Aqui o texto que desejar Aqui o texto que desejar
1 2 3

Como ganhar um cliente para sua loja virtual

no dia 29 de outubro de 2014

Outro dia eu comentei em meu perfil pessoal no Facebook sobre algo que muito me surpreende quando se trata de lojas virtuais.
Eu estava procurando um presente para uma amiga que mora longe e vi uma peça linda em uma fanpage.
Cliquei no link e ao invés de abrir o álbum do produto fui direcionada para uma loja virtual.
Até aí tudo bem. Gosto de lojas virtuais.
Ao entrar na loja a peça que eu queria estava lá, bem bonita, bem fotografada e aparentemente muito bem feita.
Foto linda, mas cadê o preço?
A legenda da foto dizia que o valor deveria ser solicitado via email.
Fechei a página e certamente nunca mais voltarei.

Sou impaciente, chata, implicante?
Não, de jeito nenhum. Tá, sou um pouco impaciente...
Mas quem navega e faz compras pela internet quer agilidade, clareza, rapidez.
E solicitar preço por email é pré-histórico.
Equivaleria a precisar pedir ao atendente do supermercado pra saber os preços de cada item, ao invés de simplesmente olhar e colocar no carrinho o que tiver escolhido.

Claro que quando se trata de pedidos com mais de 1 item é lógico e plausível entrar em contato com o vendedor, especialmente quando se trata de produto artesanal.
Mas deixar claro o valor individual de cada peça, as opções de frete, de pagamento, e demais informações úteis pode fazer a diferença entre efetuar ou não uma venda.

Sempre que me perguntam sobre lojas virtuais eu dou o mesmo conselho: olhe sua loja não como dona, e sim como cliente.
Vou dar algumas dicas simples, que fazem com que eu, a cliente em potencial, compre.
Pode ser útil para quem tem uma loja virtual, mas lembre que são dicas baseadas em minha experiência pessoal enquanto pessoa-que-compra-de-tudo-pela-internet...
É minha opinião como consumidora, e são coisas que observo enquanto cliente.

Vem comigo!

Layout

Há muitas plataformas para ter uma loja online. E também dá pra ter uma loja boa e funcional no Blogger.
Mas, seja em uma plataforma (como a Divitae, por exemplo, que eu sempre indico), seja no Blogger, o layout precisa ser limpo, claro, agradável e funcional.
Nada de penduricalhos, nem nada piscando, nem nada pesado.
O foco deve ser o produto, e não o gif piscante.
Fontes que facilitem a leitura são indispensáveis.
Evite cores fortes de fundo.
Na verdade evite tudo que possa disputar atenção com seu produto.
Tenha uma logomarca, ou na falta dela, um topo bonito, bem feito e marcante. As pessoas precisam identificar sua marca.
Se possível faça cartões com sua marca.

Organização

Seus produtos precisam estar separados por categorias, seja em uma loja virtual, seja em um blog que sirva como lojinha virtual. Lembre: quanto mais simples for a navegação, melhor para seu cliente.

Descreva adequadamente seus produtos. Esteja disponível para responder perguntas, mesmo as óbvias. Acredite, muita gente não lê as coisas e vai perguntar o que já está escrito. Ainda assim, responda educadamente pois é seu interesse vender e ganhar o cliente.

Você precisa deixar bem à mostra opções de contato, com email e se possível, telefone, Skype ou Whatsapp.
Se sua loja tiver fanpage, deixe à mostra. Facebook é um ótimo canal de vendas. Mas, claro: cheque e responda suas mensagens!
Vender pela internet é um trabalho muito mais árduo do que vender em uma loja física...

Sua loja precisa ter uma página explicativa de como comprar na loja, página explicativa sobre quem é o vendedor, página explicativa clara e de fácil entendimento sobre as políticas de troca da loja, etc.
Precisa deixar claro e visível as formas de pagamento aceitas. E também as opções de frete.
Opções de cores, estampas, e tudo o mais que for facilitar a vida do cliente.
Repito: olhe sua loja como cliente e não como dona.
Sua visão vai se abrir incrivelmente!


Fotos dos produtos

Aqui quero frisar uma coisa óbvia mas que nunca é demais:
Se seus produtos são artesanais jamais nessa vida poste fotos de produtos que não tenham sido feitos por você ou por sua equipe, caso possua ajudantes/sócias/auxiliares.
Jamais poste fotos dos outros, nunca, em hipótese alguma.
Jamais monte mostruário com fotos de coisas que você não fez, caso seu ramo seja artesanato.
Isso equivale a estelionato, e queima o filme de qualquer artesão.

Caso sua loja seja de produtos industrializados ou fabricados por terceiros como roupas ou lingerie, por exemplo,  poste fotos reais do que for vender.
Sim, isso é muito sério!
Não mostre uma coisa e envie outra.
Seja sempre ético e transparente.
Sem isso a loja não passa credibilidade, e credibilidade em internet é ouro!


Enviando os produtos

Recentemente eu comprei 2 soutiens de uma loja virtual. Comprei assim meio ressabiada, não conhecia a loja e isso sempre é um risco.
Mas queria o produto, não achei a cor e o tamanho em loja alguma (soutien plus size, de sustentação, tem ideia de como é difícil achar?) e resolvi arriscar.
Pois bem, a loja ganhou uma cliente.
As peças chegaram em 3 dias, tamanho correto, cor correta, embalados em uma caixinha de sapato infantil encapadinha com contact, com cartão da loja e papel de seda cobrindo tudo.
Coisa simples e bem feita. Envio abaixo do prazo, embalagem caprichada.
Em tempos de tanta picaretagem é um lucro quando a loja cumpre sua obrigação.

Mas minha dica é: vá além!
Inclua um mimo, pode ser um cartãozinho fofo, mas faça a diferença.
Se for cliente regular, capriche ainda mais.
Vai por mim, nós clientes nos deixamos conquistar por coisas simples...

Concorrência
Claro que entendo que há concorrência, eu trabalho com personalização de blogs e sites e sei muito bem como é esse mundo virtual.
Acredite: recebo emails falsos, de pessoas que fazem o mesmo trabalho que eu, apenas para efeito de sondagem.
Mas meu conselho é: não tema a concorrência, especialmente a desleal.
Talento, capacidade, e diferencial nunca espantaram clientes, ao contrário...

Sei também que, às vezes, queremos presentear alguém, e se o produto tem o preço exposto ficamos em uma certa "saia justa". Mas eu sou daquelas que acreditam que o gesto tem mais valor do que o preço...

Finalizando:
Ter uma loja virtual é para quem está disposto a trabalhar.
Eu percebo que é mais difícil e trabalhoso do que as pessoas pensam pois a internet é muito vasta e tem muita concorrência, embora seja delicioso também.
Por isso quem tem uma loja virtual precisa estar disposto a aprender sempre, a avançar sempre, todo dia um pouquinho.
Porque, acredite: o sucesso chega pra quem se dedica, e trabalha com afinco, dedicação e visão!
Não é?


Você tem uma loja virtual?
Divulgue o endereço dela na Vitrine de lojas virtuais!
Completamente gratuito!
Clique no banner:

http://www.tupperwarecia.com.br/

Rifa Natal Solidário- esse pode ser seu melhor Natal!

no dia 28 de outubro de 2014

Você conhece o Blog Solidário?
Vou te contar do que estou falando!
Em 2011, quando chuvas torrenciais atingiram a região serrana do Rio de Janeiro eu me juntei com uma amiga querida, a Luci Cardinelli, e fizemos uma rifa para ajudar, ainda que minimamente, os atingidos pela tragédia.
Na verdade minha ajuda foi mínima; quem levou o projeto adiante foi a Luci. Ela e muitas meninas talentosas, artesãs caprichosas e generosas que doaram peças lindas, que compraram, que divulgaram.
A rifa de 2011 terminou, mas a Luci sustentou com muita determinação e força projetos futuros, que levaram, e levam ajuda para diferentes projetos, como por exemplo o Inca, a Toca de Assis, entre outros.

Toda essa apresentação é para situar você porque, claro, este post é para pedir.
Pedir que você compre um número da Rifa Natal Solidário.
Vou explicar certinho:
A Rifa Natal Solidário tem o objetivo de arrecadar dinheiro, que será usado para ajuda à Toca de Assis, Inca e outros projetos a serem definidos dependendo do valor arrecadado ao final.
Cada número da Rifa Natal Solidário está sendo vendida por, pasme, 5 reais.
Sim, apenas 5 reais.
Serão 20 ganhadores, mas nem é isso que importa, não é?
Importa que adquirir um ou mais números da rifa fará bem, antes de qualquer coisa, à quem abre o coração para ajudar.

Eu não vou colocar aqui os prêmios porque são muitos.
Você pode conferir um a um clicando no link abaixo:

Rifa Natal Solidário- prêmios


Vou colocar aqui as informações sobre como comprar pois acredito que você quer poupar tempo e já reservar seus números, não é?
Vem comigo:

Rifa Natal Solidário- como comprar

Comece clicando aqui: http://www.rifadigital.com.br/rifa-solidaria-de-natal
Você será direcionado para a página da rifa;
Faça login com sua conta Facebook. Caso não tenha conta Facebook abra uma na própria página da rifa, é simples e rápido;

Selecione, dentre os números disponíveis (quadradinhos azuis), os que você quer reservar;
Depois de escolher role a página até achar o botão Registrar meu números escolhidos nessa rifa. Clique nele.
Aí selecione a forma de pagamento: conta corrente (os dados estão na página da rifa) ou via PagSeguro. Nesse caso basta clicar no botão Pagar com PagSeguro, que também está na página da rifa. Eu sugiro que use esse método, é rápido e nem precisa sair de casa.

Efetue o pagamento e envie um email para luci.cardinelli@gmail.com
Aguarde a confirmação que ela vai te enviar.
Pode demorar uns dias porque é muito trabalho, mas a confirmação será enviada e você notará que seus números selecionados passaram do status pendente para confirmado.
O pagamento pode ser feito até 18/11/2014.

Você quer conhecer os prêmios da rifa?
Clique sobre o banner abaixo:

Não quer comprar rifa alguma mas quer ajudar?
Sim, você pode!
Faça uma doação espontânea.
No Blog Solidário há, bem no topo da sidebar, um botão de doação via PagSeguro.
Você doa o que desejar, e o dinheiro será usado para ajudar as entidades que citei acima.

Sei que os tempos estão difíceis, mas sei também que não é impossível doar 5 reais.
Pode confiar sem medo algum, eu jamais pediria, jamais exporia meu blog se não fosse algo sério e idôneo.
Jamais me envolveria se a Luci, que está à frente da Rifa, não fosse uma das pessoas mais honestas e corretas que já conheci.
Assino embaixo, e por isso estou pedindo sua ajuda.
Leia as campanhas anteriores, veja as fotos, pergunte para quem já participa há tempos das ações promovidas pela Luci.
E abra seu coração.
Solidariedade faz bem, especialmente para quem a pratica...

Era uma vez um pequenino país chamado Aqui...

no dia 27 de outubro de 2014

Era uma vez um pequenino país chamado Aqui.
Aqui era um lugar lindo, com paisagens bonitas e seus 100 habitantes (sim, Aqui era bem pequeno mesmo) eram pessoas bem diferentes entre si: alguns brancos, alguns negros, alguns índios, alguns orientais, mas a maioria era mesmo uma mistura de várias etnias.
Haviam casais casados, casais juntados, solteiros, namorados, alguns casais gays e alguns gays solteiros. Haviam magros, gordos, altos, baixos...
Haviam as casas ao sul, e haviam as casas ao norte. Uma pequena praça dividia sul/sudeste do norte/nordeste. Ao leste a ao oeste também a praça servia de divisão.
Tudo ia bem Aqui.
Ao menos, na fachada.

Aqui era regido pelo sistema democrático, o que aliás era algo muito bom. A vontade da maioria se sobrepondo à vontade da minoria.
Mas os governantes, e até mesmo os eleitores que formavam a tal "maioria democrática" que governava Aqui esqueceram-se que, além de ser o governo da maioria a democracia deve ser também a defesa pela maioria dos direitos das minorias.
Mas com o tempo, e sobretudo porque é bom ser maioria, esse preceito foi sendo posto de lado.

Cada vez que alguma minoria desejava ter algum direito reconhecido alguém (em geral, da maioria) logo propunha:
"Plebiscito"

casamento homoafetivo
Fonte: Pinterest
Foi assim quando os 2 casais gays quiseram se casar.
Pode? Não pode?
Não há precedentes.
Vamos fazer um plebiscito.
A maioria decidiu que não, eles não deveriam se casar. Onde já se viu???
Somos cidadãos, temos ou não os mesmos direitos?
E todos se casam, por quê nós não?
Porque a maioria escolheu assim.
Quem era essa maioria? Alguns homens, algumas mulheres e 1 dos gays solteiros, cuja mãe ainda não sabia que ele era gay...

E quando as mulheres quiseram o direito de trabalhar fora sem precisar de autorização escrita do pai ou do marido a resposta foi, claro:
"Plebiscito"
A proposta não passou por pouco: 3 mulheres votaram contra; lugar de mulher é em casa, cuidando dos filhos. Porque mesmo entre as mulheres haviam as mulheres-machistas, que acham que o homem é o senhor.
As mulheres reclamaram, pensaram em queimar alguma peça de roupa em protesto... mas a maioria não achou interessante queimar nada, então não teve protesto porque a maioria não queria se desfazer de lindos soutiens de rendinha... só umas poucas realmente protestaram, mas a maioria nem entendeu...e a maioria nesse caso eram homens, gays, e algumas mulheres...

E quando a minoria que plantava jardins quis que fosse feita uma lei que proibia as pessoas de pisarem a grama verde e pisoteasse os canteiros de flores, adivinha qual a resposta?
"Plebiscito"
Essa lei também não chegou a ser feita.
A maioria defendeu o direito de pisar onde desejasse, onde já se viu cercear a liberdade de ir e vir???
E daí que nunca mais nascesse grama, ou florzinhas azuis nos jardins? Ou que nunca mais uma muda de árvore conseguisse sobreviver?
A maioria decidiu... e dessa vez a maioria era composta por mulheres, gays, homens e até o jardineiro-chefe mudou de voto na última hora...

Mas Aqui quase se desfez mesmo quando os donos das casas do Sul quiseram que os
donos das casas do Norte parassem de sentar-se na praça ao fim de tarde.
Todo fim de tarde era uma invasão de gente do Norte, isso tinha que parar. Essa gente do norte senta nos melhores bancos, comem toda a pipoca...
Os donos das casas do Norte reagiram, a praça é nossa também. Temos o mesmo direito aos bancos e à pipoca.
É, não é... alguém propôs dividir a praça, mas faltou consenso sobre de qual lado o carrinho de pipoca ficaria.
Não houve plebiscito, ainda. Mas estão estudando isso... e realmente há quem ache uma boa dividir Aqui em Aqui do Norte e Aqui do Sul.
Cada lado jura que só os inteligentes, lindos e espertos ficarão em seu lado.
Do outro lado ficarão só os feios, bobos e chatos...

Aqui continua, mesmo com todos os problemas, sendo uma democracia. Parece que não há alternativa pois uma vez colocaram um homem sozinho pra decidir e as mulheres reclamaram.
Trocaram, colocaram uma mulher, e os outros habitantes se rebelaram.
Quando propuseram um gay os "homens de família" ameaçaram retomar o poder "pregando" em armas, sendo que alguns livros sagrados encabeçavam a lista dessas armas.

Não há solução por enquanto.
Aqui só será de fato uma democracia, no verdadeiro sentido da palavra, quando seus habitantes entenderem que democracia não é a vontade da maioria, apenas.
Democracia é aquele jeito espetacular de governar que defende o direito de todos, e não apenas da maioria. Nem apenas privilegia alguma minoria... mas defende o direito de todos, igualmente, sem privilégios, sem descaso...

Quando isso acontecer, se acontecer, Aqui será um lugar lindo, perfeito para viver.
Afinal, Aqui tem tudo o que precisa para ser um gigante... embora esse gigante às vezes permaneça assim, deitado, adormecido em berço esplêndido...