Dores e humilhações...

em 24 de junho de 2009



Contrariando a minha regra pessoal de vida que reza jamais me meter em vida alheia eu fui falar com minha prima. Que prima? Essa aqui.


Então, eu fui, ou melhor dizendo, ela passou pela minha casa para deixar umas roupinhas de bebê para o nenê da minha irmã que vai nascer e a gente conversou um pouco.


Ela ainda traz as marcas da última briga e eu senti meu coração apertar ao olhar para o rosto dela... Como não sou muito de rodeios eu perguntei por que ela ainda estava com um homem do qual ela própria diz ter medo. E só a resposta já daria uns muitos posts...


Ela diz que quando se tem filho a gente não é mais tão livre como quando não existe criança. Contou que a maior ameaça dele é sumir com a Bruninha, e que não há nesse mundo polícia que ache ele; que o mundo é grande e a 'gente" dele o apóia. Além disso tem o fato de que ele é mesmo muito violento e ela fica com medo de enfrentá-lo...Tem outra coisa: nós vivemos em uma cidade pequena, onde oportunidades de emprego são pequenas, especialmente para uma mnulher com mais de 40 anos. E isso assusta. E por incrível que pareça ela diz que ser separada é ruim para uma mulher. Ouve sempre dizer que ser sozinha é ruim, e os pais sempre viveram juntos, e ela não tem coragem de ser separada...Ouvi tudo, pasma e ainda mais triste. Disse a ela sobre a possibilidade de denúncia em caso de violência física e ela disse algo que eu não pude rebater: "Eu chamo a polícia, a polícia vem, e depois: A polícia não vai viver dentro da minha casa sempre. Chega uma hora que serei eu e ele. E aí?" Falei da minha tia, que quer ela de volta para morarem juntas e ela disse que isso não daria certo pois a casa nunca seria dela, e ela e a filha seriam sempre hóspedes. Eu a compreendi.


Antes de ir embora ela me olhou e disse algo que eu ainda agora não consigo deixar de ouvir: "Laine, cada um vive a vida do jeito que ela chega. Não era isso que eu queria, eu também queria ser alegre. Mas ele é assim.E o que eu posso fazer?"


Então eu segui o conselho de uma querida que leu o post sobre esse assunto e disse que se ela precisasse de qualquer coisa, fosse que hora fosse, que me dissesse. Ela foi embora e eu fiquei pensando se fiz bem, se não teria sido melhor ficar quieta...Poi sei que além da humilhação se ser vítima de violência, ainda por cima tem a humilhação de saber que os outros sabem, e que se é motivo de pena...

Gostaria de poder ajudar de fato...Gostaria de poder fazê-la ver que ela vale mais, merece mais...
Ah, meu Deus.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

27 comentários , comente também!

  1. Elaine, é complicado pra você.. é complicado pra ela..
    Não achei nada demais você perguntar não.. Mostra que se preocupa com ela. Fazer o que se ela não foi sábia o bastante pra perceber essas coisas ainda no tempo do namoro? Enfim, agora Inês é morta e ela tem que aguentar o ogro lá.
    Olha, de verdade? Não acho nada demais umas novenas pela "promoção" dessa criatura... assim, no melhor estilo "Irmã Selma". Como eu falei pra Deus, certa vez, sobre a minha chefe "Pai, por favor, remove ou promove".

    Beijos, linda.

    ResponderExcluir
  2. eu na maioria das vezes não consigo me calar também.. por causa da minha historia com egipcio, recebo muitos e-mails pedindo ajudo, conselhos... tento me segurar, mas por experiência já sei quando a coisa é furada. Mas a vida não é minha, as pessoas tem todas as ferramentas disponíveis para saber com quem estão lidando. Salvo raras exceções, o homem violento e máu caráter, dá sinais claros disso desde os tempos de namoro, mas as mulheres cedem, cedem, até que quando se tocam, já estão mergulhadas num casamento terrível.
    Eu já tentei ajudar e alertar muita gente, mas isso suga também nosso bem estar, pois no fim as pessoas acham que você é que não quer a felicidade delas, que acha que só vc pode ser feliz.
    Eu tento não me punir ou me culpar mais pelas decisões dos outros, alerto até certo ponto e depois digo "vai com Deus, boa sorte", pois eu não posso decidir pelo outro.
    Agora porque as pessoas, mesmo no começo vendo sinais negativos, mergulham numa relação falha, isso é que não entendo...

    ResponderExcluir
  3. Muito difícil mesmo...eu também tive um caso assim na família...e também era uma prima.....tentávamos fazer ela enxergar o que era melhor pra ela...e conseguimos! Mas só depois de 20 anos de um casamento infeliz....hoje ela tem até um namorado! Ou seja, não deixe de tentar...água mole em pedra dura....

    ResponderExcluir
  4. Hum... Ela não vê outra oportunidade na vida!! Mas isso é da cabeça dela, na verdade, ela tem medo de recomeçar... Tem uma música que ouço na igreja que frequento, que mexe muito comigo, diz assim... "RECOMEÇAR TUDO OUTRA VEZ, DE QUE ADIANTA DEIXAR COMO ESTÁ, EXISTE UMA SAÍDA, PROCURE COM FÉ, TENHA CORAGEM DE RECOMEÇAR... MUDAR É CORAGEM DE RENUNCIAR, OS ERROS ANTIGOS, MUDAR É VIVER"... Sei muito bem o qto é dificil tomar certas decisões, mas é preciso, eu sou prova viva disso, estou recomeçando e pra muito melhor, com fé chego lá... bj.

    ResponderExcluir
  5. Querida Elaine,

    Se me permite, eu acho que fez muito bem em falar e deve continuar a tentar. Não esmoreça, amiga. O meu conselho já dei no outro post. Não há, na sua cidade, um centro de apoio para mulheres maltratadas? A sua prima convenceu-se que não tem saída, que é o seu destino e não é verdade. Podemos alterar o destino, com força, coragem e apoio.
    Amiga, continue a mostrar-lhe que está com ela, faça-a ver que pode sair desse sofrimento que, inclusivé, está a ser péssimo, para a filha. Procure apoio. Deve haver aí, em algum sítio perto.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  6. Imagino Elaine, o quanto te dói, ver sua prima tão querida, que muitas vezes foi exemplo para vc!!
    VocÊ fez o certo, e deixou ela a vontade caso precise de um apoio!!

    Que Deus olhe por ela, e mostre a luz no fim do túnel e que para isso, existe sim, uma saída... pq coisa de justiça que realmente acontece é; pensão e a lei Maria da Penha.

    Um grande beijo

    ResponderExcluir
  7. Elaine,

    também acho que fez bem em falar com ela...na verdade só quem sabe onde o sapato aperta é ela e embora não concordemos com a vida que ela leva, eu também consigo entender os argumentos dela.
    Qual o maior medo? Apanhar de novo ou perder a filha, ou ficar sem casa e sem dinheiro pra sustentar a filha.
    Talvez você, minha amiga guerreira, mesmo com mais de quarenta e uma filha, largaria esse homem e seguiria em frente.
    Mas não podemos viver pelos outros, podemos apenas nos colocar a disposição dos que amamos para ouvir e consolar.
    As vezes você vai ficar brava com ela, mas fala com a gente, porque ela precisa de carinho e atenção, que não tem em casa.
    Um beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  8. Eita que eu achei uma blogueira que trabalha mais do que eu :)

    Elaine, que difícil a situacão. É mais complicada do que pensamos. Ela já está resignada e isso é o pior de tudo. Aceitou a situacão? então, esquece!

    é duro ouvir isso de uma mulher que já foi alegre, e principalmente ver que ela é uma mulher "inteligente", sabe se expor, sabe se exlicar e nao teve medo de te encarar. A questão é toda mt complicada, eu a entendo qd fala que a casa da mae sempre será a casa da mae, mas poxa, numa situacao dessas talvez o que ela de fato precise é exatamente, a casa da mae. Filhos?? Ja pensei tbm assim, eu tinha medo demais de separar meus filhos do pai, mas melhor meus filhos comigo com um pouco de dignidade que me resta do que vivendo numa casa onde o papai mete porrada na mamãe (este nao era o meu caso).

    Sei lá o que dizer, realmente nao existe o que fazer. É deixar que ela se encontre. Acho que sem vc perceber, esse encontro já está a caminho, acredito que ela nao é tao boba qt parece. Está apenas afundada em certas crencas, passadas de mae pra filho e principalmente, pelo molde que ele criou da mulher nesse anos todos, é, porque homem molda a mulher como ele bem entende, usando de forca fisica e intelectual, por anos, fazendo-a sentir-se cada vez mais rebaixada, humilhada e sofrida. Homem às vezes, pode ser um bicho filho da puta mesmo e mulher boa, que costuma ser mt clara e verdadeira, é vítima desses canalhas.

    Olha, meu marido falava que se eu saisse de casa, ele sumiria no mundo e nunca mais veria os filhos, mentira mais deslavada nunca ouvi dele. Estou há 4 anos separada e ele se fez semrpe presente na vida dos meninos.

    Mas cada caso, é certamente, um caso.
    Desejo sorte.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  9. Será que ela quer ser ajudada? Há muitos anos atras uma colega de escola apanhou muito do marido. As colegas foram na policia e o denunciou. O que ela fez?
    Foi lá e retirou a queixa.
    E hoje vivem muito bem.
    Veja como são as coisas! O tempo fez dele outra pessoa.
    com carinho
    vamos rezar para acabar bem esta história.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  10. Oi Elaine, ontem mesmo a minha amiga me contou de um caso da amiga dela. A minha amiga foi ajudá-la com as malas, ela estava saindo de casa, não queria mais sofrer agressões do marido, tão nova, 20 anos..mas na hora que estavam saindo o marido estava chegando em casa, e começou a brigar com ela, se passando por vítima da história, para os vizinhos ouvirem, e ela acabou não saindo de casa...
    É complicado, porque elas aceitam isso? Meu Deus!

    beijos.

    ResponderExcluir
  11. Elaine,
    É muito complicado mesmo essa sua situação amiga... Por um lado, vc como parente mais próxima dela, tem o dever de ajudá-la...
    E por outro lado, Ela, que precisa de uma solução rápida, tem medo de ir em frente... POr medo...
    Já pensou em contatar um advogado que possa te dar uma luz sob o caso?
    Ela precisa abrir os olhos... Mas os olhos de dentro dela... Ter medo de um homem é como ter medo de si mesma...
    Na verdade, ela tem mais medo de ficar sozinha, de criar a filha dela sozinha do que abandonar a família...
    Olha qq coisa estou sempre por aqui... E pronta a ajudá-la...

    Venha me prestigiar no Vidas Linha:
    http://vidaslinha.blogspot.com

    bjo cheio de Luz!!!

    ResponderExcluir
  12. Que situação difícil, querida. Acho que vc já deu todos os conselhos que poderia dar, e ofereceu sua ajuda, infelizmente agora a decisão é somente dela.
    O que podemos fazer é pedir a Deus que a proteja quando ela não tiver forças pra enfrentar essa situação, e que abra os olhos dela pra verdade, pra que isso a previna de situações piores no futuro dela e da filhinha.

    Beijokas!

    :/

    ResponderExcluir
  13. Que situação horrivel Elaine!
    Tb não saberia o que fazer.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. É uma situação difícil de verdade.
    O que mais deixa nosso coração apertado, é o fato de não saber como agir pra ajudar.
    Sua prima precisa de ajuda e com certeza, através de vc, ela vai criar coragem pra vencer essa barra.

    estamos aqui na torcida pra que tudo dê certo.

    beijo e paz.

    ResponderExcluir
  15. não deve ser nada fácil para ela.
    mas continuo sem entender.
    e isso de que cada um vive a vida conforme ela chega, eu não concordo.
    Acho que somos responsáveis por nossas vidas sim.
    Ela prefere viver com ele, do que viver como hóspede.
    Cada um, cada um.
    kisses

    ResponderExcluir
  16. Elaine

    Boa tarde para você e todos seus leitores.

    Sem dúvida uma situação muito complicada e de difícil solução, principalmente quando tem uma criança que é utilizada como fator de maior poder de intimidar.

    A violência doméstica tem uma dimensão dramatica, mulheres, crianças e idosos sofrem muito.

    Pessoas com esse tipo de comportamento, possessivo, violento, e doente, representam um perigo real, e infelizmente sua prima tem razão, mesmo hoje com a Lei Maria da Penha, não há garantia para a integridade física da mulher.

    Pensar porém quenão fazer nada vai ser solução é engano, a tendência é sempre do homem ficar mais violento na medida em que não vê reação. Sua prima precisa ir se "documentando", comprovando as agressões, procurar Instituições de apoio a mulher que tem larga experiência sobre essas questões, que dão apoio psicológico, para que ela se fortaleça, restabeleça sua auto-estima e fique em condição de encontrar o momento certo para dar um basta nessa situação.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  17. A raiva é um apêndice do amor, como dizia um poeta,
    cumpts,
    Cristina

    ResponderExcluir
  18. Difícil, Elaine.

    Bom. Você falou, fez bem.

    Agora, só oração. E claro, se houver algo concreto que voce possa fazer, mas acho difícil.

    Situação das mais difíceis.

    Mas para Jesus nada é impossível.

    ResponderExcluir
  19. Elaine:
    É horfível nos deparrarmos com a nossa própria impotência frente à algumas coisas...mas é muito importânte sua prima sentir que vc se preocupa com ela e que pode contar com vc!!
    Ela é prisioneira do medo e isso é mto triste!!

    ResponderExcluir
  20. A mesma prima de outra postagem, né?
    Acho que você fez bem, Elaine!
    Acho que se podemos ajudar, devemos! E você deu o primeiro passo. O segundo é dela e basta que ela entenda que ela é quem deveria fugir com os filhos, aceitar a proteção da lei e, já que esse mundo é grande, esconder-se dele com seus filhos e não ele dela, em nome e por amor aos filhos é ela quem deve tomar a atitude.

    Amanhã sai nossa entrevista... Estava ansiosa por ela.

    Vou escolher uma imagem que a represente em seu próprio blog, tá?

    Um beijo grande,
    Talita.

    ResponderExcluir
  21. Oi Elaine querida!!!

    Obrigada pela acolhida!

    Esse texto me fez sentir uma dor muito grande. Isso é triste demais. Mas, achei bom você ter mostrado a ela que a entende e que se ela precisar estará ali para o que der e vier.
    Infelizmente existem muitas mulheres com duras realidades como a dela, é bem isso que adianta se a polícia vem e vai embora e mais hora ficam os dois sozinhos...
    Deveria existir uma melhor proteção para mulheres que sofrem esses tipos de abuso.
    Você é uma pessoa querida e preocupada com o próximo e isso é super lindo.
    Beijos meus

    ResponderExcluir
  22. Elaine,não sei se posso ou devo, mas gostaria de lhe contar uma historinha parecida com essa.

    Viveu por 37 anos com um homem violento,que não a respeitava em nem um aspecto de vida;passou até dias de necessidade pois a renda dele era para suas distrações,e a dela,professora primária,com três filhos,não era suficiente para passarem o mês.

    Pensava como a sua prima e se achava incapaz de arcar consigo e os filhos sozinha.Durante todos esses anos viveu sob o jugo do medo.Nos últimos anos,filhos mais velhos já casados,ela aposentada,andava na rua o dia inteiro com a filha caçula, por medo de voltar para casa.Dias havia em que retornava e nada acontecia,mas havia aqueles em que o terror se instalava.

    Vamos encurtar o assunto!!!Um belo dia,no desepero disse a si mesma:chega.Avisou ao indivíduo que ia se mudar e ele não acreditou.Em mais um dos dias em que ele não voltou de suas noitadas,foi à esquina de casa,fretou uma camionete e partiu com o necessário para a casa da filha mais velha.Daí alugou um apartamento lindinho num bairro distante(era mais barato),com segurança 24 horas e quando ele a encontrou ela virou leoa,nem sabe como e o colocou para correr ameaçando inclusive de chamar a polícia pois agora a casa era dela,ela pagava seu aluguel e sua comida.Essa história tem outros detalhes mas já me estendi muito.Só quero passar que é necessário perder o medo dos machões que sem a mulher como suporte nada são.Hoje, passados seis anos ele a respeita e tem medo dela,pois por qualquer cara feia ela "grita para todo mundo ouvir".

    Um beijo e diga a sua prima que ela pode tuuuudo!!!

    Sonia Regina.

    ResponderExcluir
  23. Puxa, Ellen! Que situação tão complicada! A sua prima só conseguirá sir dessa situação quando se mentalizar que não pode continuar assim e arranjar toda a coragem do mundo para começar uma vida nova, longe do marido, com o apoio dos amigos e familiares. Acho que fizeste bem em conversar com ela. Pelo menos ela agora saberá que confiar em ti, se decisr dar o tal passo, um dia.

    Bjs Susana

    ResponderExcluir
  24. entendo o seu sofrimento o nosso medo é que n~aconteça nada pior e só ela pode evitar isso,é uma pena td isso ,bjs!guerreira!

    ResponderExcluir
  25. Parabéns, você ganhou o selo “Melhor Texto de Junho”...
    Passe no blog “Adolescente Prematuro” E pegue o selo!
    Link do Blog: http://adolescencte.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  26. É duro e complicado! Nos envolvemos, chamamos até polícia pra defender a mulher e de repente , os dois saem juntinbos, abraçados, nos deixando com cara de abobadas. Até a próxima, onde juramos, não nos meter!beijos,chica

    ResponderExcluir
  27. Ai que coisa mais chata,é como diz o velho adágio popular"EM BRIGA DE MARIDO E MULHER,NÃO SE METE A COLHER"
    BEIJOS

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…