Raiva, e não é pouca não!!!

em 18 de junho de 2009




Eu tenho uma prima. Na verdade eu tenho bem umas cinquenta, mas agora isso não vem ao caso. O que me fez sentar aqui e começar este post foi a raiva. Raiva da prima em questão e do imbecil com quem ela teve o azar de casar. Peraí que eu explico:


Durante toda a vida de solteira eu vivi na mesma rua, na mesma casa. E fui vizinha dessa prima; embora não tenhamos própriamente crescido juntas dados os 6 anos que nos separam, sempre fomos muito próximas. Na adolescência ela era a moça mais bonita que eu conhecia: alta, morena e popular com os garotos, enquanto eu era ainda uma menina ela já saía para as festas e bailes. O 1º baile ao qual eu fui na vida foi ela que me levou...Passamos a sair juntas, já que meu pai só permitia que eu pusesse os pés fora de casa se fosse com ela...Ela era linda, namoradeira que só, e uma das mulheres mais dedicadas ao trabalho que eu conheci. O tempo passou, eu comecei a namorar e a gente meio que se afastou. Mas eu ainda tinha por ela muito carinho, tanto que ela foi madrinha do meu casamento(única prima, aliás). Depois de casada, eu quase não falei mais com ela, que continuou solteira por muito tempo ainda. Pois bem, há cerca de 7 anos ela conheceu um tipo, desses ignorantes e grosseiros que fariam uma mulher sensata dar no pé. Ela não deu no pé, ao contrário engravidou dele e foram morar juntos. Ela com 39 anos, meio desiludida com a vida e ele bebedor de cachaça e desempregado. Nasceu a filhinha dela, uma coisa de tão linda. Mas...


Para encurtar a conversa: há 2 anos ela ficou 4 dias internada com escoriações pelo corpo por conta de uma surra que levou do infeliz. Meus tios fizeram de tudo para que ela voltasse para casa e deixasse o sujeito. Jacaré deixou? Nem ela. Ano passado meu tio faleceu. No dia do enterro do próprio pai ela teve 2 dentes quebrados pelo marido. E domingo passado ela estava com o rosto inchado, cheio de marcas roxas. Ela tem 42 anos e aparenta muito mais; nunca mais usou batom, nem corta o cabelo pois ele não gosta. Usa roupas velhas e dadas pelos parentes. Ele não a deixa trabalhar. Ele não e deixa viver...


Fomos criadas mais ou menos do mesmo modo, na mesma família, ela era independente, bonita e poderia ter sido tudo tão diferente. Ainda pode. Minha tia quer que ela se separe. Ela não quer. Alega medo dele, das ameaças de morte, alega medo de ser separada, medo de sei lá o quê...


Deveria ter pena, mas tenho raiva. Pela filhinha dela, pela minha tia velhinha, por cada mulher que se deixa destruir dessa forma. Tenho raiva por ela...Pela moça bonita, paquerada e feliz que me inspirou no passado e que ela deixou que fosse surrada até sumir...

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

51 comentários , comente também!

  1. Li com muita atenção este post.Muitas questões aqui se podem levantar porque o fenómeno pode parecer simples mas é demasiado complicado.Parabéns por com uma simples história ter falado no problema.Há que denunciar e ajudar.

    ResponderExcluir
  2. Ai Elaine.. que forte, nao? E' tao dificil esse caso de sua prima, principalmente porque ela também ficou doente com a doença do marido. E apesar de ter sido linda, como voce a descreveu, tem a auto-estima baixa e nao gosta de si mesma, nao é verdade?
    Ela tem chance de sair dessa se tiver ajuda terapeutica... E se ELA quiser sair. Tomara que ela queira.

    Beijo.
    LuLu.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, barra pesadíssima! Tantas são as mulheres que repetem o mesmo ciclo. Tão bonitas na juventude e hoje apanhando de homem. Olha Elaine, é fácil a gente falar sabe? a gente que tá de fora, nos parece algo impossível de aceitar, não é? a gente não entende mesmo, e nem é algo feito pra gente entender. Mas quem tá na situacão que sua prima está, só ela sabe da dor que sente. É um ciclo vicioso, doentio e perigoso que as pessoas se envolvem, sem notar inicialmente.

    a porrada dói mais profundamente do que a gente pensa, e ela pode ser tão profunda que fica arraigada mesmo, a mulher fica sem forca pra sair dali. Eu já estive em situacão parecida, nunca fui agredida (com excecão de uma única vez, onde levei dois tapas e um empurrão de um homem de 1m83 -meu ex marido, detalhe: eu tenho 1,52!! e fui xingada de vagabunda diversas vezes) Mas quem levava porrada todo dia por 10 anos seguidos, foi minha alma, já que a agressão era pscicológica. Essa eu posso te garantir, doi mais que física, vc precisa de MUITO tempo pra se restabelecer.

    a sua prima deve ta levando, certamente, as duas porradas e nossa! nao deve estar sendo nada fácil pra ela.

    eu nao sei como vc poderia fazer pra mudar isso. talvez envolvendo a delegacia da mulher sem que ela soubesse. nao sei, nao sei.

    desejo mais que tudo na vida, que ela consiga se reerguer.

    ResponderExcluir
  4. Querida Elaine,

    Estive a ler seus últimos posts, todos interessantes (registei as dicas sobre os blogs, só cerca de 3 meses nestas andanças) mas este é muito forte pela dureza do tema que, afinal, atinge tantas e tantas mulheres.
    Pelo que tenho lido e ouvido, não é fácil para elas libertarem-se. Os agressores conseguem "despersonalizá-las" de tal forma que ficam sem vontade nem força. Inclusivé, chegam a pensar que são culpadas e merecem o que lhes acontece porque não são boas esposas o suficiente.
    Precisam mesmo de ajuda terapêutica, acompanhamento psicológico e muito apoio da família. Estão doentes. Tenho muita pena.
    Não existe, na sua zona, nenhum centro de apoio para mulheres maltratadas como a sua prima? Pode ser um começo tentar que ela vá a um desses centros.
    Desejo, do coração, que ela se consiga livrar desse monstro perverso.
    Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  5. Olha, esse tipo de coisa me dá tanta raiva, mas tanta raiva, que as palavras até somem. Não sei o que se passa na cabeça das mulheres atualmente. Aqui no lugar onde trabalho, até entendo essas situações.. o contexto social é outro e as mulheres não são muito instruidas. Mas, putz, não parece ser o caso da sua prima.
    De todo jeito, peço a Deus que a faça ver a grande burrada que ela está fazendo. E que ela saia dessa. Pq um homem que faz isso com a mulher que diz amar, fará com a filha também (se é que já não faz).

    Fica com Deus, querida.

    ResponderExcluir
  6. Concordo com a ruiva, dá tanta raiva qua as palavras somem...
    Fica impossível de se entender o por que uma mulher esclarecida, inteligente, como no caso de sua prima, se deixar envolver em uma situação dessas.
    Espero que Deus tire a venda dos olhos dessa mulher para que possa enxergar que existe uma vida nova longe disso tudo e que lhe dê coragem para vivê-la, por ela e pela criança envolvida...
    Mesmo com raiva (que dá mesmo), continue dando apoio a sua prima, pois, é o que ela mais precisa agora!!!
    Beijos, fica com Deus!!!

    ResponderExcluir
  7. Eliane,
    eu te entendo! Por não conhecê-la por ela eu não sinto nada...mas pela filhota deles eu estou me corroendo de pena. Pois a escolha foi da sua prima e a pequena que vai pagar.
    Mas Deus têm Suas razões.
    Força!

    ResponderExcluir
  8. Elaine, puxa vida. Acho que em todas as famílias existem casos assim, né?? Tenho dó e raiva ao mesmo tempo. E tenho ainda mais compaixão pela filhinha.....vou pesquisar e ver se a gente pode fazer alguma coisa, mesmo que de longe, ok? Firme! Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Elaine:
    è duro entender como as pessoas deixam "alguém" as aniquilarem... não só fisicamente mais principalmente suas ALMAS....
    Espero realmente que um dia sua prima tenha forças para lutar, perca o medo e acorde!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi, Elaine...
    Que bom vc ter chegado até o meu blog, pois me fez entrar nas cores do seu.Adoro amarelo, porque é luz e à primeira impressão senti-me
    "em casa"...(rs).
    Também vou conhecer melhor seus textos e pretendo tornar-me assídua por aqui.
    Bjs e obrigada pela visita.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  12. O minha linda,
    que cosa triste ....
    Olha Elaine, infelizmente eu cresci cm agressões dentro de casa, e meio que entendo sua prima, pois minha mãe era igualzinha a sua prima aliás.
    Qdo meu pai ia bater nela para vc ter uma idéia da gravidade eu me enfiava na frente da minha mãe para eu apanhar e não minha mãe. Várias vezes pedi para minha mãe se separar do meu pai, mas ela nunca o fazia, não sei se por comodidde mas ela me diz que era porque meu pai ameaçava tira cartões dinheiro enfim, ela tinha medo.
    Infelizmente passei isso com o meu ex marido também, fui agedida, só que eu não hesitei, me separei. Acho que vc pode muito bem ajudr sua prima lhe smostrando alternativas. hj em dia há casas que amparam mulheres agredidas dando um teto, e um apoio para que ela não tenha medo.
    Provavelemnte sua prima tem a auto estima súper baixa e tem medo de tomar alguma atitude não por ele, mas sm por ela, pois ela se desconhecerá perderá referencia de quem ela própria é.
    Ajude-a minha linda, veve-a em um psicólogo, enfim, mostre alternativas tenho certeza que a hora que ela ver que tem saída dará um belo cue na bunda do infeliz, viu?
    Um beijo enorme e que Deus ilumine muito sua prima

    ResponderExcluir
  13. Uma vez vc contou um caso assim, foi dela que falava??

    Estou impressionada como uma mulher se sujeita a isso!

    Minha mãe tem uma prima, que já apanhou muito do marido safado e maconheiro, e sempre ela voltava para ele... mas no último dia 12/06 ele tacou gasolina no corpo dela, além de espancá-la... a bichinha deu queixa, fez corpo delito e ele n pode chegar perto dela... vms ver até quando, pois quem sofre são os tios de mami, velhinhos não suportam ver essa situação!!!

    Agora me diga para que?
    bjks

    ResponderExcluir
  14. E como dá raiva!
    É tão assustadora tal situação e, ao mesmo, também muito comum!
    Ninguém tem o direito de se impor sobre a vida e atitudes de outro e ninguém tem o DIREITO de aceitar ser anulado, agredido. Tenho mais medo da anulação que da morte. A lei protege-nos. Não tanto quanto gostaria, mas o faz em parceria com nossa força. Sua prima tem que descobrir a dela antes que ela faça o mesmo com a filha que seu marido faz com ela.

    Um beijo,
    Talita.

    ResponderExcluir
  15. querida amiga elaine a pouco tempo passei por isso tbm e publiquei no blog foi com minha irmã caçula e de resguardo mas ao contrario da usa prima ela denunciou mas ñ deu em nada ,ela veio morar comigo e quase acabou com meu casamento pedi para ela ir embora e ela voltou a morar com meus pais ,sab porque ele quase acabo com meu casamento porque continua vendo o cara e recebendo ele na casa dos meus pais meu pai disse que eles brigam e ele humilha ela,na verdade ele escolheu isso e ta cega,as vezes ñ é medo é conivencia amor cego sei la, ainda bem que sai fora a tempo a gente ajuda mas elas é que devem fazer as ecolhas delas e ela escolheu ele, acredita! fiz outra postagem conferi la ela queria receber ele dentro da minha casa e ele tinha me ameaçado de morte!fik na paz amiga!

    ResponderExcluir
  16. Que triste história Elaine,
    Olha, eu conheço um monte de gente assim... Que tem medo...
    Mas numa situação dessas, em que sua prima alega ter medo do marido, a primeira coisa que ela tem que fazer é denunciar ele! Após a denúncia, na primeira surra que ela levar, ele vai preso...
    Uma outra ajuda que vc poderia fazer, se acreditar é lógico, é ir a um centro espírita pedir ajuda viu?
    Em muitos casos assim como esse, pode ter um lado espiritual muito forte unindo os dois e impedindo a separação... Quem sabe dá certo???

    Bjão

    ResponderExcluir
  17. Oi Eliane,
    Já vi seu recadinho lá em um dos meus blogs. Esse é específico da turma antiga do trabalho. Vamos ver se fazemos uma boa farra essa sexta.
    Quanto ao caso da sua prima, parabéns pela coragem da denúncia uma vez que, penso eu, vai gerar outras raivas por parte da família. Mas a denúncia precisa ser feita sempre por que a quantidade de mulheres que passam por isso é imperdoavelmente enooooorrrme.
    Eu passei, mas quebrei dois cabos de vassoura nas costas dele e nunca mais aquela mão foi levantada contra mim. Apesar da diferença de tamanhos ele aprendeu que não pode mexer com uma baixinha impunemente. Já somos separados já há 16 anos e temos uma convivência boa.
    Mas para você amiga, tenho a sugerir (por que conselho não é bom embora digam o contrário)que deixe de lado a raiva porque vai te fazer muito mal. E além do mais vais ter dois trabalhos: um de ficar com raiva e outro de fazer com que passe. E quanto a sua prima, sinto muitissimo mas somente ela saberá quando chegou o momento de dizer basta. Isso acontece mesmo. Sentimos que não queremos mais voltar para aquela pessoa, aquela vida, aquela casa e aí tomamos a decisão. Nessa hora sua prima vai precisar de apoio, muito apoio, esteja disponível para ela.
    um beijo enorme.

    ResponderExcluir
  18. Algumas pessoas deixam de amar a si proprias; quando fazem isso fica fácil alguém chegar e cortar-lhe as asas. Triste, revoltoso, é fácil ficarmos aqui achando um monte de nomes para essa situação, resta saber se ela consegue ver com a mesma clareza. Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Olá meu bem muito agradecida pelo seu comentário.
    Beijinho em sua alma

    ResponderExcluir
  20. Eu também ia ficar com raiva de ver uma parenta minha sofrendo.
    Vou rezar para que ela tenha força para sair deste buraco que entrou.
    Ainda mais tendo uma filhinha para criar.
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  21. Elaine!
    Entendo sua indignação, mas também consigo entender sua prima. Também fui vítima de violência. Igualzinho... Tive 38% do meu corpo queimado por um ataque desses animalescos, quando meu marido me derramou um litro de álcool e ateou fogo. Estive à beira da morte e ainda assim voltei prá casa. A gente fica numa esécie de torpor e parece que as coisas acontecem do lado de fora. A alma não está ali. Essa pessoa precisa de muita ajuda, de muita compreensão e mesmo que ela não queira, que denunciem por ela, que com toda certeza não tem condições psicológicas e emocionais para fazê-lo. Desculpe a extensão do comentário mas tive necessidade de dar mesmo um depoimento.
    Estou deixando muito de mim aqui desta vez.
    Obrigada.

    Beijos

    Lygia

    ResponderExcluir
  22. Passei para retribuir a visita e fiquei tão triste com esse post. Inacreditável que em pleno século XXI ainda existam mulheres que se sujeitem a isso... Espero que ela logo abra os olhos e enxergue que é hora de mudar. Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Elaine, vivi um pouco disso. Depois de 3 anos de prisão (pq meu casamento foi isso), decidi me separar. A violência só não foi maior pq tomei atitude e me separei de um homem dado a bebida e a cigarro e q queria me trancar em casa, me isolar da sociedade. Não tive filhos, ainda bem. Mas vejo q foi o melhor q eu fiz. Tudo depende da sua prima, a coragem que ela precisa pra tomar uma decisão ela encontra em Deus, que nos guia por todo o caminho de deserto que vem depois, mas que chega ao fim, certamente.
    Abraços

    ResponderExcluir
  24. Nossa é uma situação super complicada né Elaine?
    Infelizmente a unica pessoa que pode tomar essa decisão é sua prima, se fosse por qualquer outra pessoa com certeza já teria se separado. Mas geralmente as mulheres tem medo, principalmente pelos filhos, mas aí a gente pensa, de qualquer forma ele pode fazer um mal muito grande a ela ou a filha, é complicado mesmo.
    Espero que ela tome uma atitude, pq vc tem toda razão de ficar furiosa, é fogo.
    bjs

    ResponderExcluir
  25. raiva dá mesmo... mas vamo combinar q tá nas mãos dela solucionar isso e dar um novo rumo pra vida dela! bjksss

    ResponderExcluir
  26. Elaine, desculpe novamente, fazer de seu espaço um desabafo mas de repente encontrei uma forma de gritar e defender essas mulheres. Gente desculpem, mas a decisão está longe de estar nas mãos delas. Tudo acontece de tal forma que não vivemos mais, não entendemos mais e não temos discernimento para entender o que acontece. Uma situação dessas nos transforma em verdadeiros "Zumbis" vagando pela vida. No meu caso, meu filho de 12 anos na época me chacoalhou (literalmente) e pediu socorro. Disse que estava sofrendo e que eu não fazia nada! Com muita dificuldade e com muito apoio da familia e dos amigos, consegui sair daquela roda morta em que me encontrava.Mas emocionalmente e psicológicamente demorou muito tempo para que eu voltasse a viver.
    Obrigada pela oportunidade de defender as mulheres vítimas desses psicopatas.

    Beijos
    Lygia

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. Olá Elaine!
    Você me disse sim que eu pareço ser bem madura para minha idade, é uma pena que ALGUNS não reconhecam isso, é uma pena que eles não reconheçam meu valor.
    Mas bem, a história da sua prima me lembrou um texto, mas no momento não o encontrei para mandá-lo.
    Inclusive, estava falando sobre mais ou menos isso hoje, eu estava falando com minha amiga de um conhecido meu, cujo o qual meu pai disse que não será bom marido. E eu disse para ela que o destino dele seria engravidar uma coitada e bater nela. E minha amiga disse: "pior que vai ser isso que vai acontecer".
    E depois de uma que me aconteceu, acredito em tudo que os meus pais dizem!

    Beijos:*

    ResponderExcluir
  29. Elaine, será que ela não está sendo ameaçada? Tive também uma prima em situação igual, e o desgraçado falava: se você me deixar, eu mato sua família, mato sua mãe, enfim.

    É muito triste, e eu me abstenho de julgar porque não dá pra saber, né? o que realmente se passa lá dentro.

    Precisamos orar por ela, se quiser, escreva para o meu email e deixe o nome dela, que eu o levo ao círculo de oração que frequento.

    Um grande abraço, um ótimo final de tarde.

    ResponderExcluir
  30. Oi, obrigada pela visita.. vim retribuir!!
    Tb ficaria com raiva.. acho que só sabe o que essas pessoas passam quem passa por isso. Acho horrível e deprimente esse tipo de coisa.. acho que eu me mataria... sei lá.. mas com um infeliz desses não ficava.
    Uma vez vi uma psicóloga falando q essas pessoas meio que se "viciam" nessa vida assim.. coisas bizarras.
    kisses

    ResponderExcluir
  31. Sabe Elaine, eu nao sei o que é pior nessa situaçao: ver ela sofrendo por conta de nada, ver ela nao tendo nenhuma reaçao, ou ainda saber da filhinha sofrendo toda a tensão no meio de tudo.
    Abraçoss

    ResponderExcluir
  32. Olá!!!

    Obrigada pela visita!!!

    Adorei seu blog também! Vou linká-lo no meu, pode?

    beijos!

    ResponderExcluir
  33. É difícil imaginar que nos dias atuais, existam mulheres que se submetem à isso.
    Acredito que tanto quanto ele, ela também tenha alguns problemas emocionais e psicológicos.
    Coitada da filhota!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  34. Oi Elaine,
    Nossa que história!!!
    Revoltante!!!
    Estes dias escrevi um post, justamente sobre as mudança na nossa vida...
    Nós, as vezes, esquecemos que somos seres capazes de transformar o mundo pra viver e de fazer a nossa história... a gente simplesmente resolve viver como animais (irracionais) com medo de mudanças!!!
    Mas nunca é tarde pra tomar algum tipo de atitude e ser realmente feliz... espero que a sua prima faça isso... bjos e obrigada pela visita no meu blog! Gostei muito do seu..

    ResponderExcluir
  35. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  37. oi flor,

    dá raiva mesmo, e como tem mulher que passa por essa situação e não larga esses trastes...até que um belo dia..olham p traz e veem o qto deixaram de viver, realizar...sem contar o exemplo pessimo q ela esta dando p filha.....afff....tomara que ela acorde desse pesadelo ...ela é nova ainda...tem muito o que viver...passa no coisas frageis tem selo e meme p vc.

    bjus perfumados

    ResponderExcluir
  38. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  39. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  40. Olá Elaine, tudo bem?
    Obrigada pela sua visita, muito gentil da sua parte.
    Nao é fácil esta situacao com sua prima vamos torcer que ela acorde enquanto é tempo e corra atrás da felicidade e da paz dela, que pense nela, na filhinha e na mae, pois isto entristece a toda a família. É de fato um problema muito delicado que só as partes envolvidas podem resolver. No mais é orar para que ela obtenha forcas e coragem para sáir-se desta situacao.
    Desejo a vocês um lindo dia de paz e alegrias,
    Márcia

    ResponderExcluir
  41. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  42. Oi...
    li outros posts seus, mais antigos, onde vc tbém fala desse tipo de crime. Li um e acho que comentei, sobre uma outra prima ou vizinha que levou o tiro.
    Fiquei como vc, mistura um pouco de pena com raiva, pq a inércia da vítima é irritante. Embora não caiba a nós julgar, pois a violência emocional que uma pessoa assim sofre, para aceitar a violência física, é absurda.
    Fico muito triste por le, pq , estatisticamente, surras reincidentes acabam em morte. Ponto.A mulher acha que ele não vai bater mais, mas depois da primeira evz que ela deixa e não faz nada, a tendência é que o agressor violente cada vez mais a vítima, culminando na morte dela.
    Por isso não trabalho mais com Direito de Família.
    Mesmo que a Lei Maria da Penha tenha transformado esse tipo de crime em ação penal pública, após a queixa, fato é que os juízes e promotores, quando percebem que existe um arrependimento, e mesmo atendendo ao objetivo conciliador que norteia nosso sistema jurídico, tendem a estabelecer penas ridículas.
    Dá raiva.
    bjos

    19 de Junho de 2009 07:35

    ResponderExcluir
  43. Lembrei de uma pregação do Padre Fábio de Melo, onde ele conta que certa feita uma senhora ligou para ele e disse que teria que ficar dez dias sem sair de casa, por conta dos hematomas que a surra do marido lhe causara.
    Então ele disse a ela "Minha filha, a próxima vez que o seu marido ousar lhe estender a mão,mande ele tirar os chinelos. Porque vc é território santo, consagrado ao Senhor."
    Muito triste.
    Já participei de muitos trabalhos e palestras sobre violência contra a mulher, fora aquelas que já atendi.
    A impotência é algo que aflige, pq elas não deixam que a gente ajuda, a maioria.

    ResponderExcluir
  44. Nossa, que coisa triste....
    Acho que esta moça deve ter depressão , pois não consegue encontrar forças para reagir.....
    Uma hora ela tem que deixar de ser vítima para que a filha dela tenha um exemplo de vida....Talvez uma ajuda terapêutica....

    ResponderExcluir
  45. Eliane
    cheguei no seu blog atraves da postagem da Nina.
    E li seu post anterior fiquei muito impressionada,realmente é um absurdo...fiquei muito espantada com a historia de sua prima que infelismente,não é a primeira e tbm não vai ser a ultima.
    É uma situação tão complicada que nós que estamos de fora, as vezes pensamos que podemos ajudar mas só sua prima pode dar um basta.
    Não estou dizendo que é facil mas o primeiro passo seria querer.
    por coincidencia esse post "dos 10 pedidos de um cão" tbm mexeu comigo.
    beijo menina!!

    ResponderExcluir
  46. Oi Elaine,
    Tb cheguei aqui pelo blog da Nina. Compartilho da sua perplexidade, para nós a pergunta que não quer se calar é porque sua prima ainda se sujeita a tamanha humilhação...
    Há pessoas que se sujeitam a migalhas de amor e carinho, dão sua via em troca de tão pouco e ainda se perdem no processo.
    Desejo de coração que sua prima tenha forças pra seguir adiante, para ir a uma delegacia e procurar ajuda psicológica. Por ela e pela criança.
    Um abraço.
    Márcia

    ResponderExcluir
  47. Olá,td bem? Obrigada pela visita,seja sempre bem vinda!
    Desde que li seu comentário logo vim aqui no seu blog,esse post mexeu muito comigo,pois isso é horrível,é covardia dele com ela e dela com ela mesma,pensar que há muitas primas dessas por aí,né? Aiai...fiquei com isso na cabeça e queria muito vir comentar,mas eu estava acessando pelo celular e por lá nunca consigo fazer comentários...
    Bem...é isso aí!
    Bjs e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  48. Olá, vi um post da Nina falando sobre vc e esse post...
    Vim conferir....
    Coitada da sua Prima......infelizmente está com o psicológio afetado...só mesmo ela saber que vcs estao esperando por ela.

    Quanto ao seu blog, bem fofo!
    Já li alguns post e gostei...
    Sempre leio todos os blogs que passo a seguir...demoro um pouco...mas leio!!!
    Quando tiver mais tempo, passo a comentar.....

    Super beijo...

    ResponderExcluir
  49. É lamentável esssa situação. Constrangedora!Pode ser que ela acredita numa transformação que só pode partir de dentro pra fora dele e primeiramente espiritual, ainda assim o tempo de espera é desastroso. É perigoso uma separação, pois as vezes eles vão atrás e termina a história em tragédia. A única solução seria sumir do estado e recomeçar a vida em outro lugar. Passando antes na polícia e registrando queixa, pra ele se manter longe, inclusive da família dela que tb corre risco. É nos unirmos e pedir A Deus força pra sua prima tomar coragem de dar BASTA nisto. PRAZER!

    ResponderExcluir
  50. Nossa que barra hein!!! E pensar que existem tantas na mesma situação viu... Mas sabe, sei como é, ela está mais preocupada com a sociedade entende, o que vão falar?! Como será a vida dela separada!! É bem assim viu... Mas essa decisão só pode vim dela, não adianta, tomara que ela tome consciencia disso, a filha dela não merece viver uma vida dessa. bj. Cris

    ResponderExcluir
  51. Que história triste!!! Acredito que na mioria das famílias exista alguma história se não igual, parecida. Uma tristeza...bjs

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…