Conto: Uma vida para recomeçar

em 5 de maio de 2009

Desde a adolescência eu gosto muito de escrever. Mas nunca mostro a ninguém o que escrevo. Mas senti vontade de começar a publicar alguns contos meus. Vou tentar um por semana.Baseados em vidas. Quase sempre dos outros...


Ela sentou-se e ficou observando o vaivém das ondas...Tão bonitas, as ondas. E tão instáveis... Será mesmo que ele viria? E se houvesse mudado de ideia? E se o amor não fosse de dois, mas apenas dela? Quanta coisa deixara para trás. Quanto abandonara, de tudo abdicara por este homem! E se ele não viesse? Significaria que as palavras foram apenas palavras, não o abrir de corações que ela supunha. E se ele não viesse? O que ela faria, para onde iria, como manter a cabeça erguida se ele não vier? Duas horas de atraso, muito tempo de espera. Mas ela esperara 2 anos. Longos 2 anos esperando por esse homem, esperando que ele criasse a coragem que ela sempre tivera. E se ele não vier? Ela olha as ondas novamente. Tão instáveis, traiçoeiras. Será esta a natureza dele? Todos disseram, avisaram que ele é naturalmente avesso à fidelidade. Se não fosse assim, teria ele mantido o amor de ambos por tanto tempo oculto da esposa? Mas será mesmo que o amor fora de ambos? Ou fora apenas dela? Afinal, quem está de fato aqui, sozinha olhando o mar?

Quase 5 horas olhando as ondas. Anoitece Ele não vem. Deveria saber. Ele nunca planejou realmente vir. Por isso não veio, porque nunca imaginou-se vindo... E ela despedindo-se de todos, marido, filho, pai...Finalmente livre para dizer que estava indo viver o amor de uma existência! E agora, como voltar? Não voltaria, claro. Já não tem para onde nem para quem voltar. Gritou sua fuga, assumiu sua escolha, entregou tudo. E ele não vem. Olha pela derradeira vez as instáveis ondas...Tão bonitas. Chamativas. Convidativas. Fantasia saltar. Mas não. Queria viver, e muito!

Melhor de tudo fora ele não ter vindo. Como poderia viver a vida intensa que almeja ao lado de um homem covarde?

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

11 comentários , comente também!

  1. Acho que já vi um filme semelhante. Infelizmente, essa história não se resume ao seu lindo conto. Você escreveu sobre uma realidade. Pessoas que se jogam de cabeça numa relação. Que acreditam em tudo que o outro diz. De certa forma tem que acontecer algo assim para que um dia elas aprendam... Abração!

    ResponderExcluir
  2. Elaine, o duro de ler seus contos é que ou choramos emocionadas com a vida alheia ou de repente nos vemos dentro do que foi escrito... Sugestão para o nome do livro: "Conto Vidas" ou mais rebuscado "Narrando Vidas" embora prefira o trocadilho do primeiro. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ai meu Deus, ja imaginava q essa historia fosse ter um final dramatico, mas ainda bem q ela optou pela vida, e nao perde-la por um covarde! Bonito demais, parabens!

    ResponderExcluir
  4. belo conto!! adorei.... profundo!!! parabéns.

    bjocas

    ResponderExcluir
  5. Elaine,

    Também estou a começar a ir buscar "coisas" ao meu bau secreto!
    Amei o seu conto.
    Continue a dar-nos a conhecer o que tem escrito, valeu?
    Beijosssss.

    ResponderExcluir
  6. Elaine,

    Também estou a começar a ir buscar "coisas" ao meu bau secreto!
    Amei o seu conto.
    Continue a dar-nos a conhecer o que tem escrito, valeu?
    Beijosssss.

    ResponderExcluir
  7. Elaine, continue escrevendo . E, se puder , leia Escrevendo com a Alma de Natalie Goldberg.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Eu também escrevia contos quando tinha 17 18 anos... Se tivesse blog naquela época, teria publicado.... Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  9. ja perceberam q qndo vc escreve c/ a alma, passando emocao, vc faz o leitor se agarrar ao texto de forma impressionante. Tantos blogs por ai cheios de baboseiras, assuntos de fashion e decoracao, que horror! Quem precisa disso? Se temos um milhao de Glossy magazines, e um bilhao de outros lugares p ver tais coisas?
    Elaine, vc esta de parabens com esse seu jeito de escrever q nos prende, q nos cativa, que nos faz esperar pelo proximo conto, pelo proximo posting, nao importa qual o assunto, vc nao e vazia, vc e filosofa, escritora do calibre de um Machado de Assis. Espero um dia ter o prazer de ver um livro seu numa livraria.
    A Brasuca, U.S.A.

    ResponderExcluir
  10. Querida Elaine,

    É sempre muito bom vir aqui, porque nunca saio vazia, vc tem o dom de escrever, isso é inegável, deveria levar a sério e escrever prá valer, ou seja, profissionalmente!

    Fico feliz que o livro já esteja a caminho,

    muito obrigada por tê-lo enviado.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Muito lindo... perfeito! O final foi com chave de ouro.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…