Viver. E deixar viver.

Faça uma experiência qualquer dia desses: saia na rua e olhe para as pessoas que passarem. Vá a um lugar mais movimentado e olhe as pessoas. E depois diga quantas pessoas iguais você encontrou.

Estranho? Nem tanto. Estamos fartos de saber que todos somos diferentes uns dos outros: diferentes na altura, no peso, na tonalidade da pele, na compleição física; diferentes no andar, no comprimento das pernas, na numeração do pé. Diferentes no sentir, no pensar e no agir. Somos diferentes e isso é uma coisa boa. Mas também pode ser um problema porque o mundo das pessoas diferentes tem enorme dificuldade em aceitar e conviver pacificamente com o diferente.

Semana passada entrei em uma loja com minha irmã para comprar blusas baratinhas para trabalhar. Achar roupa  em conta nas quais a gente caiba é uma coisa rara, então só por isso já daria um post. Mas nem é disso que quero falar. Quero contar algo que aconteceu.

Na loja que entramos havia outra cliente, também ela bem gordinha. Como sou relativamente decidida, entrei, escolhi, e fui saindo. A mulher, visivelmente irritada, me disse, mais ou menos assim: "Ser gordo é uma desgraça, né? Nada serve na gente, tudo fica feio, que ódio ser assim!" Eu, habituada que sou a ouvir essas coisas, retruquei:

-Não! Não fala assim! Já basta as pessoas falarem isso da gente e pra gente o tempo todo, ainda vamos nós fazer coro? Não!

Ela não respondeu, me olhou como seu eu fosse doida. Saí. Mas fiquei pensando…

Não é fácil ser gordinha em um mundo que privilegia as magras. Não é fácil ser magrinha em um mundo que privilegia as gostosas. Não é fácil ser gostosona em um mundo que privilegia a inteligente-bem-sucedida. Não é fácil ser mãe de 3 ou mais filhos quando todo mundo diz que a vida está difícil, não é fácil não ter filhos algum, quando todo mundo tem. Não é fácil ser evangélica/católica/muçulmana em um mundo cada vez mais secularizado e que ridiculariza quem pratica alguma religião.Onde quero chegar?

Quero chegar ao ponto em que digo algo que é, pra mim, um lema de vida: Viva. E deixe viver. Fico vendo pessoas ( e muitas vezes a pessoa sou eu) gastarem a vida achando meios de julgar e de criticar os outros. Já vi gente parando aos poucos de sair de casa de tanto ouvir que tá gorda, que tá magra, que tá assim, que tá assado…

Já vi gente sofrer não por ser diferente, mas por não deixarem que ela seja aquilo que é. Se eu seguir essa regra simples de viver e deixar que o outro viva, já pensou em quanta coisa ruim deixaria de acontecer?

E tem mais: ser gordo, ser magro, ser branco, ser negro, ser gay, ser crente, ser ou não ser… isso é apenas um aspecto do que a gente é. Um aspecto apenas. Mas não exprime tudo o que somos.

Então, da próxima vez que alguém for grosseiro com você, ou for indelicado, por conta de um aspecto daquilo que você é, lembre-se: somos todos diferentes; uns mais, outros menos. Tudo depende do ângulo. Já vi gente deixando de, por exemplo, blogar como gosta porque tem sempre um crítico à espreita. Eu, de minha parte, sempre tento mandar os críticos grosseiros irem passear.

E se tem uma coisa que não podemos fazer é coro com quem nos deprecia. Isso é realmente a parte triste: aceitar a depreciação e ainda por cima engrossar o coro dos preconceituosos, seja com o peso, a cor, a altura, a fé, a orientação sexual, a quantidade de filhos, a tonalidade do cabelo, o gosto musical, o gosto literário…

Viva. E deixe viver!

É uma boa pra começar a semana, né?

semana

47 comentários:

  1. Amei o post de hoje!!!
    Afinal temos que nos valorizar, temos o nosso valor independete da forma fícica, cor, raça ou escolhas...
    Uma semana bem vi venciada pra vc!!!!
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Complicado isso... as palavras tanto podem acariciar a alma como podem cortar ela em pedacinhos.

    Eu por mais que ache que sei lidar com pessoas de todo o tipo, posi trabalhei anos com isso, vejo que nada sei...acho que estão ficando cada vez mais modernas na arte de depreciar o outro por prazer.

    O pior de tudo como vc exemplificou é a pessoa como a moça gordinha vestir o rótulo que lhe impuseram e não conseguir mais sair do confinamento desse... e até de chegar no ponto de achar o cúmulo quem pensa diferente que se deve ter estima por seu biotipo.

    Eu já cansei de ler, e ouvir pessoas na net mesmo exaltando que ser magra é bom...e ser gordinha é desleixo... é isso e aquilo... como vc disse somos diferentes, se fala tanto em viver em diversidade que no fim é tudo balela, ninguém respeita, hoje o que vale é se a pessoa se encaixa em um determinado perfil para ser aceita, quando não... elas passam a viver um condicionamento emocional que elas é que estão erradas e devem ser autopunitivas com elas.

    Como foi o caso da moça que disse que tinha ódio de ser gorda.

    Boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Ôch !! Depois de inumeras tentativas consigo seguir !! Nada com o teu bolg, é com o meu mesmo.
    srsrrsrs

    ResponderExcluir
  4. Não Elaine, não é "uma boa" começar a semana assim, é "UMA ÓTIMA"!

    É fazer como diz Lulu Santos: "Vamos viver o que há prá viver, vamos nos permitir"!

    No mais nada é fácil, SER qualquer coisa que não se deixe levar pela mare é dificil e que bom que nada fácil demais presta!

    Cheros Elaine e vamos viver e deixar os outros viverem!

    ResponderExcluir
  5. Querida Eliane... Concordo plenamente, sei bem do que vc está falando, nunca fui magra e sofria isso, digo sofria, pq depois que assumi que sou uma gordinha bonita-sexy-inteligente, e nunca vou deixar de ser gordinha,(pelo menos passei metade da minha vida querendo ser magra, e quase acabei com a minha saúde por causa disso, e nunca consegui)passei a ser muito feliz e muito feliz, graças a Deus...
    A partir do momento que a gente se liberta de preconceitos, nos tornamos pessoas melhores e mais felizes. Nunca mais permiti que alguem me depreciasse. Eu me amo muito.
    Beijos carinhosos
    http://jeitofelizdeser.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Menina, você tocou no ponto certo!
    Mas quando nós entramos nos "enta" (não sei se é seu caso rsrs), vamos querendo viver bem e melhor. Não nos importamos mais com o "falatório alheio".
    E se nunca fomos preconceituosos, melhor ainda .....
    Não sabemos até que dia viveremos, portanto não vamos perder nosso precioso tempo com essas bobagens, não é?
    Viver e não ter a vergonha de ser feliz, assim já dizia o nosso querido Gonzaguinha .......
    Boa semana. Curta muito mesmo. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Essas pessoas podem fazer acepção,mais DEUS nos ama do jeito que somos e na minha opinião é o que importa,o resto é só um detalhe.
    Cheiro!!!

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente o que mais tem é gente pra nos criticar, seja pelo que for mas é exatamente como você disse, temos que viver, independente do que vão falar. Se a gente parar pra pensar nunca mais sai de casa, pra elogiar e agradecer são poucos.
    Boa noite.
    Beijocas...

    ResponderExcluir
  9. É uma boa pra começar a semana e levar adiante para nunca mais esquecer.
    Viva e deixe viver.
    Respeite e será respeitado.
    Seja você mesmo sempre e permita que os outros sejam também.
    Não persiga e não serás perseguido.
    E acima de tudo, se não gostares de alguém (é um direito teu), simplesmente esqueça a pessoa, mas não viva cercando a mesma, fará mais mal a ti do que a ela.
    Amei, como sempre, teu texto.
    Uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Gostei muito desta postagem.
    As vezes penso nisso,´porque as pessoas nunca estão satisfeitas,porque estão sempre querendo mais,porque querem ser diferentes do que são...é dificil.
    Creio que exige-se muito,um dos outros e ama-se pouco,aceita-se pouco.Mas como mudar verdadeiramente isso?;Com as diferenças,elas é que faz-nos crescer,amadurecer;embora nem todos percebam isso.Vc percebe,bom que postou.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. É uma boa lição, Elaine.
    A ser seguida, sem dúvida alguma.
    Que bom que somos diferentes e o importante é nos gostar do jeito que somos.
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  12. Olá, passando rapidamente por aqui, voltarei com mais tranquilidade, e de antemão, te parabenizando pelo blog, e te convidando a ir lá, conhecer o meu, ainda dá tempo de vc participar do sorteio do dia 10, basta seguir o blog e deixar um comentário - quero participar do sorteio; conheça os livros, são 10 livros p/ vcs, dos nossos novos autores! E o mês que vem, tem mais 10, corre lá, sigo-te aqui, bjs

    ResponderExcluir
  13. Belo post, Elaine! Bate um tanto com o post que fiz ontem sobre homossexualidade. Não entendo porque as pessoas perseguem e querem massacrar o que é diferente.

    E sim, a pior discriminação é aquela que vem dos próprios discriminados, porque eles não aprenderem nada na lição da vida.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  14. Ô se é um bom motivo pra começar...
    Tem gente que desperdiça a vida só apontando os defeitos dos outros. Mas não são defeitos. São as diferenças, que muitas vezes incomoda e muito...
    Eu tbm não ligo a mínima pra gente grosseira... quem tem que conviver com as grosserias são eles e não eu.

    Bom dia!!!

    ResponderExcluir
  15. Amei o post, penso exatamente como vc, cheguei a falar sobre um assunto meio parecido com seu no meu Blog e recebi comentários do tipo: mais Deus fez homem , pra mulher e mulher pra homem, mais cada um vive como achar bem, como se sinta feliz e bem, do que adianta eu seguir regras que não me cabem, que não sou, de nada serve, eu sempre falo que Deus só quer ver seus filhos felizes, ele não orpime regras quem fazem isso são as religiões... e se hoje vc não for bonita, magra, inteligente e tudo mais, vc não se encaixa e se vc não se encaixa não é aceita e blá blá... passa lá no meu Blog e venha ler meu post e me dizer oq eu acha!!
    http://artesdosanjos.blogspot.com/2011/07/nao-ao-preconceito.html

    Ahhh... e minha irmã está gordinha e fico triste de ouvir ela falar que quer morrer e fica tomando laxante e fazendo vomitos para ter o corpo que ela já teve, ela não se aceita e fico tentando dizer á ela que gorda ou magra, as pessoas tem que ama-la como ela é por dentro e não por fora, mais sinto que ela está se esvaindo e não consigo ajuda-la... é triste isso. Bjs e boa semana pra vc, seu Blog é lindo!!

    ResponderExcluir
  16. Mas eu sempre digo: se cada um cuidasse da sua vida, o mundo seria bem melhor.
    Boa semana, boa reflexão.

    ResponderExcluir
  17. Querida Elaine!
    Escute aí: clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap (muitas palmas) O Post está FANTÁSTICO! É isso aí!
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  18. AMEI! Esse post é de leitura obrigatória a todo mundo!

    A gente é policiado e policia tudo, infelizmente.

    Meu mantra:

    CUIDE DE SUA VIDAAAAAAA!

    Sempre que alguém vem fazer isso, dar palpite furado e criticas que não sõa construtivas, tenho usado o mantra mal educadinho que resolve:

    Bem suave, bem baixinho e direto:

    -"Cuide de sua vida. Não dou plapite lá para vocênão dar palpite aqui."

    Essa frase me salvou, me libertou.

    beijoooo

    ResponderExcluir
  19. Eu já fui chamada de "diplomática" por não me posicionar ou opinar diante de algumas coisas, chamem como quiser, eu chamo de respeito. O que não quer dizer que eu concorde ou aceite, mas eu respeito, ninguém é obrigado a ser, pensar e sentir igual, cada um age e faz aquilo que é melhor prá si. Acho que se as pessoas tomassem conta do seu próprio jardim, não precisaria cobiçar as flores dos outros. É o que penso... muitas vezes essa depreciação e não aceitação vem do fato que a pessoa simplesmente não aceita que o outro seja feliz da forma que é, com os conceitos que acredita, então quer engessar os outros em seus próprios padrões e conceitos. Acho que tudo seria mais leve e as pessoas mais felizes se cada um cuidasse de si e aceitasse e respeitasse o outro como ele é, fisica e emocionalmente, porque isso vai muito além de características físicas e religião. Até porque a minha felicidade não depende da felicidade de ninguém, né?

    Beijos e boa semana ♥

    ResponderExcluir
  20. "Eu fico com a pureza das respostas das crinças." rsrs.

    Excelente, Elaine!

    E me fez lembrar também de uma do Saramago acerca das intolerâncias uns com os outros:

    "vamos tentar viver fazendo o menos mal possível. Esta talvez seja a única sabedoria ao nosso alcance."

    Ótima semana pra você também.

    ResponderExcluir
  21. Eu tento seguir essa máxima (pelo menos eu prego, já é alguma coisa). As vezes eu fico dando palpites no que não é da minha conta. Mas pelo menos minha ficha cai.
    Mas eu faço coro à gordura sim. Não me aceito gorda e acho que nunca vou aceitar. Hj eu vejo fotos em que eu era magra, magra mas na epoca achando gordíssima!

    ResponderExcluir
  22. Oi, miga... mais uma vez vc consegue expressar no papel um tema tão delicado com polidez. Suas palavras foram um bálsamo pra minh'alma (ando meio gordinha tb rsrs) e agora vou lembrar desse texto quando começar a ficar down.
    Num mundo tão corrido e tão competitivo, amar a nós mesmos, em primeiro lugar, é o primeiro passo pra uma vida mais feliz, né mesmo!
    bjos e uma semana de bênçãos pra vc
    http://larfamiliaecia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Falou e disse, Elaine!
    É difícil, mas temos que fazer isso sim! Já que você falou da sua vida, vou dividir a minha um pouco com você. Concordei muito quando você disse a parte que é difícil ser magra no mundo das gostosas... Eu tô cansada de gente falando "Ah, mulher você tá mais magra!". Eu me acho muito magra e até me incomoda um pouco, mas sou assim desde criança e não adianta comer mais, fazer acadêmia...NADA! O máximo que eu consigo é ficar mais forte, mas não chego ao peso que eu quero e como fico feliz quando alguém fala que meu braço tá mais fortinho... rs E agora minha dentista falou que tenho que usar aquele aparelho extra-oral, eu pensei em usar só em casa por medo das piadinhas na rua. Mas sabe que eu não vou fazer isso não! Porque se eu deixar viverem minha vida, quem vai se prejudicar sou eu que vou ter que usar mais tempo. E isso é só um tratamento. E vou rir por último e melhor (com os dentes alinhados!). kk
    É isso! Adorei o post *-*

    Passo aqui sempre que posso^^
    http://bblah-blah-blah.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Olá Elaine, conheci seu blog pela Fernanda Reali e ja vou dizendo muito obrigada por tudo, passei o fds dando uma ajeitadinha no meu blog só pelo que ja aprendi com vcs. Do post de hj quero dizer que concordo muitooo, sou gordinha e ja me senti triste pelo que as pessoas diziam, olhavam ou apontava em mim, mas mudei e não me junto mais ao coro de julgamentos do mundo, decidi por mim que só quero e desejo profundamente ser Feliz. Bjkas Marcia Barbosa.

    ResponderExcluir
  25. Elaine...

    Que post maravilhoso, uma forma excelente de começar a semana. Muito mais que isso, esse post é um empurrão para o primeiro dia da vida de muita gente, inclusive da minha...Impossível ler e não se reconhecer, em qualquer lado da situação, seja do depreciador ou depreciado... E as lágrimas, quem segura, ainda bem que estou sozinha agora rsrsrsrs

    Eu não sou mais uma menininha nos meus 26 anos, mas me analisar e ver que me comporto muitas vezes como uma criança de 4 anos é de doer...

    Eu deprecio as pessoas que não gosto, vai ver é isso mesmo a diferenças que não tolero. Veja só... A minha cunhada por exemplo, eu não a suporto. Porque? Inveja?
    Ela é gordinha como eu, namora, se diverte, se veste bem, é esforçada, trabalhadora, independente... Dirige. Sou doida para dirigir. Não se prende a "gordura", não se priva de sair pra dançar de ter relações sexual pq acha que o namorado dela (meu irmão no caso) vai achá-la feia.. É perfeita? Não mas quem é...
    Tudo q falei sobre ela, é aquilo mesmo, mas ela se respeita e me respeita tb... de certa forma...

    Difícil vc reconhecer que implica com alguém quase que gratuitamente, e como esse sentimento te consome, conforme vc o alimenta...

    Agora a pouco mesmo, minha mãe me pediu uma bermuda que havia me emprestado, pq fica muito grande nela e serve pra mim... Enfim, peguei e fui arrumar meu filho para ir a escola. Quando escuto ela voltar do quarto rindo - quando digo rindo é um riso de quem quer chamar a atenção- e eu sabia o que víria a seguir, não deu outra...
    Ela se aproximou, vestida na bermuda, que pra ela ficou maior que ficava antes... E rindo disse:
    -E eu achando que tinha engordado, mas olha essa bermuda está maior que antes!

    Elaine, eu estava usando a bermuda e naturalmente ela se alargou mais (Ai de quem rir de mim hein kkk). Sabe, não é de hoje que percebo como minha mãe gosta de diminuir as pessoas da forma mais sútil... Eu nunca fiz isso? Já fiz sim, a gente aprende até o errado e acha graça, até que façam com a gente...
    A gente para de fazer pq fazem com a gente? Não, fazemos mais precisamos extravasar... Até que a gente cresce, ou lê seu post e percebe: Como somos idiotas!!!!

    Outra coisa que aconteceu hj mesmo: Eu estava parada na porta de frente para minha mãe, conversando com ela, e percebi como seus olhos corriam pelo meu corpo. Ela sempre faz isso, as vezes nem se dá conta que eu noto. Mânia feia... E soltou essa pérola:

    - QQ hora eu vou falar pro 'seu irmão' que se a 'sua cunhada' ficar grávida, a gente só vai conseguir ver quando nascer, pq com aquele barrigão...

    Virei as costas e fui fazer meus serviço de casa, sabe? As vezes eu revido, mas não vel ne a pena..

    Não que eu seja santa, não que nunca tivesse reparado no 'defeito' de ninguém, mas não suporto, a verdade é essa, não suporto o valor que a minha mãe dá a essas coisas... A forma como ela mede as pessoas...

    Somos magras, somos diferente da minha cunhada? Não, mas minha mãe acha que é... Só tenho uma coisa a dizer... Coitada... Só pq ela é poucos quilos menos gorda que nós duas e muitos anos mais velha, se acha a última coca do deserto...

    Enfim, Elaine...

    Se faz necessário mesmo, cortar o tal cordão umbilical, quando quem 'deve' te amar, te joga pra baixo de uma forma ou de outra, ou de muitas formas...
    Claro que minha mãe não é só isso, tem suas qualidades e outros defeitos tb...

    Já ouvi dizer que a maior parte do problema de quem precisa de terapia, são suas mães... É verdade o 'problema' eu tenho, só mifaltami a terapia rsrsrsrsr

    Mas eu amo ela, tá? hahahaha


    Beijosssss e uma semana abençoada... Alma leve!!

    ResponderExcluir
  26. Oi Elaine!
    Delícia de post!
    Somos diferentes e temos que conviver da melhor maneira possível com nossas diferenças e as dos outros! Nos aceitar para aceitar os outros!

    Beijo e uma feliz semana!

    ResponderExcluir
  27. Mai um ótimo post teu que me levanto e aplaudo de pé, frô!! CLAP CLAP CLAP!
    Sempre acreditei que o que torna o ser humano interessante é justamente as diferenças, é por conta delas que podemos somar. E muito entristeço quando vejo as pessoas subtraindo as outras por conta de rótulos, arrogância e hipocrisia.
    E daí me pergunto, onde foi parar o respeito, a educação? Como já foi dito, ninguém precisa concordar com ninguém, mas é vital ser respeitoso e educado, pois é o mínimo que queremos pra nós mesmos também, ou não?!
    Mais uma vez vc falou tudo e mais um pouco do que penso! ;oD

    Xerinhos
    Paty

    ResponderExcluir
  28. Oi Elaine!
    Adorei seu post. Este, e o anterior. O importante é ser feliz. Muitas vezes isso incomoda os outros, não podemos é deixar o incomodo alheio mexer com gente, né?
    beijos

    ResponderExcluir
  29. Cocordo com você, é muito fácil julgar, apontar um dedo, mas quando apontamos um dedo, temos 3 apontando para a nossa direção. Se as pessoas parassem de se preocupar com "O que os outros vão pensar", seriam mais felizes, pois só ligo para o que os outros vão pensar, se forem pagar as minhas contas, caso contrario nem ligo..

    Bjão

    ResponderExcluir
  30. Viver e deixar viver é um processo, não é não?! Mas sei que vale o esforço! Ótimo post pra começar a semana sim!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  31. Muito interessante. Certos comentários ou atitudes a nós dirigidas, podem ferir profundamente e causar danos pelo resto da vida. Sou catedrática nisso. Passados quarenta anos e dois anos de terapia consegui rir do caso. Mas o sofrimento fez seus estragos.
    Então, gordas ou magras, loiras ou negras, amemos todos da mesma maneira. "Viva e deixe viver".
    Abraços, Beth.

    ResponderExcluir
  32. As únicas palavras que encontrei nesse momento para comentar seu post foram: como eu gostaria de ter escrito esse texto! tenha certeza que eu não tiraria uma palavra sequer. Magnífico!

    Ótima semana para você.

    Beijos

    ResponderExcluir
  33. Amei seu post, marvilhoso começar a semana dessa forma.Grande beijo e uma linda semana.

    ResponderExcluir
  34. Olá !! Pedi uma encomenda e como não houve resposta gostaria de saber se vc recebeu !!?!! Bjis

    ResponderExcluir
  35. Ei Elaine!
    Eu simplesmente AMO as suas reflexões, sempre coerentes e verdadeiras, você disse tudo e do melhor jeito!
    Que sua semana seja de paz.
    Gd beijo

    ResponderExcluir
  36. Uma boa semana para você também!!!

    E lavei minha alma com cada palavras que escrevestes.

    Beijos e uma ótima e maravilhosa semana.

    Beijos

    ResponderExcluir
  37. Olá vim conhecer esta tua casa, fui abrindo a porta devagar e visualizei um lindo raio de luz, que mensagens positivas que você tem aqui, gostei muito e esta última sobre nós nos valorizarmos e nos amarmos como somos é muito importante,parabéns viu tua casa iluminada merece muitos aplausos,Luconi

    ResponderExcluir
  38. Elaine... o povo fala muito.
    por isso o negócio é viver cada um sua vida. pq não importa o mais "correto" que se viva: sempre vai ter um pra criticar, apontar dedo, falar mal. E se não tiver o que falar mal, inventa-se.

    feio é que nem a outra moça, ela mesmo assinar embaixo como "menos", aceitar o olho torto do mundo. o problema dela é grave, é total falta de auto estima. deve ser aquela mulher que a cada cinco minutos pergunta pro marido se o arroz tá no ponto, se o feijão tá gostoso. afff

    complicado.

    bjs e bom dia!

    ResponderExcluir
  39. Elaine, não me canso de ler seus artigos do blog... Muito interessantes, comoventes, e realistas! Parabéns por este dom que tens de escrever, colocar pra fora o que deve ser dito,... Um abraço! Sou sua fã número 1!!!
    Este post "Viva. Deixe viver!" foi mil!!!

    ResponderExcluir
  40. Elaine, foi muito engraçado como seu texto foi conduzindo meu pensamento. Eu ia concluindo aqui, você ia escrevendo aí, ou foi o contrário? :-)
    Todo mundo já disse o quanto o post está bom e eu estou feliz por ter seus textos na minha vida on line.

    bjs

    ResponderExcluir
  41. Elaine,

    Essa poderia ser a minha frase de adolescência:
    "Já vi gente sofrer não por ser diferente, mas por não deixarem que ela seja aquilo que é."
    Eu era o patinho feio (ou pelo menos pensava que fosse)!
    Tenho depressão. Mas não me abato por ela...
    As vezes tenho umas crises bravas, mas eu tento superar...
    Hoje, levo a vida... E não ligo de falar que estou gorda... sempre fui assim!
    Mas nem ligo mais...

    Adorei o post!

    bjo

    ResponderExcluir
  42. oie linda, adorei seu blog =) ja estou seguindo certza, poderia me sgeuir tb, beijos

    www.girlscosmetic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  43. Eu enxergo assim: pessoas muito críticas, mas críticas rudes, grosseiras, cheias de inveja e raiva, são pessoas frustradíssimas, repletas de problemas. São pessoas recalcadas e que não têm pena dos outros, aí, o que faço? Relevo o que dizem e levo a minha vida, não vejo nada mais a ser feito rs
    E qual o "truque" o pulo do gato para que um dia não sejamos assim? Exercer o tal de "se colocar no lugar do outro", sempre!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  44. Nossa Elaine, que legal mandou bem rsrsrs. Olha ai quanta gente se identificando, gostei muito do recado você está certa ao dizer que não devemos fazer coro e nem alimentar o preconceito né. Bjinhos e boa semana.

    ResponderExcluir
  45. ... então viva e deixa viver.
    (Pe. Zezinho)


    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir
  46. Aparentemente somos todos diferentes, no entanto, somos TODOS igual, como filhos de Deus!
    Todos temos em comum, defeitos e qualidades, alegrias e tristezas, coragem e fraqueza, além do fato de nascermos, crescermos e morrermos. Ninguém escapa!
    Por este motivo, como vc disse acima, devemos "viver e deixar viver". Ninguém é melhor que ninguém!
    Um grande abraço!

    http://marciagrega.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.


Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…