Para Sílvia...

em 11 de março de 2009

Hoje faz 9 anos que eu tive uma prima assassinada pelo marido.

Meu pai tem 7 irmãos e dentre esses irmãos e irmãs tem uma que teve duas filhas apenas. Não conheço a maioria desses primos, que se perderam no passado, mudaram de cidade ou que eu nunca cheguei a conhecer mesmo. Mas estas duas primas foram as únicas da parte do meu pai que conviveram comigo na infância. Uma delas, a mais velha, era muito parecida comigo, inclusive.

Pois bem, quando ela tinha uns 17 anos ela conheceu um carinha; bonitinho, cheio de marra, do tipo conquistador. Em pouco tempo ela estava grávida. Casaram. Ela era muito bonita, loura, olhos verdes, alta, de personalidade forte, muito despachada sabe? Do tipo que ria muito, gostava de piscina, de pagode. Muito trabalhadeira, desde mocinha já se virava. Após o casamento ela mudou. Deixou o pagode; ele não gostava que ela fosse(ele ia, homem pode), deixou a piscina sábado à tarde(não podia biquini), deixou de sorrir e de falar com todo mundo pois ele tinha ciúme. Nasceu o filho, nem em meu casamento ela foi. Ah, trabalhar podia, já que ele mais vivia desempregado do que trabalhava. Perdemos definitivamente o contato, mas eu sabia das brigas. Todo mundo sabia. E das outras. E das surras. Ela teve então mais uma filha e foram morar nos fundos da casa dos pais dela. As brigas e a violência tornaram-se insuportáveis. E ela decidiu que bastava. Quis se separar, ele não quis, foi preciso que primos nossos interferissem e o tirassem de casa. Ela achou que finalmente teria uma chance.

Quando estava chegando o aniversário de sua menininha ela decidiu comprar para a pequena uma bicicleta cor de rosa. Então, no dia anterior ao aniversário ela saiu do serviço e foi à loja. Chegou em casa muito feliz, era o sonho de menina que ela ia realizar para a filha. Mas quando chegou o ex marido estava à sua espera. Insistia em voltar a viver com ela, pois não tinha onde morar e que ela era dele e nunca a deixaria ir...Ela entrou em casa, ele entrou atrás, forçando a passagem. Ao ver que ele poderia agredi-la dentro de casa ela decidiu sair de novo. A esta altura meus tios já haviam se dado conta da presença dele na casa dos fundos e foram para o quintal. Só que ela foi para a rua, ele foi atrás. E ele estava armado. Quando ela pisou na calçada ele apontou o revólver para ela, que no calor do momento achou que valia a pena correr. Quando ela correu, atravessando a rua, ele atirou. Pelas costas. À queima roupa. E as duas crianças brincando na calçada...Ela caiu rente ao muro da casa vizinha, ele se aproximou e deu mais um tiro. Depois desceu a rua calmamente, a pé! Quando a polícia finalmente chegou ele já havia sumido. Na verdade ele estava escondido a 4 quarteirões de onde ela caiu, escondido na casa de uma irmã dele. Não houve flagrante. Ele ficou foragido por quase 1 ano. Quando finalmente foi levado a julgamento eu não soube qual foi a pena; só sei que em 3 anos ele estava livre. Hoje em dia os filhos dela vivem com meus tios, já estão mocinhos. E o assassino até casou de novo, vejam só. E dizem que ele fala para a nova mulher "não facilitar com ele não pois ele não nasceu para ser feito de bobo por mulher, não!"

Quanto à minha prima, poucas pessoas falam dela. Mas eu lembro dos seus olhos verdes tão parecidos com os meus; de seu cabelo louro, de sua alegria; do jeito que ela gostava do pagode do Só prá contrariar, dos sonhos que ela tinha quando éramos jovens. Como em tantas outras coisas da minha vida, eu quase não falo disso. Mas este blog foi criado para ser uma catarse, por isso eu escrevo tudo aqui. E quero deixar essa homenagem a uma menina que foi embora cedo demais, com apenas 29 anos. Para você, Sílvia Helena.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

25 comentários , comente também!

  1. amiga,
    estou muito comovida com essa historia da sua prima. Que tragedia. Mas tenha a certeza de que ela esta na paz de deus, e existe a lei do retorno. nao é vingança, mas sao espiritos com pouca ou nenhuma luz. devemos orar muito por eles.
    um beijo

    ResponderExcluir
  2. Nossa que história mais triste! Esse homem é um doente!
    Pena que ela cruzou o caminho dele!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Elaine!

    Fiquei muito emocionada com o que aconteceu com sua prima! Para mim sempre primos são como irmãos e criei meus filhos assim. Então eu sinto muito e espero que no final exista aguem que puna estas pessoas que aqui na terra praticam estas barbaridades!

    Coragem !

    Um beijo

    Elaine Crespo

    ResponderExcluir
  4. Algumas vezes me pergunto sobre a pena de morte, porque pessoas assim ruins na indole não tem conserto, depois fico pensando quem sou eu para julgar e condenar, mas que a revolta fica latente não tenha dúvida. Bjs, acredito que a Silvia está feliz onde está, e que ainda protege os seus amados aqui na terra.

    ResponderExcluir
  5. Belíssima homenagem a sua prima, querida!

    Lindo dia...

    ResponderExcluir
  6. Elaine, quando entrei em seu espaço, não imaginava estar em um terreno tão íntimo... me emocionei com a história de sua prima... me tocou mesmo... sei que muitas coisas como essa ocorrem diariamente no país... mas quando me deparo com um relato tão factual, com tanto sentimento e ternura, fico pensativa,me arrepio... parabéns pelo blog, pela sensibilidade e pela leveza com que tratou um assunto que deve ser pesarozo para ti...
    Beijo no coração, jana

    ResponderExcluir
  7. Pôxa vida, hein, moça??

    Quanta barbaridade, quanta violência gratuita!

    Quando os homens que fazem esse tipo de coisa vão perceber que não somos objetos que têm dono?? Coisa brava!

    Meus sentimentos pela perda da sua prima.

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  8. Elaine, que triste história!

    Que Deus console teu coração neste dia cheio de lembranças doloridas, querida.

    E que abençoe os filhos da tua prima, pra que tenham uma vida feliz.

    Beijokas!

    :o)

    ResponderExcluir
  9. Lágrimas por essa moça que perdeu seus sonhos, sua alegria e sua vida. Que outras moças tenham melhor sorte que ela..

    ResponderExcluir
  10. Como pode, alguém partir assim por amar a pessoa errada. E nossa justiça? Apenas três anos, lamentável.

    ResponderExcluir
  11. Poxa, Elaine, sua descricao foi mt forte, acompanhei cada momento. Isso foi mt triste, e nao entendo como ha pessoas que podem acabar com uma vida assim, de repente. Tantas mulheres vivem como Silvia viveu. e tantos cafajestes estao soltos e maltratando outras silvias pelo caminho...

    :(

    ResponderExcluir
  12. É... lamentavel... Que sua prima esteja em um lugar lindo... ao lado de DEUS cuidando dos pequenos aqui...

    Quanto a rosa azul... linda!! Beijos, vc é muito carinhosa!
    Lila

    ResponderExcluir
  13. Elaineee, fiz o meme e coloquei o selinho da jóia... mas acabei fugindo das regras kkk
    Depois dá uma olhadinha lá!
    beijos

    ResponderExcluir
  14. Elaineee, fiz o meme e coloquei o selinho da jóia... mas acabei fugindo das regras kkk
    Depois dá uma olhadinha lá!
    beijos

    ResponderExcluir
  15. mais uma vez vc nos presenteia com um texto chocante e ao mesmo tempo delicado, mostrando a dura realidade que muitas vezes encontramos mais perto do que imaginamos...

    sem palavras, somente tristeza pela impunidade, falta de amor e moral que nos deparamos em nosso país...

    beijos e tb estou pensando na Sílvia agora....

    ResponderExcluir
  16. oi Elaine..... que historia mais triste..ainda por cima esse assassino voltou a casar,,,bem as leis ai no Brasil ..devem pessimas
    CEIFAR A VIDA A ALGUEM .. e panhar tres anos de cadeia.... isso nem nos filmes acontece........
    um beijinho,,,fique bem
    Rui

    ResponderExcluir
  17. Puxa Elaine! que tristeza, fiquei com os olhos pesado e o coração muito triste, por você, pela sua prima e por essas crianças que agora devem ser adolescentes. Quanta dor os pais dela sentiram e os filhos, poxa! é revoltante e ainda casou-se de novo, minha nossa! eu fico sem saber o que comentar numa hora dessas sabe?

    Um grande abraço,
    Cris

    ResponderExcluir
  18. ah Elaine, eu fico pensando qtas Sílvias Helenas existem por ai... e quantos tios, pais, irmaos, filhos, amigos... as perderam pra um tipinho desses...
    Fico sem palavras...
    Abraçosss

    ResponderExcluir
  19. Que barra em!!!
    A vida é complicada por certas coisas...
    beijos

    ResponderExcluir
  20. E o sujeito ainda achou uma louca pra casar com ele, apesar das ameaças e do histórico dele!...

    ResponderExcluir
  21. Triste demais essa história, me comovi muito.
    A verdade é que hoje não conhecemos quem temos ao lado, isso é algo que deve ser muti bem escolhido e ainda assim é um risco...
    Coitada também dessa nova vítima que hoje está com ele.

    Beijops menina e linda homenagem!

    ResponderExcluir
  22. Se tem uma coisa que me deixa muito indiganda é violência contra a mulher. Trabalhei muito com isso, é tão desgastante, tão triste.
    E o pior é o sentimento de impotência, pois 90% das mulheres não denunciam...
    Triste demais.

    ResponderExcluir
  23. Nessas horas me dá vergonha de trabalhar na (in) justiça.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…