Fidelidade e lealdade

em 17 de março de 2009


Você é fiel?

Sempre fomos ensinados a valorizar e exigir fidelidade. Quando se está começando um namoro (ainda se namora, né?) uma das primeiras preocupações é checar o passado do carinha ou da menina e ver se no histórico dele ou dela tem episódios de infidelidade; se tiver os mais espertos já ficam com o pé atrás. Pois se traiu uma vez...

Eu sou fiel. Sempre fui, sempre serei. Até por uma questão de personalidade. Mas já fui traída. Uma vez. Eu tinha 20 anos e namorava há 4 anos. Alianças compradas, móveis, casamento com data escolhida e ele foi se engraçar com uma menina de 15 anos. Chorei, sofri, me descabelei. Mas terminei tudo e um mês depois eu já estava de namorado novo. Com o qual eu casei, aliás. Eu amava o outro? Sim, muito. Deixei de amar ao saber da traição? Pasmem, sim, deixei. Acredito que amor é sentimento mas também é decisão. Eu sempre havia sido fiel e leal, ele não foi então tchau. Éramos noivos e eu não tinha nada que me obrigasse a tolerar a traição. Não havia uma vida construída juntos. E hoje, eu perdoaria uma traição? Honestamente não sei. Penso que num casamento longo é possível que em algum momento um dos dois se encante ou até mesmo se apaixone por outra pessoa. Pode acontecer, todos estamos sujeitos a estas coisas. Mas penso que se eu sou casada eu devo me afastar de qualquer homem por quem eu venha a perceber uma afeição "diferente". E penso que o mesmo se aplica ao meu marido. O sentimento em si não é infidelidade mas o que fazer a partir dele é que complica tudo. Mas ainda assim pode ser que haja um deslize. Eu não sei se perdoaria mas com certeza também não sei se jogaria tudo para o alto. Agora, o que eu não conseguiria aceitar de jeito nenhum é ser feita de idiota. Fidelidade é muito, mas muito importante mesmo mas lealdade é indispensável. E lealdade faz com que você jamais exponha o outro ao ridículo, ou o faça de bobo ou o engane.

Mas marido não sabe que eu cogito perdoar uma hipotética traição. Nem passa pela cabeça dele, aliás. Melhor assim. Bem melhor não pagar para ver.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

11 comentários , comente também!

  1. acho q o termo fidelidade é muito relativo. em alguns países árabes as mulheres precisam se manter castas e puras e seus maridos podem ter várias esposas. quanto masi rico mais esposa. quase como um bem de consumo. há casais que se relacionar sexualmente com alguém sem ter sentimento não é ser infiel. outros fidelidade é a palavra, se vc respeita a pessoa que está junto e se mantém fiel naquilo que diz, o que faz ou deixa de fazer sexualmente não é infidelidade, a não ser que seja algo infiel no sentido da palavra e não do ato. cada casal escolhe alguém e faz os seus pactos segundo suas crenças. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Taí elaine, belo post , como poucos. Porque na net todo mundo fala muito mas quase nunca verdadeiramente de si mesmo.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Fora que traição dói e muito. Mas acredito que quando se ama se respeita, não dá para aceitar menos, viver com receio de um dia descobrir que se foi a única fiel e leal nessa história, porque viver é construir uma história. Elaine, beijos e um lindo dia.

    ResponderExcluir
  4. Eu Elaine, eu já ia comentar no seu lindo post de hj, mas o comentário da Pedrita já é daqueles que me tira do sério logo de cara... é tanto preconceito e falta de conhecimento das pessoas neste mundo...melhor respirar fundooooooo e responder... primeiro, o marido árabe não casa com várias esposas não, e ambos devem se manter castos para o casamento se forem muçulmanos ou cristãos (pq tb tem cristão árabe, ok?)... a mesma coisa com os católicos no Brasil, só que a maioria não segue os preceitos, mas isso lá é beeem cobrado, tantos homens qto mulheres não podem namorar antes de casar!!! è permitido no Islam o homem ter até 4 esposas diante de uma série de regras q não cabe aqui explicar, mas não deve ser somente para casar com uma mais nova e ter um harem. pode visitar meu blog e vc vai ler mto sobre aspectos da cultura islâmica (http://egitoebrasil.wordpress.com)

    meu marido mesmo é muçulmano e árabe e assim como todos que conheci no Egito, nem sonha em ter uma segunda esposa, pois ama a sua primeira e só quer a ela!!! mas tem sempre os safados que casam com mais de uma por puro prazer, mas depois eles se verão com Deus.. a diferença é que a 2 mulher árabe tem direitos a tudo, já uma mulher brasileira que é a segunda família do cara tem de ir na justiça depois q ele morre para ter direito a herança....

    bom, agora respondendo ao post Elaine, acho que traição é algo que magoa demais e mesmo que se o casmento for matido, é difícil recuperar este tipo de mágoa.. na religião islâmica as mulheres não devem manter contato com homens estranhos justamente para preservar esta coisa da família mesmo, não criar problemas ou sentimentos fora do casamento... assim como o homem tb não deve permanecer no mesmo recinto q uma mulher sozinha, por respeito a ela e à família dela. A base toda do Islam é na preservação da família, e muitas das regras que as pessoas distorcem (como a mulher se cobrir, homens e mulheres não manterem contato se não forem casados e até a permissão de poligamia em certos casos) tem a ver com manter a harmonia dentro de casa e a paz entre os familiares.

    bom, já falei demais, mas espero ter contribuído para a discussão...

    beijos e fique com Deus

    ResponderExcluir
  5. Mto bom texto Elaine. Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Olha, traição é coisa brava! Eu não perdoo. Não mesmo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Nossa... complicado pensar como agiria diante de uma traição... são tados os parâmetros: foi uma escapulida? Rolou algum sentimento? Se encontraram apenas uma ou vária vezes? Eu fui desprezada? Tudo isso são fatores que me fariam perdoar ou não.

    Quanto a trair, você falou acertadamente, é preciso se afastar de quem traz algum sentimento perigoso ao amor. Às vezes um colega pode nos encantar a ponto de, em um momento de fraqueza no casamento, pensarmos que o outro é melhor. A mulher dificilmente vai pensar no colega só pra um fugidinha, ela pensa em um novo amor e se apaixona mesmo que aquele cara nem seja o ideal. Uma mulher que ama, não magoa e dificilmente trai.

    ResponderExcluir
  8. Sabe o que eu mais gosto no seu blog e em vc? Os seus valores! Parabéns que Deus te abençoe e te conserve essa mulher forte que tanto nos inspira.

    ResponderExcluir
  9. egito, eu não generalizei. eu disse que em outras culturas há outros costumes. e que todo o conceito de fidelidade é relativo. se já é de casal pra casal, que dirá de cultura pra outra. há casais que têm relações com outras pessoas, às vezes até juntos, aqui no brasil mesmo. e há outros que acham q só de beijar já é traição. por isso o que é bom pra nós não podemos achar que é regra pra todos.

    ResponderExcluir
  10. e egito, eu não julguei as outras formas de se relacionar. cada casal escolhe a que mais os fazem felizes. o que eu comentei é que não existe uma única forma de se relacionar, até mesmo por culturas diferentes e que nós não devemos impor aos outros aquilo que para nós achamos o ideal.

    ResponderExcluir
  11. Pois é, tou com a Pedrita. Se as partes estão de acordo, que assim seja então e ninguém tem nada a ver com isso.

    A única coisa que eu tremo quando ouço é mulher falando que não usa preservativo pq está em relação estável. Me dá frio na espinha. Como assi, deixar sua vida na mão dos outros????

    beijos

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…