Como salvar seu filho do bullying

em 20 de maio de 2010

bullying Bullying é uma situação que se caracteriza por atos agressivos verbais ou físicos de maneira repetitiva por parte de um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo inglês refere-se ao verbo "ameaçar, intimidar".

Infelizmente o termo está se tornando cada vez mais popular. Os episódios de violência crescem e a gente se pergunta:
O que fazer?
Deixa eu te contar uma coisa que pouca gente sabe?

Eu tenho um sobrinho de 9 anos chamado Luís Henrik. Ele é um menininho lindo cor de bombom conforme ele diz e está na 3ª série.

Ele também faz acompanhamento psicológico há 3 anos e este ano fará uma cirurgia para correção das orelhas de abano. Só Deus sabe a luta da minha irmã para juntar os 3 mil dinheiros que custa a cirurgia dita “!plástica!” e portanto não paga pelo Sus.

As sessões com a terapeuta e a cirurgia se tornaram necessárias depois que ele passou a estudar. Antes ele se achava lindo, como de fato ele é. As orelhas grandes jamais o incomodaram. Mas, como bem disse Jean Paul Sartre “O inferno são os outros.", neste caso as demais crianças.

Este post talvez vá me fazer levar pedradas mas quero afirmar com todas as letras e com plena convicção que existem muitas crianças cruéis. Se você tem a ideia romantizada de que toda criança é um anjo então você vive em outro planeta que não a Terra.

Existem crianças que sentem prazer em maltratar e agredir outros mais fracos; crianças que se satisfazem em humilhar e agredir o mais pobre, o negro, o oriental, o gordo, o magro, o baixinho, aquele que usa óculos.

Outro dia eu estava trabalhando com o portão de correr fechado quando ouvi: “Sai, tatu.” e “Vai embora, tatu!”. Também: “Sai daqui que você tá sujo!” e “Vai embora senão te bato, tatu!”.

Isso se repetiu por uns 20 minutos. Dois dias depois eu estava com o portão aberto e comecei a ouvir a mesma cantilena do “Sai tatu”. Seria capaz de jurar que o “tatu” fosse um cachorro fugido de casa, pois tanto o tom quanto as palavras são os que gente idiota usa para espantar um cachorro vira lata.

A voz que dizia as frases era de um menino vizinho meu, filho único e cheio de mimos; daí a minha certeza de que fosse um cachorro o tal tatu.
Não era.

Era um garotinho pequeno, uns 8 ou 9 anos. Pobre. Já falei da mãe dele aqui. Ele vinha à minha rua por causa do campo de futebol que há aqui e o menino “bem de vida” dizia as “gentilezas” a ele. No 3º dia eu abri o portão de supetão e daí já sabe, né?

O filhinho de mamãe não passa mais por aqui. Falei com a mãe dele e ela me disse que “criança é assim mesmo, ele não faz por mal, você tá exagerando e pode deixar que eu conheço meu menino. É só brincadeira”. Cega ela.


Não sei o que é pior: mãe da vítima ou mãe do agressor!
Agora a bola está com você, leitor!

Dê sua sugestão, seu palpite.

Como prevenir esse horror?
barrinha11

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

31 comentários , comente também!

  1. Concordo literalmente!!e com certeza, essas crianças cruéis são reflexos da família em que vivem. Eita, agora estarei também, vulnerável a pedradas(rsrs).
    Um abraço!!
    Rejane

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente a mãe desse menino agressor está criando um futuro adulto sem coração, porque ela mesma não tem coração.
    Beijos na alma, querida!

    ResponderExcluir
  3. Pois é Elaine,triste ver isso acontecendo nos dias atuais. Em tempos modernos onde há tantas pessoas informadas.
    Meu filho passou por isso aqui no Japão,onde ele frequentou uma escola Japonesa,o qual SÓ havia ele de estrangeiro.
    Aqui no Japão acontece muito casos de bullyng,aqui é conhecido como IJIME,aqui eles pegam tão pesado que muitas crianças optam pelo suicídio.
    Nós pais,educadores,familiares temos que estar atentos para amparar quem sofre e também para censurar quem pratica.

    Educação vem de casa, essa vizinha sua,acreditando na inocência do filho de ser ainda uma criança,ela esta ajudando a crescer as estatísticas de maus tratos,e seu filho pode se tornar 1 adulto violento,sem limites e sem respeito ao próximo.

    Espero que seu sobrinho faça a cirurgia e consiga superar essa busca de imagem imposta pelos outros.

    Otimo post e serve de alerta a todos que aqui passarem.Bjs

    ResponderExcluir
  4. ELAINE..
    CONCORDO QUANDO DIZ QUE CRIANÇA É CRUEL...E COMO SÃO!!!!
    EU DIGO E REPITO; A CRUELDADE FAZ PARTE DA INFANCIA , ALGUNS EM MAIOR GRAU DO QUE OUTROS, MAS FAZ PARTE, SIM.
    O BULLYNG É ALGO MUITO SÉRIO E QUE DEVE SER REPRIMIDO ,NÃO SÓ PELOS EDUCADORES, MAS PELOS PAIS QUE DEVEM TER A CONSCIENCIA DE EDUCAR SEUS FILHOS, EXPLICANDO-LHES AS DIFERENÇAS, DEFICIENCIAS, NIVEIS SÓCIO ECONOMICOS E PRINCIPALMENTE, MOSTRANDO-LHES ATRAVÉZ DO AMOR E DO EXEMPLO, QUE DEVEMOS RESPEITAR TODAS AS PESSOAS.
    O DIFERENTE NÃO DEVE SER REPELIDO, MAS SIM COMPREENDIDO COMO SER HUMANO E RESPEITADO POR AQUILO QUE ELE É E NÃO EXECRADO POR AQUILO QUE ACHAMOS QUE DEVERIA SER.
    É LAMENTÁVEL ,QUE ALGUNS PAIS NÃO DEEM A DEVIDA IMPORTANCIA AO FATO DE SEUS FILHOS HUMILHAREM OUTRAS PESSOAS POR PRAZER OU PRECONCEITO, ESTÃO CRIANDO MONSTRINHOS DENTRO DE CASA E UM DIA ISSO SE REFLETIRÁ NO PRÓPRIO SEIO FAMILIAR E AI...BAU-BAU.
    BJUIVOS NO SEU CORAÇÃO.
    TENHA UMA NOITE LINDA.
    LOBA.

    ResponderExcluir
  5. olá esta semana andei pensando muito neste assunto.
    li um artigo da revista epoca, (deixo aqui o link pra vc ler:http://colunas.epoca.globo.com/mulher7por7/2010/05/17/seu-filho-pode-ser-vitima-de-bullying-e-nao-contar/ ), minha sobrinha sofreu bullying na escola, e tenho visto e ouvido mais do que posso aguentar
    tudo se resume a maldade.
    acho que o ser humano nasce mau.
    exerce esta maldade enquanto não percebe as consequencias.
    qdo a vida começa a domestica-lo ele fica bonzinho, mas isos não se aplica a todos tá?
    acho que tem gente muito, muito maldosa, que não muda nunca
    eu estou me segurando pra não falar de bullying no meu blog, pois já falei recentemente
    mas algo tem que ser feito
    as escolas tem que ficar de olho e oferecerem apoio
    sei lá
    ´e muito triste ver crianças assediando outras
    abs
    lilly

    ResponderExcluir
  6. POLÊMICO ou não eu concordo com vc! Infelizmente existem sim crianças que tem prazer em amltratar outros. Mas na minha opinião isso vem de casa, é a educação e principios que são dados dentro de casa. Criamos nossos filhos para o mundo, e no mundo eles vão encontrar de tudo, coisas boas e não boas... atitudes corretas e não corretas, o certo e o errado, cabe aos pais ensinarem os valores que irão nortear a vida da criança desde pequenino. Como diz o versiculo que está em proverbios "ensina a criança o caminho em que deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele".
    Pode ter certeza que a criança cruel hoje será também cruel quando crescer, pois certamente ela aprendeu que isso era coisa de criança, aceitável e bobagem!
    Enquando existir pais criando seus filhos na "normalidade" dos dias de hoje achando o pecado normal iremos ter muito bulling nas escolas, nos condomínios e nas ruas.
    Agora concluindo sobre como podemos acabar com isso... além é claro da crianção é tendo um diálogo aberto e franco com nossos filhos a ponto de percebermos quando isso se passa com eles. Meu filho passou potr isso, de forma leve mas o diálogo aberto e franco que amntemos em casa fez com que percebessemos a tempo e fossemos na escola tomar providências.

    sinot muito pelo seu sobrinho, de verdade, infelizmente ele vai ter que fazer a cirurgia pra ser aceito, pois vivemos em um mundo que não sabe respeitar diferenças. Como vc mesma disse ele se achava lindo, e ele precisa saber que é, com o sem orelhas, pois Deus fez ele assim e ele é amado assim!

    Bjs e sucesso! Que seu sobrinho fique ainda mais lindo!

    ResponderExcluir
  7. Olá Elaine,
    lamentavelmente contamos com a cegueira dos pais na maioria dos casos.
    Costumo dizer, sempre que o assunto é culpar os governantes ,os policiais enfim, pelos crimes e tantos afrontes à moral, que não tem quem dê jeito, pois a degradação está no ser humano.
    As referências de moral e hierarquia foram definitivamente "pro brejo".
    Só mesmo Deus para colocar um basta.

    Agradeço sua visita, e vou sim entrar para a brincadeira da perseguição digital.

    Beijo de boa noite.

    ResponderExcluir
  8. Elaine, isso é um horror mesmo, principalmente porque a idade escolar é onde a personalidade está sendo formada e comentários pejorativos, insultos e perseguições como essas podem causar danos muito sérios numa criança, comprometendo o seu desenvolvimento por completo. Crianças cruéis? É ÓBVIO que existem, como tb é óbvio que existem pais e mães igualmente cruéis que dão maus exemplos em casa ou que ajem com esse descaso que vc mencionou. O que fazer para prevenir? Difícil né? Muito difícil. Acho que a única coisa que se pode fazer é o que você fez, dar uma boa lição de moral, quer os pais gostem ou não. Mais do que isso não dá né, não podemos sair por aí educando os filhos dos outros. E quanto aos pais cujos filhos sofrem de bulling, acho que é fundamental prestar mta atenção no filho e tentar descobrir o que está acontecendo, caso a criança aparente tristeza, pois é normal que a vítima sinta vergonha e não conte nada em casa. Deve ser um sofrimento mto grande, coitadinhos. Me revolta pensar nisso. Beijos, Loraine

    ResponderExcluir
  9. Elaine,
    Taí um erro muito grande: pensar que todas as crianças são boazinhas, uns anjinhos caídos do céu. Não são! Elas são humanas, com todas as mazelas inerentes à humanidade, inclusive com problemas de caráter. Porém, como ainda são pequenas é possivel que a educação e o ambiente possam abrandar essa crueldade latente. E aí entra o papel dos pais que são as peças básicas que oportunizarão essa muidança necessária. Mas o problema se agiganta quando eles (os pais) não querem enxergar e, literalmente tapam-o-sol-com-a-peneira, como a gente diz por aqui. Aí, bem, aí já sabemos o resultado, vemos no dia a dia, como tu bem relataste nesse post. A maldade toma conta e os seres indefesos, pessoas e animais, muito sofrerão nas mãos desses pequeninos "mau-caratistas" que os pais acham "tão bonitinhos" e aplaudem quando maltratam um animalzinho, um coleguinha, etc. Quando chegarem à idade adulta, já viu hein. Chega, falei demais. Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Oi amiga, obrigada pela visita e convite.
    Olha é dificil esse assunto né, mas não devemos fechar nem os olhos e nem os ouvidos.
    Tenho dois meninos e sempre estou orientando eles para que não se esqueçam que ELES NÃO SÃO MELHORES QUE NINGUÉM.
    E também fico de antena ligada, ai se ouço alguém falando alguma coisa pra eles, contra eles.
    Hummmmmmm VIRO BICHO, SAI DA FRENTE.
    Bjs e bom final de semana.
    Volta e participa da promoção tá.

    ResponderExcluir
  11. Oi amiga, olha eu de novo.
    Já fiz minha inscrição e depois faço a divulgação ok.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. a escola precisa ser avisada, se a escola não promove debates, não conversa, é melhor mudar de escola. é preciso levantar a auto estima do agredido e colocar limites no agressor. a questão é q muitas crianças q têm problemas como esse trazem pais tb com problemas e aí fica difícil conversar. terapia é sempre bom e pra todos, não só para os envolvidos no buylling como para os pais saberem lidar com a situação. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  13. Nossa é muito chato para as duas mães, isso quando a mãe do agressor se preocupa, tem modos, educação, responsabilidade e etc... Vc abordou bem a questão que se trata do psicológico e educação, no meu ponto de vista. Assisti uns vídeos há um tempo atrás e fiquei horrorizada, pois a criança foi agredida com palavrões e ainda apanhou do outro sujeitinho da mesma idade, os pais do agressor, disseram que era brincadeira! affffff se para eles é brincadeira, para outros é caso de justiça. Aqui em MG estão implantando projetos de sociabilização para a convivência saudável nas escolas, pq é na escola que se forma cidadãos e se pode identificar tais problemas tbém! Bjinhos da Madrasta!

    ResponderExcluir
  14. Muito bom o post, estou postando algo parecido hj no meu blog....sabe o sssunto palmadinhas que tá na mídia agora? então, vá lá conferir.

    ah aceitei seu convite!

    Beijos

    Joana Campos

    ResponderExcluir
  15. Oi, Elaine

    Eu ainda acho que as crianças nascem puras e a sociedade é que as corrompe.
    Quando ainda trabalhava com pequenos sentia isso e também na escolinha dos meus.
    Quanto menores as crianças, menos dicriminação. Conforme os pais, amigos, irmãos, família e sociedade vão formando seus conceitos a coisa muda.

    Note que em lugares públicos, parques e até na areia da praia, os pequenos procuram brincar com todos, não interessando cor, roupa, etc.

    Ha, mas se a "mamãe" ver, Socorro!

    Não brinque com aquele ali, é sujinho, pode ter piolho, sarna, falar palavrões, etc.

    Não seria mais fácil ensinar o que se pode ou não falar e quando falar, do que dizer que o amiguinho é que é o errado, o torto na vida?

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  16. Menina,
    esse post caiu bem. Cê credita que dois dos meus três filhos estavam sofrendo isso na escola? Pois é, fiquei triste e fui a luta porque mãe que é mãe vira uma onça quando algo acontece com suas crias.
    1) Fui ao orientação educacional do colégio e armei a barraca e depois chutei com toda as minhas forças, elegantemente se é que seja possível;
    2) Esperei a escola tomar as providências, foram poucas as mudanças, então me dirigi logo ao dono dos porcos, olha foi rápidinho. Claro que o colégio de renome não que ver seu nome nas páginas de jornais devido a falta de preparo dos seus professores, coordenadoes e afins.
    Depois senti uma vontade imensa de pegar aquelas pessoinhas e falar umas verdades, mas imaginei que a culpa não são das crianças e sim dos seus pais se é que pode chamar isso de família. Alguns pais de hoje tem um péssimo hábito de jogar tudo nas costas da escola, e a educação que é primordial em casa é esquecida, acredito eu dentro da minha psicologia barata que essas crianças agem assim por falta de convívio famíliar, os pais não as notam e elas precisam de atenção e começam a ser agressivas com os que parecem mais frágeis. Só que meus filhos não são frágeis e sabem o que é o bulluying e logo que ocorreu a maior chegou para mim e falou que estava sofrendo esse tipo de desconforto. Já o meu João lindo e loiro apenas falou que tinha um coleguinha batendo nele porque ele torcia por outro time e no futsal ele sofria esse tipo de abuso. Eu fico enfurecida e se eu pudesse daria umas boas palmadas nos pais dessas crianças. Estou atenta e a qualquer sinal por pequeno que seja, as coisas vão ficar bem escuras.
    Fiquei atentas a seus filhos para que eles não se tornem adultos inseguros. Beijim Elaine

    ResponderExcluir
  17. Olha Elaine no meu ponto de vista a melhor coisa a ser feita para previnir esse tipo da traumas em crianças é educar os nossos filhos, cada pai chamar a responssabilidade pra si...

    Essa é a melhor prevenção...

    ResponderExcluir
  18. Como pessoa Elaine, eu sei bem o que é bullying pq já passei por isso diversas vezes na escola... E como educadora que sou ( já presenciei um monte dessas "ceninhas inocentes" na escola).
    O melhor meio de previnir esse tipo de violência no colégio é conscientizar os alunos dessa violência. Pq só assim vamos acabar com ela!

    Os meus apelidos na infância por ser branquinha demais e no colégio, são impublicáveis aqui, mas na época doíam muito... Acho que é por isso que me sinto tão triste por dentro...
    mas um dia passa...

    Bom fds!!!

    bjão

    ResponderExcluir
  19. Eu vi uma reportagem aqui em BH que a familia do garoto teve que pagar indenização para a menina.
    Acho que assim, a criança pode ver que existe uma punição.
    com carinho MOnica
    Mas é dificil dar opoinião. Só a gente estando na escola para ver.

    ResponderExcluir
  20. Oi Elaine... tenho comigo que criança é um bicho que a gente vai domando aos poucos com gentileza(criei polemica?, ensina respeito, impõe limites, e reza muito para que ele (a) aprenda um pouco de solidariedade e amor ao proximo. Utópica? Talvez. Por não me achar capaz preferi deixar a maternidade para outras. Beijos Linda, fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Elaine!
    Estou te visitando pela primeira vez, e é um grande prazer pra mim. Adoro passear pela blogosfera, pois, sempre nos deparamos com ótimos textos para reflexão,para distração, enfim...
    Com relação ao seu texto, concordo plenamente, existem crianças muito mal educadas, e não é porque são crianças que são anjinhos.Penso que a culpa do mal comportamento das crianças é toda dos pais, que não impõem limites, dão mal exemplos, e enchem de mimos. Quando chegam na adolescência, essas crianças estão insuportáveis,e é muito mais difícil reparar os estragos. Infelizmente,os pais,não têm noção do mal que fazem as crianças agindo dessa forma tão irresponsável. Até parece que têm medo dos filhos, já reparou? Dizer não a fulaninho ou a fulaninha, nem pensar... Desculpe, me empolguei, kkk.
    Beijos.
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  22. Oi, Elaine!

    Meu sobrinho também já foi vítima de bulliyng na escola, ele é o menino mais inteligente da sala, tira altas notas e isso causa muita inveja. Minha irmã já foi chamada várias vezes no colégio e agora ele faz acompanhamento psicológico. Sei bem o que é isso, um sofrimento pra criança e família.
    Quanto a crianças cruéis, eu conheço uma, faz parte da família, mas as únicas que vêm isso sou eu e minha irmã, os outros acham que é normal, coisa de criança. Eu fico pensando: em que adulto se transformará essa criança?
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  23. Rosario-Bendizer SP21 de maio de 2010 17:32

    Oi Elaine, estava com saudades de deixar um recado, tenho passado meio corrida pelos blogs queridos.
    Quanto ao post,trabalho com crinças e sei perfeitamente o quanto elas são cruéis e o pior apoiadas pelo pais, que acham o máximo seu filho(a)se sobressair em qq que seja a situação. Tenho muitas histórias a respeito de desrespeito entre crianças. Pais por favor abram a mente, o coração e a educação.
    Beijinhos em nosso Baby :)

    ResponderExcluir
  24. Não tem muito a ver com o post, mas também acho que quem espanta cachorros ou animais é idiota.

    ResponderExcluir
  25. Criança é cruel sim, mãe é cega sim, e tem que xingar ambos sim. Ué, onde já se viu deixar pisar nos outros na frente da tua casa! Tu não fostelá dentro da casa deles se meter, foi na rua, que é pública. eu sou vista como antipática por algumas mães, quando seus filhos batem em outros na escola e eu os repreendo e chamo a professora, reclamo, mando vir a pedagoga e peço reunião na hora. Aí, me dizem: mas nem é com teu filho. Respondo. O agredido não é meu filho HOJE, mas pode ser amanhã. Escola não é lugar de agressão e não podemos ser lenientes. Nossa, me stresso, mas todo mês tenho reunião reclamado coisas.

    Eu tenho tempo e disposição para fazer um mundo melhor à minha volta, um pouquinho que seja, e faço todos os dias alguma coisa boapara alguém. Que bom que te achei!

    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Laine, eu concordo contigo. Temos meninos maus sim e como temos. Seria reflexo de uma má educacao? Super protecao dos pais como essa mae que vc narrou que prefere ficar cego a corrigir o filho?

    Popr aqui temos isso tb e como temos.

    Beijao e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  27. Meu primeiro filho é gordinho, sei que ele sofre com isso na escola, mas sei também que ele revinda. Não adianta fazer vista grossa, a mãe conhece o filho que tem. Eu, nunca digo que os meus filhos são "santos", estou sempre atenta, não quero que os meus sejam maltratados, mas não admito que eles façam o mesmo com coleguinhas, corrigo, converso... e sempre que entrego a vida deles a Deus eu sempre peço que os livre do mal e que eles nunca venha a fazer mal a outros.

    ResponderExcluir
  28. Sensacional, Elaine, o seu post!
    Concordo contigo sim, é verdade existem crianças más! Já chega nesse mundo com uma índole duvidosa e o fato de serem crianças não pode ser colocado panos quente não. Principalmente pq por trás de crianças ruins existem pais ausentes e "cegos".
    Enfim, cabe a nós denunciar e impedir que coisas ruins aconteçam para as nossas crianças boas!
    Parabéns pelo post!
    Bjo, bjo!
    She.

    ResponderExcluir
  29. Engraçado que no sabado foi dia de feira na escola do meu filho. E cada grupo apresenta um tema. Do jeito que acharem melhor, com os recursos que tiverem para incrementar o assunto. E um dos temas, logo que cheguei me chocou: bullying!
    Posso ser careta, e cheguei a pensar que sou sim, mas achei um absurdo chamar a atenção justamente para algo que acontece com os autores da feira: adolecentes!
    Estranho que qdo se fala em sexo, as famílias caem matando, mas violência é "cultural". Cheguei indignada na sala em que o meu filho estava apresentando.
    Não pensem que tenho mentalidade embotada, mas acredito que temas como estes devem ser discutidos para combater e não por adolescentes que podem até fazer apologia.
    Este assunto deveria ser tratado com um professor direcionando, expondo as consequencias, levantando valores, se possível com representantes das famílias algo em que houvesse mentes responsáveis e maduras (que se espera de um adulto) e não um bando de adolescentes se aprofundando em um assunto perigoso com pouca ou nenhuma supervisão.
    Quem me achar caretona fique a vontade. Vao me achar mais careta ainda: muito do que vivemos hoje de péssimo na sociedade, é fruto da permissividade desta sociedade. Pronto, falei!

    ResponderExcluir
  30. Com toda certeza Elaine,BULLYNG é o "Ó" como diz a giria da atualidade. Meu filho sofre bullyng por ser adotivo, acredita? E ele é um menino lindo, e acaba ficando agressivo e querendo revidar. Porém eu o educo, mostrando para ele que se ganha muito mais sendo justo e amigo que sendo agressivo ou cruel, mesmo com os cruéis. Claro que isso não significa ser pissoteado pelos colegas com ofensas e discriminações. Eu sofri bullyng por usar oculos fundo de garrafa a vida toda. E me tornei uma pesoa senssivel de mais e muitas vezes chorona. Porém o tempo e algumas experiencias me ensinaram a enfrentar o preconceito. Eu acredito que a ùnica maneira de reverter essa situação seria uma re-educação dos pais, pois sinto que eles são sim a maior fonte dos problemas. Sou catequista e na minha catequese não permito esas anomalias de jeito algum. Falo sim doa a quem doer. Não aguento injustiça desse tipo. As crianças são o reflexo do que vivem em casa, ou na rua. Tive uma catequisanda que chegou ao cumulo de dizer que: "Odiava uma amiguinha de sala, que era cadeirante!" acredita nisso? Mas ela ouviu viu, passei um sermão da queles, e todo encontro eu fazia ela perceber que estava errada... Grande abraço, e parabéns a gente tem que falar sim, não falar é aceitar as coisas erradas...

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…