…

Para ler todos os posts participantes da Blogagem veja o mosaico abaixo. E ainda dá tempo se você quiser se juntar a essa semeadura de amor!

Vem!!!

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

94 comentários , comente também!

  1. Amar não é fácil né? Exige um desapego que as vezes não estamos prontos para exercitar. Vou tentar 20 por dia tb!

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Elaine!
    Tô deformada de tanto chorar visitando os posts da blogagem...e agora me debulhei de novo lendo o teu! Que presente lindo que recebi hoje no aniver do teu blog! Com uma simples ideia fizeste transbosrdar amor por toda a blogosfera. Posso dormir de cara inchada, mas meu coração está tão cheio de amor que sinto minha alma lavada!
    Carla
    http://pathyarteira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Se os pais soubessem da importância que os comportamentos aprendidos na infância tem seriam mais cuidadosos com seus filhos! Mas, como culpar uma pessoa que foi criada assim, na verdade Elaine eles não sabiam da importância de um abraço de um Eu te Amo. E quando se cresce assim, fica difícil de mudar na vida adulta. Minha avó era do tipo que não abraçava meu avô em público, que acha que isso de abraçar, beijar, tocar, dizer eu te amo é pura besteira, não que ela não goste das pessoas, ela só não acha necessário certas demonstrações. Mas, ela gostando ou não eu a abraço, beijo, digo o quanto gosto. Beijos querida e parabéns pela iniciativa, posso dizer que meu dia ficou mais lindo após ler tanta coisa boa!

    ResponderExcluir
  4. Olá!!! Parabéns pelo aniver!!!

    E sobre a postagem, em primeiro lugar, a iniciativa foi linda. Como é bom poder falar de amor e saber que tanta gente que nem conhecemos se identifica.

    E sobre o seu texto. Há sim muito amor em você: nas coisas que você nos ensina, na vida que você divide.

    Palavras são importantes, mas nunca é tarde pra começar.

    Bjussss e só pra constar: a magia de hoje foi compartilhada!

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Elaine!

    Eu tbm me atrasei. Atpe tentei programar mas, não deu certo e só cheguei agora. Mas, está lá minha participação.

    Gostei de sua forma simples e sincera de amar. Vc cita pessoas, animais e seus anseios por querer aprender e isso é o início de tudo - precisamos aprender sempre e todos os dias.

    Beijos
    Obrigada pela inciativa, adorei!

    ResponderExcluir
  6. Nossa! Como se diz por aqui:- "¡Que fuerte!" Gostei do texto, me identifiquei com ele e me fez pensar um bocado.
    Besos

    ResponderExcluir
  7. Querida Elaine foi uma delícia participar dessa sua coletiva e festa! Está linda! Li mais de 30 posts hj, quase nem consigo trabalhar e confesso que quase pego um lençol porque li tanta coisa linda, emocionante e sensível, minha nossa! No decorrer dos dias vou ler mais um pouco por dia, faço questão de ler todos porque está uma delícia!
    Quanto ao seu post eu quero te dizer que o que eu mais sinto no seu Um Pouco de Mim é justamente O AMOR! Eu acho que vc irradia amor, engraçado... Irradia tanto amor, minha Linda, que a blogosfera te ama, vi várias pessoas declarando o seu amor de forma linda a vc! ;)
    Beijo, beijo e carinhos!
    She

    ResponderExcluir
  8. Elaine, a cura interior em você já fez muito mais que em mim, melhorei bastante, mas como é difícil, falar de mim, de meus sentimentos. Parabéns por mais esta iniciativa, de mostrar que cada um por trás da telinha tem vida, tem sentimentos.Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Oi Elaine!
    Lendo sua estória me identifiquei em algumas partes...
    Como eu já te disse adoraria participar dessa blogagem, mas não consigo me abrir assim. É tanta coisa represada que acho que tenho medo de abrir e soltar tudo de uma vez. Espero que me entenda.
    Mas vou tentar ler todas as estórias!
    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
  10. Lindo Elaine,me emocionou sua história,pq tb tive uma infância onde meu pai nunca disse que amava eu ou meus irmãos,isso cria uma certa barreira. Fui dizer que o amava num encontro de jovens da igreja,já grande.Então prometi,que ia ser diferente com meus filhos.Qd eles vão dormir eu digo que os amo umas 300 vezes rsrs,qd os deixo na escola,enfim a todo momento.Vc pode ter certeza que o momento de falar ou mesmo de vc se abrir vai chegar,e é tão forte que qd vc sentir já falou,é o amor falando =] . Fica com Deus.
    Felicidades!!!

    Bjs
    www.moreninhadesigner.com

    Ps: quero ver se consigo ler tudo kkkkkkk . bjs

    ResponderExcluir
  11. Sua história é emocionante e sei que acontece na casa na casa de muita gente, antigamente era vergonha falar em amor e distribuir beijos e abraços, na minha casa com meus pais e irmãs aconteceu da mesma forma que na sua, minha Irma do meio me contou inclusive que apredeu a ser carinhosa com a família do namorado e eu quando casei... Sempre foi difícil falar eu te amo e hj em dia ainda é e por isso falo pra minha filha e pro meu marido quase que todos os dias, e espero que minha filhota cresça nesse ambiente e mantenha nela a liberdade de falar que ama o próximo quando vier do fundo do coração.
    Meu post saiu atrasado, me desculpe, mas saiu e de coração
    Beijos
    Paty

    ResponderExcluir
  12. Elaine, tb cresci numa família que não se abraçava, beijava ou dizia eu te amo, assim como a sua. Lendo o início do seu relato parecia que era sobre mim que vc falava. Mas ao contrário do que o seu pai fez, seguindo o modelo do pai dele, eu sempre dizia pra mim mesma que qdo tivesse filhos eu os abraçaria, beijaria e diria "eu te amo" TODOS os dias...e eu cumpro essa promessa diariamente, com mta honra e satiasfação.
    Vejo que vc fez, na sua postagem, o que mtos fizeram, abriu o coração de uma forma que não faria em outra situação, que pena que a maioria de nós é assim, tem dificuldade para externar os sentimentos, principalemente os sentimentos bons. É difícil se soltar das amarras da infância, mas que bom que todos se mostraram um pouquinho...já é um começo.
    Obrigada por sua iniciativa e feliz aniversário pro seu blog.
    Bjs♥

    ResponderExcluir
  13. Olá Elaine, ainda não sou sua seguidora, mas em um dos blogs que sigo vi a blogagem coletiva sobre o amor em mim, e resolvi escrever tanto pra vc, quanto pra mim la no meu blog. Eu fazia parte de um clube do livro que nem sei por que acabou. Quero participar de algo , quero me sentir acolhida e amada. Os blogs oferecem isso. Somos estranhos e ao mesmo tempo somos conhecidos. Somos pessoas e pessoas compartilham e amam.
    bjo
    Zizi

    ResponderExcluir
  14. Elaine
    Semeias o amor em toda essa Blogosfera e claro que Há amor em ti e só o tempo para que possas superar esse lado afetivo com relação a sua mãe.

    Parabéns mais uma vez pelo sucesso dessa Blogagem Coletiva e vou seguir vc e a vanessa lendo 20 por dia.

    Acho que hoje já cheguei nos vinte.


    Está lindo o mosaico. Como é gratificante ver tanta gente falando de amor.

    Beijos no seu coração

    ResponderExcluir
  15. Ai Elaine, e você pensa que não sabe dizer Eu te amo ..........
    Você disse hoje, com essa chamada geral para amar! A blogosfera, a partir de hoje, será muito mais unida.
    Todas(os) nós dizendo Eu te amo.
    Obrigada pela oportunidade.
    Obrigada pelo comentário na minha postagem.
    Estou lendo também uma por uma, vai demorar porque são tantas, não é? Mas é gratificante!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Puxa, num dia que não me foi nada fácil, me emocionei aqui e derramei o que precisava sair ainda de lágrimas. Lindo,Eliane! beijos,chica e PARABÉNS!!

    ResponderExcluir
  17. Elaine
    Sabe que tudo que vc escreveu se enquada na pessoa aqui tbém!
    Fui criada da mesma forma, igual e tal, sem abraços, beijinhos e eu te amo, mas cresci e aprendi a ser diferente com meus filhos, tudo porque me fazia muita falta tudo isso que não tive e por isso me esforço todos os dias pra deixar pra trás meus traumas, mas não é nada fácil!
    Te digo que sim há muito amor em vc e a cada dia irá aflorar ainda mais é só vc continuar sendo quem é, essa doçura de pessoa que nos presenteia com sua generosidade todos os dias...
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Que história emocionante... Ainda bem que seus pais estavam errados, vc nem precisaria nos dizer que há amor em vc, nós ja sabíamos só pelo seu jeito de dividir oque vc sabe conosco... E falar de animais, principalmente de cachorros é covardia... Aí desabo, desmonto como castelo de areia, eles são o meu melhor e o meu fraco, derreto em falar de cachorros, amo, amo, amo.., Já to chorando pq lembro que minha Lila (minha cachorrinha) ja tem 15 aninhos. Bjs querida, não vou abrir mais nenhum post hj, já chorei demais hj, de emoção e felicidades. Beijinhos

    ResponderExcluir
  19. Pois é, amiga... quando, no meu post, eu disse que havia descoberto em você uma pessoa com muita coisa em comum acomigo, era exatamente nesse relacionamento mãe-e-filha que eu estava pensando! Mas graças a Deus, GRAÇAS A DEUS minha mãe hoje é minha mãe AMADA! E foram muitas as dores, muitos os perrengues, mas muito maior do que todos eles a cura e o amor!

    Desejo que esse presente especial chegue para você também. Sei que chegará!

    Beijo enorme, querida!!!

    ResponderExcluir
  20. Antes de tudo quero te agradecer pela oportunidade de me juntas à todos... adorei!!!
    E quanto ao seu post... menina, parecia vc falando de mim. Acho que é coisa de cidade do interiorrrrrr, né?
    O importante é que o amor transborda sempre pra quem tem um bom coração.

    Beijossss

    ResponderExcluir
  21. Desculpe o atraso, mas está lá minha participação e foi feita com muito amor.
    Incrível eu tenho facilidade pra dizer que amo todo mundo, filhos, marido, amigos... mas quando chega a meus pais também travo, infelizmente.


    Parabéns por esses 3 anos querida, e daqui um ano, estarei com você né, seja como for... estarei.


    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir
  22. Simplesmente adorei o texto. Amar não é tão fácil né? rs

    Adorei seu blog. Lógico que não poderia deixar de segui-lo. Ficaria muito feliz se seguisse o meu também.

    Ah, gostaria de aproveitar e te convidar para participar do sorteio que está acontecendo em meu blog, de uma bolsa à sua escolha, da ML Bolsas.

    http://mundofashionfemenino.blogspot.com/2011/09/mega-sorteio-em-parceria-com-ml-bolsas.html


    http://mundofashionfemenino.blogspot.com/

    Beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  23. Me identifiquei em alguns pontos com teu relato. Queria lembrar que dizer eu te amo não basta. é preciso ter ações efetivas de amor.

    obrigada por esse dia de fortes emoções lendo os participantes. e amanhã tem mais, porque não li nem metade ainda!

    beijooo

    ResponderExcluir
  24. Eu tenho um bloqueio terrível pra expressar meus sentimentos e, quanto mais próxima a pessoa, mais difícil fica. Tanto que meu foi MUITO difícil pra escrever meu post e acabei fazendo algo diferente e menos pessoal.

    Ih, também ouvi a vida inteira que "tinha gênio forte, e que não era nada doce nem meiga". O que me ajudou a mudar foram os amigos que fiz pela internet. Aos pouquinhos...

    Parabéns pelo aniversário do blog e pela linda postagem :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Ví a minha historia de infancia na sua, onde ninguem dizia te amo, ninguem dava um abraço, e hoje tenho esse mesmo problema com minha mãe, só que ela ainda não diz te amo ao contrário da sua. bjsss

    ResponderExcluir
  26. Emocionante gente!... e é isso mesmo! um grande beijos meninas! :*)

    ResponderExcluir
  27. Oi Elaine parabéns por esses 3 anos e pela bela idéia de comemorar com essa blogagem coletiva com esse tema maravilhoso ... li tanta coisa linda, é tanta emoção ... o amor está por toda parte ... e você tem razão quanto diz que há tanto amor em você !!!
    Obrigado por nos dar essa oportunidade unica de partilhar e compartilhar amor !!!
    Beijos no coração
    Marcia

    ResponderExcluir
  28. Elaine,
    Não consigo ném dizer muita coisa...Mas parece que vc estava escrevendo sobre a minha história também. Corra logo e diga para sua mãezinha que vc a ama!! Infelizmente eu não posso fazer mais isso...pois minha mãezinha já não está mais entre nós. Não espere mais tempo amiga. Me indentifiquei bastante com a sua história.
    bjus

    ResponderExcluir
  29. Obrigada por sua coragem de se abrir assim.

    Se os pais soubessem que a parte mais preciosa de um adulto é sua infância, caprichavam mais.


    Hoje estava falando com minha cunhada justamente isso, que na minha infância era raríssimo o momento de carinho de minha mãe para comigo e meus irmãos, ela tinha inúmeros problemas, e não sabia separá-los de nós. Amo minha mãe de paixão, nos damos bem, mas não tenho coragem de dizer que a amo, é super estranho, fico tímida, mas acho que é porque não lembro de ter ouvido (tô chorando bicas). Na segunda-feira chamei-a de minha mãe querida no tel. e ela riu tanto que disse que ia pedir para meus irmãos dizerem isso, porque ela tinha gostado muito.

    Desculpa, o comentário virou desabafo, rsrsrs.

    O teu post está excelente.

    beijos♥

    ResponderExcluir
  30. Elaine querida!
    Ô coisa boa poder participar dessa comemoração. Estou lendo cada postagem que foi feita pelos blogueiros de plantão. Vou demorar um pouquinho, já que quero ler todas, todas, todinhas. Estou inundada de amor.
    Fiquei pensando muito em sua postagem quando fala do que se traz da infância...Acho que sou cara de pau e solta assim por causa das minhas avós e meus pais...Todo mundo sempre se tocou, se beijou muito e se declarou. Engraçado que sempre tive muita necessidade de expressar o meu amor pras minhas filhas e o faço sempre. Falo, beijo, agarro, aperto. Sou pegajosa mesmo. O legal é que elas sempre corresponderam (os sobrinhos todos também). Aqui é uma lambeção geral da cria.
    Acho que vc está no caminho, porque isso tbém pode ser um aprendizado. O problema é depois que começa. Ai meu Deus, vai ter gente falando - me larga Elaine,kkkkkk.
    Amar animais não é diferente. Amor é amor e pronto. Não se mede, não se escolhe... é ele quem nos elege como morada.
    Bjks milllllll
    Renata http://cercaviva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  31. Oi querida! AMO teu blog, para mim é praticamente a wikipédia blogosférica! rs...

    Sabe que já fui como vc relatou?! Talvez fatores externos influenciaram na formação de minha personalidade, mas depois que me tornei mãe, e construí minha própria família, tudo mudou!

    Soube da blogagem tarde demais, mas como 'há muito amor em mim', coincidentemente, falei sobre AMOR na postagem de hj do meu blog. De uma outra forma, mas do amor mais genuíno que se pode sentir!

    O título é "Amor! Milagre! Vida!"

    http://contosmamaepolvo.blogspot.com/2011/09/milagre-amor-vida.html

    Um grande beijo! =))

    ResponderExcluir
  32. Elaine amada, o amor está dentro de todos nós, só que as vezes ele é mal cultivado e crescemos ouvindo coisas negativas a nosso respeito a tudo nos leva a crer que somos o que dizem que somos...mais uma hora a gente acorda para o amor e percebemos que ele sempre esteve com a gente, embora adormecido...e é isso que acontece com você.
    Pelo seu texto percebi que você é toda amor, só precisa acreditar nisso, até porque, só uma pessoa repleta de amor é capaz de propor uma postagem coletiva tão cheia d amor assim!!!
    É a primeira vez que participo de uma blogagem coletiva e acredite...o tema da blogagem foi o que mais me incentivou a participar.
    Meu texto já está lá!!!!

    bjux

    Vânia Pinho

    bjux

    ResponderExcluir
  33. Elaine,

    Antes de mais nada, parabens pelo sucesso da blogagem.

    A vida nos prega algumas peças e nos faz endurecer e nos resguardar.
    Com o tempo a gente aprende a se soltar, a perder o medo de se abrir inclusive para aceitar o amor que nos dão. O amor não esta no dizer "eu te amo", ele esta presente nos pequenos atos, na nossa forma de estar neste mundo.
    Pela quantidade de pessoas que participam dessa festa de aniversario, voce pode ter a certeza que atraves da sua forma de se relacionar, da sua partilha, sua generosidade, voce expressa o amor que carrega consigo.

    Um beijo procê

    ResponderExcluir
  34. É incrível como, na maioria das vezes, é tão mais fácil acreditar em tudo de ruim que nos dizem!
    E é incrível sentir o quanto vc é resiliente e o quanto transmite de amor, ainda mais diante desse depoimento!

    Um xêro cheio de amor e admiração!
    Paty

    ResponderExcluir
  35. Elaine,


    Sempre escrevi os sentimentos que não consigo verbalizar. Minha família é assim como vc descreveu, e é incrivel como isso perdura. Tive rótulo de fria por muito tempo, porque não conseguia dizer algumas coisas com a facilidade que tenho para escreve elas.

    Minha mãe nunca foi de abraçar, beijar, dizer que ama, mas é uma mulher que ama muitoo tadinha, mas não consegue. meu pai foi assim tb, passei o pouco tempo que ele viveu comigo tb tentando arrancar dele aprovação e a devoção do mesmo amor que eu devotava.

    Depois o tempo passaou e eu nunca quis para mim algumas coisas que são essenciais para muitas pessoas, e mesmo tendo imenso amor no coração que sei que tenho lá vinha o rótulo de fria, oca ou até de não saber amar.

    Muitas vezes Elaine, juro pra vc, eu sinto mais amor por meus bixihos que por muita gente e posso te dizer que esse muitas vezes é predominante, mas amo ué, na minha profissão vi que amava sim meus alunos e por eles fazia qualquer coisa.

    Então eu sinto amor. tenho muito dentro de mim, eu sei. mas sou reservada.

    E isso faz com que eu seja extremamente verdadeira quando digo, escrevo a alguém que adoro, gosto, amo, porque não é algo que eu faça deliberadamente, eu tenho que sentir.

    Assim como vc, quando meus dois únicos sobrinhos nasceram, a Dayanne e o Jonathan, vi que podia amar, gosto deles como os filhos que não tenho, e por eles faço tudo o que for preciso para que sejam felizes vc nem imagina rs.

    Então é assim, por isso necessito tanto escrever e é onde me justifico no blog o pq do amparo das letras.

    bjo Elaine, amei esse texto, ´porque assim como o quem sou eu que vc se descreve vejo nele muita identificação e isso me alivia de certa forma.

    bjoooo e obrigada

    ResponderExcluir
  36. Que lindo Elaine.Me emocionei muito, e me identifiquei muito.Hoje a emoção tomou conta de mim.
    Parabéns pelo aniversário do blog!

    Bjs

    Simone Souza

    ResponderExcluir
  37. Elaine amei ter conhecido seu blog e poder estar participando dessa linda comemoração.Li sua postagem e me emocionei muito com seu relato e como os pais tem imensa importância no desenvolvimento afetivo dos filhos.
    Todos nós temos barreiras para serem quebradas e hoje minha querida você com essa linda inspiração para blogagem e nesta postagem com certeza ajudou a muita gente quebrar algumas barreiras,obrigada por isso fique na paz,mil beijinhos,Lú!!!!!!!!

    http://mundodaluciana.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  38. Olá "xará"! Estou muito feliz de estar participando da Blogagem!
    Teu texto é muito humano e sentido... E é o que a Blogagem está fazendo, espalhando rastros e trilhas de amor, de um blog ao outro...e os participantes se conhecendo e compartilhando um amor fraternal e lindo! Obrigada pela oportunidade! Mesmo que meu texto não seja selecionado, já valeu pela participação!!
    Grande bjo no coração!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com

    ResponderExcluir
  39. Elaine,

    Mais uma vez venho aqui e me emociono.Como explicar meu choro às 2h da manhã?
    Por tudo o que li aqui sei que ama demais sua família, pela tolerância, paciência e compreensão que vc retrata quando fala da sua mãe, sei que a ama muito. Dizer é apenas colocar em palavras tudo o que faz por ela, tudo o que pensa dela. É uma pessoa muito especial, e se me permite um conselho, fale logo, enquanto ainda podem se ouvir, uma a outra, porque depois, mesmo ela sabendo de todo o seu amor, não há como voltar atrás e dizer o que faltou e esse peso é muito grande para ser carregado. As barreiras só existem porque não nos propormos a vencê-las. Deixe que as palavras saiam, mesmo que na primeira vez pareça superficial, ao longo do tempo elas vão fluir naturalmente. Como pessoa, amiga, filha e esposa se livre desse peso e transmita apenas o que sente, que sei que é muito amor.
    Grandes beijos

    ResponderExcluir
  40. Oh Elaine, tu e tua sinceridade desarmam qualquer um. Fico feliz que tu tenha descoberto a verdade sobre ti. É claro que tu tem amor que transborda, se os que estao perto nao notam, os que estao longe, te lendo, te garanto, sabem disso.

    Eu sei bem o que esses adultos loucos fazem com as criancas, deixam-nas acreditar em coisas que definitivamente, nao sao verdade.

    Tbm nunca ouvi da minha mae que ela nos ama, sabia? Nunca! Mt menos do meu pai. Mas é engracado isso, a gente sabe,a gente sente, né? Minha mae deixa transparecer esse amor por nós sempre, mas da boca dela, nunca ouvimos :-(
    hj a gente sabe,mas qd éramos pequenos, realmente, como tu disseste Elaine querida, a gente precisa ouvir pra entender, né?
    Faltou isso :-(

    ps. tbm escrevo melhor do que falo...mas ja aprendi a falar sobre meus sentimentos, desde que tive meus filhos,mas aprendi mesmo foi no último leito do meu pai.
    Foi ele quem me ensinou, à beira da morte,que nao devo deixar de expressar o amor por aqueles que amo.

    Bjs e mais uma vez, linda blogagem essa que vc armou.

    ResponderExcluir
  41. snif snif, oi querida que linda a sua estoria...
    Me identifiquei muito com ela..vou contar posso?rsrs
    Olha minha mae tb nao era de dizer eu te amo,nao era de abracar eu achava que ela ate tinha uma certa raiva de mim,pois qdo eu nasci ela tinha apenas 15 anos ou seja,acho que teve que se privar de muita coisa por minha causa..Bom sei que qdo eu tinha 12 anos ela conheceu o meu padastro e esse sim ela abracava toda hora,dizia te amo milhoes de vezes ao dia ela estava tao cega de amor por ele que nao notou as suas mas intencoes para que comigo,mas isso e´ muito delicado e um dia quem sabe eu conto la no blog..
    Voltando ao assunto,qdo eu fui mae,dai ela mudou,veio chorando me abracar, nos conversamos de mae pra mae e ela me contou que minha avo tb era assim durona ela disse que sempre me amou mas era muito dificil dizer e assim foi minha relacao com a minha mae que so mudou qdo eu tive a minha propria filha mesmo assim eu nao estava acostumada com esses gestos de carinho da parte da minha mae ..Pra vc me entender minha mae nunca foi uma mae ruim,nao ,pelo contrario,ela fazia muita coisa por mim e pela a minha irma,mas dizer um te amo acho que pra ela era muito dificil .Minha mae foi uma mae super batalhadora,brincalhona,gostava da noitada,de um forro..
    Sei que pra resumir, eu depois de ser mae ouvia sempre da minha mae palavras carinhosas,mas eu ja nao morava em casa e foi dificil retribuir,era estranho,mas eu gostava e qdo sentia vontade dizia tb..Hoje se pudesse dizia mais vezes,a cada telefonema,a cada visita, mas infelizmente minha mae ja faleceu e eu sinto muito a falta dela,mesmo que nossa relacao tenha sido um pouco dificil.
    Agora com as minhas filhas sou muuuuito diferente...eu as amo e digo sempre,ao acordar,ao chegarem da escola,ao sairem pra se divertir,sem contar que a gente curte muito dia de domingo deitar juntas no sofa pra ver tv,ah e´ muito bom e elas me retribuem..vira e mexe acho bilhetinho na minha bolsa..vira e mexe um desenho feito com tanto amor que sempre guardo,imagina a pilha de desenhos que tenho..Nao sou aquela mae grudenta mas elas sabem que a amo mais que tudo e isso e´ muito importante pra todos nos..
    Nunca e´ tarde pra se dizer eu te amo mas tb nunca e´ cedo demais..
    Desculpa o tamanho do comentario mas nao dava pra explicar em apenas duas frases..Beijocas e Parabens novamente

    ResponderExcluir
  42. Parabéns pelo sucesso do seu concurso/blogagem coletiva!

    Olha, eu nunca ouvi o tal "eu te amo" dos meus pais. Especialmente minha mãe tem uma brutal dificuldade de demonstrar afeto. Ela faz de formas estranhas, mas que eu já entendi como é.

    Também os animais me ensinaram muito em demonstração de afeto, acho que temos mesmo muito a aprender com eles.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  43. Elaine, aqui na minha casa o amor também não era falado. Quando eu perdi o meu pai, ali de frente ao caixão, eu chorava e dizia eu te amo, eu te amo, eu te amo. sem parar...
    Foi aí que resolvi amar, amar sem medidas Porque só o amor é capaz de nos salvar. E olha, sua mãe te ama sim... ela hoje esta fazendo esse exercicio, confessar o amor que sente por ti. Uma beijoca grande no seu coração, Lila

    ResponderExcluir
  44. Oi Elaine,bom dia !
    O teu AMOR é tão lindo...tão puro e sincero,prá que mais neh mesmo?
    Na minha opinião,Amor é igual sangue...qto mais doamos...mais recebemos...mais renovamos...mais nos fortificamos...!
    Menina,vou te contar uma coisa,a sua história é idêntica a de uma amiga q tive da adolescência a fase adulta...ela sofria tanto ao ver o clima na minha casa,de amor,entregação total,até q um dia eu falei q com ela tbm iria ser possível,para acreditar bastava q deixasse apenas fluir...
    Ela agora mora fora do Brasil,perdemos totalmente o contato,mas fiquei sabendo q tem um filho e a história dela não se repetiu !
    O relacionamento dela c/ os pais continua o mesmo,sem entregação nenhuma,mas o AMOR pelo marido e filho,fez c/ q ela acreditasse...ainda bem,pq ela não é UMA PEDRA,como fui testemunha mtas vzes dos pais falarem e ela quase acreditou nisso...
    Mas as pedras tbm recebem amor...são lapidadas neh mesmo?
    Elaine,mais uma vez parabéns pelo aniversário,a FESTA AINDA BOMBANDO MTO,PORQUE HÁ MUITO AMOR DE TODAS NÓS P/ VC !
    beijo.
    Vania.

    ResponderExcluir
  45. Nossa estou assim com a respiração meio presa, pois me identifiquei muito com o seu texto, algumas coisas acontecem exatamente assim comigo, como eu não conseguir também falar eu te amo para minha e tem muito haver também com muita coisa que ouvi ao meu respeito quando criança, também estou tentando mudar. obrigado. Bjs Eliane

    ResponderExcluir
  46. Sabe Elaine, a gente corresponde a tudo que esperam de nós. Se os pais nos dizem pros filhos que eles são burros, sempre vão mal na escola. Se dizem que os filhos não prestam, usam termos pesados realmente se tornam delinquentes.
    Se as pessoas tivessem mais amor verdadeiro e fossem mais conscientes do peso que a criação tem na vida da pessoa, teríamos um mundo diferente!
    Mas..... é isso aí. Ainda bem que temos pelo menos 143 pessoas transbordando de amor em si.

    ResponderExcluir
  47. Elaine,
    Quando vc coloca no seu texto que se a gente não escutar a palavra amor na infância pensa que ninguém nos ama e se fecha. É o meu caso. Até hj tenho dificuldade de dizer que amo uma pessoa. Tenho e sei que tenho muito amor dentro de mim, mas falar ainda é muito dificil. São mudanças que são dificeis de serem feitas. Mas vou tentando e tentando. Amei o mosaico, me emociono em todos que já li. Alguns fico até sem palavras para comentar. Lindas histórias sempre.
    Beijos e parabéns!
    Adriana

    ResponderExcluir
  48. Elaine, moro em Portugal e sou novata em blogs. De blog em blog cheguei aqui no seu. Posso participar dessa blogagem coletiva?

    ResponderExcluir
  49. Bom dia!
    Sabe, eu acho que nós que temos mais de 35 fomos criados numa época onde demostrar sentimentos era complicado. Eu nunca vi meus pais dizendo que amavam os pais deles e nem os pais dizendo que amavam os filhos. Amavam, clar, mas não verbalizavam. E também nunca escutei minha mãe ou meu pai dizendo que se amavam em público... A gente cresce só sentindo, mas não escutando. E escutar é tão importante não é?
    A partir de uma dura e real tristeza e posso dizer até tragédia que ocorreu na minha vida, o eu te amo verbalizado passou a fazer parte de nossas vidas. Desde então todos , os dias eu digo aos meus filhos, ao meu marido, a minha mãe, irmã, sobrinhos, avós ,familiares e amigos o quanto eu as amo.
    E é sempre assim que eu pergunto: Sabe de uma coisa? E falamos ao mesmo tempo "EU TE AMO". As crianças já nasceram escutando isso e assim que aprenderam a falar já respondiam lindas e sorridentes. Não foram criadas com bloqueios...que eu sei bem o quanto são difíceis de serem quebrados.
    Um lindo dia para vc

    ResponderExcluir
  50. Realmente não é fácil mudar o que aprendemos ou deixamos de aprender na infância!Demora até para a gente perceber que ás vezes repete os mesmos erros que viamos nos nossos pais.Mas com um esforço a gente consegue!
    Linda sua declaração.
    Bjo
    http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  51. Oi, Elaine... me identifiquei tanto com teu lindo post... é muita emoção, me fez voltar à minha infância.
    Também cresci com pais que me amavam, mas eram muito austeros pra expressar esse amor com palavras. Eles também foram criados daquela maneira e me educaram bem, mas sem o carinho que eu tanto precisava. Ao contrário, só ouvia palavras rudes que me deixavam em completo desalento emocional.
    Mas Deus sempre esteve comigo, meu melhor amigo! E não guardo raiva ou rancor dos meus pais. Eu os amo apesar da falta de palavras dóceis.
    E hoje em dia, minha mãe já me abraça, fala as palavrinhas mágicas, e meu pai também demonstra o que nunca demonstrou.
    Não importa. Eu sempre os amei e os compreendi. Hoje sou uma pessoa honesta, bem formada, graças ao trabalho e ao exemplo deles.
    Tenho duas filhas, e além da honestidade e do trabalho, procuro ser exemplo de amor pra elas. Beijos, abraços e declarações de "eu te amo" são rotina em casa. Eu, marido e filhas vivemos de maneira diferente, temos o carinho explícito como norma a seguir... e flui tão facilmente!
    Maravilhoso este teu depoimento! Me fez recordar... e refletir!
    grande bj pra você
    http://www.larfamiliaecia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  52. OLÁ QUERIDA..QUANTAS ESTÓRIAS EMOCIONANTES HEIN..AMEI ESSA SUA INICIATIVA...E QUANTO A VC DIZER QUE AMA A SUA MÃE, NO MOMENTO CERTO VAI ACONTECER..MIL BEIJOS

    ResponderExcluir
  53. Olá amada..
    Dizer que seu texto foi lindo é pouco. Ele foi profundo e tocante, além de verdadeiro. Eu senti e lembrei que a minha relação com o meu pai também foi assim...inclusive ele já partiu há exatos 10 anos e eu não me recordo de ter ouvido uma vez se quer "eu te amo". Mas a vida é assim: vivendo e aprendendo.

    Bjs e parabéns por essa iniciativa tão linda que nos faz conhecer o que nem imaginávamos .

    Vívian Fonseca

    ResponderExcluir
  54. Menina, eu tbm não consgui visitar todos (e ainda tem os malware... hunf!) mas todos os q li são lindos e emocionantes! Chorei mto ontem e agora vou recomeçar! rs
    É triste qndo a gente vem de uma família que não se entrega... e qndo o aprendizado precisa vir sozinho, tudo pode acontecer!
    Mas é lindo o amor pelos animais e precisamos mesmo de mta gente para amá-los, pq o q existe de gente pra maltratá-los... afe...
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  55. Elaine... O amor com toda certeza transborda em seu coração!
    Percebo isso claramente quando viajo nos blogues que você cria para as pessoas. Em cada detalhe há amor!
    Quero agradecer a oportunidade que você nos deu de ler tantas postagens maravilhosas. Eu confesso que fiquei emocionada com muitos que li!
    Ainda não visitei todos os participantes, pois são muitos... Mas vou visitar um pór um e colher dessa coletiva as dádivas do verdadeiro amor!
    Um abraço carinhoso e que o amor a inspire sempre!

    ResponderExcluir
  56. Elaine, por enquanto só li seu post e o da Fernanda Reali. (a falta de tempo me consome! meu maior prazer é estar andando pela blogsofera, mas estou "me acabando" com casa/comida/roupa lavada/neta/, tudo, enfim, que nos abastece o dia a dia...Mas não estou reclamando! Saúde para mim, pra trabalhar bastante, ainda!)
    Sou muito como você, (sou romântica e não acredito, definitivamente, que vc não os seja!) e tenho enorme dificuldade em falar para as pessoas que as amo. Para pais, irmãos, filhos, amigos, não digo. Mas para os entos, o amor aflora tão avassalador que digo muito, digo como despedida, como boa-noite, como "oi", tudo cabe um "amo você" para eles. "Culpa" de criação, também, meus pais eram muito fechados para manisfestações.
    Vou ler tudo, mesmo que leve dias...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  57. Ah! Tinha me esquecido: ontem li o post da Chica, também. Chica é um doce, parece onipresente, sempre nos deixa um recadinho.
    Bj

    ResponderExcluir
  58. oi Elaine!

    Mãe não é perfeita como nos poemas, quanto mais convivo com a minha, mais saudades sinto do meu pai... Como Clara comentou "do interior...".

    Tentei encontrar esse botão azul e nada! Fora do mosaico, mas faço parte neste mosaico deste coração amoroso! É o que vale.

    Beijãooooo

    ResponderExcluir
  59. Elaine, é incrível a atmosfera de amor que você espalhou pela internet, quero participar também, como faço? Só postar o selo e soltar o verbo e o coração?? Eu adorei teu texto me identifiquei muito com ele, parecido com minha história, quero entrar nessa onda, posso? ainda dá tempo? Parabéns pelo blog!! beijos.

    ResponderExcluir
  60. Ainda não li todos os posts. Mas em cada um descubro uma frase importante, positiva, inesquecível. A festa está linda e você merece este carinho. Não resisti e acabei escrevendo um pequeno testemunho do que me trazem todos os blogs. Um abraço carinhoso pelo aniversário do blog. Bjks. Neli Alves

    ResponderExcluir
  61. Elaine querida, parabéns pelos três anos de blog, parabéns pela iniciativa de proporcionar tantos posts lindos escritos com o coração, como é importante essa oportunidade de colocarmos na mesa, o que temos de mais caro e verdadeiro, amei ler o que muitos participantes escreveram, emocionante, realmente, amei ler o que você escreveu, dá prá pensar que somos muito parecidos pois ao ler nos vemos nas histórias. Parabéns pelo teu texto, belissimo! Eu quero participar, já que a promoção pelo que entendi vai até dia 01/10, se você puder me confirmar se posso participar, ficaria tranquila para postar sobre o tema, aguardo teu retorno e te agradeço. bjos.

    ResponderExcluir
  62. Olá Elaine !! Vendo alguns comentarios teus sobre os posts em alguns blogs fiquei pensando o tamanho do movimento que tu provocou com esta proposta. Pensei tambem na relação de amor que existe entre tu e o teu blog! Li tantos relatos, fiz tantos comentarios, segui alguns blogs e no fim das contas eu estava confusa. Ontem a tarde deixei o meu bolo queimar, quase chego atrasada na reunião de pais, pois não conseguia sair daqui srsrsrs Até o pobrezinho do meu blog que não recebia seguidores há meses ganhou alguns srrsrsr Parabéns pela proposta e pelo movimento em torno do amor !! Acredito que fizeste algumas pessoa lembrarem que está no ar !! Obrigada BJOOOO

    ResponderExcluir
  63. Olá Elaine, já fiz o post, publiquei e não consigo inserir na blogagem coletiva! É muito amor aliado a muita burrice da minha parte. O que faço?
    Abraço,
    Beth

    ResponderExcluir
  64. Elaine..temos mutas coisas parecidas, em relação ao pai autoritário e nunca ouvir quando criança "eu te amo" e muito menos receber esse carinho...Meu marido é de origem alemã, a família sem beijo e sem abraço e menos ainda um te amo tímido.Mas ao longo da minha adolescência tive muitos amigos carinhosos e que a gente se curtia de verdade..."Eu te adoro" era a frase preferida da turma e as cartas e assim fui crescendo e amadurecendo.Mas voltando ao meu maridex, nós temos como um hábito sempre estarmos juntos, sempre beijo de chegada e saída e beijo do nada, com nós e com nossos filhos.Jamais nos despedimos sem um "te amo", seja na escola,nas saídas de passeio e principalmente na hora de dormir.E há amor pela nossa família.Aprendemos e colocamos em prática com a ajuda de Deus.E esse amor que tens por seus sobrinhos e seus animais, há o amor que existe em vc...com o tempo vamos nos abrindo e descobrindo dentro de nossas limitações, nada de fazer o que não transparece o verdadeiro...Adorei ter participado dessa blogagem, e conheci mais a fundo seu blog...Parabéns...
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  65. Amiga seu blog por si só já fala desse sentimento que brota em você,um amor desinteressado,adoro você flor
    Cheiro!!

    ResponderExcluir
  66. Obrigada Elaine...Já disse e repito, mas saiba que mesmo com toda e emoção que você me passou lendo seu testemunho , continuo vendo em você a guerreira aguerrida que põe amor em tudo que faz,minha linda Amor é atitude, não importa se você ainda não consegue verbalizar porque você já o executa. Te amo viu?

    ResponderExcluir
  67. Eliane, como falei em meu post fui contaminada por essa atmosfera de amor, e acabei participando tb. Me faltam as palavras bonitas e o dom de escrever, mas acho que participar da sua festa de amor foi muito importante.
    Sabe conheci vc e seu blog num aniversario seu, não esse ano, acho que ano passado em que muitas amigas fizeram post especias. e devagarinho comecei a aparecer por aqui e amar suas dicas de blogs.
    Nesse tempo aprendi a admirar vc e me identifiquei em alguns relatos seus, como esse de seu pai, o meu tb é calado, sisudo , sempre o dono da verdade , uma pessoa de difícil convivência.
    Ao ler tantos relatos de amigas senti vontade de participar tb e aumentar sua lista no mosaico rssss, será uma maratona ler todos esses posts.
    Mas todas historias bonitas que merecem ser lidas.

    Parabéns por essa linda iniciativa envolveu muita gente bacana e tenho certeza fez muita terapia Surgirào amizades legais por ai...
    BjS
    Leila

    ResponderExcluir
  68. Oi Elaine...
    Eu sei bem como é isso de não ter o hábito de abraçar. Assim como sei bem como é o oposto. Acho que tenho familiares dos dois tipos, os fechados e os efusivos. Acabei lendo despretenciosamente alguns posts dessa blogagem coletiva. Achei tão interessante e tão logo desisiti de fazer parte. Não ando num momento propício para tal. Digo, para falar de amor ou qualquer coisa sobre mim. Depois percebi o contrário. Estou mesmo é muito reflexiva. Fiz comentários em alguns blogs que não lembro mais e gostaria de ter guardado o texto. sabe como? Ah, não quero falar, mas já falando... mas aí abri uma nova postagem e nada saiu. Ainda assim, estou me deliciando. E u dos comentários que larguei por aí era sobre o meu pinto de gente. Aquele ser que é responsável por grande parte do amor que há em mim... :)


    Beijos

    ResponderExcluir
  69. "Love in the air"
    Ei, Elaine você com esse papo de sempre ajudar a limpar, facilitar e melhorar os blogs, olha o que voçê fez. Infectou todos nosso bolgs de AMOR, agora estamos todas bem doidas, lendo, lendo e querendo ler mais, eu não vou conseguir ler 20 por dia pois,leio choro,leio os coments e uma coisa puxa a outra.Sua postagem abriu mais leque,(sim porque eu já li todos os coments acima),todas se identificando com algo, comprova que somos todos iguais com as nossas diferença.
    Mais uma vez obrigada pelo AMOR QUE HÁ EM VOCÊ.
    Vou indo que tenho que chorar mais um pouquinho

    ResponderExcluir
  70. Ponto, consegui criar uma alegoria para o que eu queria...

    ResponderExcluir
  71. Oi Elaine, é a Vi, em casa que tem muitos irmãos sempre há comparação, os pais mesmo sabendo que nem todos dedos das mãos são iguais, algumas vezes insistem em exigir que todos os filhos hajam igual, e quando isso não acontece surge os rótulos, que na maioria das vezes ferem muito quem é rotulado.
    Existem muitas formas de pedir perdão, uma delas é dizer eu te amo.
    Amei sua postagem, sua historia é igual a de muita gente.
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
  72. Ola!! Tem um cantinhu pra socialização la no meu blog e a Crys do blog http://crysleite.blogspot.com/ indicou vc!
    Da uma espiada... espero que goste e tb participe!
    Parabens pelo blog
    Bjos
    Cris
    http://cadaquacomseupiqua.blogspot.com/p/socializacao.html

    ResponderExcluir
  73. Minha flor de amiga
    Foi um dia maravilhoso!!!
    Fui percorrendo os posts e vendo que há amor em cada um...
    Ninguém é tão duro assim que não ame... ainda que escondidinho... disfarçadamente...
    Chego uma conclusão:
    HÁ AMOR EM MIM
    HÁ AMOR EM TI
    HÁ AMOR EM NÓS
    Tenha anos e anos de blog dessa forma tão abençoada e feliz!!!
    Obrigada pelo carinho e pela ajuda no blog... sempre por amor... pois há amor em VC...
    Bjm de paz e festivo

    ResponderExcluir
  74. Elaine
    Olá minha amiga !!! Passeando muito por aí?
    Como estou feliz com o sucesso da Blogagem Coletiva. Muito lindo ver esse mosaico cheio de carinhas falando de amor.
    Parabéns a esse blog abençoado e cheio de amor que vem de você pessoa tão espeial.


    Agora vou continuar meu passeio, mas tá difícil de acabar.(Bom né?)

    Beijos no seu coração

    ResponderExcluir
  75. Olá Elaine,

    Lembrei da minha relação com meus pais ao ler tua participação na blogagem, pois também fui criada sem muitos beijos, abraços, nunca ouvi meus pais falarem que me amam. Mas agradeço a DEUS por eu não ser da mesma maneira com meu filho e minhas sobrinhas, pois os abraço MUITO, os beijo BASTANTE e digo que os AMO sempre... Não existe coisa melhor do que demonstrar nosso carinho e amor para quem amamos.

    ...Parabéns pelo aniversário do blog, parabéns por essa blogagem coletiva tão cheia de amor, tão cheia de mensagens emocionantes por onde passamos e parabéns por ser essa pessoa tão cheia de AMOR!...


    Beijinhos no coração!

    ResponderExcluir
  76. Oi Elaine, que lindo isso né. eu nunca tive esse tipo de afeto na minha infância, abraços e ouvir "eu te amo", isso nunca fez parte da minha infância ou juventude...mas a vida sempre nos dá a chance de fazer a diferença, e agradeço muito a Deus por ter a oportunidade de dizer pra minha filha todos os dias, que eu a amo e encho ela de beijos e abraços e amassos...kkkk, ela vai aprender desde cedo como é importante amar e demonstrar esse amor...obrigada por essa BC...bjs querida.

    ResponderExcluir
  77. Oi Elaine!

    Demorei mas também quis participar em sua comemoração! PARABÉNS pelos seus 3 anos! Que o amor nunca se esqueça do caminho para nossa porta.

    Abraços,

    -aurelio

    ResponderExcluir
  78. Querida Elaine, me agradecer por ter me dado esse prazer? Nem pensar. Amei participar, amei estar aqui.
    É difícil dizer quando não ouvimos, estás coberta de razão, também aprendi com meus sobrinhos.
    Por isso hoje digo, e digo muito, sem medo, sem receio, sem vergonha.
    Amo e amo muito.
    Amo porque gosto, porque amo amar.
    E nunca mais amiga, nunca ais amarei sem dizer.
    Treine muito, treine sempre, em breve você conseguirá realizar o desejo de dizer a sua mãe eu te amo.
    Mas amiga um pão feito com carinho, enviado com afeto, é também uma linda maneira de dizer: Eu amo você.
    Ela entendeu.
    Desculpe se te fiz chorar, não era minha intenção, era um ciclo que eu precisava fechar e me pareceu a melhor forma de faze-lo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  79. EXCELENTE IDÉIA ESSA POSTAGEM COLETIVA.
    EU LI OS LIVROS "VIVENDO, AMANDO E APRENDENDO", "AMOR", "ASSUMINDO A SUA PERSONALIDADE" DE LÉO BUSCAGLIA, ONDE CONTÊM MARAVILHOSAS LIÇÕES DE VIDA E NOS ENSINA A USUFRUIR OS BENEFÍCIOS QUE O AMOR PODE PROPORCIONAR A CADA UM DE NÓS. LIVROS DELICIOSOS DE SE LER!
    GRAÇAS A DEUS QUE JÁ NASCI DO AMOR DOS MEUS PAIS, E AMO INCONDICIONALMENTE, E ISTO É MUITO BOM! ESTOU TE SEGUINDO E VOU ADICIONAR SEU BLOG AOS MEUS FAVORITOS. QUE DEUS TE ABENÇOE! BJOS

    ResponderExcluir
  80. Elaine, obrigada vc pela oportunidade!!! Nossa, fiquei tão feliz com cada comentário que recebi... estou retribuindo a todos com muito carinho! E menina, vc já se olhou no espelho hoje e disse que "se ama"? Faz isso agora!!! Assim vc treina para retribuir a sua mãe! Bjooo

    ResponderExcluir
  81. Elaine,

    Há amor em você bastante pra você saber discernir o sentimento de seus pais, e principalmente de sua mãe.
    Ela te ama e sempre te amou, mas não sabia expressar. Talvez pela história do passado dela, que deve ter sido pior do que a sua.
    O importante foi que ela teve tempo de lhe dizer isso ainda em vida.
    A sua declaração de amor por ela, vai fluir na hora certa, mas não espere muito, faça enquanto há tempo.
    Todos nós trazemos traumas da infância. Uns mais, outros menos. O fato é que com o passar do tempo vamos amadurecendo e nos curando. As pessoas à nossa volta nos ensinam. No seu caso, esposo, sobrinhos, as cachorras e etc.
    Sim, todos estavam enganados, pois você sabe amar e é digna de ser amada.
    O simples fato de você escolher esse lindo tema, já prova que há muito amor em você.
    Haja coração pra aguentar tantas emoções dessa blogagem!
    Beijos


    Muitos precisam de cura interior

    ResponderExcluir
  82. Ai Elaine! Como me identifiquei com o seu texto...
    Nossa! Chega fiquei com um aperto na garganta!
    Minha história é super parecida com a sua (vem de berço!).
    Mas como você, também sei que há amor em mim e muito! Só estou aprendendo a espalhar e demostrar melhor ele.
    Lindo!
    Beijoo

    ResponderExcluir
  83. Eu tb sou assim...
    Mas como meu pai dizia: os brutos tn amam...
    Ele adorava minha "personalidade forte"...rs
    Existem muitas, muitas formas de amar.
    Adorei a blogagem!
    bj

    ResponderExcluir
  84. Elaine,bom dia!, sobre a postagem coletiva, já publiquei, eu colei o link no selinho azul, tudo certo, mas a imagem não consegui colar, estou encaminhando o link por aqui, da minha postagem, qualquer coisa me fala, ok? bjos!
    http://evasabbado.blogspot.com/2011/09/blogagem-coletiva-ha-amor-em-mim-eu.html

    ResponderExcluir
  85. Oi Elaine!

    Pai e mãe parecidos com os seus, com a diferença que até hoje nada mudou...rs...

    Não me lembro de nenhuma palavra carinhosa ou gesto vindos da minha mãe, mas não vou morrer por causa disso, temos bom relacionamento, sem problemas.

    E desde pequena, pela própria criação deles, acabou que eles introduziram alguns conceitos em nós. Minha irmã mais nova não absorveu muito, mas eu sim, e custei muito a mudar a visão que tinha de mim mesma.

    Ex: Com 1,56 e 54 quilos eu me achava a mais gorda e feia do planeta. E olha eu não era nenhum barulho.... mas nunca achei parente algum prá me dizer o contrário...rs...

    Hoje com 1,56 e uns vinte quilos a mais eu sou muito mais bem resolvida e mais consciente do meu real valor.

    E sobrinhos, ahhh, o que dizer dessas pestinhas que roubam nosso coração a partir do momento em que existem?

    Beijos.

    Clau

    ResponderExcluir
  86. fiquei muito feliz em poder participar dessa festa em seu blog, contei um pouquinho de todo amor que sinto no meu post, é engraçado que a gente lendo assim um pouquinho mais das amigas blogueiras faz com que a gente se aproxime mais, se entenda mais...e se descubra como é bom fazer amigos mesmo que virtuais, como é bom poder falar um pouco mais da gente..se abrir mesmo.
    Eu acho que viver é aprender a amar, e buscar sempre o que há de melhor, eu dou graças a Deus por não ter esse tipo de barreira de dizer que amo, minha Mãe dizia e eu tbm...digo ao meu filho, marido, amigas e amigos!!!
    obrigada por permitir e nos presentear com essa postagem!!!
    Parabéns pelo blog que é lindo, seu trabalho é maravilhoso!!
    vou estar sempre por aqui lhe fazendo umas visitinhas!!!
    bjkas
    Carla Pessoa

    ResponderExcluir
  87. Elaine.
    Primeiro quero agradecer pela proposta do mosaico. Tenho lido tanta coisa linda, tantos relatos, desabafos, tem tanto coração nessa blogagem... Que ideia maravilhosa foi esse tema.
    Quanto ao seu texto, me identifiquei com a parte de que falavam que vc tinha gênio forte e que não sabia e nem merecia ser amada. Cresci ouvindo isso tb, principalmente da minha mãe. Mas depois que converti (não quero dar uma de carola, mas foi assim, então, verdade tem que ser dita rs) fui quebrando essas coisas em meu coração e em minha alma. Percebi, aliás, Deus me mostrou, que eu sei amar sim, que sou digna de ser muuuuito amada e que tenho capacidade de amar demais! Hoje, sou super amorosa, e pessoas que me conhecem desse momento em diante, jamais diriam que não sou amorosa. Tenho fama de amorosa agora! Olha que máximo! É claro que paga-se um preço para tudo nessa vida, né. E às vezes sou mal interpretada por ser assim, amorosa. Sei lá, as pessoas desconfiam que possa ser fingimento, ou sei lá o que... Mas acho melhor assim :) Batalhei muito para chegar nesse ponto (e ainda não estou no ponto, pois ainda estouro com muita coisa).
    Pelo que vc escreve, vc realmente é super amorosa, vc tem amor demais em seu coração. É só uma questão de tempo e empenho e daqui a pouco vc dirá para sua mãe e para quem mais vc queira EU TE AMO!!!
    Beijinhos, com amor e carinho

    ResponderExcluir
  88. Em qq pessoa há amor Elaine,
    Ele só precisa ser trabalhado,moldado feito argila...
    Tem uns que transbordam amor pelos olhos,
    pelas mãos...
    pelas atitudes e tb pelas palavras...
    Mas há pessoas que não conseguem falar o que sentem.
    Eu por exemplo perante ao marido, as palavras saem, mas perto do filho, as palavras não saem, ficam retidas na garganta, por isso minha participação ser a declaração para ele...
    Ele precisava me perdoar, pq errei mto com ele...
    E o fato dele me perdoar significou demais...
    Seus pais estão errados... há amor demais em vc...
    Agora é arrancar a coragem do fundo do coração e dizer EU TE AMO para sua mãe... Não precisa ser no cara a cara, pode ser de outro modo...
    Há tantas maneiras...

    Bom domingo para vc!

    bjo

    ResponderExcluir
  89. Elaine,eu adorei sua participação e sempre te achei uma pessoa muito,muito amorosa com todos!Eu tb me expresso melhor escrevendo do que falando,mas acredito que as pessoas sentem que nós as amamos!Muito lindo e emocionante texto!Parabéns pelo niver do blog,mais uma vez!Bjs,

    ResponderExcluir
  90. Elaine,eu adorei sua participação e sempre te achei uma pessoa muito,muito amorosa com todos!Eu tb me expresso melhor escrevendo do que falando,mas acredito que as pessoas sentem que nós as amamos!Muito lindo e emocionante texto!Parabéns pelo niver do blog,mais uma vez!Bjs,

    ResponderExcluir
  91. Elaine, assim vai de geração em geração o truncamento da afetividade explícita. Uns rompem, outros não! Sua mãe conseguiu romper e hoje ela lhe diz o que ela não tinha, porque também nunca o recebera. Assim era minha mãe,, e eu que jurava que ia ser diferente, acabei imitando: fiquei travada em abraços e beijos. Não que não havia amor, havia e muito. Expor-se é uma grande arte! Estou vendo muita cura e libertação por aqui em cada relato que leio, e isso vc proporcionou. Parabéns!Obrigada! Tenha um abençoado fim de semana!

    ResponderExcluir
  92. Oi Elaine!
    Demorei mais cheguei! Semana de muito trabalho, mas enfim...viva!!
    Muita linda sua história, que em alguns pontos tem muito a ver com a minha.
    Eu conheço muita gente, que assim como nós, não tiveram a chance de aprender dizer eu te amo desde cedo, e isso para mim foi até bom, pois, depois que eu aprendi, eu soube valorizar as pessoas que verdadeiramente me amam, e aprendi a amar as pessoas pelo que elas são para mim.

    Adorei participar da sua blogagem coletiva.Tentei desenvolver meu texto de acordo com a minha vida e com aquilo que eu aprendi e tenho aprendido todos os dias, em relação ao amor.
    Obrigada pela oportunidade!

    Bjokas e parabéns!!

    ResponderExcluir
  93. OLÁ QUERIDA!
    Parabéns sua festa está linda, e o amor se espalha pelo ar! Não se preocupe tem muto mais pessoas nesta situação, eu e você e quase toda nossa geração. Somos de uma época em que nossos pais não nos ensinaram a verbalizar as palavras eu te amo, porque nem a eles foram ensinados. O importante é ir superando as barreiras, e aqui podemos ver que o caminho é vitorioso, há um amor maior nos envolvendo! Porque: Há amor em ti, há amor em mim, há amor em nós! Bjs, Ieda.

    ResponderExcluir
  94. Elaine,
    Parabéns por esta iniciativa maravilhosa e pelos 03 anos de seu blog. Umas das melhores coisa que fiz foi participar desta blogagem coletiva, eu aprendendo tanto sobre as pessoas e sobre tantas forma de amar. Cada vez que leio um post, saio enriquecida, saio um pouco melhor do que entrei.
    Seu seu post, muitos de nós fomos criados desta forma, nossos pais eraram em confundir falta de afeto e carinho com respeito, achavam que para obterem respeito de nossa parte não poderiam demostrar sentimentos. Mas que bom que hoje estamos mudando isso, eu mesma não sei dizer eu te amo aos meus pais, mas digo todos os dias aos meus filhos.
    Beijos
    Lena

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…