Liberdade, essa palavra…

em 23 de agosto de 2010

Liberdade, essa palavra…

Que o sonho humano alimenta.

Que não há ninguém que explique…

E ninguém que não entenda. Cecília Meirelles

Muito se fala atualmente sobre liberdade, especialmente liberdade feminina.

Eu penso muito nisso. Quem é realmente livre?

Para tentar explicar onde quero chegar veja essas imagens, pesquisadas via Google:

 

image

image

São as Tequileiras do funk e sua surra de bunda.

E estas:image Poderia encher o blog com fotos e mais fotos de mulheres que “trabalham” com menos roupa do que você usa sob o vestido, mas deu para ter uma amostra, né?

Agora veja estas:

imageMuçulmana com o hijab.

image

Coleção de uma confecção paulista direcionada para mulheres cristãs.

Agora eu pergunto:

Quem é mais prisioneira?

A muçulmana, com seu hijab ou sua burca, que se veste de acordo com sua convicção religiosa e de vida?

A cristã, seja ela evangélica ou não, que se veste com a modéstia que a Bíblia recomenda, seguindo sua consciência e se preservando?

A mulher comum, que não exibe sua bunda em roupas tão  justas que mostram a curva do rim e tão curtas que mostram a cor do útero? Que se veste sem apelar, sem parecer um manequim de sex shop…

Ou aquela que se veste (?) para seduzir, que faz do corpo um layout e da sensualidade uma arma apontada para a própria cabeça? Que rebola de biquini até o chãochãochão em um auditório lotado e ainda acha realmente que está ali porque quer, sem se dar conta do quanto está sendo usada, do quanto está sendo reduzida a objeto, do quanto está se deixando diminuir…

Quem é mais prisioneira?

A moça com o véu muçulmano ou a bailarina semi pelada dos programas de domingo?

Tristes tempos esses em que vivemos…

Tempos em que não se sabe mais o que nos faz livres…th_06327_05

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

55 comentários , comente também!

  1. Elaine, a verdadeira liberdade está em apenas SER o que está de acordo com nossa essência, e que nos deixa leves e em paz, o ser apenas nós mesmos. Esta é a minha opinião. Por isso não me visto de acordo com nenhuma religião, apenas uso o que me deixa feliz. Também não mostro meu corpo com roupas apertadas ou poucas peças, porque não preciso que olhem para o meu corpo, como quem admira um produto em oferta. Mas, como disse essa é a minha opinião e me sinto liberta, porque ajo de acordo com ela.
    Beijos!
    Ps: os pés são meus! ;)

    ResponderExcluir
  2. Elaine, a verdadeira liberdade está em apenas SER o que está de acordo com nossa essência, e que nos deixa leves e em paz, o ser apenas nós mesmos. Esta é a minha opinião. Por isso não me visto de acordo com nenhuma religião, apenas uso o que me deixa feliz. Também não mostro meu corpo com roupas apertadas ou poucas peças, porque não preciso que olhem para o meu corpo, como quem admira um produto em oferta. Mas, como disse essa é a minha opinião e me sinto liberta, porque ajo de acordo com ela.
    Beijos!
    Ps: os pés são meus! ;)

    ResponderExcluir
  3. Sem filosofia, só minha opinião: as muçulmanas são prisioneiras da religião, da cultura, das leis, da sociedade machista em que vivem. Acho o fim.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saçam Fernanda! Não somos prisioneiras! Somos livres! Estude mais sobre a cultura árabe e o Islam antes de opinar sobre algo que não tens conhecimento! Machista é uma sociedade que te obriga a seguir um padrão de beleza que é praticamente impossível de se alcançar - onde você tem que ter peitão, bundão, coxão - onde seu cabelo tem que ser daquela forma, daquela cor, daquele tamanho - seu nariz, a cor do seu olho, sua altura e tudo o mais tem que seguir esse padrão de beleza imposto para agradar a sociedade, e exclusivamente, os olhares famintos masculinos.

      Hijab é a minha liberdade, minha escolha - eu uso porque amo e não sou obrigada a nada =)
      Que Allah sempre te abençoe!

      Excluir
  4. É muito triste admitir que a maioria das mulheres aceitaram e colocam como espécie de trofél o fato de terem se vendido como produto pelo marketing em propagadas e coisas afins....
    Mto triste.

    Xerinhos
    paty

    ResponderExcluir
  5. Elaine. Eu não quero ofender ninguém. Nem ser desagradável.

    Tenho contato com pessoas de várias origens, etnias. E qdo pergunto o que acham da mulher brasileira, as respostas são sempre: mal vestidas, vulgares, apelativas. Imagem de prostitutas.

    Infelizmente a imagem da mulher brasileira virou sinônimo de vulgarização. Uma mulher que não se respeita, que se exibe e rebola até mesmo para uma bengala de pão.

    Usar determinadas roupas por orientação religiosa é liberdade: a pessoa se veste de acordo com a fé que vivencia.

    A vulgaridade não é liberdade. É mau gosto, auto-desrespeito, banalização da própria sexualidade.

    O pior? A criançada que copia... e acham que isso é o certo, crescem com essa cabecinha vulgar.

    Triste...

    Excelente reflexão.
    bjs e bom dia p vc

    ResponderExcluir
  6. É, Elaine,

    Essas mulheres estão se aprisionando e nem sabem.
    E ainda nem tomaram conhecimento do tamanho da violência que sofrem.

    É uma pena, vermos tantas meninas se denegrindo em nome do chamado "sucesso".
    Que sucesso é este?

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  7. Naum deveria, mas fiquei chocada com as primeiras imagens, "coitadelas"! Mto pertinente o tema desse seu post... Tow eu aqui a pensar sobre...
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. oi querida, interessante vc falar disso, mas acho que eu como muçulmana brasileira digo que o véu islamico é mto pouco compreendido por estes lados de cá, ate mesmo chama-lo de prisão é uma loucura na visao da muçulmana, pois é justamente ao usa-lo que estamos livres dos olhares de outros homens q nao sao da nossa familia, q eu sou vista so pelo como sou como intelecto e nao como um objeto, e por aí vai, a historia é longa ehehee

    admiro quem se respeita, nao importa a religião... agora essas funkeiras, elas vivem disso e acham bom, nao sei como dormem com a consciencia tranquila, ou qdo estiverem velhas e sem a bunda pra mostrar, o q farao na vida delas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam irmã Marina! É verdade que nós não somos oprimidas e que ninguém nos obriga a usar nosso lindo hijab! Ele é a nossa liberdade e nossa proteção!

      Daqui há 15 anos tudo isso vai cair e mais marcas aparecerão no rosto delas! A dignidade já estará perdida e quais são os exemplos que elas irão mostrar? E o que dirão aos próprio netos? Fora o que poderá acontecer ou o que já aconteceu com elas, por andarem de forma tão indecente. Eu sinto compaixão por elas e espero sinceramente que Allah as guie até a senda reta!

      =)

      Excluir
  9. tantos querendo a liberdade outro tem e não sabem utilizar...


    abraços

    ResponderExcluir
  10. Oi, Elaine
    Perfeito!
    Creio que temos a consciência reta do que seja certo ou errado... do que nos fique bem com o nosso temperamento e com a nossa idade...
    Todos sabemos bem...
    Liberdade e libertinagem é uma confusão só...
    Fico com a interior... Não dá margem para escravidão de forma alguma nem de roupa nem de nada...
    Paz pra vc, querida.
    Bjks

    ResponderExcluir
  11. Elaine,

    Creio que as pessoas se acostumaram com essa banalização do sexo, porque para mim, as imagens das moças sem roupas, servem para vender sexo, nada mais.
    As pessoas se acostumaram a usar trajes mínimos, a mostrar cada vez mais, a não deixar nada a ser revelado. Moro numa cidade onde sempre faz muito calor e vemos cada barbaridade!
    Como trabalho com cultura, na sexta-feira resolvemos colocar na rua uma nova personagem, com o objetivo de fazer a cidade acordar, sair da apatia. Nossa personagem é uma noiva, com vestido lindo e tudo o mais, que aparece do nada em qualquer lugar, quanto mais inusitado, melhor.
    Sexta foi a sua primeira aparição, no banco, em horário de pico, para fazer um depósito. Fizemos para medir a reação do público.
    O que mais me chamou a atenção foi uma senhora, de seus 40 e poucos anos, de mini saia vermelha, sandália plataforma de uns 7 cm, blusa colada ao corpo e reluzente, e muita maquiagem no rosto. Ela ficou indignada ao ver uma noiva no banco, começou a conversar com quem estava perto, no caso eu, dizendo que era um absurdo uma pessoa vir trajada assim no banco, que era para se aparecer, que era um desrespeito com quem se vestia adequadamente (??)
    Fiquei pensando na situação, não podia intervir, mas refletindo que para algumas pessoas o certo é usar uma saia curtíssima, mesmo não tendo mais idade e nem corpo para isso. Vulgaridade virou estilo, infelizmente.
    nossa falei demais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Honestamente, liberdade não tem nada haver com libertinagem.
    Beijos na alma!

    ResponderExcluir
  13. Bom mesmo é se ter liberdade pra entrar numa loja, provar uma roupa, comprar pelo simples prazer de sentir que ela caiu bem em você!

    Eu por exemplo adoro decotes, dos bem cavados, me sinto bem com eles. Mas odeio mostrar uma pontinha de barriga, me sinto mal, e saias muito curta acho super incômodas. Então abuso no decote e o resto fica escondido, não porque ache feio e tem que esconder, não acho meu corpo feio, simplesmente me sinto bem assim...

    Todo o resto é prisão em rótulos!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  14. Bom dia!!!

    Ótima matéria sobre liberdade!!! E que como vc se expressou tão bem!!! Concordo com vc em tudo!

    Parabéns!

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá Elaine

    Impressionante este seu post...

    Dá que pensar.

    Vivemos tempos loucos, imcompreensíveis e confusos.

    Felicito-a pela publicação deste post.

    Um abraço

    Desejo-lhe um lindo dia e uma linda semana

    Viviana

    ResponderExcluir
  16. CADA UMA DELAS ESCOLHE O SEU CAMINHO.POIS NÃO VENHAM ME DIZER QUE PRA GANHAR GRANA DEVEM MOSTRAR AS BUNDAS E TUDO MAIS. QUEREM isso! São livres e escolhem isso. Já as de lá, que devem usar os burcas,nem essa opção tem.

    um beijo,linda semana,chica

    ResponderExcluir
  17. Oi
    Liberdade!!!
    Ficou triste
    com essa mulherada
    sendo tão
    livre delas mesma.
    Beijos...
    Lúcia.

    ResponderExcluir
  18. Ah Elaine...

    Todas são prisioneiras... Até aquela que serve de objeto de desejo para o homem, pq na concepção dela, aqulo que dá prazer a ela não a torna prisioneira de ninguém...
    Mas falando sério, a mulher moderna vive presa em seus medos, suas angústias, seus próprios problemas pessoais...
    Eu me sinto presa a uma tristeza funda que existe dentro de mim...
    Já tentei superá-la de diversas maneiras e fracassei em todas...
    Agora não tento mais, apenas convivo com ela!!!

    Simples assim!

    Boa semana!!!

    bjo

    ResponderExcluir
  19. Já foi a epoca do pudor, hoje muitas mulheres perderam sua liberdade virando escravas da beleza onde fazem de tudo para ficar bonita mesmo correndo risco, apenas pelo prazer de aparecer e ser desejada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Tayrine! Concordo com você quando dizes que hoje as mulheres são escravas da beleza e fazem de tudo para ficarem "bonitas", mesmo correndo um grande risco. E isso tudo, como você disse, apenas pelo prazer de se sentir desejada.

      Se soubessem o valor que elas tem, não fariam isso tudo!

      Excluir
  20. eu sou do tipo que não curte rooupa curta, nem pelada. Acho que cada um tem que viver com é melhor para si né? Não vejo graça de ficar mostrando o corpo na rua, mas tem quem goste, pelo menos espero que essa pessoa seja feliz do jeito que é.

    ResponderExcluir
  21. Elainbe
    Liberdade depende de voce.
    Papai nos deu total liberdade para fazermos o quisessemos. Ele não ficava bisbilhotando e ninguem pulou a janela como muitas colegas minhas.
    Mas sabiamos que tinhamos um limite.
    com carinho MOnica
    Mas isto são outros tempos. Hoje vá dá esta liberdade para meus sobrinhos!
    Não sei o que farão porque os valores são outros

    ResponderExcluir
  22. BOM REALMNTE TEM PESSOAS Q SE ACHAM SUPERIORES FAZENDO ESSES TIPOS DE COISA...DANÇAR QUASE NUA..MAL ELAS SABEM Q NÃO É BEM ISSO.VC DISSE TD .
    BJO GRADNE.TENHA UMA BOA SEMANA

    ResponderExcluir
  23. Eu não acho que as Muçulmanas são livres em seu vestir, porque são obrigadas a se vestirem assim. Quanto as Tequileiras do funk, são qualquer coisa menos livres, são prisioneiras de seus próprios gostos e vontades. É minha opinião. Eu tenho várias maneiras de me vestir, para trabalhar, ir a igreja... e para sair gosto de decotes e curtos. Talvez alguém ao me ver, não me ache livre também.


    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Mahria! Sou muçulmana e brasileira, e te digo que sou livre e ninguém me obriga a me vestir assim! Uso hijab porque gosto, quero e amo! Meu hijab é minha liberdade e uso ele por minha escolha, ninguém me obriga a fazer nada que eu não queira!
      Não sou escrava de ditames da moda, padrões de beleza e nem faço parte dessa sociedade consumista por roupas e moda. Minha beleza está no meu interior e amo quando as pessoas veem e ficam conversando comigo para saber como eu sou, pois não podem me julgar pela aparência.

      Hijab é a minha liberdade!
      =)

      Excluir
  24. Oi. Concordo plenamente com vc. Todos acham que as pessoas cristãs são prisioneiras porque não podem fazer nada, mas nós sabemos que somos verdadeiramente livres pois as escolhas são nossas e não estamos presas a uma vida que leva a todos a pensarem que ser livre é poder fazer tudo, tudo mesmo e acabam tornando-se prisioneiras de seus proprios sentimentos, culpas, frustrações. Me pergunto: e quando elas forem velhas? Verão que foram usadas a vida inteira e o que elas irão fazer? Só pela misericordia do Senhor mesmo. Eu sou cristã e sou livre pois eu escolho as coisas certas para a minha vida e sei que não me arrependerei de nada depois pois o que plantamos, certamente colheremos. Mas ta ai o livre arbitrio, cada um faz de sua vida o que quiser.... bj e boa semana

    ResponderExcluir
  25. Comentando de novo.... pois é... eu moro no fim do mundo virando a esquerda e sempre acontece isso... ontem assim que você publicou esse post eu comentei e agora eu fui ver não tinha ido. Só ontem aconteceu com 3 blogs... aff.

    Em fim... eu tinha dito que eu tenho uma opinião BEM FORMADA sobre esse assunto. Por conta da minha formação religiosa. Mas hoje em dia eu tô numa vibe assim... que cada um faça o que bem entender com seu livre arbítrio... eu não questiono e não julgo... afinal... a salvação é individual.

    Beijozzz

    Voi salvar... caso esse não vá não preciso escrever novamente rs.

    ResponderExcluir
  26. Na minha opinião a mais prisioneira é a mulçumana, porque se reparamos nao é porque elas escolheram andar assim e sim porque são induzidas a faze-lo. Senao o fizerem podem ser mortas ou apedrejadas.. enquanto que nos, acho que abusamos as vezes da tanta liberdade de escolha que temos. Porque por mais seja cristã ou não, seja funkeira ou nao, é uma opção. Contudo e como cristã que sou, penso que devemos andar conforme queremos mas tambem não provocando a vontade alheia. Carne é fraca*

    Um beijo :) e boa sugestao de discussao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salaam Aleikum! Saiba que nós muçulmanas também nos vestimos como quisermos! A diferença é que gostamos de nos vestir assim! Eu me sinto bem livre dos olhares predadores masculinos. Hijab é a minha liberdade! Não somos oprimidas! Não somos obrigadas a viver sob os ditames da beleza ocidental e a cultura do "mostre tudo o que puder". Ao contrário do que pensas, nós não seremos apedrejadas/espancadas (ou seja lá o que for que a TV diz e que voces acreditam cegamente) se tirarmos o hijab/niqab/burka. Antes de pensar que uma uma muçulmana é oprimida, pergunte a uma muçulmana se ela é isso mesmo, oras! Não somos um objeto sexual - somos um intelecto! Desligue a televisão e abra seu cérebro! O Islam nos concedeu todos nossos devidos direitos há 1.400 anos atrás! SOMOS MUITO MAIS QUE APARÊNCIA EXTERNA! Eu amo quando as pessoas precisam vim conversar comigo para saber como eu sou, pois não podem me julgar pela aparência. Eu amo meu hijab, ele é muito mais do que um pano que cobre os meus cabelos - o hijab é a minha proteção! A minha LIBERDADE! L-I-B-E-R-D-A-D-E! Usamos porque queremos e amamos. Ninguém nos obriga a fazer nada! O Islam é paz e adoração ao Deus único! Convido vocês a conhecer o Islam com verdadeiros muçulmanos, e não com mentiras que a televisão mostra.

      Excluir
    2. Salam! Tudo bom?
      Nós muçulmanas não somos forçadas a nos vestir assim e nem seremos apedrejadas ou mortas, caso não queiramos usar o hijab. Nós escolhemos usar o hijab! Eu amo usar hijab. Meu hijab é a minha liberdade!

      Te convido a conhecer o Islã! Cuidado ao falar sobre o que desconhece!
      Que Allah sempre te abençoe!

      Excluir
  27. Sinceramente é ridiculo esses bailes funks... nada contra mas essa é a minha opiniao... é ridiculo
    mulheres depravadas que gostam de ficar rebolando e se oferecendo... depois nos perguntam o pq de os homens estarem viando viado?! simplesmente pq é bem mais dificil e como diziam: "A maçã mais desejada é aquela que está no topo da arvore e você tem que batalhar para alcança-la"

    beijos

    ResponderExcluir
  28. Oi Elaine, fiz um post falando também sobre isso, liberdade, mas com bom senso. A revolução sexual das mulheres ao mesmo tempo que nos trouxe liberdade foi mal interpretada e acabou no que vemos por ai hoje, pura falta de bom senso, falta de saber o que fazer com sua liberdade, uma lástima. beijos

    ResponderExcluir
  29. Elaine,
    Não acho que a maneira de vestir de alguém tenha a ver com liberdade..liberdade pra mim e poder escolher o que gosta, como viver a vida e desfrutar do que foi escolhido. Infelizmente, hoje em dia a palavra liberdade é confundida com vulgaridade e eu to cansada de ver pessoas que se vestem num recato só e não valem o arroz que comem, e mulheres que trabalham mostrando o corpo e tem uma dignidade incontestável...não deve haver generalização e cada um é livre pra escolher o modo de vida que quiser e como já disseram acima, o livre arbitrio está ai e a nós não cabe o direito de julgar. Claro que temos nossas opiniões e eu acho que a vulgaridade está tomando conta das mulheres...que pena!!!
    Bjs carinhosos
    Márcia

    ResponderExcluir
  30. A nossa liberdade depende de nós mesmos!
    O excesso de liberdade tb pode ser prejudicial!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  31. Elaine penso que o que nos faz livres é a nossa capacidade de Amar e deixar-se ser amada...
    Confesso que ver mulheres que se despem, por tão pouco e agem como se não tivesse valor algum é muito triste. Acho que é menos incomodo do que ver as muçulmanas e as cristãs que se vestem dessa forma.
    Eu particularmente, acho o mistério de revelar não revelando tudo, muito mais bacana.

    BJKS DE KARLA***

    ResponderExcluir
  32. Acho que no final, todas são prisioneiras de alguma maneira, seja de religião, seja da sua objetização, seja do que a sociedade nos diz de como devemos ser e proceder.
    Sempre acreditei que a liberdade é um processo interno.
    Nós somos livres, se a nossa mente nos liberta. Sendo assim, qualquer uma delas, pode ser livre ou prisioneira.
    Mas, concordo que hoje temos uma sociedade que transforma em mercadoria peitos e bundas. E burramente, muitas mulheres acreditam que isso é o que elas são e tão somente isso podem oferecer...
    Uma pena...

    ResponderExcluir
  33. Acho que as 22 de certa forma são escravas, as primeiras da beleza, pois sem elas, provavelmeente não teriam a atenção da mídia, tanto que se não aproveitarem os 5 minutos, não conseguem mais nada. O 2° exemplo pela própria religião que rebaixa a mulher, não permitindo que elas possam realmente falar o que querem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam! O Islam não rebaixa a mulher, muito pelo contrário. Ele preserva e enaltece a mulher! A mulher é muito valiosa no Islamismo. Nós que escolhemos usar o hijab! Eu amo usar meu hijab. Ele é a minha liberdade!

      E nós sempre pudermos falar o que queríamos! Há 1.400 anos, o Islam nos concedeu com todos nossos direitos! O que o Ocidente só veio oferecer as mulheres no século XX, e ainda há muitos que não receberam e veem tentando lutar por eles.
      Leia este artigo sobre as condições religiosas daa mulheres e ficarás informada quando quiseres comentar coisas como essas: http://www.uniaoislamica.com.br/livros/a_mulher_no_islam.pdf

      =)

      Excluir
  34. Acho que no final, todas são prisioneiras de alguma maneira, seja de religião, seja da sua objetização, seja do que a sociedade nos diz de como devemos ser e proceder.
    Sempre acreditei que a liberdade é um processo interno.
    Nós somos livres, se a nossa mente nos liberta. Sendo assim, qualquer uma delas, pode ser livre ou prisioneira.
    Mas, concordo que hoje temos uma sociedade que transforma em mercadoria peitos e bundas. E burramente, muitas mulheres acreditam que isso é o que elas são e tão somente isso podem oferecer...
    Uma pena...

    ResponderExcluir
  35. Elaine,

    Como são gritantes as diferenças. Sou a favor de uma escolha pela dignidade respeitando a convicção de cada um. Só acho que as virtudes trazem frutos mais doces, e considero a decência uma virtude.

    Um grande abraço
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  36. Eu acho que as pessoas que se vestem vulgarmente também estão agindo de acordo com suas convicções, da mesma forma que uma muçulmana ou uma cristã.

    Se a profissão da mulher exige que ela use roupas mais provocantes, obviamente ela se torna um pouco "prisioneira" disso. Entretanto, quando as mulheres optam por seguir o que as religiões pregam, ou seja a modéstia em se vestir, também se tornam "prisioneiras". Assim como na nossa sociedade, existe todo um padrão de moda em constante transformação que "aprisionam" as mulheres a consumirem determinadas marcas.

    Ora, as roupas têm uma profunda função comunicativa, seja para expressar sensualidade/vulgaridade, religiosidade ou status.

    Eu acho que a liberdade está em poder usar as roupas com as quais você melhor se identifica. Claro que é importante adaptarmos nossa forma de se vestir de acordo com o ambiente, seja num baile funk, seja numa igreja/mesquita.

    Enfim, é a primeira vez que entro no seu blog e achei várias coisas legais.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  37. Olá Elaine adorei o post, realmente hoje estamos vivendo em uma sociedade com os valores invertidos, as mulheres se auto diminuem a cada dia mais, a vulgaridade é tratada como normal e como sinal de liberdade...uma pena, porque as mulheres vivem exigindo respeito mas elas mesmas não se respeitam e por opção se tornam objetos colocando a aparencia acima de tudo.
    Bjs..

    ResponderExcluir
  38. ELAINE QUERIDA...
    realmente é lamentável..eu fico enojada com essa mulheres que se expoem como pedaços de carne e deixam fazer com seu corpo um parque de diversões para bebados, homens tão desclassificados que só pesam em usa-las para depois descartar...
    eu acho triste..
    não estou denegrindo o ser humano por detras dessas minusculas roupas,mas sim as atitudes e a humilhação de se deixar usar dessa forma.
    sei que são moças que tiveram a pouca sorte de naõ nascerem em bons lugares, terem estudo e algum futuro, e com a sorte de terem um corpão que infelizmente que é o que todos veem nelas.
    torço pra que algo mude!!!
    liberdade é se fazer aquilo que se quer com bom senso e criatividade...
    "ainda acredito na máxima que uma mulher deva ser uma dama na sociedade e uma devassa na cama, mas entre quatro paredes onde tudo é válido e se tem a liberdade conquistada para exercer aquilo que cada uma deseja."
    o além disso é vulgaridade e isso eu não acho legal.

    bjuivos no coração.
    loba.

    ResponderExcluir
  39. Elaine,

    Estamos num mundo tão estranho, que se voce for contra atos que atinjam o consenso de moral, de honestidade e de respeito, você está "julgando"! A sociedade é careta...
    Nunca vi uma sociedade tão permissiva. Hoje tudo é normal, cada um faz da vida o que quer.
    Por isto os jornais estão povoados de notícias de agressões, mortes bárbaras e estupros.
    Por isto os antidepressivos são campeões de vendas.
    As relações se tornaram líquidas, pq as pessoas perderam os valores humanos e abraçam os valores monetários. Quem tem preço, paga o preço. De ser objeto, de ser descartável...

    ResponderExcluir
  40. Nossa, essas tequileiras são um absurdo, né?
    Tipo... até que ponto isso ainda pode chegar?

    Agora, achei lgl a confeccção de roupas pras Cristãs...

    Bjs!

    ResponderExcluir
  41. Liberdade é não precisar provar nada pra ninguém e poder se vestir de acordo com o que você acha que deve. Prisioneiras existem de ambos os lados. Mas eu acho que pior são essas que acham que são livres pra mostrar o corpo, quando na verdade estão pesas à necessidade de auto-afirmação.

    Sei que não era a intenção do post, mas eu achei lindas as roupas das duas últimas fotos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  42. Eu creio que essa liberdade tem que estar dentro de nós.Inclusive acho um absurdo estarem proibindo o uso de véus em alguns países como a França, pois creio que a pessoa tem que ter liberdade de escolha, não é?

    ResponderExcluir
  43. Olá..muito relevante o assunto do post...Você é muito sábia em suas colocações... Continue assim...nos edificando através dos posts.
    Liberdade pra mim é saber dizer "não" pra tudo o que nos faz mal... Se a pessoa se veste assim ou assado, desde que não esteje violando a "si mesma"...é o que vale!!! Com burca, sem burca o que importa é ser feliz, msm que nem sempre tendo razão....=)

    ResponderExcluir
  44. Duas situações complicadas de se debater, porém na minha forma de analisar ( pode ser que eu esteja enganado ), mas as mulheres do qual utilizam grande quantidade de roupas ( se vestem formalmente ) normalmente seguem algum tipo de doutrina, sei lá talvez vindo da educação primária, e assim jamais se sentiriam prisioneiras e sim acostumadas a uma rotina de berço ... e já as que vestem roupas que muitas vezes não seriam suficientes para se enrolar uma simples bala ..rs... de certa forma ( talvez por alguma precisão ou não ) são remuneradas e com isso não as deixam se sentirem prisioneiras, de fato, as tornando mais ambiciosas e determinadas, impossibilitando-as de lembrar de seus micro trajes.

    Bom, é isso pessoal!

    Abraços,

    ResponderExcluir
  45. Salaam Aleikum! Saibam que nós muçulmanas também nos vestimos como quisermos! A diferença é que gostamos de nos vestir assim! Eu me sinto bem estando livre dos olhares predadores masculinos. Hijab é a minha liberdade! Não somos oprimidas! Não somos obrigadas a viver sob os ditames da beleza ocidental e a cultura do "mostre tudo o que puder". Ao contrário do que os ignorantes pensam, nós não seremos apedrejadas nem receberemos chibatadas (ou seja lá o que a TV mostre que há ignorantes que acreditam cegamente, sem nem antes se informar) se tirarmos o hijab/niqab/burka. Antes de chamar uma muçulmana de oprimida, pergunte a uma muçulmana se ela é oprimida! Não somos um objeto sexual - somos um intelecto! Desliguem a televisão e abram seus cérebros! O Islam nos concedeu todos nossos devidos direitos desde 1.400 anos atrás! Enquanto há mulheres que passam horas num salão dando alisantes no cabelo que podem até matar; que se submetem a cirurgias plásticas; que colocam "borrachas" (silicones) nos peitos - apenas para seguir um padrão estético que é imposto à elas todo dia. Quem são as oprimidas? SOMOS MUITO MAIS QUE APARÊNCIA EXTERNA! Eu amo quando as pessoas precisam vim conversar comigo para saber como eu sou, pois não podem me julgar pela aparência. Eu amo meu hijab, ele é muito mais do que um pano que cobre os meus cabelos - o hijab é a minha proteção! A minha LIBERDADE! L-I-B-E-R-D-A-D-E! Usamos porque queremos e amamos. Ninguém nos obriga a fazer nada! O Islam é paz e adoração ao Deus único! Convido vocês a conhecer o Islam com verdadeiros muçulmanos, e não com mentiras que a televisão mostra.

    =)

    ResponderExcluir
  46. Salam Alaikum

    Não nos vestimos por que homem nos faz de prisioneiras, Somos livres como todas são.
    Mais nossas vestes nos deixa ir a qualquer lugar e se alguém nos olha, não é pensando em sexo ou nos comendo com os olhos e sim now olha, como mulheres de respeito e que respeita os outro, e queremos agradar a Allah ( Deus ).
    As pessoas sempre fala em respeito, mais não respeita as escolhas dos outros.

    ISLAM THE MOST POWER FULL RELIGION .

    I´M MUSLIMA ALHAMDULILLAH

    SALAM <3 KATY OSAMA : http://www.facebook.com/Katyosamaa

    ResponderExcluir
  47. Ai,que nojo que eu tenho dessas malditas putas funkeiras! Quanto a confecção destinada a mulheres cristãs,por acaso se trata da loja Joyale Moda Evangélica,na qual a cantora Aline Barros é garota propaganda?

    ResponderExcluir
  48. Não sei se poderia, mas peço licença as meninas para abordar uma questão.
    Já vi prostitutas bravejarem exigindo o respeito a elas faltado, já vi também freiras cederem aos seus desejos diante de homem interessante. Já vi bailarinas profissionais não admitirem serem tocadas, assim como modelos fotográficos exigirem a distância de todos da equipe.Mas já vi também senhoras bem vestidas e ocultadas em vestidos longos e elegantes se afastarem em festinhas para serem bolinadas por quem lhe interessou.
    Isto me levou a pensar que a natureza nos coloca despidos no mundo, e até os índios se aproximam disso.Será que o carácter, o respeito, a dignidade, realmente estão nas roupas? ou será que conceitos criados em benefício de alguma coisa mascaram a vontade de sermos o que realmente somos?
    Todos nós temos um "alter ego" e sempre ele se distância do que realmente somos no dia a dia. Não seria isso um indício de que todos acabam forçados a seguir normas e a receber críticas por estarmos sempre longe do que somos mesmo?
    Ahhh, eu queria mesmo saber das meninas o que acham desse post.
    Veja esse comentário com bons olhos, e comentem também,por favor.
    Paulo Marques

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…