Be happy???

em 28 de janeiro de 2009


Eu trabalho desde os 11 anos de idade. Calma, há 25 anos atrás isso não era crime e nem eu fiquei traumatizada por isso. Como venho de uma família muito pobre (meu pai era bóia-fria) tive que trabalhar cedo. E também, creio eu, que por uma questão de convicção da parte dos meus pais já que eles próprios foram para a roça aos 7, 8 anos. Mas eu não fui para a roça, não. Eu fui trabalhar de babá, doméstica, caixa de supermercado. Então descobri a profissão que iria exercer por mais de 20 anos, que é fazer sapato. Na verdade, sapato, bota, sandália, tamanco, e tudo o mais que a sua imaginação mandar! Sou o que na linguagem das fábricas se chama pespontadeira, ou costureira. Daí que eu não trabalho mais em uma fábrica mas sim em casa. Minha garagem comporta atualmente uma máquina de costura industrial, mesas, máquinas de rebite e ilhós, caixas de linha de costura e mais um monte de tudo o que é preciso para a costura de calçados.

A vida é boa, eu trabalho em casa, sem ter que pegar condução, o serviço vem na porta, ganha-se um pouco mais do que no sistema tradicional, faço meus horários e ainda dou serviço para duas ou, dependendo da ocasião, mais pessoas.Tudo perfeito, então. Certo? Errado.Estou, na verdade estamos, eu e a fábrica para a qual eu presto serviço,sem trabalho desde outubro do ano passado.Efeitos da crise, me diz o patrão. Que aliás já demitiu metade dos funcionários que tinha.E não adianta procurar serviço em outra fábrica pois estão todas em compasso de espera.

Daí que eu agora levo uma vida glamourosa, de dona de casa que só cuida do lar e precisa pedir dinheiro ao marido para tudo.Gente, estou enlouquecendo...Não nasci para isso não!!!Estou com dor nas costas, nas pernas, na cabeça. Ando mais cansada do que quando trabalho 16 horas por dia,sem contar que agora dei para querer faxinar a casa todo dia. Até o marido diz que eu tô endoidecendo...Pensei em mudar de profissão, mas eu gosto mesmo do que eu sei fazer.

E eu, que sempre fui híper-independente, agora sou tipo assim, uma teúda e manteúda. Credo, essas palavras me arrepiam.

Alguém que escreve. Especialista em si mesma. Leitora que lê muito menos do que gostaria. Blogueira por paixão e profissão. Propriedade da Princesa e da Menininha, e de um cachorrinho muito levado chamado Bloguinho. Tentando viver. Sempre.

12 comentários , comente também!

  1. Elaine,

    Mas essa crise é passageira (eu espero) e logo vc conseguirá trabalho novamente. Eu imagino como deve ser difícil depender dos outros para tudo, mas lembre que nada é para sempre nesta vida. ;-)

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. HAHAHAHAHAHAHA!

    Adorei o "teúda e manteúda". Essa vc tirou do fundo do baú, hein???

    Pois é... essa crise não está sendo fácil. Mas, agora imagine: eu sou professora e tenho que dar aulas de manhã, tarde e noite. Além disso, tenho que cuidar de toda a minha casa, pq minha mãe não agüenta mais fazer faxina (tem 61 anos e faz faculdade de filosofia). Trabalho 48 horas por dia... Coisa brava!!!!!

    Não desanime! As coisas vão melhorar, se Deus permitir.

    Muitos beijos!

    ResponderExcluir
  3. Aproveite para sair da Zona de Conforto, aprender algo novo é bom. Pode encontrar algo temporário pra fazer usando o que tem em casa ou executando um trabalho fora até a fábrica voltar a produzir.

    Também acredito que como autônoma tem um tempo que não sabe o que é tirar férias. Por isso sente tanta anciedade. Porque não acredita que está de férias e curte um pouco, descança por um mês e aguarda tudo voltar ao normal.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Elaine passa lá no bloguinho, tem um presentinho pra ti!

    ResponderExcluir
  5. meu pai sempre conversa sobre isso. ele sempre diz que os pais às vezes precisam levar os filhos na roça pq nao tem com quem deixá-los e eles acabam ajudando na lida. é realmente uma questão complexa. acho que o brasil devia dar mais condições as famílias para que todos possam ter uma infância melhor. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  6. Teúda e manteúda foi óoootemo!!! kkkkkkkkkkk
    Deve ser difícil mesmo, mas com fé em Deus passa. E melhora, vc vai ver.

    Beijoooo

    ResponderExcluir
  7. Eu sei o que é isso, e o pior no país dos outros, afinal de contas meu blog não se chama Tô DOIDA a toa,rs.
    Tem dias que tenho vontade de largar tudo e a pé voltar para casa, rs, impossível.
    Mas como a Carla Beatriz disse, isso vai passar, já no meu caso...
    bjks
    Cristiane

    ResponderExcluir
  8. Adorei, seu blog Elaine e obrigada pelo selinho. Também adoro sapatos, já pensou em aprender a customizar sapatos e bolsas e montar uma lojinha virtual?!. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Aaaaiiii eu sei o q é isso! Estou desempregada há 1 ano e meio, e tbm trabalho desde nova, sempre fui independente e até sustentava minha família antes de me casar.

    E agora estou na mesma situação: preciso de "alvará" pra tudo! É horrível!

    E pior: tomei a iniciativa de vender produtos Tupperware, a cliente morreu e deixou um pedido enorme na minha mão, que eu tenho que pagar sabe-se Deus como!!! (oO)

    Ninguém merece... ¬¬

    Se puder indicar para alguém que interesse por utensílios Tupperware, aí vai meu blog de trabalho: www.tupperwarespevolucao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Essas coisas acontecem,. mas tenhop certeza, logo outra porta se abriu...beijos,chica

    ResponderExcluir
  11. Se autômono tem desses inconvenientes. Você só "come" qdo trabalha.
    Mas sabe, não precisa mudar de profissão e sim aproveitar os momentos de ócio como este, fazendo outra coisa.
    Quem sabe escrevendo? Acho que você leva muito jeito. Poderia pensar em escrever contos e crônicas para publicaçao. Nos momentos sem trabalho, vire empresária de si mesma e procure patrocínios. Que tal?

    ResponderExcluir
  12. Concordo contigo. Pra quem tá acostumado a ser independente, de repente se ver precisando pedir até o dinheiro do absorvente, é muito complicado. Eu também comecei a trabalhar cedo Aos 16 anos. De lá pra cá passei um período de três anos sem emprego. Quase enlouqueci. Entendo totalmente sua colocação.

    ResponderExcluir

Olá! Muito obrigada por ler meu blog e obrigada também por se dispor a comentar meus posts. Seja muito bem-vindo(a)!

Importante!
Devido à falta de tempo hábil eu não me comprometo a responder perguntas referentes aos tutoriais postados neste blog.
Pedidos de ajuda individual serão respondidos conforme o meu tempo e disponibilidade permitirem.
Por favor, entenda: comentários sem relação alguma com o post não serão liberados e nem respondidos.

Para saber mais sobre a melhor forma de utilizar este blog leia Termos de uso do blog.



Muito obrigada, fique à vontade para interagir.
Mas lembre-se:
Gentileza, educação e boas maneiras servem também para a vida nos blogs…