As utilidades das toalhas umedecidas (que eu só descobri depois de bem adulta)


Dia desses, arrumando os produtos que a parceira do Blog, Cotton Line, enviou para nós( nós= eu, marido, Menininha, Princesa e Bloguinho), eu me peguei pensando numa coisa que vai espantar você: eu só fui descobrir a utilidade de toalhas umedecidas depois de adulta.
E por adulta entenda bem adulta, tipo 40 anos.
Sério, antes eu não sabia que havia isso, não sabia que havia toalhinhas assim.
Claro que eu sabia dos lencinhos umedecidos que as mães usam nos bebês (tenho sobrinhos, já vi muito bumbum de neném...) mas toalhas de uso adulto eu não conhecia.

Descobri, usando, que elas servem para tanta coisa que a gente não imagina!
Minha Princesa está no cio, e aqui tem feito um frio daqueles. Banho não dá, ela está muito peludinha e eu quero deixar passar o frio pra tosar.
Aí as toalhas entram, na higiene "íntima" da minha pequena.
Sim, uai, ela é mocinha e de-tes-ta ficar com sujeirinha rsrsrsr

Também descobri que as toalhas de uso adulto são muito boas para pessoas acamadas. Na sensação gostosa e fresca que deixam na pele e nas mãos há um conforto, né?
Quando minha mãe ficou 6 meses com o pé imobilizado, (e no começo ela ficou de cama) as toalhas ajudaram muito porque nem sempre dava pra lavar o rostinho dela ou refrescar. Era época de calorão, então imagina a delícia do frescor das toalhinhas no rosto.
E como essas da Cotton, da linha Family Care, são hipoalergênicas, pode usar sem risco de dar alguma reação.

Eu sempre deixo uma embalagem no carro.
Eu não uso bolsa (sim, estranho, eu sei) mas deixo no carro porque a gente sempre precisa limpar as mãos, ou o rosto em dias de calor.
E eu sou muito calorenta. Então pra mim virou item de primeira necessidade. Como vivi tanto tempo sem???? rsrsrs

Agora vou te contar uma utilidade que duvido você tenha pensado: limpar mouse do computador.
Eu trabalho com a mão no mouse quase o dia todo, e boa parte da noite.
Tem horas que começa a querer ficar grudento, sabe?
Ai, gente... desculpaê mas eu sou meio fresca com sujeirinhas que grudam rsrsrs
Aqui do meu lado fica um potinho com as toalhinhas.
Nunca limpou seu mouse com toalhinhas umedecidas?
Então faz a experiência e me diz.
Fica fresquinho e ainda deixa no ar aquele cheirinho gostoso.
Sim, tem isso também, o cheirinho.
Sou a doida dos cheiros, sabe?



Agora que a gente já papeou veja o release que a marca envia junto com as toalhas:

"As Toalhas Umedecidas de Uso Adulto Family Care da Cotton Line são fabricadas com os mesmos cuidados das toalhas infantis: dermatologicamente testadas, sem álcool e com suave fragrância. Muito macias, são perfeitas para a higiene íntima, promovendo uma agradável sensação de frescor e limpeza.

Em tamanho maior do que as toalhas infantis, as toalhas umedecidas de uso adulto medem 22 cm X 20 cm e são acondicionadas em uma embalagem flowpack super prática, com 40 unidades."

Não sabe o que é flowpack?
Te mostro:

Flow pack
Sistema de embalar onde a embalagem é formada ao mesmo tempo que o produto é embalado. Processo contínuo onde o equipamento; recebe o produto sobre o filme, dobra e sela o filme longitudinal formando um tubo, e sela nas extremidades fechando-o.
Fonte: Guia da embalagem


Viu? Elaine também é cultura!

Cotton Line? Uso, sim! Au, au!




Aqui em casa usamos (os humanos e os caninos) e recomendamos os produtos Cotton Line.
Jamais recomendaria algo que não conhecesse e aprovasse.
Conheça os produtos da marca.
Procure na sua farmácia ou supermercado, e se não achar peça ao responsável para disponibilizar.
Vai por mim, é muito legal!
QUERO LER O POST COMPLETO

Box pop up para curtir a fanpage (instalação simples)

Box pop up para curtir a fanpage (instalação simples)

Há, aqui no blog, alguns tutoriais que ensinam como colocar o box (ou caixa) de curtir a fanpage do Facebook.
Sabe o que é?
É aquela caixa (ou box) que aparece no centro da página quando acessamos um site ou blog e à partir dela podemos curtir a fanpage do blog ou site.
Como eu disse tem alguns tutoriais aqui no blog que ensinam como fazer.
E todos funcionam lindamente, mas têm o inconveniente de precisar editar o código fonte do template para instalar.
E muita gente se sente insegura em fazer isso.
Daí, mexe e remexe, achei esse jeito de instalar a caixa sem precisar editar o código fonte do template.
Olha:


Demonstração do tutorial


Será apenas um passo, inserir o código como gadget HTML/JAVASCRIPT e tá feito.
Vamos fazer?
Então, vamos!

Para começar você precisa, claro, ter a fanpage de seu blog criada.
Acesse-a. Deixe a página aberta.
Agora vá ao painel do seu blog e clique na aba Layout.
A seguir clique em Adicionar um gadget e escolha a opção HTML/JAVASCRIPT .
Dentro da caixinha que expandir cole esse código:


Copiar o código


Agora preste atenção às dicas essenciais!

1- Onde está escrito elainegaspareto coloque o nome de sua fanpage, aquele nome que aparece no navegador, entende? Por isso pedi pra deixar a página de sua fanpage aberta, para copiar de lá. Algumas fanpages têm nome, outras números. Copie o que aparece depois da barra, assim: https://www.facebook.com/ElaineGaspareto

2- Claro, só serve fanpage. Perfil não gera box de curtir, você sabe...

3- As cores e fontes podem ser editadas mas nem vou entrar nesses detalhes porque só recomendo que mexa se tiver um conhecimento mínimo em CSS.
Cores são alteradas sempre pelo código hexadecimal precedido de #.

4- Altura e largura são alteradas trocando os valores em height (altura) e width (largura).
De novo, a recomendação: só mexa se souber o que está fazendo.
Deixei de um modo que não precisa editar, é instalar e ser feliz!

Importante:

Essa caixa usa cookies, ou seja: ela só aparecerá de 7 em 7 dias por IP.
Aqui o trecho que define os cookies:

$.cookie('popup_user_login', 'yes', {
            path: '/',
            expires: 7

Se quiser alterar esse tempo mude o número 7 para a quantidade de dias que desejar.
Se quiser que a caixa abra sempre troque yes por no.
Mas pense bem para não ficar chato para o leitor :)



Gostou?
Ficou facinho, né?
Enjoy!



QUERO LER O POST COMPLETO

Receita de doce de mamão verde em pedaços


Quando a gente era criança (a gente que eu digo sou eu rsrsrsr) não existia essa infinidade de doces industrializados que vemos em supermercado.
Quer dizer, até devia existir, mas estava fora do nosso alcance e realidade.
Aqui no interior, lá pelo final dos anos 1970, começo dos anos 1980, o máximo eram as paneladas de doces caseiros que a mãe da gente (no caso, de novo, a gente sou eu rsrsrs) fazia com frutas do quintal.

Na casa da minha mãe tinha (alguns ainda tem) goiabeira, pé de mamão, pé de cidra, limoeiro, mangueira, laranjeira, cajueiro...
Lembro dos tachos de goiabada, feita no fogão à lenha (a gente só foi ter fogão à gás muito tempo depois, eu já trabalhava... era um Dako azul e branco de asinhas, coisa linda, sinto saudade até hoje de fogão com asinha...), lembro do doce de manga (a última vez que comi foi quando minha irmã estava grávida da Ana Laura e cismou com o doce de manga).
E doce de leite (sabia que aqui onde moro hoje era uma fazenda? E era justamente aqui que a gente vinha comprar leite tirado na hora. Quem diria que anos depois aqui seria minha casinha...), daquele doce caseiro, apurado por horas no forgão à lenha... cor linda, gosto sem igual...

Nunca fui muito apaixonada por doce (minha fraqueza é salgada rsrsr) mas alguns daqueles doces de antigamente eu faço de vez em quando. Muito raramente pois é coisa de paciência e de tempo... e de achar a fruta certa...
E dos doces que eu ainda consigo fazer, daquela época, restou o doce de mamão verde.
Esse, olha de pertinho:


É aquele doce que fica durinho por fora e macio por dentro, sabe?
A minha mãe sempre fez com cal virgem, mas eu sempre cismei usar cal de construção no doce... eu, hein...
Até que a internet, essa coisa maravilhosa, me mostrou que podemos usar bicarbonato ao invés de cal.
Ou fermento em pó (aquele do bolo) ao invés de bicarbonato.
E dá certinho!

E sim, tem segredinhos!
Vou te contar como eu faço, os segredos todos, tá?
Vamos?
Então vamos!


Receita de doce de mamão verde


Ingredientes:
Mamão verde cortado em cubos não muito pequenos.
Tem que ser mamão verde, tirado do pé. Aquele verde que a gente compra no mercado não dá, ele sempre "tá de vez", ou seja, só é verde por fora, por dentro tá madurando já.
Tem que ser verde assim:
Açúcar o quanto baste (calcule mais ou menos 1 quilo de açúcar para cada 1 quilo de mamão)
Cravo da índia.
Cal virgem, bicarbonato de sódio ou fermento químico em pó. Escolha seu preferido. Água quente (uns 3 litros ou mais).


Agora os segredos:

Descasque e tire as sementes do mamão.
Corte em cubos não muito pequenos, e de preferência em tamanhos regulares.
Coloque em uma bacia e cubra com água.
Para cada quilo de mamão já cortado coloque 1 colher das de sopa bem cheia de bicarbonato de sódio ou fermento em pó. Ou cal de construção.

O bicarbonato é melhor que o fermento, tem ação mais potente ( assim como cal é melhor que bicarbonato, mas eu sou cismada rsrsrs).
Mexa bem, cubra e deixe descansar  por umas 2 ou 3 horas. Pode ser na geladeira, ou não, você decide.
Sim, 2 ou 3 horas... paciência, lembra?
Coloca o mamão de molho e vai fazer outra coisa.

Após o tempo de molho escorra a água e lave o mamão muito bem, umas  3 vezes em água corrente.
Tem que sair todo o bicarbonato/fermento/cal que tiver usado.
Reserve o mamão.

Em uma panela grande, de fundo grosso (eu tenho uma que foi da minha mãe, a "panela de fazer doce", alumínio batido, pesada e muito boa) coloque o açúcar e faça um caramelo.
Isso é importante porque dará cor ao doce, ele não ficará com aquela carinha pálida, mas sim dourado e lindo.
Quando o açúcar derreter e virar caramelo despeje o mamão, acrescente uns 10 cravos da índia, mexa.
Vai grudar tudo, é normal.
Cubra com água quente e tampe.

Deixe cozinhar em fogo alto por mais ou menos 1 hora, 1 hora e meia, depende do seu fogo (do fogo do seu fogão, tá? rsrrss) e do tamanho dos cubos de mamão.
Aqui em casa, na chama grande do fogão de 5 bocas, leva em torno de 1 hora.

Nesse tempo não precisa mexer, mas se a água começar a secar é só colocar mais, desde que seja água fervente e com açúcar.
Sim, com açúcar pra não deixar o doce sem doce, entende?
No total eu gastei quase 900 gramas de açúcar refinado.
Sim, pode ser cristal.
A calda vai encorpar, não se preocupe.

Após o tempo de cozimento (como saber se está cozido? Experimente, uai rsrsrs) espere esfriar e coloque em uma compoteira.
Mantenha em geladeira.
Dura bastante, especialmente se colocar em vidro com tampa esterilizado.

Dicas extras:
Nunca congelei, não sei dizer se pode.
Já fiz com mamão "de vez" e fica bom mas não fica durinho por fora.
Não coloque cal, bicarbonato ou fermento demais. Deixará o doce muito duro. Mantenha a proporção que falei acima.
Se usar cal o tempo de molho por ser reduzido em 10%. Mas lave muito bem, tá?

Se fizer me diz.
Bora adoçar a vida com doce da roça?
Enjoy!!!

Quer imprimir a receita?
Clica aí, ó:

Print Friendly and PDF




QUERO LER O POST COMPLETO

Personalizar as postagens mais vistas do blog- modelo com imagens maiores



Há, aqui no blog, uma categoria que mostra algumas opções de personalização para as postagens mais visualizadas (ou postagens populares) do blog.
Reveja:

Hoje quero te mostrar uma opção mais moderna, mais limpa e muito bonita.
Veja:

Demonstração do tutorial


São 3 passos simples, vamos aprender?


Antes de começar leia isso!


1- Antes de começar qualquer alteração em seu template, mesmo uma simples como essa, faça sempre backup dele para evitar estragos caso algo saia errado.

2- E, tão importante quanto o backup é ler o tutorial todo antes de sair fazendo.
Só comece após ler o tutorial, ler os códigos e se certificar de haver entendido tudo.
Combinado?
Combinado.
Então, vamos lá!



Personalizar as postagens populares do blog


Para começar, claro, você precisa ter instalado em seu blog o gadget Postagens populares.
Faça assim: vá ao painel administrativo do blog, clique na aba Layout e escolha Adicionar um gadget.
A seguir escolha Postagens populares e  configure marcando o período em que deseja as exibições, a quantidade de posts exibidos e não marque a caixinha snippet.
Salve, arraste para onde deseja que fique, salve as alterações do Layout e clique na aba Modelo.

Aí clique em Editar HTML e dentro da caixa do código fonte tecle Ctrl+F.
Na barra de pesquisa que aparecer digite </head> e tecle Enter para localizar.
Abaixo de </head> cole o Código CSS e salve.

Agora, na barra de pesquisa digite </body> e tecle Enter.
Acima de </body> cole o Código Javascript que faz a personalização funcionar.
Salve.
Está prontinho!

Ah, sim, claro, os códigos:

Copiar os códigos


Dicas extras:

1- Caso seu template já possua alguma personalização nesse gadget o modelo que ensino aqui pode não funcionar.
É preciso remover a personalização anterior e aí colocar essa, exatamente como explico no tutorial.

2- No Código CSS quase tudo pode ser trocado/personalizado ao seu gosto e de acordo com as necessidades de seu blog.
Meu modelo usa imagens na largura de 300px. Se sua sidebar for mais larga ou mais estreita ajuste esse valor para caber certinho dentro da sua coluna lateral.
Lembre que o valor 300 se repete também no Código Javascript. Portanto, se alterar no Código CSS altere igualmente o valor no Código Javascript.

3- Cores são alteradas trocando o código hexadecimal precedido de #.

4- A fonte que está no modelo é Cambria. Altere para a fonte que desejar.

5- Alterações diversas no Código CSS são por sua conta. É muito fácil de editar mas precisa ter um conhecimento básico. Vá mexendo, testando, até chegar na aparência que deseja.


Gostou?
Então compartilha aí, meu povo!

QUERO LER O POST COMPLETO

É fácil criticar quando não pisamos nas mesmas pedras...

é fácil criticar quando não pisamos nas mesmas pedras

Num domingo qualquer desses eu fui almoçar fora com marido num restaurante aqui na minha cidade.
À nossa frente, numa mesa central, estava uma família: pai, mãe e um menino que devia ter entre 10 e 12 anos, talvez um pouco menos.
Menino bonito, crescido, cabelo bem pretinho. Aparentemente muito educado, sorridente, falante, em especial com o pai.
Quando chegaram nós já estávamos lá.
A cena me chamou à atenção.

A mãe sentou o filho à mesa. Sim, ela puxou a cadeira, ela o acomodou.
Ela passou um guardanapo de papel onde ele ia almoçar.
Ela perguntou, sem se sentar, debruçada sobre o menino, o que ele queria comer.
Ela foi ao balcão e serviu o prato, enquanto ele estava sentado com o pai, e viam um jogo qualquer na televisão que tem no restaurante.

À cada item que ela via no balcão ela ia até a mesa e perguntava, naquela voz que a gente usa de vez em quando com bebês: "Tem franguinho, você não quer?"
"Olha, filho, tem carninha assada, pode colocar um pedacinho?".
Quando ela terminou de montar o prato colocou na frente dele, e foi buscar talheres.
Cortou a carne, despedaçou a salada. Misturou o arroz no feijão. Preparou a primeira garfada.
Sem se sentar.

Foi buscar o refrigerante (que é de máquina, acessível para todos) e não se sentou enquanto ele não comeu.
À todo momento ela perguntava se estava bom, se queria mais, e quando chegou batata frita ela se iluminou, correu buscar pra ele, e deu bronca no pai que queria pôr sal nas batatinhas.
Num determinado momento me perguntei se ela ia mastigar para ele...

Depois, mais incomodada com meus pensamentos do que com a cena em si, fiquei pensando...
O que, afinal, eu tinha com isso?
Nada.
Em quê a atitude extremamente protetora e até sufocante da mãe me afetava?
Em nada.
Não me dizia respeito, não era da minha conta, não me afetava, não impactava em nada em minha vida.
Simplesmente não era da minha conta que ela fosse tão superprotetora.

Eu não os conhecia. E por isso mesmo foi muito fácil julgar.
Talvez se eu os conhecesse e soubesse, por exemplo, que aquela mulher passou anos tentando engravidar e agora ela quer ser a melhor mãe do mundo? Será que eu seria tão crítica?
Talvez, se fosse uma amiga ou irmã, que cometeu erros antes agora quer compensar e corrigir, sendo uma mãe atenta e dedicada? Será que seria tão ácida?

Ou se fosse alguém que eu amasse e que simplesmente seja assim, cuidadosa, melosa, zelosa ao extremo, até um pouco chata e  grudenta? Será que seria assim tão sarcástica e pensaria :"será que ela vai mastigar pra ele?"...

A gente tem muita facilidade em criticar. Em especial o outro, o diferente, o que age de modo diverso da gente.
É muito fácil criticar, julgar, depreciar, ironizar... quase uma brincadeira...
Claro que a maioria das coisas fica no pensamento, mas se a gente soubesse o quanto os nossos pensamentos podem ser nocivos... me pergunto se os pensamentos ácidos podem ou não, de alguma forma, atingir o outro...
E se os meus pensamentos transparecessem em meu rosto?
Será que eu ficaria tão confortável em criticar?

Nesse dia saímos do restaurante antes deles. Ao sair ouvi a mãe perguntando:
"Quer gelatininha, filho? Eu vou pegar, quer que corte com a colherinha?"
Senti uma leve irritação com a voz, os trejeitos, a gelatininha... com algo que não me diz respeito em nada.
É... parece que ainda tenho muito que dominar em mim...
Todos temos.
Não é?


QUERO LER O POST COMPLETO

Menu de redes sociais com efeito hover

menu de ícones de redes sociais com efeito hover

Já faz tempo que eu uso esse menu de ícones de redes sociais nos blogs que personalizo.
Ele é prático, fica lindo, é bem personalizável e usa apenas CSS para ser feito. Bem levinho e fácil de editar.
Não sabe do que eu tô falando?
Olha:

Demonstração do tutorial

Vamos aprender?

Para começar você precisa ter instalada em seu template a fonte especial que gera os ícones.
Faça assim: acesse o painel de seu blog e clique na aba Modelo.
A seguir clique em Editar HTML e dentro da caixa de código que abrir tecle Ctrl+F.
Na barra de busca que aparecer digite <head> e tecle Enter para localizar.
Abaixo de <head> cole este código:




Salve.
A fonte que gera os ícones está instalada.

Agora, ainda no painel do blog, clique em Layout.
Escolha Adicionar um gadget e na janela de opções selecione HTML/JAVASCRIPT.
Dentro da caixinha cole o seguinte código:


Copiar o código


Agora faça as edições necessárias:

1- Onde está LINK DO PERFIL coloque, claro, o endereço de seu perfil na rede social correspondente.
Faça isso com todas as redes que for inserir.

2- Onde está o nome da rede social mantenha, é importante. E sobretudo mantenha o trecho que diz <i class="fa fa-facebook" pois é esse nome da rede social (no caso, facebook, escrito exatamente assim) que vai fazer aparecer os ícones.
Para ver todos os ícones disponíveis visite o site do desenvolvedor do recurso.


3- Se quiser acrescentar mais redes sociais além das 4 que forneci basta copiar essa linha de código:



E coloca-la ANTES do fechamento da div </ul>.


4- Cores são alteradas no código hexadecimal precedido de #.
O tamanho dos ícones é definido no estilo.
Confira o gráfico:

width: 38px; -largura
height: 38px; -altura
line-height: 38px; -altura do texto
background: #E8657B;  -cor de fundo
text-align: center; -alinhamento do ícone
color: #fff; -cor do ícone
font-size: 26px; -tamanho da fonte do ícone


5- Depois de editar como desejar, salve, arraste o gadget para onde deseja que ele fique e salve as alterações do Layout.

Facinho e fofo, né?


Aproveitando que estamos aqui você pode clicar em Curtir ou Compartilhar esse post?
É a forma correta de divulgar para seus amigos e leitores.
Jamais republique esse tutorial em seu blog, nem com créditos!
Indique com um link como seus leitores podem se beneficiar do tutorial!
Assim você ajuda as pessoas, ajuda meu blog e faz a coisa certa!

Fico muito agradecida!

E se gosta do blog e do conteúdo dele gostaria de curtir (se ainda não o fez) a nossa fanpage?
Aqui, ó:



Muito obrigada!!!!
QUERO LER O POST COMPLETO

Como personalizar os marcadores do blog

Como personalizar os marcadores do blog

Você, assim como eu, tem muitos marcadores em seu blog?
Ou nem tem tantos assim mas quer uma forma limpa e organizada de exibir os mais relevantes?
Então vem comigo, vou te mostrar como personalizar o gadget Marcadores e deixa-lo com esse aparência:


O efeito hover aparece ao passar o cursor, e a barra de rolagem aparece se seu gadget tiver mais de 200px de altura.
Vamos instalar?


Para começar você precisa, claro, ter marcadores em seus posts.
Aqui tem um post onde eu falo sobre a importância de tê-los e como fazer caso não tenha.


Marcadores no blog- como inserir


A seguir você precisa inserir o gadget Marcadores em seu blog.
Vá ao painel do blog e clique na aba Layout.
Aí clique em Adicionar um gadget e dentre as opções que surgirem escolha Marcadores.
Configure assim: escolha a opção Cloud, sem mostrar o número de postagens e se forem muitos marcadores (eu tenho 200, mimata) clique em Marcadores selecionados e escolha quais vai exibir.
Após isso salve seu gadget, arraste para onde deseja que apareça e salve as alterações do Layout.
Está feita a primeira parte. Vamos à segunda parte do tutorial.


Marcadores do blog- como personalizar


Agora, no painel do blog, clique na aba Modelo, e a seguir clique em Editar HTML.
Dentro da caixa do código-fonte tecle Ctrl+F e na barra de busca que aparecer digite  ]]></b:skin>.
Tecle Enter para localizar.
Acima dessa tag cole o código abaixo:

Copiar o código

Edite conforme desejar para que as cores combinem com seu blog.
E depois de concluir salve.
Está feito.
Simples e bonito, né?

Dicas extras:
A barrinha de rolagem aparecerá se a altura do gadget for superior à 200px.
Cores são alteradas onde deixei marcado. Aqui tem uma tabela de cores para você escolher pelo código hexadecimal qual prefere.
A fonte segue o padrão das fontes de seu blog.
Se o gadget Marcadores que você inseriu não for o seu primeiro (Label1) troque o número 1 pelo número do gadget. Isso você descobre ao editar o gadget: acima, na barra de endereço do navegador aparece o ID do gadget.


Gostou?
Então clique em Curtir, Compartilhar, recomende no G+ ou deixe seu comentário dando um oizinho pra mim :)


QUERO LER O POST COMPLETO

Coração partido...


Hoje uma das minhas cachorrinhas, a Espoleta, morreu.
Entre eu perceber a doença e leva-la ao veterinário e ela morrer foram 6 dias. Erquiliose e o mais grave e definitivo: o fígado falhou por causa do antibiótico que ela precisou tomar. Ela inchou de um dia para o outro e morreu .
Meu coração está partido.

Enquanto escrevo ainda não consigo controlar as lágrimas.
Pensei se devia ou não escrever o que sinto aqui, e decidi escrever porque um dos objetivos primeiros do blog foi esse, ser um canto onde eu pudesse falar aquilo que estivesse em meu coração.
Eu quero manter esse registro, quero manter o registro do que estou sentindo e do que quero falar.
Estou triste, muito...

Além da tristeza da perda eu sinto ainda a dor da culpa.
Sim, é minha culpa. Eu era responsável por ela e não fui capaz de ajudar na hora que ela mais precisou. Eu falhei com ela, como já falhei antes com outros.
Não admira que Deus nunca tenha me permitido ter uma criança... eu não consigo manter viva e saudável nem uma cachorrinha...
Minha culpa, da minha ineficácia, da minha incapacidade.

Vejo tantos cachorrinhos pela rua, sabe?
Sozinhos, sem dono, passando fome.
Aqui onde moro mesmo sempre vejo, tem 2 que a vizinhança alimenta. São felizes, tem um na rua de cima que vive na rua há anos.
Vivos.
E vejo em outras casas alguns que mal têm o que comer, que jamais passaram por um veterinário, sem cuidado, magrinhos, muitas vezes jamais tomaram um banho... amarrados... sem caminhas...
Mas vivos.
No canil da cidade tem mais de 400.
Vivos.

Eu não consegui.
Veja bem, é claro que não desejo o mal para os outros... mas só posso imaginar que seja uma espécie de punição pra mim.
Eu cuido, eu alimento, eu faço o que posso e sei, e me esforço... e os meus morrem, da forma mais cruel. Ano passado foi a Brisa, de câncer. E tantos outros antes...
Uma dor que sempre volta, eu lembro de todos, de todas as vezes que eu falhei.

Tenho comigo agora 3 cachorrinhos.
Não quero jamais outros. Não quero expor mais nenhum à mim. Não sou capaz.
E me corta o coração pensar nesses que estão comigo agora, no momento em que eles se forem.
Queria tanto ser mais capaz...

A gente supera. Eu sei.
Mas não deveria.
Eu não deveria superar, eu preciso não esquecer.
Para nunca mais ter nenhum, não expor nenhum à mim e à minha incapacidade de manter à salvo...


Sei que essa dor vai amenizar, infelizmente eu a conheço bem. As lágrimas secam, a gente segue a vida, se não caminhando, ao menos se arrastando por ela...
Mas sei também que essa tristeza vai ficar para sempre dentro de mim, alojada junto às outras, de outros tempos e razões...
E que essa pedra chamada culpa vai se juntar às outras que trago na bagagem e que carrego vida afora.

Eu sei que as palavras são tristes, mas é exatamente assim que me sinto agora.
Não escrevo para ler lição de vida, ou de moral, ou ler alguém que não está na minha pele dizer que estou exagerando, ou dizendo bobagem...
A dor está aqui, é real. O sentimento é real, entenda você ou não.
Não tenho vontade de amenizar os termos, nem de dosar as palavras, nem de ser engraçadinha pra mascarar a tristeza.
Ela, a tristeza, está aqui.
E não, não é de hoje, e nem por um motivo apenas...



QUERO LER O POST COMPLETO

Mais importante que a plataforma é o conteúdo

Mais importante que a plataforma é o conteúdo

Não é de hoje que rola no mundo dos blogs a "disputa" sobre qual plataforma é melhor: Blogger ou Wordpress.
E também não é de hoje que me perguntam sobre isso, especialmente pessoas que estão começando a blogar e leem em vários lugares que WP é melhor, é profissional, que Blogger é ruim, que é amador, etc e tal.
Por isso esse texto nasceu, para dar o meu ponto de vista, a minha opinião sobre onde é melhor ter seu blog.

Também quero dar um apanhado geral sobre as duas plataformas, com seus prós e seus contras.
Então vou dividi-lo em 2 partes, tá?
A primeira, mais técnica, e a segunda mais opinativa.
E, como é minha opinião, não é regra e nem lei.
É só a opinião de alguém que bloga com relativo sucesso ao longo de quase 8 anos e que cresceu dentro do Blogger.
Vamos começar?



Do que estamos falando?


Antes de mais nada vamos fazer uma distinção entre as plataformas.
Não, não é tudo igual.


Existe o Blogger, que é a que eu uso, propriedade da empresa Google desde 2004 e que tem o sufixo Blogspot quando criamos um blog que não tenha domínio próprio.
Nela tudo é gratuito, não precisa pagar hospedagem porque o host é o próprio Blogger e seus servidores (localizados na Califórnia), tem a opção de usar ou não domínio próprio (esse sim, pago) e existe uma boa variedade em templates nativos.
Também é possível personalizar absolutamente tudo no Blogger, modificar um template em tudo, instalar templates mais profissionais personalizados, pagos ou baixados de sites da internet, etc...



Existe também o Wordpress.com que é versão "gratuita" do Wordpress.
Nesse caso também não há necessidade de hospedagem, pode usar ou não um domínio próprio (pago), as opções de templates gratuitos são reduzidas e não há possibilidade de grandes personalizações.
Na store do próprio Wordpress é possível comprar Themes mais bonitos e mais bem desenvolvidos, porém sem a opção de acessar o código deles.
A personalização, como eu disse, é quase inexistente, e nessa versão sem hospedagem não é possível modificar o theme escolhido, seja ele gratuito ou pago,.


Imagem via Shutterstock

E há a versão Wordpress.org, que é mais complexa de usar, requer hospedagem paga, exige domínio próprio e precisa ser instalado em seu pc ou notebook pois na verdade se trata de um software de gerenciamento.
O custo para manter um blog Wordpress na versão completona é relativamente baixo, mas isso depende de alguns fatores tais como fluxo de visitantes (quanto mais acessos mais espaço de hospedagem você precisará para evitar que o blog caia), a empresa onde você vai contratar essa hospedagem, o designer que fará seu theme, os plugins (sim, a maioria dos recursos legais são pagos) que você vai precisar comprar para deixar o blog com os recursos que deseja, etc...




A versão Wordpress.com eu considero inferior ao Blogger e não acho que valha a pena.
Eu tenho blog Wordpress.com e uso para hospedar imagens grandes, mas é só.
Muito limitada, não podemos abrir o código fonte e portanto, sem chances de otimizar, por exemplo.
Fiz o blog, gosto de conhecer as coisas mas não usaria como blog "oficial".

Eu nunca usei a versão com hospedagem. Até baixei o software e paguei 3 meses de hospedagem pra me familiarizar e talvez trabalhar com WP, mas não me cativou.
É relativamente fácil de instalar, a hospedagem é simples de usar (se a empresa que você contratar for legal) e a criação dos themes (que chamamos templates no Blogger) não é um bicho de 7 cabeças se você já tem conhecimento anterior em CSS e HTML.
Mas é tudo muito diferente do Blogger, e a gente apanha um bocado até dominar. Depois que aprende vê que é simples.
Mas, como eu disse, não me cativou.




Wordpress.org- pontos positivos e negativos


Pontos positivos:
Total domínio sobre o blog.
Seu blog não será excluído de repente, ele não será tirado do ar se houver denúncia de plágio contra ele, e nenhum post seu será tirado do ar subitamente.
Seu blog é seu. Controle total.
Também há muitos recursos disponíveis (a maioria, paga), que fazem praticamente todo o trabalho de otimização, SEO, e divulgação automática de posts publicados, por exemplo. Blogar se torna bem mais simples e eficiente.
No WP há plugin pra tudo, e como a maioria é paga o suporte do desenvolvedor costuma funcionar.
O formulário de comentários permite controle maior sobre essa área: é possível saber o IP de quem comenta, é possível responder e a resposta será enviada ao comentarista, entre outras coisas.
Por ser paga a hospedagem em geral os blogs são mais bem cuidados. Quando há grana envolvida o cuidado tende a ser maior...
A aparência costuma (com exceções, claro) ser mais limpa e sem os excessos que vemos em blogs do Blogger.
E aparência limpa passa a imagem de blogs mais profissional, sem dúvida alguma!


Pontos negativos:
O custo, principalmente.
Será preciso investir em designer (ou tentar sozinho), programação (ou escolher um designer que faça também a programação), hospedagem e domínio.
Se você não possui ao menos o conhecimento médio em CSS e HTML não conseguirá personalizar seu theme.
Em geral o custo de um theme é maior do que de um template do Blogger.
E tem que ser pois é infinitamente mais trabalhoso.
E como eu disse, requer um programador, ou um designer que faça também a programação.

A administração é mais trabalhosa para quem está começando. Muito mais do que no Blogger. Nada impossível, mas requer estudo e dedicação, como tudo na vida...

O blog, ao contrário do que se imagina, pode sim ficar fora do ar.
Ele pode cair se a hospedagem falhar, pode cair se o fluxo de acessos for maior do que a capacidade contratada na hospedagem, pode cair se a sua hospedagem for em servidor compartilhado e houver um vírus em algum blog hospedado no mesmo servidor.

E pode ser deletado se for hackeado. Sim, se o servidor onde seu blog estiver hospedado for invadido seu blog pode ser deletado, alterado, sumir, etc...
Claro que isso depende do nível de segurança do host onde o blog for hospedado. Em hosts realmente seguros, com servidor dedicado (e, claro, mais caro) os riscos são muito menores.

Cair, ser hackeado... é um risco que toda e qualquer página na internet corre.
O fato de ser WP não elimina o risco, ao contrário do muita gente pensa.


Blogger- pontos positivos e negativos


Pontos positivos:
É gratuito. Completamente.
Claro, a menos que você queira ter um domínio próprio e contrate um profissional para desenvolver e personalizar seu template, neste caso o custo é pago ao profissional e ao órgão registrador do domínio.
Mas, sem template personalizado e sem domínio o custo é sempre zero.

Facilidade extrema de uso: tudo é simples, desde criar a conta até começar a postar, tudo é fácil e sem grandes desafios.
A personalização é muito ampla.
Podemos modificar um template nativo de tal forma que ele em nada lembrará o template original.
Um exemplo? Este blog que você está lendo.
Ele foi modificado à partir de um modelo original (Travel) do Blogger.

O blog praticamente não cai.
Eu tenho blog há 8 anos (agora em setembro completaremos aniversário, ele e eu) e nesse tempo apenas 1 vez o meu blog ficou fora do ar por algumas horas por problemas nos servidores do Google.
Na ocasião tudo saiu do ar: Gmail, Youtube, Blogger, pesquisa.
Sim, foi o caos.
Sim, durou pouco e foi só essa vez.

A segurança é quase perfeita.
Estranhou a frase? Mas ela é verdade.
Se você fizer como eu faço e configurar sua conta Google com todas as opções de segurança (verificação em 2 etapas, receber código por telefone, dentre outros) as chances de sua conta ser invadida são quase 0.
Quase, pois a gente sabe que o perfeito não existe...

Até hoje, com quase 8 anos de blog e centenas de clientes em meu trabalho de personalização eu ainda não vi nenhum blog ser invadido.
Já vi tentativas, muitas, mas jamais vi.
Sempre que houve problemas foi devido à falha do dono do blog, que esqueceu senha, deletou conta sem querer, passou senha pra quem não devia, etc...

Finalmente: a integração facilitada com os demais serviços Google.
Isso, pra mim, é uma baita vantagem...

Pontos negativos:
Inacreditavelmente os templates nativos do Blogger não seguem as diretrizes do Google quanto às regras mais modernas de SEO, CSS e HTML5.
Deveriam seguir, mas o que eu noto é que muita coisa não faz o menor sentido no código dos templates.
Os código são pesados, e falta clareza em muitos trechos, dificultando o trabalho de otimização.
Falando nisso, a otimização dos templates é pífia.

No Blogger, seu blog não está sob seu controle. Semelhante ao que acontece com o perfil do Facebook e as fanpages: elas pertencem ao Facebook, que pode derrubar se assim julgar correto/necessário.

Seu blog pode, se houver infração dos termos de uso da plataforma, ser excluído.
E a exclusão pode acontecer até por engano.
Eu mesma já tive 3 blogs excluídos por engano.
voltaram quando reclamei, eram blogs de teste. Mas e se fosse o blog real?
Sim, acontece, infelizmente.

Falta realmente avanço na questão dos comentários, e não poder responder e enviar a resposta direto pelo blog é um problema antigo.
Os modelos nativos são muito feios e com baixa qualidade. Sem personalização fica tenso usar...
Tudo o que queremos inserir no template tem que ser feito manualmente pois não há o recurso de usar plugins.

Pelo fato de ser gratuito há uma enorme quantidade de blogs muito ruins.
Se por um lado é bom essa facilidade em criar o blog, por outro lado ela gera um mar de blogs feios, mal escritos, sem cuidado. Talvez daí venha a fama de ser amador que o Blogger possui.

Por ser totalmente de graça as pessoas criam e descartam blogs à rodo, muitas vezes sem cuidado, sem capricho, com excesso de cores, fontes que não combinam, imagens enormes de péssima resolução, gifs piscantes, excesso de elementos na página (contador, medidor de temperatura, medidor de clima, gatinho que ronrona, relógio que pisca, coisinhas coloridas caindo, papai noel passando de trenó, bruxa voando, cursor animado) e por aí vai.
Na maioria das vezes tudo junto e misturado.
E isso dá ao blog aquele ar de coisa amadora, sem o profissionalismo que as pessoas, na maioria das vezes, identificam em blogs WP.



In my opinion...


Uma das coisas que mais eu leio por aí é que não dá pra ter um blog realmente bom e profissional no Blogger.
Discordo totalmente.
Um blog bom e profissional,sem aquele ar amador, não depende tanto quanto se diz da plataforma onde ele está alojado.
Depende muito mais do conteúdo que produz, do cuidado com o qual ele é feito, do capricho nas imagens, no texto, da navegabilidade, etc...
Eu tenho um bom blog, ganho dinheiro com ele de diversas formas e posso melhorar muito mais porque há espaço para isso no Blogger.
Mesmo com as limitações que existem.

Sobre ser amador, como eu disse, quem faz o blog parecer amador ou não é o blogueiro que o comanda.
Eu conheço blogs muito bons no Blogger, e blogs muito bons no WP.
E conheço blogs pavorosos no Blogger e blogs assustadores no WP.

Eu, como disse no começo do texto, tenho blog no Blogger e não pretendo deixar a plataforma.
Sim, o Blogger tem problemas, e alguns são bem irritantes.
Mas também tem tanta coisa boa, que pra mim, é impossível desistir dele.
Atualmente, inclusive, é meu trabalho, e eu amo!
conheço à fundo, sei dos defeitos, sei das virtudes, e digo, sem medo de errar:

Mais importante que a plataforma é o conteúdo

Não é?


QUERO LER O POST COMPLETO

Botão up and down para blog com efeito deslizante

botão up and down para blog

Tempos atrás eu mostrei aqui como colocar os botões Subir/Descer no blog.
Os botões que vou mostrar hoje realizam a mesma função, mas sua implementação é bem mais simples.
O resultado você confere no meu Blog de Códigos.
Vamos aprender?
São apenas 2 passos bem simples.
Ao final do tutorial eu dou algumas dicas de personalização.
Leia tudo até o final e se certifique de haver entendido, tá?


Instalar os botões Subir e Descer no blog


Antes de tudo abra a página com os códigos que serão usados neste tutorial:


Copiar os códigos


A seguir vá ao painel administrativo de seu blog e clique na aba Modelo.
A seguir clique em Editar HTML e dentro da caixa de códigos tecle Ctrl+F.
Na barra de busca que aparecer digite  ]]></b:skin> e tecle Enter para localizar.
Acima disso cole o Código CSS.

Agora digite </body> na barra de busca e tecle Enter para localizar.
Acima disso cole o Código HTML.
Salve, e tá feito.
Mais simples? Impossível.



Dicas extras de personalização do botão


Você pode alterar a cor de fundo, a cor das setas e o posicionamento dos botões.
Explicando:

Para alterar a cor de fundo troque o código hexadecimal precedido de # em background.
No código eu deixei o fundo branco, background: #ffffff;
Para alterar troque, portanto, o código #ffffff pelo código da cor desejada.

Para alterar a cor das setinhas troque border-color:transparent transparent #ca1700; pelo código da cor desejada. No caso eu deixei a seta em vermelho (#ca1700); altere esse código e a cor mudará.

O posicionamento do botão Down (que desce a página) você altera em
#GoToDown  no trecho que mostra top:45px;
Valores menores sobem, e valores maiores fazem a seta ser mostrada mais abaixo.
Eu deixei na altura exata para ser usada em blogs que tenham o menu fixo no topo.
Altere se desejar ou se quiser aproximar ambas as setas.

Para alterar o posicionamento da seta Up (que sobe a página) altere em #BounceToTop no trecho que mostra bottom:10px;
Valores maiores sobem, e valores menores mostram a seta mais abaixo.
Eu não mexeria aí, já está no rodapé da página.

Viu que simples que é?
Aproveite, divirta-se e instale em seu blog.
Facilita muito a vida do leitor...





QUERO LER O POST COMPLETO