Aqui o texto que desejar Aqui o texto que desejar
1 2 3

Sobre preconceito, o meu e o seu

no dia 20 de setembro de 2014

Dias atrás, em partida válida pela Copa do Brasil vi, incrédula e chocada, um negro reagir aos insultos racistas que recebia durante o jogo.

Quando digo que fiquei incrédula não me refiro à imagem humilhante (para mim) da bonita jovem gremista gritando, à plenos pulmões, seu racismo e sua falta de educação diante das pessoas e das câmeras. E do coro que inúmeros outros gremistas fizeram naquela partida, imitando o som do que eles consideram ser um macaco. E sim, havia negros entre os que faziam gestos e sons... jamais entenderei isso...

Não, demonstrações racistas e preconceituosas não me espantam, embora me façam descrer um tantinho mais das pessoas. Embora me façam pensar que algo deu muito errado com nossa espécie humana...
Não me choca porque eu sei muito bem o quanto somos, nós, brasileiros, um povo racista, sexista, xenófobo e preconceituoso. Temos preconceito de cor, de sexo, de origem, de religião, de peso, de altura, de largura, de tudo... Negar que há racismo no Brasil é tapar o sol com uma peneira furada...

Mas ver o goleiro do Santos reagir com firmeza me deixou pasma.
Porque a gente está acostumada a ver a vítima se calar, fazer de conta que não ouviu, não comprar a briga, evitar o confronto. A gente está acostumada a ver a vítima  baixar os olhos, se curvar, sentir vergonha... sendo que a vergonha não é da vítima, é do agressor. Ou deveria ser, se esse fosse um mundo com sentido.
Seja a vítima de racismo, de estupro, de abuso, de homofobia, de gordofobia... a vergonha deveria sempre ser do agressor...

No dia seguinte ao jogo vi uma entrevista do Aranha.
Ele disse algo que jamais vou esquecer, e que me lembrou de um amigo meu, do passado.
Na entrevista Aranha disse:
"Eu não sou aceito, eu sou tolerado. Me toleram porque posso pagar a casa onde moro, porque sou goleiro do Santos. Mas jamais fui aceito".
Você tem ideia do que é ter essa consciência? A consciência de que é tolerado e não aceito de fato? Confesso que caí no choro com aquela entrevista...

Imagem Pinterest
Depois da repercussão do caso do goleiro Aranha vi muitas outras coisas, e nesse mundo virtual a gente vê mesmo muita coisa. Vi muita gente criticando a atitude dele, que ele exagerou, que devia ter se calado.
Vi gente dizendo que "só podia ser preto mesmo"...
Vi gente falando que futebol é assim mesmo, que não há o que fazer. Que os cantos racistas do Grêmio existem há décadas.
Sim, é verdade.

Porque até 1952 o Grêmio não admitia jogadores negros, enquanto o rival Internacional tinha negros entre seus atletas.
Por isso o canto racista, que antes era destinado ao Inter e agora é "oferecido" a todos os jogadores negros:
"Somos campeões do Mundo
E da Libertadores também
Chora macaco imundo
Que nunca ganhou de ninguém
Somos a banda mais louca
A banda louca da Geral
A banda que corre
Os macacos do Internacional"
 Mas antiguidade não legitima o racismo, ou pelo menos não deveria...

Felipão (nem me espanta, típico sujeito preconceituoso, sexista e arrogante), o técnico gremista, insinuou que a culpa é do Aranha.
É, talvez seja. Ele tem culpa de ser negro. Assim como Tinga, o juiz Márcio Chagas da Silva, e tantos outros dentro e fora do mundo do futebol. No Brasil e no mundo.
Pelé (quando calado, um poeta) também disse que Aranha exagerou.
Afinal, se tivesse ficado calado nada disso teria ocorrido, né?

Bem semelhante aos negros que imitaram macaco no jogo onde tudo começou, fazendo coro ao que ouviram a vida toda. "Eu aguentei, aguente também".
Triste...
Fonte da imagem

Vi também gente defendendo a moça bonita que o atacou.
Vi as notícias de que a casa dela foi atacada porque um desequilibrado qualquer "sentiu nojo do que ela fez", foi lá e incendiou a casa da família dela.
Eu a vi pedindo perdão (e vi Aranha se recusando fazer as pazes, correto ele, pra que fazer média com a mídia?), eu a vi em programas de televisão justificando o injustificável.

Ela agora parecia ser a vítima, e de certo modo talvez seja... vítima de si mesma, de uma forma de pensar tão arraigada que parece ser a única...



 E vi também algo curioso: ela foi a única punida pela justiça, curiosamente uma mulher... sendo que as câmeras captaram tantos e tantos homens fazendo exatamente (ou pior) o mesmo que ela fazia. Algo para se pensar...



O Grêmio reagiu, fez declaração, puniu associados. Não somos racistas, bradou a torcida.
Acreditei que ficaria a lição, e começaria a evolução, a conscientização...
Como sou besta!

Santos e Grêmio se encontraram de novo, desta vez pelo Campeonato Brasileiro.
A cada toque que dava na bola Aranha ouvia:
"...ão ão ão o Aranha é alemão" e mais algumas coisas que me recuso a publicar.

A torcida gremista presente no estádio assinou embaixo do grito destacado de MA-CA-CO que a moça dera dias antes, no começo de tudo. No jogo de quinta-feira uniram suas vozes à voz dela e o grito de MA-CA-CO ficou infinitamente mais forte.
Sim, a torcida fez isso: acrescentou ainda mais covardia à ofensa, daquele jeito cruel, sem possibilidade de defesa, com ironia, com superioridade fria, com covardia e com requinte de crueldade.

Afinal não há na lei nada que condene chamar um negro de alemão...de corno, de viado.
O racismo, a repulsa, a agressão estiveram presentes o tempo todo. Foi um triste espetáculo. Senti vergonha de ver pessoas fazerem isso com outra pessoa.
Mas não será punido.
Ninguém falou a palavra macaco... mas todo mundo ouviu MA-CA-CO ser gritado à plenos pulmões...


A entrevista que citei no começo do texto me recordou vivamente o meu amigo Paulão, que se mudou para Juíz de Fora para estudar Design de interiores.
Ele, negro, um dia me disse:
"Você nunca vai saber o que é ser negro nesse mundo. Quem nasce com a pele clara, olhos claros, cabelo loiro, nunca vai saber o que é entrar em uma loja e as pessoas se agruparem, e os vendedores ficarem mais atentos.
Quem nasce branco nesse mundo já nasce com vantagem.
A gente, que é negro, não é aceito, é suportado."

Eu tinha menos de 20 anos quando ele me disse isso, e jamais esqueci.
Eu jamais esqueci o que ele me disse, e jamais deixou de doer em mim essa consciência, porque, sabe?
Ele falava de algo que conhecia, que sentia na pele todo dia. E eu não faço ideia do que ele suporta na vida sendo negro. Por mais que eu tente eu só posso sentir empatia. E isso é muito diferente de sentir na pele...

Preconceito todos temos, ou tivemos em algum momento da vida.
Seja de cor, de sexo, de religião.
Quanta gente eu vejo que ficou horrorizada com o racismo mas tem a mesma atitude em relação aos homossexuais, por exemplo?
E quantas pessoas que empunham a bandeira da luta homossexual e agem com extremo preconceito contra evangélicos?
Mas em algum lugar o elo dessa corrente de ódio tem que ser rompido.
Que seja em mim, que seja em você.


Pra encerrar vou te contar um caso que presenciei há uns dias e que mostra que sim, é preciso reagir sempre! Porque quem cala, consente...

Fui ao HC com meu marido em Ribeirão Preto e na volta passamos em um supermercado.
Na fila do açougue, enquanto esperava minha vez, vi um cliente chamar com um dos atendentes:
"Eu quero tal carne, o negão ali está fatiando. Ô negão, que carne é essa?"
O rapaz não respondeu, nem se virou.

O cliente repetiu a gracinha, os demais atendentes cutucaram o açougueiro. Que, pasme, reagiu:
"Meu nome é Júlio César, não é negão não".
Os atendentes riram, um pouco desconfortáveis, o cliente riu, meio sem graça.
Júlio César não sorriu, nem riu pra amenizar a reação.

Olhou firme o cliente e depois me atendeu. Muito bem, por sinal.
Dignidade.
Eu estive frente a frente com ela.
Valeu, Júlio César, que trabalha no Savegnago da Vila Vírginia.









http://www.tupperwarecia.com.br/

E se fosse verdade - livros que deram origem ao filme

no dia 18 de setembro de 2014


Você conhece o autor Marc Levy?
Falando assim muita gente não vai se lembrar, mas ele é autor dos livros que deram origem ao delicioso E se fosse verdade... com a atriz Reese Witherspoon e Mark Rufallo
Sim, é verdade, antes de ser filme eram livros, 2  volumes... mas nem todo mundo sabe disso.




Li recentemente ambos os livros, e pela primeira vez em minha vida encontrei uma obra onde o resultado em filme é superior ao livro.

Não sei se é porque gosto tanto do filme (#teammark forever), ou se é pelo fato de que 2 livros me pareceram demais...
Ou ainda se é porque no filme as explicações e saídas do roteiro são mais verossímeis...
O fato é que gostei dos livros, mas gosto mais do filme.



Nos livros o autor Marc Levy desenrola o roteiro que já conhecemos, mas de forma bem mais lenta e com algumas diferenças bem expressivas.
Por exemplo: no filme Lauren tem uma irmã, nos livros ela tem mãe.
No filme Arthur é viúvo, no livro ele é divorciado.
São diferenças simples que não afetam o resultado final.

A grande diferença, pra mim, é o ritmo.
Acho, como falei no começo, que 2 livros são demais, caberia em um volume apenas.
Mas Marc Levy tem esse estilo, digamos, mais pausado, mais lento.
A trama se desenrola de modo lento, em alguns momentos muito lento mesmo.
É pra ler sem pressa, afinal é literatura francesa e não um roteiro de Hollywood.
Se tiver a oportunidade, leia.
Acho delicioso quando podemos ter de uma mesma história 2 modos tão diferentes de contá-la...

Meus exemplares de E se fosse verdade e Encontrar você enviei de presente para uma amiga querida.
Mas se você quiser ler em ebook basta nos botões abaixo, estão hospedados em minha conta 4shared, que disponibilizo pra você

Baixar o ebook E se fosse verdade


Baixar o ebook Encontrar você


Se baixar os ebooks curta a postagem, compartilhe no G+ ou deixe seu comentário.
Eu fico muito grata!

Escolhendo a base perfeita: diferentes texturas e coberturas

no dia 16 de setembro de 2014

Escolhendo a base perfeita: diferentes texturas e coberturas

No post anterior, falamos sobre acertar na escolha do tom da base.
Clique aqui e relembre:
Como escolher seu tom de base

Porém, quando vamos escolher, nos deparamos com uma infinidade de texturas e coberturas.
Hoje vamos abordar as características de cada uma, para ajudar você na decisão.
Em cada uma delas deixei uma sugestão minha, que uso ou já usei e recomendo! :)

Base Líquida:
Por ser à base d'água, é mais fina, deixando portanto uma cobertura mais fina. Mas existem algumas opções no mercado nas quais a concentração de água é menor, ou seja, são mais espessas, deixando uma cobertura de média à alta.
Exemplo:

Em Pó
Quem já fez meus cursos de maquiagem pessoal sabe que sou inimiga número 1 do produto em pó. Por isso a base em pó, para mim, não passa de um pó facial comum.
Mas o que ela tem diferente para ter outro nome?
A cobertura é maior, mas se você não usar um produto cremoso sob a base em pó, ela não fixará e nem chegará no portão de casa.
Mas, caso ainda queira investir em um produto assim, prefira os minerais!
Ah, a cobertura, mesmo prometendo ser média, ao meu ver, é leve!
Sem indicações  pois não uso e nem usei, caso tenham deixem nos comentários para compartilhar.


Cremosa
Não deixa uma aparência pesada, é semelhante à um hidratante com cor.
Existem hoje muito filtros solares com cor que têm, na minha opinião, a mesma cobertura, mas com a vantagem de proteção. Eu uso muito.
Cobertura leve, natural!
Exemplo:


Ultrafluida
Digo que se parece com uma água, isso mesmo, extremamente líquida.
Praticamente transparente e deixa um "glow" - iluminado, bonito na pele.
Caso você tenha muitas manchas ou acnes para cobrir, descarte, pois a cobertura é levíssima.
Exemplo:



Compacta ou Bastão ( Paint Stick )
Minha preferida, mas confesso que precisa ter cautela na aplicação, pois é densa, possui cobertura altíssima e perfeita para pele oleosa.
Precisa ser muito bem selada com pó facial ( de preferência translúcido ).
Mas cuidado, pois ela pode destacar ainda mais as rugas e linhas de expressão.
Exemplos:



AirFlash ( Spray )
Como o próprio nome diz, a base é em spray e imita muito bem o efeito de aplicação de base do AirBrush.
Eu gosto muito para ocasiões especiais, não é uma base muito comum.
Tem uma cobertura média dependendo da marca.
Ela faz um pouco de bagunça para aplicar, pois os jatos sujam o cabelo e toda a sobrancelha, mas mesmo assim eu gosto!
Exemplo:


Espero que gostem das definições e seja útil para escolha da sua próxima base! Caso tenha marcas e texturas que você usa e recomenda, compartilhe conosco, vamos enriquecer essa lista para termos várias opções....

Grande beijo e até o próximo post! :)