O amor e uma cabana

em 10 de setembro de 2010

Um conto meu, importado do meu Conto vidas.

image Mesmo com todos dizendo que ela iria se arrepender Lisa decidiu arriscar.

Aos 20 anos a gente é mesmo dada a correr riscos, especialmente se está tão apaixonada como ela estava. Engravidou logo na primeira vez, mas pensou: "Tudo bem, ele é o homem com quem vou ficar a vida toda."

Foram morar juntos, literalmente vivendo a frase: "Seu amor e uma cabana." A cabana em questão era uma minúscula casinha de dois cômodos cercada de mato por todos os lados.

Dois dias depois que se mudaram ele foi despedido. Mas tudo bem, o amor sustenta nossa casinha. O amor, porém, precisava de comida. Então ela, que nunca trabalhara na vida, foi ser lavadeira. Grávida, foi a única coisa que achou para fazer. Logo as freguesas aumentaram, e ela passou a chegar em casa depois de escurecer. Ele estava sempre à sua espera, de banho tomado e com o jantar já pronto.

De início foram felizes... mas ela precisou parar de lavar roupa quando o bebê nasceu. Ele era um pai muito amoroso, mas totalmente inepto. Não havia com quem deixar o menininho de pouco mais de dois meses. As dificuldades financeiras provocaram brigas intermináveis. Ela voltou a lavar. Ele voltou a fazer o jantar.

E Lisa achou que era hora dele arrumar um emprego. Ao invés disso ele voltou para a casa da mãe. Já ela não pôde voltar pois o pai fora muito claro quando disse que se saísse, sairia para sempre. Foram anos de luta para criar sozinha o filho de tanto amor.

 

Em tudo isso Lisa pensava ao contemplar a mocinha de olhos meigos sentada à sua frente: a namorada do seu filho era ainda mais jovem do que ela fora naqueles anos de luta e privação. Voltou a prestar atenção:

-A gente se ama mesmo, mãe. Eu quero viver com ela. Mas o pai dela diz que a gente é muito jovem. Ele não entende...

-Meu pai, dona Lisa, diz que eu vou me arrepender e que se eu vier morar aqui prá casa eu não volto que ele não criou filha prá ser perdida por aí.

-A gente pode dividir a casa e ela vem, meu quarto é pequeno mas eu dou um jeito e ...

Lisa pensou. Enquanto eles desfiavam os motivos do seu amor ela pensou. Como é curioso que os jovens não vejam a tragédia no horizonte! A mocinha estava estudando, assim como seu filho. Ambos jamais pagaram uma conta de luz, nem conta nenhuma, aliás. E achavam sinceramente que seu amor era capaz de sobreviver a tudo...o amor e uma cabana. Lisa se ergueu:

-Vocês se amam mas não têm como se manterem sem ajuda. Não vou resolver a vida de nenhum dos dois. Seu pai está certo em ser firme. E você, meu filho, deveria saber que não tem como sustentar uma família agora. Eu certamente não vou sustentar esse amor enorme que sentem. Se quiserem arriscar nada vai impedir, nem eu, muito menos seu pai, minha querida. Minha proposta é a seguinte: continuem o namoro, continuem a estudar e quando ambos estiverem trabalhando voltem aqui, sentem na minha frente e me convidem para um casamento lindo. Ou arrisquem. Vocês decidem.

 

Lisa saiu da pequena sala. Olhou as hortências na floreira rente à casa. Sempre gostara de flores, e as hortências estavam em plena florescência. Pensou em si mesma, em tudo o que vivera até ali.

Mais do que nunca sentia que escolhera certo. Não mudaria nada, se pudesse voltar no tempo. Toda a dor e todo o sofrimento valeram a pena. Ela aprendera a bancar sua própria escolha. E sobretudo, amara. Por breves meses fora mais feliz do que muitas pessoas conseguem ser em uma vida inteira de escolhas ajuizadas.

Mas a escolha era deles, ela não escolheria por eles. Mas já pensava em como transformar o quartinho do filho num quarto de casal que pudesse abrigar um amor que estava disposto a viver apenas de si mesmo. E de uma cabana.

 

amorbar

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

23 comentários , comente também!

  1. O amor é lindo... e com ele vamos até o fim do mundo se deixarem.
    Adorei Elaine a sua história do amor e a cabana.

    Beijos e boa note

    ResponderExcluir
  2. Você escreve muito bem, parabéns!!!!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. Que lindo!! Eu tbm já pensei assim um dia, hoje graças a Deus sou mais racional, quando se esta apaixonado perdemos um pouco a noção das coisas..rsrsrs
    Mas o importante enão deixar de amar, de ser feliz e se errar não perder a lição e começar de novo...

    ResponderExcluir
  4. Nossa, minha querida que realidade dos dias atuais!
    A mãe viveu a sua história de amor e uma cabana... quando vê a "reprise": toma uma decisão em base à experiência... E o faz muito bem.
    Eu tento fazer o mesmo...
    Sabe o que ganho com isso?
    Consciência reta!
    Mas, se tiver que armar a cabana, serei também como a mãe da história... sempre pronta a acolher... se precisar...
    Mãe é mãe!
    Bjm

    ResponderExcluir
  5. É o dia a dia precisa mais que amor e uma cabana. Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Me fez chorar. E lembrar de quando eu acreditava que poderia ser feliz com meu amor e uma cabana. Poderia ter largado tudo por ele mas ele sumiu. E agora tá aí bagunçando a minha vida e eu com medo de jogar tudo fora e depois ele sumir de novo....

    ResponderExcluir
  7. lindo.... tuda verdade feito em poema.....Sabes quando eu era menina, tive um namoradinho ben jovem,,,dizia a todos que estava apaixonada, hoje depois de passados 42 anos ainda me lembro ,quando resolvi casar minha mãezinha disse-me "Amor não alimenta a fome" e quase esse seu poema...
    Fez-me voltar ao passado...
    Beijos...
    Preciosa Maria

    ResponderExcluir
  8. Socorro, Elaine!

    Juro que achava que ela estaria arrependida. Não que não apoiaria o filho, mas que faria de tudo para que a história não se repetisse.
    Que belo conto.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  9. Nossa Ki lindo!
    Mas que real né? aff

    Beijos querida e boa sexta que pra mim hj começou muito cedo.


    Joana Campos

    ResponderExcluir
  10. Elaine
    Este conto parece ficção, mas se torna realidade muitas vezes.
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  11. É realmente o amor é lindo mas não sustenta uma casa... apesar que tive uma esperiencia quase parecida mas o meu amor sustentou ate hoje graças a Deus. Amei esse conto vc poderia continuar ele p gente tendo um final feliz com a Lisa...

    Parabéns!

    bj

    ResponderExcluir
  12. ...E tudo o que aconteceu comigo
    Viver é melhor que sonhar
    Eu sei que o amor
    É uma coisa boa
    Mas também sei
    Que qualquer canto
    É menor do que a vida
    De qualquer pessoa... Hoje eu sei
    Que quem me deu a idéia
    De uma nova consciência
    E juventude
    Tá em casa
    Guardado por Deus
    Contando vil metal...


    :::FER:::

    ResponderExcluir
  13. Que conto lindo. A delicadeza da trama, a repetição, agora com a maturidade de quem já vivenciara o mesmo anteriormente, e por isso, com o coração disposto a amenizar os caminhos novos que o filho quer traçar. Parabéns pela história e principalmente, pelo final, que é encantador.

    ResponderExcluir
  14. Linda a história, porém de muita coragem. eu não sei se teria coragem de trocar a segurança para viver nenhum amor, teria muito medo

    ResponderExcluir
  15. Deus de promessas,
    Deus que cumpre promessas
    Deus de misericórdia


    Olá vim desejar um fim de semana de paz
    no amor e aos cuidados do

    Deus que perdoa
    que se compadece dos sofridos
    abençoa-nos
    com paz, consolo e vitória
    Acrescenta nossa fé
    faz-nos herdeiros de tuas riquezas
    filhos de tua bondade
    abraça-nos como filhos pródigos
    arrependidos
    Sê conosco,
    obrigada por Teu cordeiro
    por Tuas providências
    te amamos Senhor
    não pelo que dás, mas pelo que És,
    por tudo em nome de Jesus amém.

    ResponderExcluir
  16. Lindo , simplesmente lindo amiga ,voce esta de parabéns
    bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi,

    Apreciei bastante seu espaço, sua escrita descompromissada e sua maneira de enxergar a vida!
    Estou a seguindo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Lindo conto!! Quando somos jovens vivemos de sonhos e ilusões e tudo é cor-de-rosa. O amor supera tudo sim, mas as pessoas tem que estar preparadas e maduras para enfrentar as dificuldades, coisa que dois jovens não tem, porisso aparece as brigas e discussões.
    Mas aprendemos com os erros e nunca devemos nos arrepender..
    bjs

    ResponderExcluir
  19. ELAINE QUERIDA..
    ah! os arroubos da juventude.
    a gente acha que sabe, pode e vai ganhar o mundo..
    como é linda essa esperança nos olhos e um sonho na mente..
    realidade a parte, o conto é lindo.
    bjuivos no seu coração.
    tenha um fds de luz e amor.
    loba.

    ResponderExcluir
  20. Puxa, que conto lindo!
    É uma lição de vida também!
    Parabéns, Elaine!
    E muito obrigada por nos presentear com suas lindas palavras.

    ResponderExcluir
  21. As histórias sempre se repetem.
    Não sei se os acolheria. Antes falaria tudo, falaria muito.
    Acho que quando se toma uma decisão na vida, temos que pensar nas consequências.
    Difícil decisão.
    Tomara que eles optem por esperar...
    Beijo!

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…