O autor é blogueiro: José Cláudio Adão, o Cacá

em 31 de maio de 2011

Olá, queridos leitores!
Hoje eu apresento a você um amigo muito especial, cujo livro mais recente é meu destaque para o mês de maio. Sabe aquela pessoa que dá uma baita vontade da gente conhecer? E que além de autor e blogueiro ainda é cozinheiro? Coisa boa demais, uai…
Com você o autor deste livro:
CAPA DEFINITIVA SEM VERSO

1- Fale um pouco do José Cláudio…

Sou mineiro, conterrâneo do Drummond, lá de Itabira. Trabalhei metade de minha vida adulta em mineração, fui dirigente sindical, militante de movimentos comunitários, fiz História na UFOP (Ouro Preto) e hoje pretendo dedicar a outra metade que espero ter, à literatura e à culinária amadora, coisa que gosto demais além de escrever e ler. Tenho duas filhas e moro atualmente em Belo Horizonte. Como dizia o Belchior
“Um cidadão comum, como esses que se vê na rua, feito aquela gente honesta, boa e comovida”.
 

2- Em qual momento você se descobriu escritor?

Estou descobrindo ainda. É uma busca todos os dias. Mas tem um episódio muito engraçado e que gosto de contar como foi , digamos, o empurrão que eu precisava sem saber que precisava. Eu queria muito fazer um curso de cozinheiro, um longo curso de quase um ano oferecido por uma entidade grande do ramo de comércio. Tinha que participar de uma seleção, pois apesar de pago (e caro), o número de candidatos era muito superior ao de vagas. Um teste simples, com redação, entrevista coletiva e psicotécnico. Eu perdi justamente no psicotécnico e não me conformei. O psicólogo disse que quem se interessasse saber os motivos de sua eliminação poderia procurá-lo em seu escritório para uma explicação pessoal. Fui lá no dia seguinte, pois fiquei muito “revoltado”. Ele me disse que para um cozinheiro profissional, que precisa trabalhar com muita rapidez, o meu perfil não se encaixava. Aí, me perguntou se eu gostava de escrever e me disse que meu perfil estava mais próximo de jornalismo, relações públicas, algo ligado às letras. Já imaginou aonde deu vontade de mandá-lo, né? Rsrs. Eu ali, doidinho pra cozinhar e o cara vem me falar de escrever?
Bom, depois de uma semana remoendo a minha decepção, eu comecei a remexer nuns antigos guardados e achei muita coisa velha, mofada pelo tempo que eu ia anotando descompromissadamente ao longo da vida. Quando, navegando na net eu vi um convite do google para criar um blog gratuito, criei logo um e fiquei com ele uns bons dias sem ter coragem de postar nada. Timidez e falta de confiança interior. Um dia apelei e publiquei: “seja lá o que Deus quiser”. Quando vi que havia gente comentando, comecei a me entusiasmar, a “me achar”, como costuma dizer a minha filha.
Daí pra frente, (isso foi em 2008), um frenesi literário se apossou de mim e eu não consigo mais parar (exceto para correr e desligar o fogo de uma panela que sempre esqueço, entusiasmado com a escrita). Já são umas quase 500 crônicas, dois livros e mais um outro quase pronto, sobre brincadeiras com ditados populares e significados de palavras.
 

3- Como é sua disciplina para escrever?

A arte de escrever não permite disciplinas. Seria como ter disciplina para amar algo ou alguém. A escrita tem que fluir de acordo com a vontade, com a necessidade interior. Falo isso, inclusive, porque ocorre de ter que escrever nos momentos mais impróprios. No banheiro, no ônibus, na rua, parar o carro num canto qualquer quando se pensa ou se lembra de alguma coisa. Acho que até que dá para se ter uma disciplina, mas no meu caso, provavelmente a escrita ia sair burocrática, sem paixão, sem significar o que eu sinto. Isso de disciplina eu acho que funciona mais para jornalista que, querendo ou não tem que produzir uma matéria para ser publicada. E o conceito de ser produtivo combina com a literatura, eu acho.
Imagine se eu fosse poeta, por exemplo, e ficasse na obrigação de escrever poemas todos os dias ou ter uma rotina para a poesia. A crônica eu até diria que dá para a gente aproximar mais de uma rotina, mesmo assim, tem dias que vai sair uma crônica que fala de algum assunto do momento apenas e não necessariamente sobre o que a gente gostaria de escrever. Com o romance creio que é a mesma coisa. Ler e escrever literatura passa necessariamente pelo prazer, pela alegria do contato com a palavra, pelo encontro não marcado com ela.
 

4- Inspiração ou transpiração?

Ambos, sempre. Eu gosto muito de uma música do João Nogueira que fala da criação. Ele diz:
“Força no mundo nenhuma interfere sobre o poder da criação.
Não precisa ficar nem feliz nem aflito
Nem se refugiar no lugar mais bonito em busca da inspiração
Ela é uma luz que chega de repente
Com a rapidez de uma estrela cadente e acende a mente e o coração.”
Depois disso vem a transpiração. Correção, coerência, concisão, clareza e revisão.
 

5- Qual a parte mais trabalhosa e qual a parte mais prazerosa em escrever um livro?

Anteriormente eu ficava pensando em termos de escrever um livro. Isso é muito extenuante mentalmente, eu acho. Hoje penso em escrever. Se tiver um tema específico, vou desenvolvendo ao máximo sobre ele. Só depois gosto de pensar que o que saiu poder se transformar em um livro. Até mesmo para não ter que me submeter àquele negócio que falei anteriormente acerca de uma disciplina. O prazer está na escrita e se o resultado final for um livro, aí o prazer é multiplicado ao infinito.
Acredito que isso tem muito a ver com a forma como o pensamento se organiza. Tem gente que concebe uma ideia de um romance e cria personagens, ambienta a história e vai se concentrar naquilo dia e noite. Meu pensamento é muito disperso, difuso e eu associo dezenas de coisas e assuntos de uma vez. Acho que eu escrevendo um romance ia ser uma balbúrdia ou então ia demorar anos. Ou ainda, me trancaria num lugar e despejaria tudo de uma vez. Um dia ainda vou tentar algo assim.
Estou escrevendo minhas memórias de infância e já é desde 1992. Tudo começou com umas anotações de fatos diversos e esparsos, então fui juntando aquilo tudo sem pretensão nenhuma. Daqui a pouco, quem sabe não saia um livro? Escrevo, paro, revejo, acrescento, retiro, obtenho mais informações, converso e o texto final nunca considero pronto. Talvez isso tenha a ver como fato de que a minha infância foi tão boa que acabo achando que vou conseguir colocar toda ela no texto como forma de esgotar minhas saudades.
Quanto à parte mais trabalhosa ou menos prazerosa, eu acho que é a revisão, tanto gramatical como ortográfica e conceitual. Isso é uma maçada, minha amiga!
 

6- Como você divulga sua obra? Quais as maiores dificuldades que já encontrou?

Estou chegando à conclusão que a sorte ajuda muito para uma obra se tornar conhecida. Quem não possui “costas largas”, amigos na mídia tradicional, muito dinheiro e quer fazer uma divulgação massiva precisa da sorte de alguém influente no meio ter acesso, gostar e encaminhar o autor.
Depois do advento da internet, muita gente boa, ótima e também ruim ganhou visibilidade e é por esse meio o principal acesso ao mundo mercadológico para quem se aventura sozinho hoje. Já não há mais em quantidade como antes a figura do agente literário, as editoras quase não recebem trabalhos para tomarem conhecimento e dificilmente um autor estreante publica um livro hoje sem que tenha que bancar todos os custos de publicação (que não são caros). No entanto, o mais caro e desafiador é a divulgação e distribuição.
Esse é um trabalho gigantesco. A gente usa os blogs, os sites de literatura, participa de eventos literários quando pode, faz lançamentos em livrarias e festivais e no meu caso, vou “mineiramente” levando. Mineiramente é sem muito estardalhaço, devagar e numa espécie de trabalho de formiguinhas. Tudo está relacionado ao tamanho de seu desejo e de sua determinação. Eu não tenho grandes expectativas, mesmo porque acho a minha obra muito incipiente e precisando muito ainda de aprendizados. Vou publicando na medida de minhas possibilidades materiais. Ando mais preocupado com a consistência e longevidade do que escrevo.
Há textos de momento e há textos que eu gostaria que daqui a algum tempo ainda estivessem sendo alvo de leitura. Mesmo a crônica, quando fala do cotidiano, da rotina, desde que traga alguma reflexão acerca de comportamentos, de organização social, de conflitos existenciais, ela sempre será atual.
 

7- Muitos blogueiros acalentam o sonho de ter um livro publicado. Quais dicas você daria?

Persistência, persistência, persistência.
 

8- Para encerrar, há algo que queira dizer e que eu tenha esquecido de perguntar?

Há sim, mas você não esqueceu de perguntar, afinal eu vou falar é de e para você, Elaine. rsrs. Quero deixar aqui o meu agradecimento e uma homenagem especial pelo seu trabalho que tem um valor inestimável para quem gosta de blogs.
Além de tratar de assuntos sempre agradáveis em seu blog, a ajuda voluntária que você nos presta no manejo, no lay out e nas inumeráveis possibilidades que o blog oferece não podem ser esquecidos. Eu já lhe disse outras vezes que para mim você é um anjo da guarda cibernético. Nos rege, nos guarda, nos ilumina e nos protege de muitos males e micos e ameaças virtuais a que estamos sujeitos. Isso é de uma nobreza inesquecível. Nesse mundo atual do “eu sozinho”, iniciativas e dedicação com o outro como você tem, merecem ser louvados sempre.
 
E aí? Sentiu o que eu disse no começo? Uma vontade enorme de conhecer o Cacá e ler um de seus livros?
Então se prepare! Para conhecer o José Cláudio Adão, ou simplesmente o Cacá, visite Uai, mundo? O blog do Cacá. No blog você vai encontrar um link para adquirir um dos livros dele. Aliás, durante todo o mês de maio eu vou divulgar aqui no blog este livro dele:
CAPA DEFINITIVA SEM VERSO
Mas… como eu tenho amigos e leitores cultos e fofos, e o Cacá é de uma gentileza sem tamanho, vou também propor um sorteio bem legal.
Durante todo o mês de maio vou deixar um link na sidebar para esta entrevista. Todos os que comentarem este post da entrevista concorrerão a um exemplar do livro Arcanjo Isabelito Salustiano e outras crônicas.
O sorteio será pela extração da loteria federal de 01/06/2011. E para participar é só deixar seu comentário neste post até as 19 horas do dia 01/06/2011.

Bora lá conhecer o Cacá? E sijoga no sorteio! Esse blog dá sorte, hein!
tisperando! Falta pouco para o sorteio!!!

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

36 comentários , comente também!

  1. Agora fica chato pra mim comentar. Imagina se ganho de novo? rsrsr
    "O povo" vai achar que tem amrmelada...rsrsr Ainda bem que você sorteia pela loteria federal.
    SE eu não ganhar, compro o livro, com muito gosto.
    O Cacá mora em BH, imagina eu topando com ele por aqui, ia ser bom demais!
    Já li uma crônica do livro dele e é hilária.
    Ele tem um humor sutil e é um escritor de primeira.
    Gostei da entrevista.
    Manda ver no meu número de sorte, que vou ganhar de novo! Uai!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Elaine

    Claro que vou aproveitar que a sorte está do meu lado e acompanhar a minha amiga Lúcia Soares.

    Maravilhosa entrevista do Cacá. Já o conhecia de vista e agora sabendo o seu endereço não tenho desculpa. Visitei, comentei até demais e voltei para participar deste sorteio.

    Estou exausta que o dia foi da pesada e meu corpo pede uma cama.

    Beijos e até amanhã

    ResponderExcluir
  3. Fico lhe devendo mais uma! Obrigada por nos apresentar o Cacá. Adorei!
    Mulher generosa!!!

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. É verdade, como você falou, dá vontade de conhecê-lo...
    Parabéns, ótima entrevista.
    Um estímulo aos escritores!
    (só poder ter alguma coisa diferente na água de Minas, só pode)hehehe

    ResponderExcluir
  5. Elaine. Estou há pouco tempo por aqui. Mas já posso dizer que permaneço pelo prazer de perceber aqui a qualidade de seu trabalho. Sempre venho, nem sempre comento (na verdade, creio ser esta a primeira vez). Eu conheço o livro do Cacá. Tenho o prazer de compartilhar ideias com ele no meu blog e de lá nos conhecemos há algum tempo. O livro dele é espetacular. Trata-se de uma obra impressionante, provocativa e que inventa e transforma personagens em arquétipos debochados no sentido de ensinar a reflexão de comportamentos sociais. Tal obra só poderia ser escrita por um autor dono de fina criatividade conforme é o Cacá. Meu apoio à sua iniciativa, Elaine. Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Elaine

    o Cacá é um anjo, isso sim...
    tenho uma estima enorme por ele, uma pessoa otimista e batalhadora.

    ainda não li o livro dele não, mas deve ser maravilhoso...

    Que muito sucesso e alegrias alcancem o querido Cacá.

    E receba o meu afeto também.
    beijos.

    ResponderExcluir
  7. Ótima postagem...gostei muito da entrevista. O Cacá é maravilhoso, sempre vou ao blog e adoro.

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Olá Elaine! Gostaria de agradecer-lhe por nos dar a oportunidade de conhecer um pouco mais o José Cláudio!
    :)

    ResponderExcluir
  9. Têm coisa que depois que vira rotina é fogo!!! Não dá para abandonar, nem querendo, nem tendo!!! Ler seu blog no final da noite, inicio da madrugada já virou rotina!!! rsrsr...

    Adorei conhecer melhor o Cacá, adoro o blog dele, agora estou concorrendo ao livro e com vontade de ler também... Da última vez não ganhei, tive que comprar o livro da Vanessa, culpa sua que fica fazendo propaganda, Oxe!!!

    Quem sabe dessa vez eu ganhe o livro ein?! Oia que maio é meu mês de aniversário rsrs...

    Chero Elaine!

    ResponderExcluir
  10. Eu tenho a honra de te dizer que onheço o CacÁ muiiiiiiiiiiito antes de todos, pois somos amigos lá no Recanto das Letras há séculos,srrs...

    Sempre nos lendo, brincando e aprendendo com ele e suas lindas inspirações.

    Cacá é uma pessoa maravilhosa e adoro seu escritos.

    Parabéns pela descoberta aqui e por trazê-lo. òtimo post e escolha aqui.

    Parabéns aos dois, beijos,chica

    ResponderExcluir
  11. Elaine querida,
    quem disse que eu sumi? Estou sempre presente por aqui e ainda bem, pois achei esta entrevista coisa de profissional. Perguntas e respostas inteligentes que vão diretamente no QI dos interessados.
    Ai quem me dera se a sorte me abençoasse com o livro deste escritor exemplar! Quem sabe né, amiga? Participando eu estou.

    Parabéns Elaine, por mais esse trabalho admirável.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Fui conhecer o blog do Cacá e gostei.
    Eu quero esse livro...rs

    bjos

    ResponderExcluir
  13. gosto muito do blog do Cacá e tenho a certeza de que o livro dele é ótimo.

    a Vida tem dessas coisas, fecha um caminho para abrir um outro que é muito bom. Ele viu que, além de saber cozinhar, sabem é escrever muito bem.

    mto legal essa série com os escritores, Elaine
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Que top indicação, Elaine... To adorando passar lá!

    Espero ser sorteada... Amo amo amo amo ler...

    Seria muito legal ♥

    Um beijo doce, linda!!!

    ResponderExcluir
  15. Elaine,

    Fiquei apaixonada pela conversa leve e inteligente do Cacá. E ainda historiador?! Amei e quero um exemplar.
    Já passou da hora das editoras perceberem o que realmente queremos que seja publicado.
    Quero agradecer pelo apoio lá no blog e dizer que penso exatamente como você.
    Grandes beijos

    ResponderExcluir
  16. eu queria ganhar.
    mas não tenho sorte com sorteio
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  17. Que indicação boa. Conheci o blog dele há pouco tempo e adoro ler crônicas então...será que eu ganho o sorteio? Fico torcendo!

    ResponderExcluir
  18. Elaine,

    Fiquei sabendo um pouquinho do Cacá lá no Blog da Tati, do Perguntas em Respostas, e adorei conhecer mais nesta entrevista tão detalhada.
    Vou lá no blogue dele novamente e claro, espero também ganhar o livro, rsrsr!
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Parabéns Elaine ! Pela entrevista e iniciativa de estar apoiando os nossos escritores blogueiros.

    Gostei do Cacá! vi e senti muitas verdades nas respostas dele.

    Vou visita-lo...

    Beijos Bella!

    ResponderExcluir
  20. Ah que delícia de entrevista, amei! Muito bom mesmo, é muito legal Elaine essa sua ideia, pois dá ânimo e coragem para muitos que tb têm esse desejo e dá dicas para o que já seguem nessa estrada, como euzinha aqui...rsrs Parabéns aos dois e beijo, beijo em cada um!
    Agora estou indo lá no Blog dele.
    She

    ResponderExcluir
  21. Oi Elaine
    Adorei conhecer um pouco o Cacá através da entrevista, vou lá conhecer o blog e vou adorar ainda mais se....... ganhar o livro.
    A Lucia não vai levar esse não! rsrsrsrs
    beijos

    ResponderExcluir
  22. Não conhecia o José Cláudio e pela sua entrevista, gostei muito. Com certeza quero ler o livro sim, se não ganhar vou comprar. E Vou conhece-lo melhor pelo blog, enquanto isso. Uma ótima dica Elaine, como sempre você inova e nos surpreende. Obrigada por ser assim... tão "especial". E por ser essa fonte de aprendizado através de seu blog. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  23. Oieeeeeeeeee...se acaso o livro for meu, lerei com muito carinho e divulgarei para os meus amigos, mas se nao ganha-lo, nao faz mal, pois sei que a vencedora, ira ler o livro ate o final...rsrsrs...adorei o trocadilho...bjin...vou torcer para ganhar...uuuuuuuuuuuu

    ResponderExcluir
  24. ola ELAINE,sou seguidora assidua,todo dia vc entra na minha casafique sabendo que vc e muito expecial,estou curiosa para ler o
    livro,vou ficar torcendo para ser a
    sortudo e ganhar.
    fique com DEUS,bjos

    ResponderExcluir
  25. Elaine, vim agradecer mais uma vez o seu inestimável apoio bem como a todos os que comentaram aqui a minha entrevista. Isso é muito gratificante e edificante. Meu abraço. paz e bem.

    ResponderExcluir
  26. Cacá, é uma das pessoas mais simpáticas que conheco por aqui. Gentil, educado, culto e enfim: multifacetado! É bom saber da existência de gente assim.
    Pretendo ler seu livro assim que chegar no Brasil. Mas, se porventura ganhar, melhor ainda. Ficará me aguardando em cima de uma cadeira de praia! Existe coisa melhor?

    Sucesso para Cacá e abracao para voce, Elaine.

    ResponderExcluir
  27. Olá Elaine,

    Muito boa essa sua série O autor é blogueiro, pois assim podemos conhecer pessoas talentosíssimas como o Cacá!
    Já o conhecia através do blog da Chica, pois ele está sempre por lá comentando as postagens dela!

    O livro deve ser ótimo!
    Desejo a ele muito sucesso sempre!

    Beijinhos no seu coração!

    ResponderExcluir
  28. kaka. Fico muito orgulhoso da simplicidade e colação espontânea nas belas linhas aqui lidas.
    Jairo - cunhado

    ResponderExcluir
  29. Olá Elaine!
    Já faz tempo que não te visito... tb abandonei meu blog, mas bateu saudade e aqui estou. Vc sempre me surpreende com seus posts criativos. Parabéns pela entrevista com o Cacá nos serve de incentivo! Uma ótima história, inusitada, queria ser cozinheiro e virou escritor, era um dom adormecido...
    Bjos floridos pra vc!

    ResponderExcluir
  30. Minha querida ,
    muito boa a entrevista , eu sei como e dificil saber fazer pergunats , e voce o fez muito bem parabens
    bjs

    ResponderExcluir
  31. Os livros e os gatos são meus melhores amigos há anos.

    Não tenho filhos.

    Amo ler e adoro participar de sorteios que incentivam a cultura e a leitura.

    Fui apreciar o cantinho do autor do livro sorteado, fiquei encantada!

    Quero Participar, mas como estarei viajando para uma cirurgia vou deixar meu e-mail, não quero perder por nada caso eu seja a afortunada a ser sorteada:

    ramalho.juliana@yahoo.com.br

    Bjks

    ResponderExcluir
  32. Elaine amada, viu como vc é amada?
    Não é só o anjo cibernético dele não tá...rrsrsr ele disse tudinho o que eu sempre quis dizer e nunca disse.

    Enfim, amei a entrevista e já sou fã dele tbm.

    Precisamos de mais cidadãos comuns assim: como você, ele...

    Quero muito esse livro!!!

    Bjs e obrigada.

    ResponderExcluir
  33. Nao necessitei esperar para ler o livro: "A Vida do Bebê", no Brasil. Li hoje e, sinceramente, amei!

    Cacá, o psicólogo tinha razao: voce é um escritor que já nasceu pronto! Mas voce pode também realizar o sonho de ser cozinheiro e unir o útil ao agradável. Eu diria ainda que voce poderia ser também, um excelente humorista.

    Agora vou esperar para ver se ganho o sorteio do segundo livro!

    A possibilidade da leitura, foi-me proporcionada por uma pessoa muito especial: Georgia que, com muito carinho me emprestou o livro! (Já li e devolverei na segunda-feira, Gê).

    Parabens a Cacá, grata a Georgia, por ter me dado a oportunidade de "conhecer Cacá" e Elaine por ter tornado possivel esta entrevista.

    Anamaria Pitangueira

    ResponderExcluir
  34. Poxa, bem que você falou que a gente fica com vontade de conhecer o Cacá! Sendo m ineiro então, esse povo é "bão" demais!!! Espero ter a boa sorte de ganhar um exemplar.
    Um abração!!!

    ResponderExcluir
  35. Gostei muito de conhecer o Cacá e adoraria ler o livro dele.
    Concordo plenamente com as palavras que ele dedicou a você...por sua causa aprendi a fazer o backup do meu blog e também me cadastrei no site que mostra até o ip dos computadores que me visitam, enfim, com você estou aprendendo a blogar em segurança.
    Agradeço de coração!
    Bjuss!!!

    Rachel Azevedo
    azevedo_rachel@hotmail.com
    Taubaté - SP
    http://nabiroskinha.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  36. So agora vi essa entrevista, muito legal da sua parte homenagear alguém tão especial como ele.
    Estou com o "Sabor de Pitanga", uma das pessoas mais educadas que ja conheci nessa blogosfera!!
    Bjs.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…