Uma triste história...

em 14 de fevereiro de 2009


Depois de quase dez dias de solidão e dor e decepção eu estou de volta, e desta vez para ficar.

Vou contar uma história:

Para quem não sabe eu sou atualmente coordenadora de um grupo de oração. Para quem não é católico ou não é muito ligado em lance de religião um grupo de oração é uma parte da Igreja, um grupo de pessoas que se reunem semanalmente para orar. Pois bem, o grupo que eu participo completa este ano 20 anos de vida e é uma das coisas mais importantes da minha vida. Coordeno este grupo há quase 5 anos, já estou no fim do segundo mandato.

A dinâmica de um grupo de oração é muito semelhante a um culto evangélico, com música, oração espontânea e muita alegria e liberdade no Espírito Santo; tudo isso, claro, com a espiritualidade católica.

Toda essa digressão é para situar quem não está habituado a essa realidade. Agora conto a história.

Dentro da equipe que é responsável pelo grupo tínhamos um músico, baixista aliás. Além de ser um homem de muito tempo de caminhada era também meu amigo pessoal, de quem eu sou madrinha de casamento. Pois bem, ele é casado há 13 anos e no ano passado, depois de várias dificuldades com a esposa ele decidiu se separar. A Igreja não obriga e, claro, nem poderia obrigar ninguém a viver junto quando isso se torna impossível mas sempre orienta para que sejam esgotadas todas as possibilidades de manter o matrimônio. Neste caso específico nós seguimos esse posicionamento desde o início, apoiando e amparando o casal, na esperança que eles se entendessem. Como é de minha responsabilidade eu falei com ele várias vezes. Como coordenadora mas principalmente como amiga e irmã de caminhada. Disse que sempre o apoiaria enquanto ele fosse honesto conosco e consigo mesmo, já que pela doutrina católica o matrimônio é indissolúvel. Ele, ainda que estivesse separado era casado e deveria ser fiel a esse estado, e se achasse que não era justo que buscasse orientação pois poderia ser que este matrimônio fosse nulo. Também deixei claro que o manteria com músico desde que não houvesse nada que o comprometesse. Tudo claro e explicado, eu passei a defendê-lo diante de quem quer que o criticasse ou falasse mal dele, especialmente por conta da amizade de quase 20 anos.

Então o tempo passou, eu me indispus com muita gente por causa dessa minha posição, cheguei a trocar palavras ásperas com o nosso antigo pároco por causa dessa situação, sempre acreditando em tudo o que esse moço me dizia.

Quando foi semana passada cai no meu colo uma história chocante: ele anda de caso com uma menina de dentro do nosso grupo de oração, envolvimento esse que começou há quase um ano. Ah, esqueci de dizer que ele voltou com a esposa há algum tempo e mesmo assim manteve o rolo com essa menina do grupo, que à propósito é menor de idade. Ele tem 35 anos. Fiquei arrasada. E pensar que eu comprei tanta briga por ele, defendendo quando diziam que ele era malandro, que tinha rolos por aí. Sempre confiei na palavra dele e ele me trai desse jeito. E ainda descobri muito mais, muitas outras conquistas e eu feito uma idiota defendendo-o. E todo mundo sabia desses casos e achavam que eu apoiava.Não só eu mas toda a equipe de pessoas responsáveis pelo grupo de oração. E como sofremos! E a menina eu coloquei dentro da minha casa, trabalhou comigo, sabia que ele é casado e ainda assim se enrola nessa história. Como se não bastasse todos os ataques que a Igreja já sofre e todas as críticas de que somos alvo! Quando falei com a menina ela confirmou tudo, deu detalhes e tudo. Quando falei com ele, negou tudo a princípio, e conforme a conversa prosseguiu foi confirmando algumas coisas, negando outras. Mas o essencial ele próprio confirmou, chorou, disse que não sabe explicar, pediu perdão. Do momento eu que eu soube de tudo até a hora em que falei com ele eu não derramei uma lágrima mas depois quase inundo São Joaquim de tanto chorar. Por isso a crise de gastrite que me deixou de cama.

Mas o pior mesmo foi tudo o que eu disse a ele. Nunca havia sido tão dura com alguém, tão magoada eu estava. Ainda estou.

Como pude me enganar tanto? E por tanto tempo! Talvez quem ler este desabafo não vá entender mas isso tudo mina um grupo de oração, as pessoas de fora não compreendem e não aceitam, acabam se afastando. Penso que basta de escândalo na Igreja.

Era isso que eu queria contar, uma parte pelo menos.

Disse a ele que não perdoo mas hoje no grupo de oração eu já perdoei. E ainda o amo, era meu amigo e é meu irmão. Mas não quero falar com ele por enquanto. E agora vou tentar conter o incêndio... No grupo de oração estamos todos tristes, muito mesmo.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

10 comentários , comente também!

  1. Elaine, que bom que você está de volta. Não sacrifique sua saúde dessa forma. No final, é capaz de ficarem todos bem e você aí, doente.
    Desculpe dar minha opinião.
    Beijão,
    Renata

    ResponderExcluir
  2. Querida, entendo PERFEITAMENTE o que você está passando. Eu sou evsngélica, e vivi uma situaçção muito semelhante com alguém muito querido. Da mesma maneira que você, fiquei um tempo sem querer vê-lo, porque me indispus com muita gente para defendê-lo e mesmo depois de confrontá-lo ele negou até à morte. Só que quase um ano depois a coisa toda veio à tona (a Bíblia diz: "não há nada encoberto que não haja de ser descoberto, nem oculto que não venha a ser sabido") e aí eu não consegui mesmo aceitar a traição. A palavra é essa mesmo: TRAIÇÃO. E dói. Dói muito. E ainda não passou. Mas um dia passa. Não passa???

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Elaine, fique trânquila. Já conseguiu perdoa-lo e isto sim é um ótimo passo. O resto vem com o tempo. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Elaine, fique trânquila. Já conseguiu perdoa-lo e isto sim é um ótimo passo. O resto vem com o tempo. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Elaine... é muito triste sim.. mas todo o ser humano é passivel de traição.. o unico que nao nos trai é DEUS...
    Deus sabe de todas as coisas. Vamos orar por eles.. ok!?
    beijos!

    ResponderExcluir
  6. Puxa vida, amiga! Coisa brava, né?

    Isso acontece qdo não se internaliza o ensinamento dado dentro da igreja e não leva para a vida, como se dentro da igreja fosse uma pessoa e fora fosse outra realidade.

    Entendo vc perfeitamente e peço forças a Deus para que vc consiga superar esta tristeza.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. "Maldito o homem que confia no homem" Jr 17:5

    A gente sempre aprense da pior maneira: sofrendo...

    Confiar, só em Deus mesmo.

    ResponderExcluir
  8. esta eh a hora certa para voce entender a palavra e o sentido do PERDÃO, que alias quem perdoa eh D us , nos so pedimos a ele que perdoe....

    obrigada por ter feito uma visita no meu blog de livros...

    ResponderExcluir
  9. Elaine.... boa tarde obrigada por ter admirado meu blog e é bom ler que vai voltar.... será sempre bem recebida..Sempre.Sobre o que conta
    foi pena ele nao ter sido honesto consigo..ainda por cima pertencendo a um grupo de oraçäo..onde você é a cordenadora
    sobre o amor dele nao falo...
    o Amor a paixäo nao escolhe idade
    se for para brincar com a menina menor nao estou de acordo..e acho que ninguem está.. se for para ele ser feliz e ela tambem ..näo vejo onde está o mal.....
    já vi que adora animais... e isso e lindo de mais.......
    um beijo..para si Elaine
    resto de semana muito feliz
    fique com Deus
    Rui

    ResponderExcluir
  10. Perdoa, limpa o seu coração. Você fez a sua parte defendendo seu amigo. Se ele não deu valor, aí o problema é dele com Deus, que tudo vê.
    bj

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…