Flertando com o abismo

em 27 de abril de 2009

Olho o abismo à minha frente;
e me lanço.
Sem medo, sem dor, sem sentir.
Olho o mar e penso:
frio, tão frio...
E cogito saltar.
Flertando com o perigo,
experimentando meus limites.
Enquanto penso, o vento...
esvoaça em torno de mim.
Penso...sinto o esvoaçar,
sinto o pulsar do abismo.
Sinto. Sim, eu sinto,
muito, intensamente.
E dói.
E sob meus pés,
o abismo.



Escrito há muito tempo, quando era apenas uma menina... e sim era muito triste e sozinha. e meio deprê.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

7 comentários , comente também!

  1. Há momentos assim quando nos sentimos muito só e tudo o que vemos é um abismo querendo nos engulir...

    Mas nesses momentos levantar a cabeça e olhar para alto e ver o infinito de possibilidades diante do milagre da vida, nos enche de um frescor chamado esperança,


    bj

    ResponderExcluir
  2. não sei qnt tempo faz, mas as palavras são lindas viu??? Tenha uma linda semana! beijosss

    ResponderExcluir
  3. Até deprê tu escreves bem! Acho que todo mundo passa por essa solidão. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Elaine, poema toncante esse, a foto fala um horror por si mesma, apesar de ser linda,eterea, transmite td o sentido da poesia. Esta de parabens por esse talento q o Brasil e o mundo esta perdendo. Tu tens que publicar um livro e correndo, alguem ai precisa desbancar um certo autor de bestsellers, que ja estamos ficando cansados dele, ora essa! Voce e a candidata certa para tal feito.
    Quanto a essa coisa de se sentir depre, nossa,parece q tds nos passamos por momentos assim. Eu msm na minha condicao de expatriada ja senti isso na carne tantas vezes, a ponto de pensar besteiras deveras, por um fim em tdo, com a dor, a solidao, a falta de chao por esta desligada da minha cultura; a falta de familia por perto,aiii como entendo! Escreci uma cronica especial sobre a solidao de uma imigrante,nela eu relato um grande depre qndo era Winter around here, with all so gloomy, so gray, so depressing, and i felt the same way inside me.
    Beijos,
    A Brasuca

    ResponderExcluir
  5. Que bom que mesmo no vazio, na solidão, vc conseguiu se reerguer e ser uma mulher feliz e muito simpática!
    Vc escreve mto bem!! Pensa no livro, hein???

    ResponderExcluir
  6. Olá Elaine...

    Passei por aqui prá dar meu voto à Ester, mas adorei o que encontrei!
    Já trouxe minha "cadeirinha" prá te seguir de perto.
    E estou levando o selo também!
    Parabéns por tudo. Apareça lá no meu cantinho. Será muito bem vinda.

    Beijos

    Lygia

    ResponderExcluir
  7. Que bom recuperou o poema para nós... e que recuperou da solidão. Aqui, pelo menos, tem amigos e conhecidos, como eu, que olham com olhos doces a sua presença. E agradecemo-la!

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…