Um pouco de amor: felicidade plena, geral e irrestrita

em 2 de abril de 2011

Esta é a postagem de abril da coluna Um pouco de amor. E olha, vou te enganar não: coisa mais linda não há! Sabe estória de amor completa, com passagens pela dor e pela virada, com suspense e com final feliz? Então, essa é assim.

Com você a estória de amor da Macá, querida blogueira que edita o blog Agenda ilustrada.

 

De sua mesa de trabalho, ela observa o céu pela imensa janela. Distraiu-se pensando na sua vida, no seu casamento. A cada dia que passa percebe que as coisas não estão bem, mas não sabe direito o que fazer.
Poderia enfrentar a situação, mas já conversou com o marido tantas vezes e então percebe que não está mais com vontade, que vai deixar acontecer.

Não gosta da situação, mas......nesse momento uma de suas amigas de trabalho está ao lado da mesa falando com ela, dizendo que precisa contar algo rápido, mas não ali e ela então se dá conta de que alguma coisa mudou radicalmente na expressão da amiga, mas o que é aquele sorriso?
Ainda um pouco desconectada da realidade acompanha a amiga para o elevador e sobem para o café. E então a amiga lhe conta: está grávida, tinha ido buscar o exame, precisava e queria contar pra alguém.
Elas se abraçam e então ela tem a certeza. Aquela expressão era a felicidade estampada no rosto, nos olhos, no sorriso largo.


À noite deitada em sua cama, se lembra da felicidade da amiga e começa pensar se ela estaria assim também caso a gravidez fosse dela.
Não pensava nisso. Não se via mãe. E isso tinha começado já adulta quando teve que fazer vários exames para ver o porquê de a sua menstruação ser totalmente irregular. E o resultado: Uma gravidez seria muito difícil; pra isso acontecer teria que fazer tratamento.
Mas ela não pensava nisso ainda. Tinha começado a namorar sério fazia um ano e pouco e casamento não passava ainda pela sua cabeça.


Mas agora já estava casada há uns 3 anos, não tomava precaução nenhuma, afinal deduzia que seu corpo já era contraceptivo naturalmente. Um dia o marido sugeriu que talvez já estivesse na hora de pensarem num filho e ela então marcou consulta com o ginecologista. Mas não tinha começado o tratamento. Não sabia dizer o porque, mas sentia que talvez fosse melhor assim.
O tempo passou, a amiga teve o filho, um menino lindo e depois da licença maternidade quando voltou a trabalhar, o assunto era sempre o filho, fotos, as gracinhas, mais fotos. Felicidade total.
Ela se sentia meio à parte disso tudo, não entendia direito como um ser tão pequeno podia ter mudado tanto assim a vida da amiga.


Mais um ano se passou, aquilo que era um prenúncio se tornou real quando ela e o marido resolveram se separar. Foi uma fase de muito sofrimento, afinal era uma ruptura, um desligamento, um término para uma coisa que prometia ser duradoura. Sofreram juntos, choraram juntos mas, acabou.
A vida tomou seu rumo cada um de um lado, a casa ficou silenciosa, mas com o passar dos tempo ela foi vendo que ficaria bem. Foi melhor assim.


Dois anos depois ela se pega pensando, cantando, se arrumando mais, se amando mais, se vendo mais alegre, mais feliz e é claro que isso tinha um nome: Paixão.
Uma paixão arrebatadora como ela nunca tinha sentido. Um coração a pulsar mais forte a cada olhar, a cada telefonema.
E depois dos primeiros encontros percebeu que aquela paixão poderia acabar mas que em seu lugar ficaria um grande amor. Amor que ela nem pensava existir.
Ela transpirava felicidade. Não conseguia disfarçar.
Então ficaram juntos. No início não na mesma casa. Mas dormiam juntos todas as noites em qualquer que fosse a casa. Trabalhavam juntos e dormiam juntos.


No início pensou em se precaver contra uma gravidez e começou a tomar pílulas, mas não se sentia bem tomando – no fundo achava que não devia, já que não ficaria grávida mesmo – e então parou. Depois pediu ao ginecologista colocar o DIU, mas logo depois resolveu tirar e resolveu também que não ia tomar nem usar nada. Esse mesmo ginecologista já tinha dito que a chance dela era 1 em 1.000 (ou um milhão, não se lembra) então, pra que se preocupar?
O atual marido nem pensava nisso porque tinha um filho pequeno do casamento anterior, então já estava bom demais.
Um ano e meio se passou nesse mar de felicidade. Gostavam de estar juntos, ele gostou de aprender a cozinhar e vivia inventando pratos, jantares surpresas.


Uma noite uma outra amiga do trabalhou disse que queria ir ao shopping comprar um presente, e a convidou. Foram e ela resolveu comprar umas peças de lingerie. Começou a experimentar e estranhou que o número usual estivesse ficando apertado.
Estou engordando, pensou e até chamou a amiga pra ver. A amiga falou, toda meiguinha, que sim, olhando assim parecia mesmo que o peito estava maior, mas que o corpo não. Ela continuava magra.
No outro dia, logo de manhã ligou para o médico pedindo uma consulta de urgência, explicou o que era, e ele como já a conhecia há um bom tempo disse:
- Não se preocupe, não é nada grave. Isso deve ser displasia mamária......., em todo caso pode passar aqui à tarde.
As 18 hs em ponto estava ela no consultório, ansiosa para saber do que se tratava. O médico então começou a examiná-la enquanto ela olhava pra ele toda assustada, até que ele virou pra ela sorrindo e disse: Hum.... acho que tem alguma coisa aqui.
Ela nem viu o sorriso dele, e ainda mais assustada perguntou: _Como assim, alguma coisa?O que é que eu tenho?
_ Tudo bem, embora eu tenha quase certeza, você vai fazer um exame amanhã de manhã pra saber se é mesmo uma gravidez.
Gravidez? Como assim? Eu, grávida?


Foi pra casa atordoada com a notícia. Queria contar logo para o marido. Como ele reagiria? Iria gostar da notícia? Isso caso a notícia fosse real. Ela não acreditava.
Só conseguiu acreditar mesmo quando recebeu o resultado.

Não sabia o que fazer, se ria ou se chorava. Nunca tinha pensado nessa possibilidade.
Não tinha certeza de como reagir. E ela já estava com quase 10 semanas de gestação. 
Mas foi percebendo que alguma coisa dentro de si mudava rapidamente, uma sensação maravilhosa, de plenitude, um sentimento forte que a fazia pensar só numa coisa - Um filho - e esse sentimento só podia ser Felicidade.
Não sabia o que era sentir isso antes, mas a partir daquele momento soube que só uma pessoa que vai ser Mãe, sente a vida dessa maneira.


Seus amigos, seus irmãos, sua mãe, seus sobrinhos, todos eles estranharam um pouco pois sabiam de seu problema, mas todos foram tão carinhosos, fizeram tantos elogios que ela se sentia no céu.
Pediu férias do trabalho e viajou com o marido. Queria fazer planos, escolher o nome.
E juntos escolheram: IVAN.
A cada dia que passava seu semblante demonstrava sua felicidade.
Teve uma gestação tranquila, sem problemas e com um peito vazando leite desde que estava com 5 meses.
No dia 24/04/90, logo de manhã, foi para o hospital porque já estava chegando a hora.

O Ivan nasceu às 12h05 de cesárea e a emoção dela foi tanta, como tinha que ser.
Achava que seu maior momento de felicidade tinha sido quando se descobriu amando e sendo correspondida com o atual marido. Não podia supor que existia no mundo um sentimento de felicidade como esse que atravessava.

Logo depois do nascimento começou a amamentar, e o fez até ele completar 10 meses.
Deixaram a maternidade no dia 27/04 e seguiram para casa, para dar início numa nova etapa da sua vida.

Tinha certeza de que seriam felizes, os três, mais o filhinho Felipe do casamento anterior de seu marido.
E essa certeza se fez realidade.
Há uns dez anos, os quatro vivem juntos em plena harmonia, os meninos se dão maravilhosamente bem, são irmãos de verdade, se curtem, se apóiam, se ajudam.
E não é pra ser feliz com tudo isso?

 

Lindo, né? Confira mais da Macá no Agenda Ilustrada.

Quer ver sua estória de amor publicada aqui? Envia pra mim: um-pouco-de-amor@hotmail.com

 

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

31 comentários , comente também!

  1. Que história mais linda Elaine!

    Não há nada que o anscimento de uma criança não supere, eles são a renovação de um casamenteo que muitas vezes anda adormecido...

    Me emocionei...

    ResponderExcluir
  2. Lindo, perfeito.

    Histórias assim nos enchem de bons sentimentos. Eu estava triste e irritada por ter lido a notícia do pai que teve trigêmeas e quis abandonar uma na maternidade.

    Eu estava triste e decepcionada por outras coisas de ontem...

    Aí, este texto que tu publicaste contando a história da macá me fez ficar muito mais feliz.

    Obrigada, meninas!!!

    ResponderExcluir
  3. Que linda história de amor. E mais uma vez se prova que apesar de escolhermos a estrada por qual trilharemos, é Deus que decide quais flores iremos encontrar pelo caminho.
    Parabéns a Macá e felicidades plena para toda a família.
    E, é claro, um beijo grande para dona do blog! :o)

    ResponderExcluir
  4. Lindo, lindo, lindo!!

    Meus olhos encheram-se de lágrimas, lembrei do dia do nascimento do meu filho, uma emoção que jamais irei esquecer!
    Graças a Deus tudo deu certo para ela e hoje tem uma linda e FELIZ família!!!!

    AMEI... Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Que história linda, envolvendo os sentimentos mais lindo e fortes que existem. Amor verdadeiro e amor de mãe.
    Linda de aquecer o coração.
    Parabéns as duas fofas, a dona da história e a dona do blog, duas linas que adoro

    ResponderExcluir
  6. Linda história mesmo. É verdade Patrícia, Deus é quem decide nosso caminho. Quantas vezes achamos que estamos fazendo tudo certo e no fim a gente percebe que fez tudo errado.

    "Às vezes quando tudo dá errado,acontecem coisas maravilhosas, que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo.."

    ResponderExcluir
  7. Que linda história de amor amiga Elaine. Parabéns Macá por ser tão linda como sua história.

    Que gostoso finalizar a sexta feira lendo essa história e agora vou me entregar aos braços do morfeu.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Que história linda de amor, essas histórias que nos lavam a alma. No meu blog todas as terças vou postar histórias de superação, se souber de algum me dá o link, passa por lá para ver a primeira que foi a minha. Beijos...

    ResponderExcluir
  9. Delícia ler essa linda história de amor antes de dormir. Com certeza, terei bons sonhos.
    Este relato confirma o que acredito: nascemos para amar e sermos amados. E o nosso objetivo é sempre o mesmo: felicidade!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Elaine querida
    Quando a Macá postou a sua história em nossa Blogagem Coletiva Fases da Vida... ela nos fez chorar de emoção... é linda mesmo!!!
    Vou enviar uma das minhas pro e-mail indicado... vc teve uma ótima ideia!!!
    Bjs de paz excelente fim de semana.

    ResponderExcluir
  11. Um amor forte como este, pode tudo!! Antes não era pra ser! Sabe, eu escolhi um música para ilustrar esse amor:

    É,
    Só eu sei
    Quanto amor
    Eu guardei
    Sem saber
    Que era só
    Pra você.

    É, só tinha de ser com você,
    Havia de ser pra você,
    Senão era mais uma dor,
    Senão não seria o amor,
    Aquele que a gente não vê,
    O amor que chegou para dar
    O que ninguém deu pra você.
    O amor que chegou para dar
    O que ninguém deu pra você.
    (...)

    Só Tinha De Ser Com Você (Composição: Tom Jobim / Aloysio de Oliveira)

    Bom fim de semana!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  12. Elaine, li a história de amor da Macá quando da blogagem coletiva promovida pela Glorinha Leão, no ano passado. Ela contou a história, sem falar que era a dela...Eu, intuitivamente, saquei logo, perguntei e ela me confirmou, confidencialmente, por e-mail.
    (no dia, ela não colocou o final, dando nome do filho, nem fotos, só a história do reeencontro do amor e o nascimento inesperado do filho).
    A Macá é um doce de pessoa.
    Beijos pras duas!

    ResponderExcluir
  13. Minha querida .
    linda historia mesmo , ja fui la conhecer esse blog e adorei
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Elaine
    Esta é mesmo um história de maor verdadeira pois teve um fim harmonioso.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  15. Elaine,
    linda história e o melhor é que eu a conheço desde o primeiro dia!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  16. Que história linda!!!! Amei. Parabéns!! Talvez um dia eu conte a minha também!!! beijos, Ro

    ResponderExcluir
  17. Que linda história essa sim senhor por vezes a felicidade está à nossa espera com outra pessoa, beijos a essa familia maravilhosa, beijos para ti

    ResponderExcluir
  18. Emocionante mesmo, Elaine. É legal como os dois irmãos se parecem tanto. O mundo precisa mais e mais desses amores bons. Abraços. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  19. Oi Eli, oi Macá!
    Me identifiquei muito com esta história. Muitas coisas na minha vida são assim: o problema pra engravidar, o casamento que está acabando... enfim...

    Adorei a história! Linda demais!

    Bj

    ResponderExcluir
  20. Bela História de Amor e dor!
    Sim..porque quem ama sofre e chora de AMOR!
    Deixo beijos e digo mais:
    Na AMIZADE
    Não conta tempo nem idade...
    Apenas Sinceridade!

    Beijos
    CHICAILHEU

    ResponderExcluir
  21. Adorei!! Linda história, uma canção de amor!!!

    ResponderExcluir
  22. Elaine
    Ah! posso contar uma coisa? Fiquei emocionada ao ver o conto (minha história) publicada no seu blog, e eu a li novamente, como se estivesse lendo a história de outra pessoa.
    Foi bom reler pra me lembrar que tenho muito a agradecer, a Deus, à Vida, à minha família a aos amigos.
    Obrigada por fazer parte.
    um beijo grande.

    ResponderExcluir
  23. Oi, Elaine!

    Histórias de amor são muito lindas. Sempre que vejo uma pela web, torço para que seja sempre assim.
    Para mim, elas deveriam ser secretas, todas elas...

    Mas aí eu não poderia ler sobre elas. Então é bom que tenha gente que goste de mostrar a sua história.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Não há amor maior e nem história mais linda.


    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir
  25. ELAINE QUERIDA...
    a história da macá é realmente fantástica..
    quando Deus trilha nossos caminhos não adianta que o que tem de vir de bom vem. eu acredito nisso e ela é a prova ....
    bjuivos no coração da macá e no seu .

    ResponderExcluir
  26. Oi Elaine

    Eu já havia lido a história da Macá, mas li novamente porque é uma história muito linda de vida e amor.
    Adorei vê-la aqui.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  27. Que lindo isso Macá! que lindo... tua história linda e gostosa, só veio me comprovar uma coisa que sei há algum tempo: quando nao tem que ser, nao é. Simplesmente assim, sabe?? E qd tem que ser... olha aí o filhao lindo. Ah meu Deus, como essa vida é maravilhosa com esses pequenos milagres.
    * * *
    Parabéns Elaine pela sensibilidade e carinho em passar as histórias de amor e superacao das pessoas aqui, no teu canto.

    E parabéns tbm pelos posts ótimos, tanto os que tem referência aos blogs e suas partes técnicas :-) qt aos mais pessoais e de alerta, minha querida pessoa inocente.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…