Estupráveis

em 24 de junho de 2011

Em 1988 foi lançado um filme que muito me impressionou: Acusados, que inclusive deu um Oscar de melhor atriz à Jodie Foster. Veja o cartaz do filme:

Accused

O filme trata da estória de Sarah. Não lembro de todos os detalhes, mas resumindo: ela é jovem e bonita. Uma noite vai com uma amiga a um bar. Paquera os rapazes, toma umas cervejas e lá pelas tantas a amiga a deixa sozinha (não lembro o motivo). Sarah então é jogada sobre a mesa de bilhar e estuprada por 3 rapazes, promissores filhos da classe média, jovens, bonitos, universitários que ali estavam. Eles se revezam no estupro, depois vão embora. Ela se arrasta de volta para casa, e decide ir à polícia denunciar. Aí começa o filme.

No decorrer da trama 3 cenas jamais me saíram da cabeça.

Uma é a do estupro, claro. Ela é bem pequena e indefesa, ela luta mas eles a vencem. E a cena é mesmo muito triste. Toda a fragilidade dela, que é a fragilidade de tantas outras mulheres…

A segunda cena é aquela em que ela sofre um vasto interrogatório ao prestar queixa: que roupa estava usando, o que disse, quanto bebeu, o que estava fazendo em um bar… Afinal, sempre a culpa é da mulher. Que importa se ela disse não? Se estivesse dentro de casa, sob a proteção de um macho, cuidando de seu dono, isso não aconteceria.

E a terceira é quando ela, cansada e extremamente sofrida, entra no banheiro de sua casa e passa a tesoura nos cabelos. A cena é forte, ela chora e duvido alguém segurar as lágrimas com a dor dela. Quando sai dá de cara com o namorado/marido, e depois de recuar diante de um carinho mais intenso ouve dele "Já está mais do que na hora de você superar a coisa toda". Um certo tipo de homem acha que é só mais uma transa, pra que tanto barulho? Ela nem virgem era…Lavou, tá nova…

Como eu disse, o filme é de 1988 mas poderia ter sido feito ontem e seria atual. Sabe por que?

Por que nada mudou. O caso real retratado em Acusados se repete todos os dias. Somente aqui no Brasil estima-se que uma mulher seja estuprada a cada 15 minutos.

Recentemente a ONU denunciou ter encontrado provas de carregamentos de Viagra destinados aos soldados de Kadafhi na Líbia. Sim, o ditador líbio teria, pessoalmente, instituído o estupro de mulheres como forma de punição aos rebeldes que lutam pela democracia no país! E isso deixa muito claro que estupro é tão cruel e medonho que está sendo usado como forma de retaliação em zonas de guerra! Usado como arma!

Vivemos em uma sociedade estranha… ao invés desta sociedade ensinar aos seus meninos "Não estupre!" ela ensina às suas meninas "Não seja estuprada". Percebe a diferença?

Estupro é um crime estranho. É um crime onde a vítima precisa provar que não "mereceu", que não procurou, que não facilitou. E isso é impossível de provar. Sabe por que? Porque não somos estupradas porque usamos saias curtas ou decotes profundos. Não somos estupradas porque estávamos na rua, sem companhia. Nem porque estávamos tomando um chopp.

Somos alvo de estupro porque somos mulheres. Jovens (como a menina de 14 anos estuprada aqui em São Joaquim ao sair da escola cinco e meia da tarde), velhas (como a senhora de 74 anos que foi espancada e estuprada por 2 ladrões em Susano ano passado), bonitas, feias, magras, gordas, virgens, casadas, separadas, com o filho no colo indo ao médico (sim, aconteceu em Orlândia, cidade vizinha à minha). Não importa a roupa, não importa nada. Somos estupráveis porque somos mulheres. Ponto.

Há uma indústria demoníaca dos filmes pornográficos que ensina que toda mulher tem a fantasia de ser estuprada. Basta ver um desses filmes: ela começa dizendo não, e termina gemendo gostoso… E isso entrou no inconsciente de um certo tipo de homem. Idiota… mentiram pra ele e ele acreditou…

Também mentiram pra nós quando colocaram em nossa cabeça que só é estupro se for numa viela escura, cometido por um desconhecido. Quantas mulheres não são estupradas todos os dias pelo marido embriagado? Estupro é sexo forçado, coagido por força física ou por terror psicológico. Seja lá por quais meios, seja lá por quem for… e muitas vezes é dentro de casa. O que só aumenta o horror e a impunidade.

A lei evoluiu? Sim. Mas a sociedade não acompanhou essa evolução. Uma mulher que passa pelo extremo horror de um estupro ainda corre o risco de sofrer olhares acusadores. E muitos desses olhares são de outras mulheres.

Há um ditado muito conhecido aqui no interior, que ouvi muitas vezes da boca de meu pai: "Segure sua cabra pois meu bode tá solto". Sim, vivemos essa inversão de conceitos: errada é a "cabra" violada, nunca o "bode".

Afinal, os "bodes" são maiores, mais fortes, estão no domínio há mais tempo e sobretudo têm a seu favor uma mentalidade machista e cruel, muitas vezes praticada inclusive por quem nem macho é, ou seja, por mulheres contra mulheres!

Há tempos queria falar disso, expor minha visão sobre o assunto. Não sou de levantar bandeiras, mas esta eu levanto, afinal sou mulher, e portanto, uma vítima em potencial. E francamente? Cansei de ouvir tanta bobagem, de ler tanta bobagem. E se você quiser ler mais sobre este assunto, sob o ponto de vista de outra pessoa, recomendo Somos vadias?, escrito pela Luci.

E se você tem mulheres à sua volta diga a verdade a elas: diga que uma mulher que é vítima de estupro é exatamente isso: VÍTIMA! Seja ela quem for, seja lá em que circuntâncias o CRIME acontecer, ela é sempre VÍTIMA!

Quanto ao filme, recomendo que você assista, é possível baixar na net, e algumas locadoras devem ter.

Se você tem homens (filhos, marido, namorado, irmão, pai, avô, tio, sobrinho, afilhado) à sua volta peça a eles que vejam. Conte a verdade a eles, diga que nenhuma mulher procura ou merece ser estuprada. Diga que são mentira os gemidos das atrizes "estupradas" nos filmes pornôs, diga que nenhuma mulher goza em um estupro. Diga que a dor é incomensurável, que as marcas físicas e psicológicas são profundas. E que uma mulher não merece jamais passar por isso.

 

Talvez não seja tarde para que os meninos que abraçamos hoje tenham uma chance de serem homens melhores no futuro. Homens mais sensíveis, mais livres e mais amorosos. Homens que não usem o pênis para ferir e maltratar…

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

66 comentários , comente também!

  1. Concordo com você e vi esse filme anos mais tarde, pois na época eu era novinha e minha mãe não deixou.
    Além de tudo ainda tem o babaca daquele programa de 3 letras que acha que tudo é normal.
    Parabéns pelo post reflexivo.
    beijos!

    ResponderExcluir
  2. Olá querida! Conheci teu blog tem poucos dias e é daqueles (poucos) que de cara a gente tem vontade de começar a ler e não parar mais!

    Este post está fantástico, acho que toda mulher poderia assinar ele. Lembro bem desse filme, vi qdo tinha mais ou menos uns 10 anos e nunca esqueci pq me 'traumatizou' por um tempo. Vi 'escondido' com 2 amigas da mesma idade sem minha mãe saber, é realmente chocante, forte e vivo.

    Isso me lembra o infeliz comentário de humorista e semi-celebridade rafinha bastos sobre estupro. Recentemente ele disse que "mulher feia deveria agradecer ao ser estuprada". E se a mulher feia fosse filha, mãe, irmã, ou avó dele?! Tudo ok!? É lamentável que ainda nos dias de hj e não só na década do filme o estupro seja tratado dessa forma.

    Bjo grande!

    ResponderExcluir
  3. é incrivel mas a sensação é exatamente essa quando se é violentada é como se a culpa voce nossa e eu ainda abri a porta de minha casa..e não falei nada a ninguem até hoje por vergonha..por nojo... por medo.

    ResponderExcluir
  4. Nossa Elaine, eu assiti esse filme faz muito tempo, e me deu um grande sentimento de revolta!
    O que é pior é que muitas vezes os homens são educados exclusivamente por mulheres, que mesmo sem perceber os ensinam que por serem homens podem tudo!
    Esse tipo de educação esta incrustrado em nossa sociedade, a mãe sofre em casa e o filho cresce e acha normal a violência contra mulher e um dia repetirá o ato...a filha cresce e acha normal que a mulher seja maltrada por seu "homem" e um dia será vítima "passiva" e sofrerá com seu companheiro!
    É um circulo vicioso. E eu já escutei "ah, a gente que é mulher passa por cima dessas coisas sabe...!
    E eu digo NÃO, NÃO SEI!!!
    Belo post minha linda! Bjks.

    ResponderExcluir
  5. lembro que quando tinha 13, 14 anos, minha mãe não deixava eu ir ao clube sem ela, com medo de algum crápula fazer algo comigo, lembro que ela dizia: não aceite carona de ninguém, nem de seus tios, tá entendendo?" somos obrigadas a viver com medo. quando trabalhei pela noite, meu maior medo era alguém além de assaltar o estabelecimento, fazer algo comigo, como tantas vezes já aconteceu na minha cidade. e sempre me perguntavam: "cadê seu namorado? não fica com medo de ficar sozinha não?" Não deveria né, mas eu morria de medo...

    ResponderExcluir
  6. E ainda existe os idiotas (Rafinha Bastos do CQC) que incitam esse tipo de violência, conforme li no blog da Lídia/Cor de Rosa Choque, que fazem piada com um assunto tão sério e doloroso.


    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir
  7. Olá, adoro seu blog, tanto que o tenho na barra lateral do meu, puxa hoje quando abri meu blog, visualizei sua postagem fiquei curiosa em ler, além de verdade seu desabafo, e bem forte, fale a real em torno de nós mulheres, muito bom, está de parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Deveria ter um botãozinho aqui no Blogger pra bater palmas, né!
    Senti seu ímpeto no texto! rsrsrs
    É isso mesmo, concordo inteiramente!
    Abençoado fim de semana pra você!

    ResponderExcluir
  9. Nunca vi esse filme,mas sou do tipode pessoa que costumo me por no lugar da outra para tentar entende-la e acho que seu o que uma mulher sente nessas situações.
    Quando adolescente, uns 18a ou 19a assim que iniciei minha carreira militar( hj não.) fui molestado por um oficial da marinha, não aconteceu mais nada do que apenas uma tentativa, mas lembro-me da sensação e me dá calafrios.

    ResponderExcluir
  10. A gente já fica com um nó na garganta só de ler o que você escreveu. Concordo em tudo, o texto foi excelente. Sobre o filme, vc conhece "Doce vingança"? Assisti mês passado, é um remake, ele retrata um caso horrivel de estupro com muitos homens, e no caso a garota até se parecia comigo, então no começo achei dificil assistir. No filme ela consegue se vingar deles, é bem sangrento, nojento e feio, mas quando vi tinha muita gente levantando e aplaudindo a vingança dela, tão merecida.

    Um abraço.
    Camila

    ResponderExcluir
  11. Elaine,

    Você tocou num assunto terrível e com muita propriedade. Realmente é verdade que o fato ocorre sem nenhuma provocação, alem de a vitima ser mulher!E a vitima fica acuada, quase sempre acusada, sem meios de defesa e quase sempre exposta e aviltada pelas proprias autoridades.
    Embora aconteça diuturnamente em nosso pais, esse não é um problema especifico nosso. E isso também não é exclusividade das classes consideradas mais baixas. Até os presidiários rejeitam ferozmente os estupradores!
    Seria uma tendência animalesca do ser humano? Seria uma maior ênfase na educação? Leis mais severas? Formação de valores específicos?
    Maior divulgação? Criação de uma politica publica de orientação, esclarecimento e combate?

    Te confesso que não sei.
    Veja a que ponto chega esta monstruosidade na África do Sul.

    “Após apresentar ao longo dos últimos anos um dos maiores índices de estupros do mundo, a África do Sul vê agora o crime se transformar em tema de um jogo infantil em suas escolas, segundo denuncia um relatório divulgado hoje pela Comissão de Direitos Humanos.”
    "Estupre-me, Estupre-me" e "Espanque-me, Espanque-me" são dois jogos infantis, nos quais as crianças perseguem umas as outras e fingem que estão agredindo ou estuprando seus companheiros.
    (http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI2672879-EI294,00-Estupro+vira+tema+de+jogo+infantil+na+Africa+do+Sul.html)

    “Mulheres homossexuais sofrem ‘estupro corretivo’ na África do S ul: Pare o “estupro corretivo”
    (http://nequidnimis.wordpress.com/2011/01/25/mulheres-homossexuais-sofrem-estupro-corretivo-na-africa-do-s-ul-pare-o-estupro-corretivo/)

    “O dilema dos estupros na África do Sul: Desvirginar uma mulher cura a AIDS?”
    (http://raissalondero.blogspot.com/2009/06/o-dilema-dos-estupros-na-africa-do-sul.html)
    A epidemia de AIDS no país (4,7 milhões de sul-africanos são soropositivos, o mais alto índice mundial) acrescenta uma dimensão assustadora à alta incidência de estupros, pois os principais culpados pela divulgação desta crença são os médicos ligados à bruxaria – os curandeiros locais.

    Acho que a indignação deve ser evidenciada, Acho que esta pratica deve ser exemplarmente punida, sem perdão, sem interferência dos “direitos humanos” que sempre protegem os marginais. Tem que haver um grande debate publico para se estabelecer medidas de combate e erradicação desta pratica abominável.

    Desculpe a indignação, mas como pai, nem quero pensar a minha reação se um fato desses ocorresse com uma de minhas filhas. Posso te afirmar que seria olho por olho.

    Bjo

    Ps: Como sempre, deixo-te a vontade para publicar ou não. Apenas não poderia deixar de emitir minha opinião.

    ResponderExcluir
  12. Elaine,

    Vi o filme, esses dias ainda passou na tv, a cena do interrogatório é deprimente, mas é a realidade.
    Quanto ao mercado de pornos, cada vez está mais doentio, estava pesquisando algumas coisas sobre questão de virgindade de um projeto de pesquisa e caí em algumas páginas que dão medo, contos onde se aborda incestos e coisas do tipo, fiquei horrorizada, de como se usa a questão familiar para se vitimizar as mulheres e estrupá-las, por que para mim ficou claro que era isso que acontecia.
    Passamos da hora de mudar essa mentalidade...
    Quanto ao meu filho, você viu como sofro, kkkk.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Sabe uma coisa engraçada Elaine, meu pai é um homem terrivelmente medroso em relação a mim e a Rafa, protetor, sufocante, justamente por isso, motorista, estradeiro, trabalhou de noite por décadas... Mas esse mesmo homem que tem um medo histerico por suas filhas (não estou esperimente eu atrasar 15 minutos e você verá um homem louco) é o mesmo que usa esse ditado: "Prendam suas cabritas que meu bode tá souto!", "Isso lá é mulher de respeito!", "Tava fazendo o que na rua!" e blá... blá... blá!!!

    Sei lá, os homens tem uma forma estranha de pensar, não seria melhor tentar construir um mundo melhor, ensinar os mais jovens a respeitar as mulheres???

    O mundo é um lugar perigoso desde sempre, isso não é de hoje, ou os camponeses não contariam no século no idos 1700 e me esqueci a tenebrosa história da chapeuzinho, mas não somos obrigados a perpetuar isso eternamente, se aprendi uma coisa com história é que o ontem não justifica o hoje, é hora de mudar e não nos calemos...

    Adorei o post Elaine, essa bandeira também levanto!!!

    ResponderExcluir
  14. Elaine, seu texto está perfeito, digno de ser copiado e divulgado.
    Falei sobre isso no post da Luci, esta semana mesmo. Vi um filme, no dia em que li o post dela, na TV, e fiquei indignada. Já assisti a este, com a Jodie, mas me lembro pouco.
    Você falou bem sobre o estupro acontecer também entre marido/mulher, quando o sexo forçado.
    Muita vezes a mulher (esposa) foge do homem, mas este quer satisfazer seus instintos, exigir "seus direitos" e se caracteriza estupro do mesmo jeito, mas qual mulher denuncia isso?
    Para mim sempre foi inadimissível o argumento de que a mulher se veste para provocar, que estar em um determinado lugar seja um facilitador (boate, bares), e tanta coisa que tentam imputar à mulher, para que ela deixe de ser vítima e passe a ser a causadora.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  15. "Estupro é um crime estranho. É um crime onde a vítima precisa provar que não "mereceu", que não procurou, que não facilitou. E isso é impossível de provar." essa é a visão, digamos que, leiga da situação. No direito penal estupro é estupro e ponto final. Não importa a situação..se houve o ato em si, a culpabilidade, autoria, materialidade, tipicidade etc etc haverá punição, independente se a pessoa for prostituta ou dona de casa.

    ResponderExcluir
  16. Olá Eliane fantástica sua post, realmente precisamos nos posicionar como mulheres de verdade e deixarmos de ter receio de falar do assunto, precisamos conversar mais, debater e talvez até gritar até que alguém resolva escutar e parar de olhar as mulheres como coisas, eu também vi esse filme e senti a mesma coisa que vc um misto de revolta e indgnação pela forma como ela foi tratada, foi de doer...

    ResponderExcluir
  17. Esse filme me marcou forte, foi no mesmo ano que minha amiga/irmã fora violentada. Lembro dela não conseguir ver o filme...
    Seu post está excelente Elaine. Dolorosamente excelente.
    É preciso com urgência, uma mudança de mentalidade, para que a próxima geração de mulheres não precise "cuidar para não ser estuprada", que piadas sobre o tema, sejam de tão mau gosto, que nenhum humoristazinho se arrisque a contá-las...
    Eu li seu post ontem, mas não consegui comentar, ainda estava sob choque da notícia de que uma amiga de minha irmã mais nova fora atacada, morta e jogada sobre a linha do trem, aqui no Rio.
    A verdade é vivemos numa sociedade de risco. Onde só o fato de sermos mulheres já nos coloca sob a mira...

    ResponderExcluir
  18. Olá,td bem? Realmente esse é um assunto importantíssimo e somos responsáveis sim por um futuro melhor no momento que ensinamos o certo para nossos meninos.
    Bjs e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  19. E ainda acham que ser mulher é glamouroso...

    ResponderExcluir
  20. Oiii Elaine, vi seu post pelo twitter, ressuscitei o meu.
    Não vi o filme, não tenho palavras para comentar de tanta indignação, principalmente sobre o post do leitor Lufe, o que estão fazendo com essas mulheres na Africa do Sul!
    Desculpa se não consigo comentar
    :(
    Super beijo
    jpmulheresnainformatica.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Elaine,

    Vc abordou com brilho a questão! Só acrescentaria que todos os dias há também mulheres estupradas pelos próprios maridos/companheiros sóbrios!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  22. Seu texto está perfeito.
    Assisti a esse filme e fiquei bem chocada com ele naquela época. Você tem razão quando diz que o filme é bem atual ainda. As culpadas somos nós, as mulheres, pois criamos esses homens que pensam dessa forma; em parte, porque na verdade criamos esses homens junto com um homem que costuma pensar dessa forma machista. Meu marido é filho de sargento e algumas vezes fala coisas tão absurdas que fico até espantada - depois perdôo porque sei que vem da criação que ele teve.
    Vai ser muito difícil mudar isso. Mas temos que continuar lutando.
    bjs
    Sônia

    ResponderExcluir
  23. Como disse a Sueli Pinheiro: "Deveria ter um botãozinho aqui no Blogger pra bater palmas, né!"
    Elaine, querida!
    Seu texto está perfeito!
    Eu assisti esse fime q realmente choca e dói, e nessa época q estamos vivendo o 'politicamente incorreto', q pessoas fazem 'piadas' de td e dp dizem "é só brincadeirinha", fica parecendo de q td pode, dp é só pedir desculpas (isso qdo se pede...)
    Faço de td pra criar meus filhos bons homens, pq me dá medo td isso... Ainda mais agora q sou mãe de 2!!
    Bjão
    da Li
    e ótimo fds

    ResponderExcluir
  24. ah, outra coisa, tem mtos posts sobre o assunto, inclusive do tal programa q abusa de 'piadas' no blog
    http://escrevalolaescreva.blogspot.com/

    tenho acompanhado lá td... recomendo q leiam!!!

    bj
    da Li

    ResponderExcluir
  25. Oi Elaine, seu texto é muito atual infelizmente, real e é nojento agente ver ainda hoje nossa sociedade quase que em sua totalidade cheia de homens e até mulheres agirem e pensarem assim. Aquí no nordeste e norte então parece que é muito mais.O que espanta e dá raiva é a naturalidade com que esse assunto é visto pela a maioria. Bjs

    ResponderExcluir
  26. Eliane, assisti este filme qdo era novinha.Lembro-me que uma das armas da defesa foi o telefonema que um rapaz dava do orelhão, não foi?
    Bem, concordo com vc em tudo e achei seu post muito bom! Tenho um ranso dessa coisa machista, seja em que escala for. Já está na hora dessa coisa toda acabar, e não acaba. Cansa a beleza, sabe? Tenho uma filha mocinha em casa, de 12 anos. As vzs ouço umas barbaridades do meu marido, aquela coisa machista mesmo. Na hora levanto a voz, digo para minha filha que não é nada disso, que o certo é outra coisa e sempre digo 'não deixe homem babaca nenhum de convencer do contrário, até mesmo se esse homem for o seu pai.' Beijos

    ResponderExcluir
  27. Nossa... parabéns pelo texto.
    Eu já assisti este filme e chorei muito com a personagem, realmente é um horror ser estuprada, mais não é só o estupro que fere, o abuso sexual tbm, pois eu sofri com ele e sei que é tão dolorido quanto um estupro, meu padrasto abusava de mim quando tinha 11 anos, me beijava a força e ficava querendo me acariciar... era horrivel e quando falo disso me doi muito por dentro, mais fui esperta e tratei de mudar meu jeito naquela idade, me protegi de todas as formas, para que aquilo não vira-se estupro, não ficava sozinha com ele e nem deixava ele chegar mais perto de mim, mais muitas vezes eu não conseguia fazer isso e ele continuava a abusar de mim, aos meus 12 pra 13 anos, dei um basta naquilo, e me revoltei, disse a ele que nunca mais iria encostar em mim, do contrario eu o mataria, ele parou finalmente e consegui proteger minha irmã caçula daquilo tudo, minha irmã mais velha tbm sofreu o mesmo, mais só soube disso anos mais tarde e sabe o que é pior disso tudo??
    É que minha (mãe) sabia de tudo e nunca fez nada para nos proteger e eu criança, burra e pobre, não sabia que tinha direitos e que existia leis para isso, eu sabia que era errado, mais não sabia que podia procurar ajuda na policia.
    A informação é tudo e por isso, hoje sou mãe, me recuperei do trauma, ainda doi quando falo disso e a ferida sangra, mais sou uma pessoa que conseguiu superar isso e ser a melhor mãe do mundo para meus filhos, tenho 2 meninas e sempre falo sobre isso com elas e tenho 1 menino e estou ensinando a ele o que é ser um homem de verdade.
    Não tenho vergonha de falar sobre isso e nem de contar minha historia, pois quem tem que ter vergonha é minha mãe e aquele desgraçado que queima no fogo do inferno, eu não tenho que me envergonhar de nada!!
    beijos e parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  28. Olá Elaine!
    Seu texto realmente como a opinião de todos, é de grande ajuda e bom para refletirmos bastante sobre essa feia realidade que estamos vivendo. Não vi o filme, vou procurar por ele.Obrigada, um grande beijo.

    ResponderExcluir
  29. Oi Elaine é triste saber que os anos passam e nós mulheres continuamos ser vítimas, as vezes até mesmo de outras mulheres que acham quando são traidas as vagabundas sempre são as mulheres e perdoam o safado do marido . bjos.
    http://mulhersuper.blogspot.com

    ResponderExcluir
  30. Elaine, como é bom ler seus textos.É uma situação muito difícil essa em relação a sexualidade. Alguns homens tratam as mulheres como objetos mesmo...Esses dias apareceu nos celulares dos adolescentes aqui da minha cidade um filme pornô feito caseiramente por uma adolescente de 13 anos estudante de uma escola pública e um rapaz não estudante.Todo mundo conhece. Eu me recusei a ver quando me disseram o q eles faziam.O caso encerrou , conselho tutelar não conseguiu nada de concreto. E teve gente q disse q a menina estava gostando. Não acredito. Ela certamente estava drogada.Sofri muito com isso. Mesmo só conhecendo ela de vista.
    Bjos Luzia Lira

    ResponderExcluir
  31. Muito bom o post! É isso mesmo que você disse, somos vitimas em potencial só pelo fato de sermos mulheres.

    Eu vi esse filme é muito bom. Sempre que posso assisto novamente.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  32. Teu texto tá perfeito. Também assisti esse filme.
    Recentemente minha cunhada foi estuprada na parado do ônibus as 14h30min. O pior é ter que passar por um sistema onde o médico te trata mau(pq tu foi no hospital errado) e teu corpo de delito é feito no mesmo andar onde os bandidos que apanharam vão.
    Temos realmente que refazer nossos valores.
    Compartilhei teu texto.
    Um beijão!

    ResponderExcluir
  33. Passou um filme na minha cabeça, não pelo estupro, mas pelo casamento. Isso me causou traumas que depois de anos ainda carrego comigo. Difícil.

    ResponderExcluir
  34. Sempre uma excelente postagem por aqui. Tenho 2 meninos, e sempre martelo na cabecinha dele o quão importante é eles tratarem com carinho e respeito uma mulher. Eles já entenderam o recado, e ficam com raiva quando veem na tv alguma reportagem (o que não é difícil) sobre violência contra a mulher. Claro que na idade deles (7 e 6), esta parte de estupro eles não tem noção, mas se já souberem a preciosidade que é uma mulher, isso será consequência. Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  35. Depois dessa postagem eu só tem a falar uma coisa "Uau". O mais chocante é que é a mais pura verdade estupro é crime e a sociedade tem que deixar de ser machista!!!

    Bjs!!!Gostei dos "Olá, visitante"

    ResponderExcluir
  36. Depois dessa postagem eu só tem a falar uma coisa "Uau". O mais chocante é que é a mais pura verdade estupro é crime e a sociedade tem que deixar de ser machista!!!

    Bjs!!!Gostei dos "Olá, visitante"

    ResponderExcluir
  37. Que post! Quanto mais de nós ficarmos indignadas, mais esclarecidas e fortes seremos.É fundamental mudar a mentalidade - você além de homem é ser humano e não "bode" ou macho alfa! Educar é preciso.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  38. "Talvez não seja tarde para que os meninos que abraçamos hoje tenham uma chance de serem homens melhores no futuro. Homens mais sensíveis, mais livres e mais amorosos. Homens que não usem o pênis para ferir e maltratar…"

    Transcrevi o último paragrafo por me parecer o resumo e a conclusão final.
    Todos nós homens e mulheres devemos educar para que estes factos nunca aconteçam, mas infelizmente somos poucos contra uma sociedade que vive apenas para o prazer.
    As famílias tem sido sistematicamente destruídas e os filhos crescem sem valores nem respeito. Vemos hoje muita violência nas escolas e também procura de sexo como se isso fosse uma banalidade.
    Este artigo está bem escrito e é oportuno.

    ResponderExcluir
  39. Existem muitas maneiras de violar e violentar a dignidade humana. O estupro talvez seja a mais cruel, a mais perversa, a mais doentia. Não se trata de instinto de macho, trata-se de patologia social (muitas vezes consentida por um sistema de valores onde a primazia masculina faz olhos cegos e ouvidos moucos). Parabéns pela arquietura grandiosa do artigo, Elaine. Meu abraço. Paz e bem.

    PS: Tô numa alegria danada pelos elogios que tenho recebido acerca do novo visual do blog. OBRIGADO , DE NOVO!

    ResponderExcluir
  40. Oi Elaine...
    É a primeira vez que passo por aquí.
    Eu me lembro muito bem desse filme.
    As cenas eram realmente muito impactantes. Voce citou as que mais me lembro também.
    Esta postagem me fez lembrar da "Marcha das vagabundas" um movimento que surgiu e se espalhou pelo mundo depois de um caso de estupro,quando um representante da Polícia de Toronto teria dito que as mulheres deveriam evitar se vestir como "slut" (vagabunda), para não serem vítimas de crimes sexuais.
    Interessante que eu lí a muitos anos da mesma autora de Complexo de Cinderela, um livro intitulado "doce sofrimento" e que falava sobre o masoquismo feminino. Nesse livro li que foram entrevistados vários estupradores e que eles diziam escolher as suas vítimas entre as mulheres que aparentavam fragilidade e não sensualidade. De fato é um ato cometido por homens covardes que buscam domínio e não o prazer sexual.Talvez o prazer na dor de uma vítima aparentemente mais fácil de controlar.
    Vou te seguir.
    Bjos....

    ResponderExcluir
  41. Bom dia Elaine!

    Excelente e pertinente texto!

    Sempre comento num sentido figurado: "Você passa por uma vitrine de doces
    maravilhosos e deliciosos. Você quebra a vitrine para pegar os doces?" O fato da mulher estar exposta não quer dizer que ela está se oferecendo... Esse é o mote do excelente filme! Já assisti 3 vezes.

    Aqui no Norte a violência é bem maior e talvez escape das estatísticas, principalmente porque ocorre na maioria das vezes dentro da própria família, infelizmente...

    Um sábado relax p/ vc!

    Beijosssssssss

    ResponderExcluir
  42. @*♡* Jane dos Anjos *☆*


    Jane, estou chocada com teu comentário! Tudo o que teu padrasto fez, sua mãe sabia e nada fez?????

    Horrorizada! Quando penso que já vi de tudo, percebo que não vi nada!

    Graças a Deus que hoje você leva uma vida normal! Que continue assim! E Parabéns por ter superado esse trauma tão grande!

    ResponderExcluir
  43. O machismo absurdo é revoltante!!

    Por isso eu defendo que toda mulher deveria aprender artes marciais para se defender.
    Se o cara não estiver armado (muitas vezes não estão) elas baixam o pau!!!rs

    Mas, brincadeiras à parte, isso é triste demais mesmo!

    bj

    ResponderExcluir
  44. Como você mesma diz, Elaine, pior de tudo é que outra mulheres (também vítimas em potencial) também apontam a estuprada e colocam em dúvida sua posção de vítima. É lamentável.

    ResponderExcluir
  45. Gostei do post, não vi o filme, mas vejo no noticiário, como funcionam os casos de estrupo,são realmente deploravéis, como alguns mostram a situação da mulher!

    www.atelierartedecor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  46. Infelizmente, tanta gente passa por isto e nem sabe o que é. Não sabe dizer que foi estuprada... já vi de perto um caso assim. Terrível... e deixa marcas que não se apagam... nunca.
    Lindo o seu texto, apesar de muito forte -me levou às lágrimas.
    Já vi o filme, mais de uma vez, e a emoção foi a mesma. Fico quase sem ar a cada cena em que ela é quase convencida a dizer que é a culpada, depois de tanta pressão.
    Bjks. Neli

    ResponderExcluir
  47. Elaine boa noite querida,

    Estive a ler s eu post, como faço todos os dias pois ele chega e vou logo lendo, mas este me fez recuar uns anos quando vi este filme, já vi muitos, mas se me perguntassem agora qual me marcou mais foi este sem dúvida, a Jodie Foster é aquela artistona conseguiu passar para a cena o horror que todas nós sentimos.
    Quem não viu por favor vá a correr ver, é forte, mas se voce tiver filhas e filhos veja com eles está ali tudo o que não se deve permitir que façam, porque a malta que assistiu não fez nada, e para os meninos fica bem viva a imagem de quanto sofre uma mulher.
    Mas Elaine ela depois não se vinga??? Ou é já meu cérebro a querer vingar todas as que passaram por tal horror.
    Gostei muito da forma fácil de ler como a menina escreveu este texto, continue.
    Beijos querida

    Júlia aqui em Lisboa (está um calor que não se aguenta, é 1:40 da manhã e eu estou fazendo tempo pois quero ir ver um filme que começa daqui a 15m)

    ResponderExcluir
  48. Post chocante e necessário. Li o post da Luci e realmente é um tema que tem que ser abordado e conscientizado para que, como você diz, os meninos que hoje abraçamos possam homens mais sensíveis, mais amorosos.

    Vi o filme já tem tempo e é muito bom e com certeza merece e deve ser mostrado e revisto por muitos.

    Qunatas mulheres pela educação que tiveram, pela ignorância talvez são estruppadas pelso seus maridos vendo isso como uma obrigação do casamento. Então só a mulher que tem obrigação? Tem quer ser o objeto dos machistas da vida?

    Um filme que pode ser lembrado é o dormindo com o inimigo que também retrata uma forma de estrupo e mal trato de um homem possessivo e doente.

    O livro Cabra Cega também mostra a mulher flagelada, estrupada nas mãos de um marido doente.

    bem se deixar tem assunto para contar que não vou sair daqui.

    Quanto não teria para contar ...

    Beijos no seu coração

    ResponderExcluir
  49. Já vi esse filme e achei muito triste! Dias atrás., no twitter, uma conhecida bem liberal, cabeça arejada, mulher batalhadora, me surpreendeu ao dizer: também pudera, fulana vestida assim tá querendo ser estuprada.

    Te juro, me caiu o queixo. Só porque a moç teve o mau gosto de sair quase pela com uma minissaia de um palmo, a outra esclarecida estava achando certo as ofensas que a moça ouviu de marmanjos. Triste, né?

    saudades de ti! sumidinhaaaa

    ResponderExcluir
  50. Oi querida conheco o filme e estou aqui,o coracao meio que acelerado ,um no´ na garganta e uma revolta imensa.Concordo com o que vc disse,muitas mulheres Vitimas,ate desistem de denunciar o crime por medo..Por medo de nao acreditarem nela,por medo de ser rotulada de vadia..Um absurdo!!
    Tenho duas meninas e morro de medo ,medo de uma dessas crueldades e outras mais e o pior que o mundo ta cheio desses "Bodes" sem controle.
    Muito boa a sua iniciativa de divulgar isso,chega de silencio..Mulheres ,nos merecemos respeito,independente de idade,cor,maneira de se vestir etc e tal!!beijos

    ResponderExcluir
  51. Adorei a postagem;),posso ser até de menor mais uma coisa estou certa de uma coisa estrupo é crime(denuncie)é verdade estrupo é CRIME e a mulher é totalmente uma VÌTIMA, algumas pessoas dizem que a mulher naceu pra sofre também comcordo com isso mais a vida tb tem seus autos e baixos.A mulher tb pode ser feliz,vi este filme hj mesmo e posso lhe afirmar que estou com um ódio de uma imencidao gigante, coraçao muito vs muito acelerado
    Adoro muito seu blog, levei um pouquinho dele em meu blog e ja posso lhe afirmar muita gente ja viu amei seu blog :D, levei um pouquinho dele tb para minha familha(meus pais)e para meu E-mail todo dia tem um atualizaçao nele.Voce é uma flor!♥
    Fique com o SrºJesus Cristo
    E que sua familha e amigos seja abençuada todos os dias!
    Deus o a abençoe, deus ve tudo deus sabe oque voce faz e concerteza ele tem muito orgulho de ti♥♥

    ResponderExcluir
  52. Elaine,
    Eu não consigo mais ver esses tipos de filmes, acho que é pq tive uma experiência um pouco traumática a esse respeito e que só não concretizou pq consegui escapar!
    Então recentemente revi o tal sujeito e meu sangue gelou nas veias...
    Sei lá o trauma foi grande demais...
    E depois aprendi que se não consigo perdoar, melhor é trancar a sete chaves dentro do peito e jogar a chave fora...
    Prefiro esquecer...

    Mas obrigado pela dica!

    bjinhos!

    Olha achei a receitinha dos Cup cakes e vou copiar de novo e guardar com carinho pq é mesmo delicioso!


    bjão e boa semana!

    ResponderExcluir
  53. Adorei o assunto. Você tratou muito bem e expôs o que nós mulheres sentimos. Muito boa a postagem. Já vou recomendar para mais pessoas.
    Uma ótima semana pra vc.

    ResponderExcluir
  54. Oi Elaine, eu não sei se estupro é considero crime hediondo, mas deveria ser.
    Não consigo imaginar como uma mulher supera um trauma desses e segue a vida.
    Como voltar a ser tocada, depois de tal ato de violência?
    P.s: não me esqueci de você, tenha mais um pouquinho de paciência comigo rsrsrs.
    Bjs

    ResponderExcluir
  55. Oi Elaine,passei para conhecer o seu blog e gostei muito,estou iniciando e preciso aprender muito espero q me ajude e quem sabe repaginar o meu,gostaria q entrasse em contato comigo para nos conhecer,já sou sua seguidora.
    Passe no meu blog para conhecê-lo, sei q tenho muito a aprender,mas quero tb ensinar o pouco q sei...

    universofeminino-edna.blogspot.com/

    Agora falando sobre o seu post...

    Este post é muito chocante e demonstra q nós mulheres,somos sensíveis,q mais q o tempo passe e as mulheres ganham espaço na sociedade ocupando cargos importantes,ainda assim somos sensíveis,frágeis e devemos nos unir contra essas pessoas q acham q na maneira como nos vestimos,falamos ou andamos, NAÃÃÃÃÃO estamos à caça e muito menos se mostrando q é o q vejo e ouço homens dizerem...Porque quando uma mulher quer sair com algum homem ela tem outros meios e artifícios de conseguir e não precisa estar de mini saia,pode muito bem está vestida como uma freira q ela consegue mostrar ao homem o q ela deseja!Só q os homens com essa mania de achar q a mulher ficou mais fácil com o tempo, acha q todas são iguais. Como estão errados,a maioria para se envolver com um homem querem algo a mais,o carinho,o respeito,a admiração,o companheirismo, gostamos de sexo tb e muito só q queremos com a pessoa q escolhemos para ficar ao nosso lado e não com qualquer um e muito menos a força..

    O mundo evolui,mas esses homens precisam evoluir e aprender a lidar com a mulher de hoje, e isso se consegue começando em casa,com os nossos filhos,devemos ensiná-los a tratar bem uma mulher para q tenham sucesso em sua vida sentimental!!!

    Bjs!!!Edna

    ResponderExcluir
  56. Vi esse filme algumas vezes, excelente. O assunto é triste, mas mais comum do que a gente pensa, e muitas vezes cometido não por estranhos, mas sim por familiares. O que mais me impressiona em casos de estupro, ou abuso sexual, hj considerado tb estupro, é que sempre existe uma alma sem noção para dizer que a vítima que é a responsável.
    O que pra mim é um argumento covarde e que compactua com o estuprador. NENHUMA MULHER PEDE OU PROVOCA PARA SER ESTUPRADA.

    Parabéns pela abordagem Elaine.

    Minha querida, vc tá bem? Espero que sim, estou preocupada com o seu off... ;)

    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  57. Sua abordagem sobre o assunto está perfeita e compactuo com sua opinião. É uma pena que depois de tantos anos a situação da mulher ainda continue no mesmo patamar. Não houve avanço para esse tipo de crime e muito menos para outros tantos crimes dos quais as mulheres são vítimas. Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  58. Boa Noite Elaine,

    Aplausos, aplausos, aplausos!!!!

    Além de tudo que ja foi abordado por você e comentado aqui, digo ainda que temos uma mídia que poderia estimular o respeito à mulher, mas ao contrário, está sempre exibindo-a como objeto de "consumo".

    Fica em PAZ *)

    ResponderExcluir
  59. Sem palavras diante de um texto como esse!
    Você abordou a questão maravilhosamente!
    Um absurdo a sociedade em que vivemos ainda ter um pensamento tão pequeno em vários aspectos. É revoltante a reação das pessoas diate de um estupro, principalmente os olhares das próprias mulheres como vc citou.
    Queria muito que as pessoas tivessem a sua coragem e falassem mais no assunto, talvez isso conscientizasse essa população não pensante que acha que as coisas são assim mesmo e ponto final.
    Passar por aqui é sempre um crescimento pessoal, com toda certeza!
    Sabe, adoraria conhecer vc pessoalmente, acho que os assuntos iriam render muito...
    rsrsrs
    xero grande Elaine, paz e luz!

    ResponderExcluir
  60. Elaine, esse post foi o melhor e mais bem escrito que já li aqui contigo. É perfeito, em todos os sentidos. Altamente esclarecedor, altamente útil.

    Obrigada por ter sentado e pensando nas palavras pra escrevê-lo, sei como algumas vezes, isso leva tempo, suor e lágrimas. Foi mt bom ler e sei que vai ajudar a mulher certa, qd ela aparecer aqui pra ler e entender, que ela de fato, nao tem culpa por essa covardia imposta na nossa sociedade. Mt bom tbm na Luci, ela cita um ponto importante, a sociedade ensina a mulher: nao seja estuprada em vez de ensinar: nao estupre.
    Mt bom!
    Parabéns a você pela coragem em falar disso e a Luci tbm.

    ResponderExcluir
  61. Olá Elaine
    Como sempre, um texto fantástico.
    Eu já vi esse filme, e confesso que não conseguir ver outras vezes que passou. Ele é muito forte e da vez que vi, me lembro de ter ficado muito constrangida (injuriada, pra falar a verdade) com a situação.
    Ter que provar que você não queria aquilo. Como se alguma mulher sonhasse com isso não? Eu até já li relatos de mulheres contando que imaginavam uma cena de estupro, mas isso é imaginação mesmo, e não realidade.
    Como foi o caso da moça da UNIBAN que só por que estava com um vestidinho curto, os meninos acharam que tinham o direito de fazer aquilo que fizeram.
    beijos

    ResponderExcluir
  62. Nunca tinha pensado à respeito, e vendo tua reflexão fiquei perplexa! Concordo com tudo que você falou, mas não sabia da história da Libia e dos casos que tu comentou. É realmente revoltante a sociedade em que vivemos!

    ResponderExcluir
  63. Nossa! Eu tb assisti esse filme, e é muito bom. Retrata a realidade.
    É bem típico aquele comentário diante de um caso de uma mulher estuprada: "tb, olha a roupinha que ela estava usando, tava provocando né..." é essa a mentalidade que impera em nosso país, desde autoridades até o mais simples dos civis, país machista por excelência e uma justiça de dois pesos e duas medidas.
    Tudo começa do berço: educação, ensinamentos, família.
    Corretíssimo seus pensamentos.
    Beijinhos carinhosos,

    ResponderExcluir
  64. As feministas fazendo campanha no twitter contra um comercial e eu lembrei desse post...
    Caraca isso foi a um ano atrás?!?!?
    Putz quando esse texto vai deixar de ser atual em Elaine?!?!? Será que é um sonho louco pensar em um mundo onde não ocorram estupros???

    ResponderExcluir
  65. Elaine esse seu post me fez entender uma coisa q me incomodava desde q eu tinha 6 anos. obrigadah viu. bjs

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…