O mal do nosso tempo (ou o que se esconde nas sombras)

em 23 de abril de 2010

Há dias em que a gente está muito feliz, mesmo sem motivo aparente, não é? Também há dias em que a gente está numa tristeza sem fim, também sem motivo aparente.

Sempre penso que todos nós temos muitas coisas em nosso "coração" que não falamos para ninguém, dores que enterramos bem no fundo para que a vida possa continuar.

Quanto mais conheço pessoas, mais vejo o quanto somos, lá no fundo, muito solitários.

É só parar para pensar: quem é a pessoa mais próxima a você? E para esta pessoa próxima, você fala de todos os seus medos, suas dores, suas angústias?

Eu gosto de ficar sozinha, já falei isso um monte de vezes. Alguém já disse que nenhum homem é uma ilha e em certo sentido isso é verdade. Mas também é verdade que em se tratando de sentimentos somos sim uma ilha. Quem nunca viveu a experiência de sentir-se só entre milhares de pessoas? Há quem pense que o mal do nosso tempo seja a aids ou o câncer mas na verdade eu penso que o mal do nosso tempo é a solidão.

Sei que muita gente(tá, nem tanto) que me lê agora não vai concordar pois vai pensar no marido/namorado/namorido, pais, filhos, irmãos...E vai pensar: eu não sou sozinho/sozinha. Não é bem neste sentido que eu falo, é mais algo intrínsecamente interior, lá no fundo da alma, sabe? Amigos podemos ter muitos, mas a quem realmente abrimos os nossos porões?

Acho que é por isso que o homem buscou o sobrenatural, a divindade, desde a sua origem. Fiquei pensando nisso ao ver pela televisão a estória daquele americano que abriu fogo contra atendentes e imigrantes de um centro de amparo a imigrantes nos EUA matando, acho, 14 pessoas e suicidando-se em seguida. Tudo rápido, e planejado por alguém que amigos e família descrevem como um homem calmo, amistoso, pacato, quieto...

Tenho muito medo de gente assim; parece que tem um mar de lava por baixo da quietude. Fico pensando na solidão, nas dores, na turbulência que assolou este homem a ponto de fazê-lo cometer este horror. E penso em quantos mais se ocultam nas sombras da quietude e da solidão...

Talvez aquela pessoa que a gente vê todo dia a caminho do trabalho, ou o colega quieto que não se abre jamais ou o adolescente enfiado sempre no quarto, sempre só, sempre só...

Apenas sei que tudo o que se esconde nas sombras ou se esgueira pelos cantos não pode ser lá muito bom. Por isso eu sempre gosto de prestar atenção às pessoas. Gosto de sorrir para elas, procuro ser gentil com quem eu sequer conheço e contrariando os conselhos, sempre falo com estranhos...

Acredito que Deus nos coloca, quando deixamos, no lugar certo, na hora certa. Até porque, vai saber, né? Pessoas são um poço profundo, profundo...

Este texto é uma republicação. Já faz mais de 1 ano que foi escrito mas parece que foi hoje.

ShabbyBlogsDividerC

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

26 comentários , comente também!

  1. Elaine, me identifiquei muito com seu texto, que lindo e profundo!!!
    Adoro seu blog, sempre traz coisas maravilhosas !!!
    Beijão e um lindo final de semana
    Vero

    ResponderExcluir
  2. Nossa.. Eita muié filosofica!! "O
    asuhuhsauhsa
    Concordo com tudo o que você disse e tbm tenho um certo medo das pessoas... e sim sou uma garota solitária, mesmo estando no meio da multidão!!
    Bjos e otima noite!

    ResponderExcluir
  3. Elaine, quanto tempo sem passar por aqui. Me identifiquei com esse post, pois nesse momento da minha vida me sinto assim, só...Tenho uma família ótima, amigos...mas mesmo assim, me sinto sozinha, não me abro com ninguém, guardo tudo para mim e isso me prejudica, ás vezes me sinto sufocada...não tenho coragem de expor meus sentimentos à ninguém. Mas espero que isso mude um dia.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto. Eu também às vezes adoro ficar sozinha, fazer minhas coisas sem ser incomodada e ficar com meus pensamentos. Acredito que todo mundo quer ter seu momento solidão, faz um bem enorme para a alma.
    bj e bom final de semana. Te admiro muito.

    ResponderExcluir
  5. Como você está certa...sabe creio também que a solidão tem o seu lado "mal necessário" ; nos ajuda a refletir e faz com que possamos nos olhar de frente a este "espelho" que é o "poço profundo" a que você se refere...
    Interessnte...hoje postei exatamente sobre o dilema da solidão X multidão. Não foi proposital , mas emergiu e até me assustei um pouco pela forma como fuiu tão fácil. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Elaine

    Obrigada mesmo pelo carinho. Amei seu comentário no meu blog.
    Sou iniciante por aqui, ainda estou aprendendo a lidar com a coisa. Olha, PARABÉNS pelo seu. Já te disse sou "nova", ainda chego lá. Tem muita coisa aqui que gostaria de saber como ter no meu também.
    Ah, ah pra vc com relação à escrita.
    Quando li seu perfil, a primeira coisa que me chamou atenção foi o fato da sinceridade. Mas tem muitas outras coisas que me igualam a vc. Este blog está me fazendo muito bem, como diz o marido.
    Quanto à solidão, como só agora tive o prazer de ler este post, concordo com vc, é o mal do século, só não sou tão medrosa, eheh. Às vezes prefiro a solidão e quando estou na multidão me sinto tão só. É a vida...
    E vamos às leituras!

    Bjs no coração!

    ResponderExcluir
  7. Elaine.

    Não poderia ficar sem comentar. Reflexão brilhante.

    Havia um rapaz de dezoito anos,com amigos, um emprego e uma vida toda pela frente. Que eu só conhecia de vista.Morador aqui do bairro. Filho de uma conhecida. Ele se enquadrava nesse perfil. Dentro de casa, se isolava no quarto em frente ao computador. Tinha complexo de inferioridade. Era explosivo as vezes. Sofria com depressão, mas parece que o pai dele achava que isso era frescura e iria passar com o tempo.
    Há quase um mês (29-03)chovia aqui. Era uma segunda-feira, dia da semana em que sua mãe estuda e seu pai está de folga. Aqui chovia, ele saiu de casa despediu-se de sua mãe com um beijo e de seu pai com um olhar. Saiu. Mais ou menos duas horas depois, seu irmão mais velho que havia acabado de chegar da faculdade, ligou o computador e no Desktop, leu uma mensagem de despedida desse garoto. Ele foi a cidade vizinha, subiu em um viaduto.Foi visto por uma pessoa que suspeitou que suspeitando das atitudes dele, chamou a autoban. Ele estava calmo, alegou estar esperando a namorada que sairia logo mais da faculdade (era perto). Meia hora depois os mesmos que conversaram com ele, foram acionados para o mesmo local. Ele havia se jogado, e foi atropelado.
    Realmente, com uma palavra (ou a falta dela) temos o poder de matar ou salvar uma vida.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. "A solidão é fera, a solidão devora. É amiga das horas prima irmã do tempo..."

    E quão profundo é o poço de solidao nas pessoas.

    Mais olha Elaine, nada me convence do contrário, a solidão macabra que faz pessoas cometerem atrocidades, existem naqueles que não se permitem sentir a presença Daquele que nunca nos deixar só.

    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir
  9. Oi Elaine!
    Não li este texto na ocasião da primeira publicação, mas, felizmente, tive a oportunidade de ler hoje! vc fez uma tocante reflexão sobre a solidão e eu passo momentos assim: rodeada de pessoas, mas me sentindo profundamente só. Olho para os lados e não vejo ninguém com quem eu possa desabafar completamente o que às vezes me corrói por dentro.
    E assim vamos vivendo, alternando momentos desta solidão silenciosa e secreta e momentos em que não reconhecemos ela como nossa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. É verdade...Há pessoas que na profundidade do silêncio, tramam...
    Dessas também tenho medo... um beijo e lindo fim de semana,chica

    ResponderExcluir
  11. Com toda certeza minha amiga,é como diz o velho adágio popular "QUEM VÊ CARA NÃO VÊ CORAÇÃO"
    Sòmente Deus conhece o que está guardado no fundo dos corações das pessoas
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Elaine! Tens toda razão Elaine, as tristezas sem motivo na realidade são nossos fantasmas escondidos. Tem coisas que não conseguimos partilhar com ninguém e, se tentamos fazê-lo, geralmente não conseguem entender. Meus fantasmas são meus erros ao longo da vida; o que deixei de fazer, ou poderia ter feito diferente. Tais sentimentos são só nossos e nosso carma é carregá-los sozinhos. Beijos mil

    ResponderExcluir
  13. Bom dia querida!
    Eu também gosto muito de estar sozinha, ma minha quietude e muita gente não entende isso. Me acham solitária e eu digo que não sou, pois não me sinto só. Sentir-se só cercada de gente é a solidão e já me senti assim algumas vezes na vida. Hoje gosto de ter comigo só quem eu gostomesmo e sei que gosta de mim, por isso não sou de sair muito, mas gosto de receber os que amo. Também não tenho problemas de falar do que sinto, nunca tive e talvez isso tenha sido ruim, pois muitas vezes usaram disso para memagoar. Mas é que quando falo do que sinto, me liberto, entendo melhor o que está acontecendo, me sinto mais leve.

    beijo grande e já sabe né? eu tou aqui :)

    ResponderExcluir
  14. ah tem uma promoção lá no Postando sobre Artes! quer ganhar caixinha com sachê? :) Vai lá!

    ResponderExcluir
  15. Muito obrigada pelo seu comentário no "ematejoca azul".

    O Pomo da Discórdia foi ignorância de ambas as partes!!!

    Eu devia saber, que no meu portátil estava programado uma forma da configuração, que podia incomodar certos blogistas.

    A Georgia, que vive na Alemanha, devia saber, que essa forma de configuração é usada sem problemas pelos bloguitas alemães. Razão essa, que levou a pessoa que me fez a programação, a não me informar desse pormenor.

    Desejo-lhe um feliz fim-de-semana.

    ResponderExcluir
  16. eu não vejo como mal alguém viver sozinho. a nossa sociedade q fica impondo que precisamos de alguém pra ser feliz e ficamos adiando a felicidade. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  17. Às vezes é assim que me sinto, rodeada de pessoas mas sozinha.

    Um gde fim de semana pra vc Ealine com muita paz, saúde.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  18. Olá Elaine, obrigada por sua visita, a Sofhia está muito melhor, já voltou a comer e brincar e logo recuperará o que perdeu. Também estou me sentindo melhor, sou bem como você escreveu no post, dias bem dias não tão bem assim.
    Quanto ao blog fui euzinha mesmo que mudei, to criando coragem com suas postagens do Faça você mesma rsrsrs
    Que bom que gostou fico mais orgulhosa ainda. Grande beijo

    ResponderExcluir
  19. Oi Elaine!
    Nossa! eu me sinto como você. Eu também sou uma ilha, e gosto de ficar sozinha. Muitas pessoas confundem estar sozinha com estar solitária. São coisas bem diferentes.
    Eu não tenho medo de ficar sozinha, às vezes é muito bom, mas tenho medo de ficar solitária e amarga.
    Se Deus quizer isso nãao vai acontecer. kkk
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Uma vez me disseram que as pessoas mais "calminhas" são as mais perigosas, porq qdo explodem, explodem mesmo.
    Bjos na alma, querida.

    ResponderExcluir
  21. Elaine um otimo fim de semana bjusss

    ResponderExcluir
  22. Oi Elaine!
    Eh... pelo visto naum somos apenas nos, os maniacos depressivos (bipolares) q passamos por estes momentos de euforia e depressaum sem motivos aparentes, os "normais" tbm passam, com menos intensidade, logico, sem surtos malucos e sem necessidades de internacoes e sedacoes, mas passam.
    Eu concordo 100% com seu texto q o grande problema, a maior doenca da humanidade eh sim a solidaum.
    E mtas vzs, por conta dela, nos sentimos taum krentes q qndo alguem nos manipula, akbamos desabafando e entregando nossas dores a pessoas erradas q dpois qrem usar isso contra nos.
    Eh, de fato, mto triste tudo isso.
    Mtos se julgam naum solitarios por terem esposas, maridos, filhos, pais... mas o qnto eles sabem de nos? De nossos temores, de nossas dores, de nossas tristezas? Eles podem ter ateh uma base e, se veem q a coisa "pega", ou seja, se veem q a situacaum eh grave, eles pulam fora, como aconteceu com uma senhora q conheci q era ksada ha 28 anos e o marido a abandonou qndo soube q ela estava com cancer do colo de utero de um HPV q ELE MSM passou pra ela.
    Eu acredito q assim como viemos ao mundo sozinho, assim partiremos.
    Qndo estou doente, quem sente a dor sou eu. As pessoas podem ateh se mostrar solidarias, mas elas naum estaum passando por esta situacaum, naum estaum sentindo, quem esta sentindo SOU EU.
    Naum me escandalizo mais com este tipo de noticias q vc citou, acontece mto, alunos q sofrem calados bullying por anos a fio e entram armados dentro da escola atirando em todos, pessoas q guardaram sozinhas todas as suas dores e eu naum as julgo. Nem todos tem a forca suficiente de suportar o fardo da dor, da pressaum e da solidaum por si msms. E enlouquecem.
    Bjos e um otimo sabado pra ti.

    ResponderExcluir
  23. CONCORDO COM VC...
    COMPREENDO...
    MUITAS VEZES ME SINTO ASSIM, E AS VEZES ME SINTO UM SER ANORMAL AÍ OLHO PARA MEU LADO E VEJO QUE NINGUÉM É IGUAL...


    AMEI xD!!!!

    ResponderExcluir
  24. Eu tb acho importante ter meus momentos solitários, na qual reflito e entro em contato comigo mesmo.

    Mas não como regra. Fechar-se em seu mundo é um indício de que algo vai muito mal conosco.

    A gente fica surpreso quando vemos estes casos, de pessoas pacatas que rompem seu silêncio interior em ações violentas, brutas, ignorantes.

    É triste.

    Pessoas...que bicho complicado!
    bjos e boa semana

    ResponderExcluir
  25. Tão perto e tão longe de nós né... até que ponto "guardar" os sentimentos é saudável? Não discutir jamais não é sinal de resignação. é mágoa que vai crescendo e vira raiva latente. essas pessoas são como latinha de refrigente. sacode, sacode, sacode, mas quando rompe o lacre é um estrago só. daí a importãncia do diálogo franco. mas aí chegamos em outro ponto. não depende só da pessoa solitária. é necessário compreensão e colaboração também do interlocutor.

    ResponderExcluir
  26. Ah, Laine, esse teu texto é profundo viu. Tb penso como vc e tb tenho medo de gente assim, mas olha, deixa eu te contar uma coisa: Há tb aqueles que sao palhacos demais e escondem uma tristeza enorme. Tivemos aqui um grande amigo, alegre, sorridente, contador de piadas, bom de vinho e bom na cozinha, cozinhava divinamente e era um moleque qdo brincava com as criancas imitando o Pato Donald. Um dia recebemos a noticia de que ele tinha se suicidado. Quatro dias antes estava com meu marido e mais outros amigos, para beberem, rirem, contarem piada. Nós estamos chocados até hoje, mesmo depois de 4 anos passados. Mal acreditamos no que vivemos. É como vc escreveu, as pessoas escondem às vezes um vulcao em plena erupcao, essa erupcao quando vem a tona, faz um dano tremendo.

    Um beijao

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…